segunda-feira, 17 de março de 2008

Mais da metade dos dólares da reserva "do Banco Central" pertence a “estrangeiros” – e não ao próprio Brasil

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos do Internet Explorer.

Por Jorge Serrão

Mais da metade das reservas em dólares “do Banco Central” pertence, na verdade, a residentes no exterior. Tais reservas podem minguar de repente, ao ser transferido o capital mais juros de aplicações na dívida interna. Os títulos dessa dívida adquiridos por não-residentes equivaliam a mais de US$ 42 bilhões em janeiro. Mas acredita-se que o total real é certamente maior.

Citando números oficiais da Comissão de Valores Mobiliários, o economista Adriano Benayon, autor do livro “Globalização versus Desenvolvimento”, desmontou tecnicamente a farsa de que o Brasil virou “credor líquido” porque as reservas em moedas estrangeiras superaram a dívida externa. Banayon destaca que o Brasil já acumula perdas cambiais por manter reservas em dólar, moeda cuja fraqueza é, de há muito, evidente.

“O dólar já se desvalorizou mais de 100% em relação ao ouro e 30% ao euro, nos três últimos anos. O BACEN mantém reservas em dólar e faz operações de swap, alegadamente para sustentar o valor dessa moeda no Brasil. Teve, no exercício de 2007, prejuízo de R$ 47,5 bilhões, a ser coberto pelo Tesouro Nacional e, portanto, pelo contribuinte”. Benayon lembra que o Brasil paga 12% aa. na dívida interna e recebe 2,3% pelas reservas aplicadas em dólar, em que sofre ademais enorme prejuízo cambial. “O círculo é retroalimentado, pois o real se valoriza com o ingresso dos capitais especulativos”.

Adriano Benayon explica o mecanismo perverso. Os aplicadores tomam crédito barato em moeda estrangeira e a passam ao Banco Central do Brasil em troca de reais, com os quais compram títulos da dívida interna brasileira. Nesse processo, eles se vêm apropriando não apenas do diferencial das taxas de juros, em torno de 10% aa., mas também de ganhos de capital superiores a 20%, só nos últimos 12 meses, em função da apreciação do real.

De janeiro a setembro de 2007, estrangeiros ganharam US$ 151,3 bilhões com aplicações em ativos financeiros, inclusive ações na BOVESPA e ADRs na bolsa de Nova York. ADRs são os “American Depositary Receipts”, título usado nas negociações de ações, também de empresas brasileiras, nos EUA.

Leia detalhes no artigo de Adriano Benayon desmontando a farsa do Banco Central e do desgoverno Lula: Fragilidade externa do Brasil e o cultivo da dívida interna

Socorro imediato

O JPMorgan Chase anunciou ontem a compra do Bear Stearns, quinto maior banco dos Estados Unidos, por US$ 23 milhões, cerca de 7% do valor de mercado do grupo antes de ter chegado a beira da falência na sexta-feira.

O negócio foi fechado com a participação do Federal Reserve (o banco central privado americano).

Serão injetados US$ 30 bilhões para cobrir o rombo deixado por empréstimos não pagos e evitar o efeito cascata que um pedido de concordata do banco poderia causar.

Chega de corrupção

A Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp) ontem a campanha "O que você tem a ver com a corrupção", com o objetivo de envolver os brasileiros no combate a este mal.

Será distribuída uma cartilha em escolas e locais com grande circulação de pessoas explicando que a corrupção existe em vários níveis e, por isso, todos podem colaborar com o fim dela.

O movimento conta com a adesão de juízes, empresas e celebridades.

Por falar nisso...

A Justiça Federal de São Paulo retoma hoje os depoimentos dos envolvidos no caso do mensalão, por determinação do Supremo Tribunal Federal..

A juíza Silvia Maria Rocha vai interrogar três réus: o ex-ministro da Secretaria de Comunicação da Presidência da República Luiz Gushiken, o ex-deputado federal pelo PT paulista Luiz Carlos da Silva (o Professor Luizinho) e a ex-diretora do Banco Rural, Ayanna Tenório.

Os depoimentos serão tomados a partir das 13h, na 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo, na região dos Jardins.

Acusações

O ex-ministro Gushiken responde por suposto crime de peculato.

Já o professor Luizinho é acusado de lavagem de dinheiro, pois teria recebido dinheiro do caixa dois do PT, intermediado pelo ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares.

Ayanna Tenório é acusada de gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

Retorno do Lao

O empresário chinês Law Kin Chong, acusado pela Polícia Federal de ser o maior contrabandista do País, deixou no começo desta tarde a Penitenciária II de Tremembé, no Vale do Paraíba, para curtir o luxo de sua residência no Morumbi.

Lao foi beneficiado por um habeas corpus concedido pelo juiz federal Alexandre Cassetari, que, segundo a defesa de Law, alega que o prazo de prisão cautelar dele já havia vencido há 10 dias.

A PF acredita que Law nunca parou com as atividades de contrabando, nem mesmo quando cumpria pena.

Recordações

O empresário chinês agora volta para a cidade de onde foi expulso pelo próprio prefeito Gilberto Kassab (DEM).

Antes de Law ser preso no ano passado, o prefeito Gilberto Kassab Kassab mandou um recado para o empresário:

O senhor Law, que é um bandido, todos sabem, a cidade de São Paulo não o quer aqui. Em São Paulo queremos pessoas do bem, pessoas que paguem impostos, que trabalhem com seriedade, que respeitem os que estão criando seus filhos aqui. O senhor é um bandido senhor Law, sai fora da cidade. Se não sair por bem, vai sair em um camburão”.

Law Kin Chong é dono de várias lojas e shoppings populares na região da Rua 25 de Março, no centro da capital – alvos das fiscalizações de Kassab e seu super assessor Andréa Matarazzo.

Pesquisa eleitoral

Geraldo Alckmin (PSDB) tem 27,6% das intenções de voto para a Prefeitura de São Paulo.

O tucano estaria empatado tecnicamente com Marta, que registra 22,3%.

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) melhorou a intenção de voto recolhida pelas últimas pesquisas e aparece com 20,4% na recente amostragem da Toledo & Associados.

Os outros

Depois deles, apareceram os nomes dos deputados Paulo Maluf (PP), com 10,3%, Luíza Erundina (PSB), com 7,7%, e Paulo Pereira da Silva (PDT), com 2,3%.

Os potenciais candidatos Aldo Rebelo (PC do B) e Zulaiê Cobra (PHS) pontuaram abaixo de 1%.

Soninha Francine (PPS) não teve seu nome incluído no levantamento.

Segundo turno

Num eventual segundo turno, Alckmin venceria Marta por 55,2% a 35,1% e Kassab por 54,9% a 31%.

Alckmin herdaria 70,7% dos votos de Kassab no primeiro turno, 61% dos de Maluf e 39,2% dos de Erundina.

A grande surpresa é que, num hipotético segundo turno entre Kassab e Marta, o atual prefeito ficaria com 45,1% a 41,9%, em situação de empate técnico.

A Toledo & Associados ouviu 1.020 paulistanos de 16 anos ou mais, representando o universo eleitoral de 8.138.018 eleitores da capital paulista, entre 7 e 10 de março. Foi registrada no TRE-SP sob nº 00300108-SPPE, no dia 11 de março. A margem de erro é de 3,1 pontos porcentuais.

Briga no Rio

O deputado Chico Alencar (PSOL) lança hoje, às 14h, na sede do diretório regional, na Lapa, a sua pré-candidatura à Prefeitura do Rio.

O PV já lançou o deputado Fernando Gabeira, com apoio do PSDB e do PPS.

Todos querem brigar contra o senador Marcelo Crivella – apontado como favorito nas pesquisas, com 25% de intenção nos votos.

Vitória na Maçonaria

Marcos José da Silva e Cláudio Buono, da chapa 1, venceram a eleição para o Grão-Mestrado do Grande Oriente do Brasil – a mais antiga potência da Maçonaria brasileira.

Na apuração extra-oficial, eles obtiveram 70% dos votos sobre a chapa 2, do senador Mozarildo Cavancanti e Antonio Carlos Azevedo Braga.

O resultado oficial da eleição do GOB será proclamado dia 28 de março, em Brasília.

Quem está mais errado?

Uma menina de 12 anos está presa desde terça-feira em uma cela individual da delegacia da Polícia Civil da cidade de Sidrolândia, em Mato Grosso do Sul.

A menor fugiu de casa para morar com o namorado, de 18 anos, e os pais registraram a ocorrência do desaparecimento.

Para tentar livrar o namorado da acusação dos crimes de rapto e estupro presumido, ela se apresentou à polícia.

Só que, durante o depoimento, a menina deu um soco no olho do delegado e foi presa.

Tudo errado

O juiz Marcelo Ivo de Oliveira reclamou que a apreensão da adolescente é legal, mas que deveria ter sido comunicada à Justiça em no máximo 24 horas, o que não ocorreu.

O processo só foi entregue ao Judiciário na quinta-feira, dois dias depois da prisão da menor, mesmo assim a menina continuou presa.

Segundo o Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH), na visita à cela, verificou-se que a menor está dormindo em um colchão no chão e que o banheiro não tem porta.

Continua presa

A cafetina brasileira Andréia Dias Schwartz, uma capixaba de 31 anos, continua detida na prisão federal de Bergen County, em Nova Jérsei, sem previsão de ser deportada para o Brasil.

Andréia é mantida nos Estados Unidos para passar mais informações sobre o esquema de prostituição envolvendo políticos e altos executivos.A capixaba, que foi informante do FBI (Polícia Federal americana) no caso que resultou no escândalo e na renúncia do governador de Nova York, Eliot Spizer.

Com 1,62 metro, 50 quilos e silicone nos seios, Andréia é testemunha no processo e fiel depositária até o grande júri — quando vão ser revisadas as provas apresentadas pela procuradoria para definir se há motivos para apresentar queixas contra ela.

Creu!

A Mulher Melancia, Andressa Soares, deve abandonar o MC Créu.

O relacionamento dos dois azedou por causa das constantes faltas da dançarina.

Só na semana passada, Andressa faltou a seis shows porque estava fotografando seus 121 cm de bumbum para o ensaio nu que fez para a Playboy.

Feliz Páscoa

Do nosso articulista Arlindo Montenegro, uma curiosidade sobre a Páscoa.

Este ano a Páscoa acontece mais cedo do que qualquer um de nós irá ver alguma vez na sua vida!
A Páscoa é sempre no primeiro Domingo depois da primeira lua cheia depois do equinócio de Primavera (20 de Março).

E só os mais velhos da nossa população viram alguma vez uma Páscoa tão temporã (mais velhos do que 95 anos!).

Novidades

A próxima vez que a Páscoa vai ser tão cedo como este ano (23 de Março) será no ano 2228 (daqui a 220 anos).

A última vez que a Páscoa, foi assim cedo, foi em 1913.
Na próxima vez que a Páscoa for um dia mais cedo, 22 de Março, será no ano 2285 (daqui a 277 anos).

A última vez que foi em 22 de Março, foi em 1818. Por isso, ninguém que esteja vivo hoje, viu ou irá ver uma Páscoa mais cedo do que a deste ano.

A data da Páscoa baseia-se no calendário lunar que o povo hebreu usava para identificar a Páscoa judaica, razão pela qual a Páscoa é uma festa móvel no calendário romano.

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

2 comentários:

Anônimo disse...

BARRADO!!!
CAPITULO I
http://www.folhabv.com.br/noticia.php?pageNum_editorias=1&editoria=politica&Id=36674

CAPITULO II
http://www.folhabv.com.br/noticia.php?pageNum_editorias=1&editoria=politica&Id=36733

bastilha disse...

Celso Daniel: A verdade levará Lula para a cadeia
e dará fim ao petismo para sempre.


Este é o caminho!







Oito mortos e dois refugiados políticos. Crime comum?
por Hugo Souza


O caso do doleiro Toninho da Barcelona, condenado a exagerados 25 anos de cadeia mais por ser o "doleiro do PT" e menos por ser um simples doleiro, mostra que no Brasil ainda se corre o risco de os rigores da lei serem instrumentalizados para fazer de contraventores comuns presos políticos encarcerados em presídios de segurança máxima. Por outro lado -- senão o mesmo -- os desdobramentos do sequestro e assassinato em 2002 do então prefeito de Santo André, Celso Daniel, fizeram com que dois brasileiros tenham sido declarados como refugiados políticos no exterior, mais de 20 anos após o fim da ditadura militar no Brasil.

Ameaçados de morte por insistir na elucidação do sequestro e da morte do petista, Bruno José Daniel Filho e Marilena Nakano, irmão e cunhada de Celso Daniel, e seus três filhos deixaram o Brasil rumo à França em março de 2006. Lá, entraram com um pedido de asilo político junto ao Ofício Francês de Proteção aos Refugiados e Apátridas (OFPRA), órgão competente para avaliar solicitações de abrigo a pessoas que sofrem perseguição política em seus países de origem.

Para isto, apresentaram ao OFPRA depoimentos de amigos e reportagens de jornais brasileiros que relatavam as ameaças. Pedido feito, pedido aceito: foram reconhecidos pelo governo francês como cidadãos brasileiros perseguidos politicamente e, portanto, dignos de acolhimento em um país que lhe garanta segurança física e liberdade de expressão.

Não lhes faltaram razões para temerem ser mortos caso permanecessem no Brasil. Aqui, Bruno Daniel e Marilena Nakano lutavam para descobrir as razões e os mandantes do assassinato. O problema é que, ao que tudo indica, a mera possibilidade de as reais motivações do crime virem à tona já deixou mais sete cadáveres pelo caminho, além do próprio Celso Daniel.

Três meses depois da morte do ex-prefeito, o detento Dionísio Severo foi morto na cadeia, apenas dois dias depois de ter dito que teria informações sobre o caso. Ele foi apontado como o contato entre o empresário Sérgio Sombra, acusado pelo Ministério Público do estado de São Paulo de ser o mandante do crime, e os autores do assassinato. Dionísio Severo foi resgatado da cadeia, de helicóptero, dois dias antes da morte de Celso Daniel, sendo depois recapturado. O homem que abrigou o foragido neste meio tempo, Sérgio "Orelha", também foi morto. Otávio Mercier, investigador de polícia que ligou para Severo na véspera do sequestro de Celso Daniel, levou dois tiros dentro de sua casa.

Sem perder a conta -- Depois de Celso, Dionísio, Sérgio "Orelha" e Otávio -- a lista de cadáveres foi acrescida com o de Antonio Palácio de Oliveira, garçom que na noite do sequestro do ex-prefeito serviu a mesa de uma churrascaria em São Paulo em que estavam Celso Daniel e Sérgio Sombra. Foi morto em fevereiro de 2003. Portava documentos falsos e tinha recebido um depósito de R$ 60 mil em sua conta corrente.

Vinte dias depois foi a vez de Paulo Henrique Brito, única testemunha da morte do garçom Antonio Palácio de Oliveira. Em dezembro de 2003, o agente funerário Ivan Moraes Rédua levou dois tiros pelas costas. Ele havia sido o primeiro a reconhecer o corpo de Celso Daniel, ainda jogado na estrada, e a chamar a polícia.

Até aqui, a última morte suspeita ligada ao caso foi a do médico-legista Carlos Delmonte Printes, que examinou o cadáver de Celso Daniel. Ele dizia que o ex-prefeito de Santo André foi brutalmente torturado antes de ser assassinado. O doutor foi encontrado morto em seu escritório na Zona Sul de São Paulo, no dia 12 de outubro de 2005. O laudo oficial sobre a morte do legista concluiu que ele cometeu suicídio.

Menos de um mês antes de morrer, Carlos Delmonte Printes foi ao Programa do Jô, da Rede Globo. No ar, disse que recebeu pressão de políticos para que concordasse com a hipótese de crime comum, que considerava "inverossímil". Ele disse ainda: "Eu fui proibido de falar pelo diretor do Instituto Médico Legal. Bem mais tarde, depois que eu comuniquei o fato ao Ministério Público, eles alegaram que era para a minha proteção e em seguida foi decretado segredo de Justiça".

Entre os políticos que o teriam pressionado, Carlos Delmonte Printes citou o deputado petista Luiz Eduardo Greenhalgh. Curiosamente, foi também Greenhalgh o petista acusado de dar tapas na cara de Rodolfo Rodrigo do Santos, o "Bozinho", para que o bandido confessasse o assassinato de Celso Daniel. Bozinho confessou, mas depois voltou atrás, alegando ter admitido o crime sob tortura.

Luiz Eduardo Greenhalgh, aliás, foi o petista derrotado na eleição para a presidência da Câmara dos Deputados no início de 2005. O vencedor foi o candidato "independente" Severino Cavalcanti. Entre o que o doleiro Toninho da Barcelona diz saber, está a informação de que o PT compensou a derrota de Greenhalgh com a compra do apoio de Severino ao governo pelo preço de R$ 8 milhões.

E mais: entre o que Toninho -- o da Barcelona -- diz ainda saber e não o deixam contar estão informações sobre remessas ilegais para o exterior de dinheiro proveniente de empresas de transportes da cidade de Santo André, o que pode esclarecer algo sobre o assassinato do prefeito da cidade. Como se sabe, a hipótese de crime político para a morte de Celso Daniel provém da suspeita de que ele não concordava com um esquema de propina envolvendo estas empresas - esquema que serviria para financiar campanhas do PT.

Em janeiro deste ano, o advogado Hélio Bicudo tornou públicas duas cartas enviadas da França por Bruno Daniel e Marilena Nakano, uma endereçada a ele próprio, a outra destinada à presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Ellen Gracie. À ministra, os dois expressam preocupação com o fato de Sérgio Sombra ter enviado ao Supremo uma solicitação na qual contesta a constitucionalidade do poder de investigação do Ministério Público.

Também em janeiro, Bruno Daniel concedeu entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo na qual acusa o chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República, Gilberto Carvalho, de ter levado dinheiro de um esquema de financiamento do PT para o ex-presidente do partido, José Dirceu. Bruno Daniel disse ainda ao Estado que Gilberto Carvalho não teria feito "nada de concreto" para esclarecer o crime.

Gilberto Carvalho respondeu dizendo que a atitude de Bruno Daniel e Marilena Nakano de buscar asilo político na França é fruto de uma "opção pessoal". Sobre a vontade dos dois de retornar ao Brasil, o assessor do presidente Lula disse ainda que "somos um país democrático, com todas as instituições funcionando em plena normalidade. Sua volta ao Brasil é bem-vinda".

Sobre a lista de oito cadáveres, de Celso Daniel ao legista Celso Delmonte Printes, Gilberto Carvalho não falou. No entanto, caso seguisse a mesma postura, poderia se valer da frase que no terceiro filme da trilogia de Francis Ford Coppola a filha de Dom Corleone ouviu do primo mafioso quando perguntou se era verdade que o pai havia mandado matar o próprio irmão: "São apenas histórias".

www.bootlead.blogspot.com

Publicado no site "Opinião e Notícia".
Quinta-feira, 13 de março de 20