domingo, 11 de maio de 2008

A lógica da República Sindicalista em favor dos Banqueiros

Edição de Artigos de Domingo do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast a seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Os desgovernos brasileiros desviaram R$ 56 bilhões da Previdência Social, entre os anos de 1999 e 2005, para outras “finalidades” que não beneficiaram os trabalhadores – como mandam a desrespeitada constituição e a Lei de Seguridade Social. Curiosamente, os bem remunerados 11 ministros do Supremo Tribunal Federal nada fazem contra isso. Nem o Procurador Geral da República aciona o STF. Até quando a Justiça vai se omitir em relação às denúncias objetivamente expostas em mais um estudo da estudo da Associação Nacional dos Fiscais da Previdência Social (Anfip)?

Nem precisa perguntar ao caro Watson, porque a resposta é simples. A cúpula do poder Executivo, Legislativo ou Judiciário no Brasil permanecerá omissa porque a lógica do nosso atual sistema econômico é a especulativa, financeira, baseada em um pacto neocolonial para pagar juros altos de dívidas que crescem ou são sucedidas por novos endividamentos.

Eis a lógica perversa da República Sindicalista em favor dos Banqueiros nacionais e internacionais. Só têm direito às benesses os “companheiros” que ocupam a oligarquia estatal ou sindical. O resto dos trabalhadores se ferra nas mais de um Estado que tem um desgoverno perdulário, incompetente e comprometido apenas em cumprir as regras que favoreçam o capital financeiro.

Enquanto você trabalha feito um otário para pagar impostos, o Presidente Henrique Meirelles e a equipe econômica vão promover um aumento no percentual já elevado superávit primário. A famigerada economia para abater a dívida pública do país subiria dos atuais 3,8% para 5% do PIB. O valor que exceder os atuais 3,8% seria utilizado para financiar o chamado fundo soberano (fundo de investimentos estatal que usa como recurso as reservas internacionais ou outras fontes de receita governamentais).

A idéia foi sugerida pelo economista Luiz Gonzaga Belluzzo. A desculpa oficial é que o desgoverno (da República Sindicalista em favor dos Banqueiros) espera aumentar o aperto fiscal para combater a inflação, tentar amenizar a alta dos juros e financiar investimentos brasileiros no exterior. Lula vai executar porque é apenas um pau mandado dos que mandam de verdade na economia.

É criminosa e inconstitucional a armação feita com o dinheiro público da Previdência Social. Já não basta a exploração oficializada dos brasileiros que trabalham de verdade e são obrigados a pagar de 40% a 50% do capital produzido para o desgoverno gastador ou corrupto. A situação é tão vergonhosa que causa indignação até em um senador petista.

O gaúcho Paulo Paim já cansou de reclamar que, se os percentuais do dinheiro da Cofins, de jogos lotéricos, do lucro, do faturamento e da contribuição do empregado e empregador ficassem na Previdência Social, como manda a Constituição Federal, a Previdência Social seria superavitária. Dizendo a mesma coisa, a Previdência não teria o déficit induzido pelo desgoverno que a torna alvo de eternas críticas.

Todas as pessoas que têm renda assalariada são obrigadas por lei a contribuir para a Previdência Social. Quem tem carteira assinada desconta todo mês 8% (salários abaixo de R$ 868,29), 9% (para vencimentos entre R$ 868,30 e R$ 1.447,14) e 11% (para quem ganha de R$ 1.447,15 até R$ 2.894,28). A empresa complementa o valor (até 20%) de acordo com a atividade. Para os contribuintes individuais e facultativos, a contribuição é de 20% sobre a remuneração auferida em uma ou mais empresas ou pelo exercício de sua atividade por conta própria. O desgoverno emprega mal o dinheiro que entra sem parar nos cofres do Tesouro Nacional.

A grana não chega aos cofres previdenciários. Só em 2005, mais de R$ 12 bilhões tiveram outros destinos – conforme denuncia a Anfip. O desvio – geralmente para bancar o superávit primário que ajuda a pagar em dia as dívidas com os banqueiros e seus juros astronômicos – prejudica a seguridade social. Este sistema, no Brasil, inclui aposentadorias, pensões, salário-maternidade, auxílio-doença, auxílio-acidente, salário-família, pensão por morte e auxílio-reclusão.

O auxílio-doença é concedido ao segurado impedido de trabalhar por doença ou acidente, por mais de 15 dias. Para ter direito, é preciso ter contribuído por, no mínimo, 12 meses. O salário-maternidade é pago por quatro meses a partir do parto ou, por definição médica, 28 dias antes e 91 dias após o parto — sem carência, exceto para contribuintes individuais e facultativas. O auxílio-acidente é pago ao trabalhador que sofre um acidente e fica com seqüelas que reduzem a capacidade de trabalho. É concedido a segurados que recebiam auxílio-doença, no valor de 50% deste. O salário-família é devido a quem ganha menos de R$ 586,20, com filhos menores de 14 anos ou inválidos, em qualquer idade. A pensão por morte é paga à família do trabalhador quando ele morre, e o auxílio-reclusão, quando é preso.

Aliás, bandido livre ganha bem mais. Claro! No País em que impera o governo ideológico do crime organizado, a impressão é que vale mais a pena ser fora-da-lei ou viver com expedientes marginais. Quem trabalha não tem razão. O bonde da história, que não é o de São Januário, só leva os otários para trabalhar. As leis criminais só valem para os sem grana. As leis financeiras é que valem para tungar todos em favor da política econômica subdesenvolvida e anti-capitalista que sustenta nosso Estado. Eis por que a vagabundagem que tira proveito do Estado, assaltando seus recursos ou vivendo na aba de suas benesses, amplia seus poderes a cada dia.

Voltemos ao escândalo da Previdência Social. Vejamos o drama dos aposentados e pensionistas que ganham proventos defasados e hoje sobrevivem, cada dia mais endividados na corda bamba dos empréstimos consignados (com desconto mensal no contracheque). Os ex-trabalhadores, em sua maioria, contribuíram para ter uma aposentadoria digna. No absurdo Brasil, a fim de facilitar o superávit primário dos banqueiros, os aposentados são forçados a contribuir para a Previdência, sem obter vantagem alguma com isso. O prejuízo é criminoso.

Atualmente, se em vez de contribuir compulsoriamente para a Previdência, um trabalhador assalariado, com carteira assinada, pudesse botar a contribuição, todo mês, numa simples poupança, ganharia muito mais, com míseros juros de 0,5% ao mês. Recolhendo 9% sobre três salários mínimos, conforme tabela atualizada da Previdência, o trabalhador conseguiria juntar R$ 159.638,79, em 35 anos. Só em juros receberia R$ 798,19 ao mês, sem mexer no valor acumulado. Se ele recolhesse 11% sobre quatro mínimos (R$ 1.660), acumularia R$ 212.851,72 e poderia sacar, todo mês, R$ 1.064,26 para se sustentar, também sem mexer no acumulado.

Enquanto o trabalhador brasileiro toma no bolso, a Oligarquia Financeira Transnacional que controla nossa economia lança novos factóides em sua mídia amestrada para criar a falsa ilusão de que vai tudo no melhor dos mundos com o Brasil. O jornal britânico The Guardian dedicou ontem uma página inteira ao "País do futuro", o Brasil. Os espertos ingleses explicam por que muitos acreditam que finalmente "o gigante adormecido da América do Sul" está acordando.

O diário inglês tem a cara de pau de proclamar que muitos empresários e políticos brasileiros estão convencidos de que o Brasil está caminhando para um lugar de destaque no cenário internacional graças aos avanços na situação econômica do País: "Agora as coisas parecem estar mudando. A moeda brasileira atingiu a maior alta dos últimos nove anos em relação ao dólar, a inflação está sob controle e milhões de brasileiros estão sendo empurrados em direção a uma nova classe média". Foi o que escreveu o deslumbrado repórter Tom Philips.

A matéria inglesa destaca que, na semana passada, a agência Standard & Poor's revisou para cima o rating concedido ao Brasil, melhorando a classificação geral para “grau de investimento” (investment grade). O tom ufanista do repórter Tom vai além: "De laranjas e minério de ferro a biocombustíveis, as exportações do Brasil estão estourando, criando uma nova geração de magnatas. O clube de milionários do Brasil aumentou de 130 mil em 2006 para 190 mil no ano passado - uma das taxas mais rápidas do mundo, de acordo com um estudo do Boston Consulting Group".

Pena que a materinha do coleguinha Tom termine em tom de desgraça. O azar dele foi ter ouvido a economista Lia Valls, da Fundação Getúlio Vargas, que traçou um quadro mais realista do Brasil: "Tudo isso não significa que você tem crescimento econômico garantido. O Brasil ainda tem problemas estruturais sérios. Existem algumas armadilhas sérias que comprometem este crescimento: educação, ter uma mão-de-obra qualificada, saúde".

Enfim, continuamos subdesenvolvidos. Em resumo, continuamos muito aquém do capitalismo. Pena que o Tom não deu uma visitada na nossa injustiça previdenciária. Teria uma luz sobre outros problemas sistêmicos do Estado Brasileiro e de seu desgoverno da República Sindicalista em favor dos Banqueiros. Viva o Brazil!?

Imagine...

Se um ex-presidente de uma famosa sigla partidária recebesse uma ajuda de custo mensal de R$ 333 mil?

Se um ex-tesoureiro da mesma agremiação embolsasse outros R$ 56 mil mensais?

E se um terceiro elemento, que ficou com o filme queimado por causa de um carrão de lixo, tivesse direito a uma mesadinha mensal de outros R$ 20 mil?

Imagine se todo o dinheiro saísse pelo caixa 2 partidário?

Ainda bem que essas coisas não acontecem na República Sindicalista dos Banqueiros no Brasil.

Jorge Serrão, jornalista radialista e publicitário, é Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. http://alertatotal.blogspot.com e http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

6 comentários:

Anônimo disse...

Arre! tô me sentindo um pum! Acho até que vou deixar de fumar e de comer e de beber kaiser prá pagar menos imposto. É isto. Assim vou protestar virando estrume mais depressa. Pelo menos vou servir à mãe terra. Se a China parar de parir e os EUA mandar tropas prá Venezuela, então volto a comer de pouquinho.

Anônimo disse...

Serrão,
Com fazer chegar ao povão informações importantes como esta?
Não sei onde veêm tanto "crescimento", no grotão onde moro não há emprego e os fazendeiros, em sua grande maioria,estão quebrados, desamino geral.
WU

Anônimo disse...

O que esse (des)governo e outros tem feito c/ os aposentados e uma covardia e indecencia. Abusam de uma parte da populacao que nao tem voz e poder de influencia.
Nesse pais nojento, pagam-se impostos escorchantes a vida inteira e no final de uma vida inteira de trabalho ainda ter sua pensao confiscada sistematicamente.
Eu gostaria de ver as aposentadorias do bebum do planalto e seus apaniguados obedecerem os mesmos criterios do cidadao comum.

direto do abismo disse...

Caro Jorge Serrão,
na semana passada envieium email (o que consta de seu perfil) perguntando se você aceitaris ser entrevistado pelo blog Direto do Abismo ( http://darkabysses.blogspot.com ).
Se houver algum interesse de sua parte, gostaria de pedir-lhe uma resposta, mesmo que negativa.
E obrigada por nos manter longe da desinformação.
Grande abraço
Suzy
diretodoabismo@gmail.com

Anônimo disse...

Texto perfeito, ou quase...
Tirando a parte do Paim...
Me engana que eu gosto.
O Paim tá querendo resgatar sua fama de defensor do trabalhador????

Pergunte pra ele por que não fez isso durante a REforma da Previdência do Lula, muito pior do que a do outro "istrupício".
Pergunte por que votou a favor sabendo que ferraria MILHÕES de trabalhadores a beira da aposentadoria?Ou nem precisa perguntar: a resposta ele já está careca de repetir:fidelidade ao PT e ao Lula.
Eis aí a quem ele serve, a quem ele é fiel, a quem ele representa.
Foi conveniência e conivência ou foi covardia? Medo de ser punido como os que não votaram com Lula e foram punidos pelo partido?
Pesquise bem se na hora do vamos ver ele não inventou um compromisso, uma viagem, tudo muito mais importante do que preservar direitos dos trabalhadores.Ou não viu que a reforma só pegou os bagrinhos?
qual a proposta do Paim para indenizar os anos a mais que tanta gente tem de ficar por conta de idade mínima aumentada?Sacramentando inclusive uma injustiça na mesma categoria: professores da rede privada não perderam direitos, 25 anos em sala e se aposentam,não importa a idade.Já os da pública...quem começou cedo e espera a idade já está indo além dos 30 anos/mulher e 35 anos/homens.

Tá certo, vai ver ele acha que toda escola é facim, facim, como colégios militares...



Pergunte a ele no que deu a tal consulta que ele fez sobre aposentadoria dos professores( ÓO, os grandes milionários do serviço público)?
Uma verdadeira peça de demagogia e cinismo.
Está na net, basta procurar "paulo paim" + consulta sobre aposentadoria de professores.
Você está sendo muito inocente em citar Paulo Paim como um 'petista indignado'.
Indigno seria mais apropriado.

Haja óleo de peroba pra tanta cara- de-pau.Sabe que não seria mais eleito nem pra síndico de Cohabão, então vem com o lero dos aposentados.Não viu antes por quê?
Agora ele vê no fator previdenciário uma sacanagem do Viajando Cardoso?Por que não fez campanha pra corrigir na segunda reforma?Por que votou numa safadeza maior ainda do que a do FHC???

Pára,ô,chega de tanto oportunista usando aposentados,trabalhadores.Estamos vendo bem no que deu a esquerdinha a favor dos trabalhadores no 'pudê'.Todos vêem, menos quem já morreu e nem se aposentou porque morreu de raiva via enfarto e AVC.
Ele, Lula e Ideli merecem é ser pendurados pelos pés.

LIa¬¬
.

Anônimo disse...

no trecho referente à ajuda de custo recebida via caixa 2 de um determinado partido, está escrito carrão de lixo. é isso mesmo, ou é carrão de luxo? dependendo do que for, podem ser pessoas diferentes.