terça-feira, 15 de julho de 2008

O presidente a tudo desconhece

Edição de Artigos de Terça-feira do Alerta Total http://www. alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos

Por Márcio Accioly

É possível que o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, esteja coberto de razão no habeas corpus concedido ao banqueiro Daniel Dantas, mesmo diante da montanha de documentos provando irregularidades a perder de vista. Mas que o desgaste para a instituição está sendo de arrombar, não há como negar.

O pior de tudo foi acontecer exatamente da forma como Daniel Dantas tinha anunciado: “-A minha preocupação é com a primeira instância. Se cair no STJ ou no STF, não há problema, estará tudo resolvido”. E foi no Supremo Tribunal Federal que o banqueiro saiu, com Gilmar Mendes atropelando todas as instâncias.

E agora? Agora, as escutas telefônicas pegaram novamente Gilberto Carvalho, chefe de Gabinete do presidente Dom Luiz Inácio (PT-SP). O mesmo Gilberto Carvalho que segundo matéria publicada no Jornal do Brasil (03/08/05), tentou “atrapalhar investigações sobre morte de Celso Daniel”. E com quem ele estava?

Com o então deputado federal Luís Eduardo Greenhalgh (PT-SP), flagrado em novo telefonema com Gilberto Carvalho, combinando coisas no bojo da operação Satyagraha, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas duas vezes e que o ministro Gilmar Mendes duas vezes soltou.

Será que finalmente o PT vai solucionar o “misterioso” assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel? Onde entra Luís Eduardo Greenhalgh na sinistra história, acusado pelos irmãos da vítima de criar obstáculos às investigações?

E Dom Luiz Inácio, que expulsou Paulo de Tarso Venceslau do PT, em 98, depois que este denunciou corrupção nas prefeituras comandadas pelo partido? O presidente passa ao largo de tudo, como se nada tivesse a ver.

Não se sabe o porquê de Hugo Chicaroni e Humberto Braz estarem presos, no rescaldo da Operação Satyagraha, pois está claro que deverão abrir a boca. As provas contra os dois são contundentes e é preciso que se salvem os anéis antes que se vão os dedos. Pode ser que entrem no programa de delação premiada.

Na verdade, o país está dominado pela corrupção e pela pouca vergonha. Nossas chamadas autoridades não se dão ao menor respeito. É o chamado estado de fancaria. Mas eles dizem que é Democrático de Direito.

E não se perde por esperar: Salvatore Cacciola está para chegar. Depois que a poeira começar a baixar, o PSDB irá mergulhar novamente na “oposição”, esquecido das falcatruas cometidas na gestão FHC (1995-2003), onde o esquema Daniel Dantas funcionou a todo vapor e prosperou.
Daniel Dantas se orgulha de possuir bancada parlamentar com 88 integrantes.

Todos dispostos a trabalharem numa legislação que só permita a sua prisão no caso de ser fotografado carregando um caixa eletrônico, sem autorização, nas costas. Não existe sentimento de indignação suficiente para se vencer tanta ignomínia.

Este é o país da galhofa, conduzido por classe de dirigentes bandidos que não demonstram respeito ou consideração pela maioria que trabalha em condição escrava para sustentar seus salários nos quase seis meses de impostos que é obrigada a recolher.

Nós poderíamos ter tido melhor sorte, mas, infelizmente, foi essa a parte que nos coube na divisão do mundo: viver como reféns de salafrários sem qualificação moral, a se manifestarem de forma pomposa como se realizassem trabalho digno.

Ainda bem que o presidente da República de nada sabe. Como se fosse o Cândido de Voltaire, vive pelos ares, no melhor dos mundos, desfrutando benesses e privilégios inesgotáveis.

Márcio Accioly é Jornalista.

Nenhum comentário: