sexta-feira, 25 de julho de 2008

Revanchistas do desgoverno promovem “debate” para rasgar a Lei de Anistia e incriminar militares pós-64

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Os militares brasileiros que se preparem para conhecer o inferno político aqui na terra, na semana entre 31 de agosto e 7 de setembro. Além do anúncio oficial do novo plano nacional de Defesa, que vai promover a maior reengenharia das Forças Armadas desde a década de 30, os revanchistas do desgoverno prometem oficializar a inquisição pós-64. Ao contrário de outros tempos, tudo indica que as Legiões assistirão, bestificadas, a tudo devidamente planejado para enquadrar os militares.

O desgoverno discutirá oficialmente a possibilidade de punição civil e penal para militares acusados de torturar e matar os opositores do regime durante a chamada dita-dura. Curiosamente, a mesma punição não está prevista e nem será posta em discussão para aqueles civis que assassinaram, seqüestraram, torturaram, assaltaram bancos ou praticaram furtos em quartéis. Os “justiçadores” da República Sindicalista só falam em punir os militares eternamente transformados em bandidos e inimigos históricos. Pretendem jogar a lei de anistia no lixo, fazendo-a valer, convenientemente, apenas para o atual lado dos vencedores da história.

O seminário com o longuíssimo e pedante título "Limites e possibilidades para a responsabilização jurídica dos agentes violadores de direitos humanos durante estado de exceção no Brasil", marcado para o próximo dia 31, no Ministério da Justiça, promoverá um “debate” cujo resultado é previamente conhecido. Os debatedores vão receitar a flexibilização da Lei de Anistia, recomendando punições civis para os militares que atuaram na repressão ideológica a guerrilhas que queriam promover o comunismo e socialismo no Brasil através da luta armada.

O debate de mentirinha é uma iniciativa é da Comissão de Anistia, que julga casos de reparação econômica para perseguidos políticos. O ministro da Justiça, Tarso Genro, que já defendeu publicamente punição para torturadores, participará do encontro. O ministro da Secretaria de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, também pró-julgamento dos militares, vai estar na mesa central da discussão. O presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, que comanda o “bolsa-dita-dura”, apenas comenta que o assunto é polêmico, mas afirma que é dever do governo e de sua comissão debaterem o tema.

Democraticamente, bem no estilo do assembleísmo em vigor, nenhum militar que atuou naquele período foi “convidado para o debate”. A comissão de Anistia alega, cinicamente, que a presença de algum desses oficiais transformaria o debate numa discussão política Da inquisição revanchista apenas participarão juristas afinados com a tese do desgoverno, familiares de desaparecidos políticos, advogados, professores e ex-perseguidos políticos.

Velho novo anistiado

A Marinha deve estar na maior bronca porque o chefão em comando Lula sancionou ontem a lei que anistia o líder da Revolta daChibata, João Cândido, e outros 600 integrantes do movimento ocorrido em 1910.

A medida, publicada no Diário Oficial da União dessa quinta-feira,restitui um benefício concedido ainda em 1910 ao rebelde que ficou conhecidocomo Almirante Negro.

Passados 39 anos da morte de Cândido, a iniciativa dogoverno federal restaura um direito do marinheiro, porém não gera maisdespesas para os cofres públicos.

Isso porque Lula vetou o artigo queestabelecia a concessão automática de reparação aos descendentes dosamotinados.

Auto-censura

As grandes redes de tevê foram avisadas que devem parar de divulgar revelações ainda ocultas da Operação Satyagraha.

A “recomendação” vale, inclusive, para programas humorísticos – como o global Casseta & Planeta e o CQC, da Band.

As amestradas direções das emissoras vão acatar direitinho a “ordem superior”.

Viva o grampo

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou que os brasileiros têm de ser “acostumar” com a idéia de que podem estar sendo grampeados ao falar ao telefone.

Se alguém quiser hoje escutar um telefone nosso, tem meios para isso, dado o grau de sofisticação a que a parafernália eletrônica chegou”.

Quem tem um ministro da justiça que pensa assim nem precisa de injustiça no Estado policialesco...

Vai ou fica?

O ministro da Justiça, Tarso Genro, avisou que o presidente Lula ainda não decidiu se vai sancionar o projeto de lei aprovado no Congresso que torna escritórios de advocacia invioláveis em inquéritos criminais.

Se for sancionado, é porque chegamos à conclusão lapidar de que não há prejuízo para a investigação”.

Ou seja, os advogados que se preparem para o chumbo mais grosso ainda...

Descontrole

O Palácio do Planalto deve apoiar, mas não pretende tomar a iniciativa de projeto de lei para aumentar o controle sobre a Polícia Federal.

O tema tem consenso entre os partidos, cujos políticos são alvos constantes da PF.

Mas dificilmente o projeto será votado este ano.

Leia o artigo de Adriana Vandoni: Workshop de propina

Chefão na bronca

Lula da Silva considera a Polícia Federal "fora de controle".

Em desabafo recente, teria dito que estava acostumado com a anarquia dos sindicatos, mas atônito com a confusão na PF, que nem parecia do governo, mas uma corporação específica.

Das ações que mais o desagradaram ao poder vigente estão as que prenderam Duda Mendonça, seu irmão Vavá, além da recente Satiagraha.

Movimento Social Terrorista condenado

O MST – que não existe formalmente como uma associação - vai recorrer da decisão da Justiça Federal de Marabá, no Pará, que multou ontem três líderes sem-terra em R$ 5,2 milhões por terem participado em abril passado de manifestações que interditou a Estrada de Ferro de Carajás (PA), pertencente à Vale.

Luís Salomé de França, Erival Carvalho Martins e Raimundo Benigno Moreira fizeram parte dos protestos organizados pelo Movimento dos Trabalhadores da Mineração (MTM) e pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na série de manifestações do chamado "Abril Vermelho".

Eles têm 15 dias para pagar a multa, que foi calculada com base no descumprimento da ordem judicial que proibia os sem-terra de invadir a ferrovia.

Pela Internet livre

As empresas provedoras de acesso à internet decidiram comprar briga com os parlamentares que defendem o Projeto de Lei 89/2003, que pretende definir os novos tipos de crimes praticados por meio da internet.

No centro da polêmica estão os senadores Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e Aloizio Mercadante (PT-SP), que reformularam o projeto que está na Câmara, após ter passado pelo Senado.

Uma das queixas dos provedores diz respeito à exigência de guardar, pelo prazo de três anos, os chamados "logs de acesso", a identificação do instante em que o usuário se conecta e se desconecta da rede.

Contra o "indigenismo"

No próximo dia 11 de agosto, caravanas partirão de várias capitais e cidades da Amazônia rumo a Roraima, com o objetivo de protestar contra a pretendida demarcação em área contínua da reserva indígena Raposa Serra do Sol, no nordeste do estado.

Os organizadores do que já está sendo chamado "Marcha a Roraima" pretendem manifestar com ela a posição de vários setores da sociedade amazônica, contrários à intensa interferência de ONGs internacionais na política brasileira para os povos indígenas.

A decisão sobre o processo deverá ser tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nos próximos meses.

O alvo

A "Marcha" deverá terminar em Pacaraima, um dos dois municípios existentes dentro da área da reserva, que poderá desaparecer se o STF mantiver a demarcação contínua.

Além dos municípios, estão ameaçadas 17 fazendas de cultivo de arroz irrigado ali existentes, que produzem cerca de 100 mil toneladas anuais.

Uma das ONGs contra o interesse brasileiro é a Survival International, com sede em Londres, Inglaterra, que tem apoiado ativamente o Conselho Indígena de Roraima (CIR) na campanha pela demarcação contínua, determinada pela Portaria 534/05 do Ministério da Justiça, homologada pelo chefão Lula da Silva em abril de 2005.

Recentemente, a Survival International patrocinou uma turnê de dois representantes do CIR a seis capitais européias e ao Vaticano, onde foram recebidos pelo Papa Bento XVI.

Quem vem?

A musa Ingrid Bettancourt aceitou o convite do Senador Pedro Simon e deve visitar o Brasil em breve.

O PT resolveu não fazer manifestações contrárias à visita.

Ao menos por enquanto, prefere fingir que nunca tiveram nada com as FARC, embora fizessem parte do Foro de São Paulo.

Tráfico de influência eleitoral (literalmente)

Um documento apreendido ontem pela Polícia Civil na casa do chefe do tráfico de drogas na Rocinha, Antônio Bomfim Lopes, o Nem, comprova que o traficante impôs o apoio a um único candidato a vereador na favela.

"Todo empenho para o candidato da Rocinha, não aceito derrota!!!”.

O apoiado seria o presidente da Associação de Moradores da Rocinha, Luiz Cláudio de Oliveira, o Claudinho da Academia, que já admitiu ter o apoio de "cem líderes" locais, embora negue ligação com o tráfico.

Embromação constitucional

A Assembléia Constituinte do Equador entregará o texto da nova Constituição ao Presidente do Supremo Tribunal Eleitoral nesta sexta-feira:

Será um ato solene, pequeno porque o povo equatoriano merece estar adequadamente informado

A oposição critica que a nova carta cria o "hiper-presidencialismo" e é quase desconhecida pela população.

BC aprova tudo

O Banco Central aprovou a transferência de controle do Banco ABN AMRO Real para o grupo Santander, com sede na Espanha.

A operação decorre da aquisição do Banco ABN Amro, com sede na Holanda, pelo consórcio RFS.

Juntas, as duas instituições têm mais de 55 mil funcionários, 8 milhões de correntistas e 500 mil clientes empresas no País.

Poderosos

A compra das operações globais do ABN envolveu um consórcio de bancos que incluiu Royal Bank of Scotland, Santander e Fortis, numa operação de 71,1 bilhões de euros (cerca de 100 bilhões de dólares), a maior da história do sistema bancário mundial.

Com a junção dos dois, o grupo passa a reunir ativos de 282 bilhões de reais no Brasil, assumindo a quarta posição entre os maiores bancos brasileiros.

Fica atrás apenas de Banco do Brasil, Bradesco e Itaú.

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

10 comentários:

Anônimo disse...

" quanto mais se abaixa, mais se mostra a b..."

Anônimo disse...

muito bom o artigo da vandoni.
bom e alertador !!
outra coisa ..o governo "manda" as redes de tv não falar + em satiagraha.eles obedecem. isto quer dizer censura !!pq ninguem deixa isto claro ???

Anônimo disse...

Vilipendiam a CF, só falta limparem a bunda com ela , porque não haveriam de rasgar a Lei de
Anistia?

Com o sol que faz em BSB, os Comandantes Militares devem estar todos jogando uma deliciosa partida de golf, não é mesmo?

Anônimo disse...

Só o batman pode nos salvar do sr. luis inácio "coringa" da silva. só pode ser piada...

Anônimo disse...

AS FFAA BRASILEIRAS PASSARAM DA HISTORIA PARA O LIXO , GRAÇAS AOS COMANDANTES MELANCIAS, COVARDES E AMERDALHADOS!!!
VEM AHI AS MILICIAS ARMADAS DO MST PARA SUBSTITUIR O EB!

Anônimo disse...

Sobre a lei da censura da internet, já existe uma petição criada por professores universitários com mais de 87.000 assinaturas, peço que todos que são contra assinem,(quem é a favor por acaso?), http://new.petitiononline.com/veto2008/petition.html essa lei está tendo inclusive visibilidade internacional em diversos blogs que tratam de liberdades e direitos individuais, creio que dê inclusive para colocar uma matéria no blog sobre isso.


Jorge, a tempos quero passar uma palavra de apoio ao seu trabalho, seu blog é o melhor do Brasil sem a menor dúvida! Você é um dos poucos patriotas que falam a verdade sem rodeios e sem agendas, trabalho jornalístico de primeira linha! Continue expondo todos funcionarios da oligarquia, juízes federais, deputados, prefeitos, governadores, advogados, banqueiros internacionais, ongs internacionais, pseudo populistas que na verdade são entreguistas, seja quem forem! Como disse Abraham Lincoln:

"Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo mas não se pode enganar a todos por todo tempo." - Abraham Lincoln


Tem outra que dele também gosto muito,

"Se eu tivesse oito horas para derrubar uma árvore, passaria seis afiando meu machado." - Abraham Lincoln

Se toda a roubalheira e escândalos contínuos não fazem o povo se revoltar o que fará? Essa pergunta martela minha cabeça diariamente, toda dia quando leio as notícias do blog o modus operandi dos controladores fica mais evidente, será que só eu vejo isso? Os financiamentos que o BNDES vem liberando para a oligarquia transnacional são tão absurdos que são dignos de uma revolução, e claro que não me refiro a revolução socialista dos ditadores populistas, mas uma revolução no sistema politico e economico, reesturação completa. Mas bom vamos cair na real, vamos continuar "afiando o machado" que um dia o povo há acordar para ver que essa "arvore" que está "bloqueando" o "sol' de nós brasileiros deve ser cortada. Um forte abraço Jorge!

Anônimo disse...

Quem admitia que falar ao telefone não era seguro foi Golbery do Couto e Silva, aquele que as "esquerdas" chamavam de "Bruxo". E agora um ministro perde toda a moral e diz isso!

BRAGA disse...

Serrão.
Já dizia um general romano: “ai dos vencidos”. Isso valeu em todas as guerras. Vilões são os perdedores. É só relembrar os filmes e jornais dos anos 50 sobre o assunto.
Infelizmente, Serrão, o que mantinha a organização militar era a disciplina rígida, desde os Colégios Militares, passando pelas academias militares, etc. Os militares estão carpindo um complexo de culpa inexplicável. “Apaisanaram” tudo.
FHC deu o chute inicial para detonar a milicada e o Lula aproveitou o “gancho”, junto com a malta de PTistas para f.....!
Saibam esses fdp´s que estão cometendo um erro fatal. Quem viver verá! Lembrem-se da resistência italiana e francesa e até dos primeiros cristão. Morrer, todos nós morremos, mas perder a dignidade como ser humano, nem todos.
Quando a merda explodir, saberemos quem é quem. O lula certamente usufruirá a cidadania italiana, assim como seus familiares. A patuléia des governada ficará aqui sendo mais entubada ainda. Insisto em transcrever um pequeno texto da Revolução Francesa, se você permite:
A economia

A situação econômica da França era crítica. A maioria da renda vinha da agricultura, onde as técnicas eram atrasadas em relação ao consumo do país. Dos 26 milhões de habitantes, 20 milhões viviam no campo em condições de vida extremamente precárias. Uma parte dos camponeses estava ainda sob o regime de servidão.

Um comerciante, para transportar suas mercadorias de um lado para outro do país, teria que passar pelas barreiras alfandegárias das propriedades feudais, pagando altíssimos impostos, o que impedia os comerciantes de venderem livremente suas mercadorias.

Para piorar a situação, parece que ate a natureza ajudou a revolução: entre os anos de 1784 a 1785 houve inundações e secas alienadamente, fazendo com que os preços dos produtos ora subissem, não dando condições para que os pobres comprassem, ora descessem, levando alguns pequenos proprietários à falência.

A situação da industria francesa não era melhor, pois parte dela ainda estava sob o sistema rural e domestico, e as corporações (grêmios) impediam o desenvolvimento de novas técnicas. Como se não bastasse, o governo francês assinou o seguinte tratado com o governo inglês: os franceses venderiam vinhos para os ingleses, e estes venderiam panos para os franceses, sem pagar impostos, o que levou as manufaturas francesas a não suportarem a concorrência dos tecidos ingleses, entrando numa grave crise.

A sociedade

A sociedade francesa, na época, estava dividida em três partes, conhecidas como Estados:

• Primeiro Estado - era o clero francês e estava dividido em alto e baixo. O alto clero era composto por elementos vindos das ricas famílias da nobreza, possuindo toda a sorte de privilégios, inclusive o de não pagar impostos. O baixo clero era o pobre, estando ligado ao povo em geral e não à nobreza, como o primeiro.

• Segundo Estado - era a nobreza em geral. Os privilégios eram incontáveis, sendo que o mais importante era a isenção de impostos. Ha que se salientar aqui que a nobreza também estava dividida: a nobreza cortesã, que vivia no palácio, e outros setores da nobreza, que viviam na corte, recebendo pensões do Rei, onerando os seus castelos, no campo, as custas do trabalho de seus servos. À medida que a crise aumentava, essa nobreza que viviam no campo aumentava a pressão sobre seus servo, favorecendo o clima de insatisfação.

• Terceiro Estado - era constituído de todos aqueles que não pertenciam nem ao Primeiro nem ao Segundo Estado. Afinal, o que era o Terceiro Estado?

Era o setor da sociedade francesa composto pela maioria esmagadora da população, sobre cujos ombros recaia todo o peso de sustentação do reino francês. Esse setor era composto, na sua maioria, pelos camponeses que, com um árduo trabalho, forneciam os alimentos para toda a França, além de terem de pagar pesadíssimos impostos.

Finalmente, os membros mais destacados do Terceiro Estado, quanto a liderança: a burguesia. Esta se dividia em pequenos burgueses (pequenos comerciantes, artesãos), uma camada média (composta de lojistas, profissionais liberais) e a alta burguesia (grandes banqueiros, comércio exterior).

O Terceiro Estado será aquele que, pelo peso das responsabilidades, se levantará contra a opressão do Estado Absolutista. Os camponeses terão papel importante, os pobres das cidades também, mas a liderança e os frutos dessa revolução caberão a uma fração do Terceiro Estado: a burguesia.

A política na França pré-revolucionária mostrava os sinais da decadência acumulada dos outros Reis absolutos, principalmente um déficit crônico no reinado Luís XVI, que subiu ao trono em 1774.

As críticas ao regime aumentavam dia-a-dia. Os intelectuais, baseando-se nas teoria dos iluministas, não poupavam seus escritos para criticar desesperadamente o regime.

Anônimo disse...

Caros Amigos:

Relaxem! O Brasil vai bem...

De volta aos Estados Unidos analizando as ultimas vejo que a unica coisa que devemos temer na verdade seria o assassinato de Barack Obama depois de eleito pois os EUA em kaos levaria muitos ao desespero, especialmente a China, Japao e Israel.

Um juiz de SP conseguiu atraves de uma liminar retirar do ar o site abusando.org que denuncia Demi Getschko e sua quadrilha do NIC.br e CGI.br que gerencia a Internet no Brasil.

Mas nao sera por muito tempo pois ja estamos cuidando em colocar osite no ar aqui nos Estados Unidos aonde resido.

Quero apenas deixar algo bem claro para o Sr. Lula e seus macaquinhos amestrados que tentam nos intimidar.

Visite dilmarousseff.com, martasuplicy.org, demigetschko.com, minocarta.com e abusando.org que em breve estara no ar denunciando as falcatruas na Internet do Brasil. A quadrilha do CGI.br e do NIC.br ja embolsaram milhoes e pensam que sairao ilesos disso por colocarmos fora do ar.

Em breve estaremos de volta com novo visual e novas denuncias ate juizes honestos tomarem a atitude correta e colocarem fora do ar os verdadeiros viloes da Internet do Brasil e deixem de perseguir os militares que nos salvaram das botas sovieticas em aguas Brasileiras como Dilma, Dirceu e Lula sempre sonharam...

vidaquesegue.com

Anônimo disse...

Mário Fontes - Ora e labora!! IP:189.117.80.xxx | 29-07-2008 11:38:53

Não é o caso de se responsabilizar os militares de ontem pelo que está sucedendo, no campo da anistia.
Todos somos responsáveis pelo que aí está, civis e militares. Não é de bom tom querer entender que este é um problema relegado aos “milicos”! Este tipo de pensamento idiota, pode fazer cair por terra uma reação objetiva para com esta covarde e temerária atitude da esquerda nacional.
Ora, indubitável que as fileiras comuno-petistas aguardaram inteligentemente por uma geração para ameaçar o golpe de misericórdia aos ideais de 31 de março. E é o que ocorrerá caso tenhamos nossos chefes militares de então, inquiridos como se bandidos fossem. Com uma juventude civil e militar acostumada a escutar de forma constante, que é isto que eram, foram e são, bandidos, não é de se espantar que não exista reação conjunta a esta abjeta proposta da realização de tal seminário.
As Forças Armadas acostumadas, dado a tradição, a cumprirem com sua missão de ordem constitucional, foram permitindo, assim como os civis, imbuídos do espírito contra revolucionário de então, que as mentiras deslavadas da esquerda fossem se transformando em verdades ao ouvido dos mais jovens. Cumpriam tão somente com o seu dever, e se olvidaram de que tínhamos consciência de que a guerra revolucionária era perene, de carater permanente, portanto. Como adormecidos, enfiados em camisas de onze varas foi-se permitindo que se transformassem os terroristas de outrora, que tinham por objetivo implantar uma ditadura comunista no país, em defensores da democracia e do Estado de Direito.
No entanto, apesar de termos visto a queda de todos os princípios de ordem moral, dos valores patrióticos, da ética e até mesmo da disciplina, ainda estamos vivos.
E se permitirmos que nossos comandantes militares, civis, ou quem quer que seja, venha a ser objeto de processo penal, como criminosos, pobre de nós. Pois se permitirmos tal, estaremos entregando o destino de nosso país, com todos os brasileiros, que o habitam, a idade das trevas.
Não creio, em absoluto, sejamos uma nação formada por covardes. Somos uma nação sim formada por elementos que sem informação correta, aplaudem, por entenderem ser politicamente correto, fatos como esse, desta gravidade, qual seja, de se submeter patriotas à inquisição por aloprados, assaltantes do erário público, ladrões de banco, terroristas, assassinos e mentirosos.
A hora é de imensa gravidade e irá demonstrar de que material são feitos civis e militares, que tem por obrigação e honra defender-se não a si mesmos, mas a Pátria, que atenta os observa!