quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Dantas revela que Satyagraha queria atingir Lulinha, e reclama que Dirceu, Palocci e Gushiken o perseguiram

Edição de Quinta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

O banqueiro Daniel Valente Dantas confirmou ontem o que todos já sabiam: a Operação Satyagraha tinha como alvo indireto o chefâo Lula. DVD revelou ontem, em depoimento na CPI dos Grampos, que o delegado federal Protógenes Queiroz afirmou estar disposto a investigar um dos filhos do presidente Lula, Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha. Fábio é sócio da Gamecorp, produtora de programas de TV e jogos eletrônicos que recebeu investimentos de R$ 5 milhões da Telemar (atual 0i).

O deputado Raul Jungmann (PE) entregará hoje um pedido de acareação entre o banqueiro Daniel Dantas e o delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, que comandou a operação Satyagraha, na Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga escutas telefônicas. Dantas informou que o delegado lhe garantiu que iria "até o fim" nas apurações, que alcançariam, até mesmo os filhos do presidente Lula. Quando Jungmann perguntou ao banqueiro se ele se submeteria a uma acareação, ele respondeu: "Os senhores têm a prerrogativa de convocar; eu não tenho alternativa".

Na CPI, o dono do Banco Opportunity reclamou que foi perseguido por "facções do governo", que teriam interesse no controle da Brasil Telecom. O banqueiro citou o nome de três petistas: o ex-ministro e deputado federal cassado José Dirceu; o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci, que atualmente exerce mandato de deputado federal; e o ex-ministro Luiz Gushiken (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República).

Dantas também denunciou uma forma de tráfico de influência lobista. O banqueiro contou que teve uma reunião com o então ministro da Casa Civil, José Dirceu, no primeiro mandato de Lula. No encontro, Dirceu teria pedido a Dantas que conversasse com o ex-presidente do Banco do Brasil Cássio Casseb, para informar que o “governo tinha planos diferentes para o controle da Brasil Telecom”.

Dantas também acusou o diretor geral da Agência Brasileira de Inteligência, Paulo Lacerda de ter montado a Operação Satyagraha, na qual foi preso. Dantas ironizou que fora informado que Lacerda o culpava pela divulgação de um relatório em que apareciam contas no exterior.

Dantas nem precisou usar o hábeas corpus do Supremo Tribunal Federal para se manter em silêncio e só responder o que quisesse na CPI. O poderoso DVD chutou o balde. Também comentou que a Operação Chacal da Polícia Federal (2004) foi "montada" para frear a investigação que a empresa Kroll Associates, de origem norte-americana, fazia sobre o paradeiro de milhões de dólares que teriam sido desviados na Brasil Telecom e que supostamente teriam sido usados para fins ilícitos.

Comprometedor

Na CPI, DVD foi direto:

O Protógenes me recomendou que não falasse mais com a imprensa, que isso não está ajudando. E que não tentasse trazer o material lá da Itália porque já tinha sido apurado e não tinha nada e que vai investigar a fusão da BrT-Oi. O Protógenes disse que também ia investigar os filhos do presidente Lula”.

Questionado pelo deputado Nelson Pellegrino (PT) sobre a citação, reafirmou:

Ele disse que ia apurar a operação BrT-Oi envolvendo o filho do presidente Lula e também disse que ia até o fim”.

Armação

O banqueiro Daniel Dantas afirmou na CPI dos Grampos ter recebido em novembro de 2007, a informação de que o diretor-geral da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), Paulo Lacerda, ex-chefe da Polícia Federal, encomendou uma operação da PF contra ele.

Dantas ironizou que fora informado que Lacerda o culpava por um relatório em que apareciam contas no exterior atribuídas ao diretor geral da Abin.

Em julho, a Operação Satiagraha da PF, prendeu Dantas, o ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta e o investigador Naji Nahas.

O alvo

Dantas jogou no ventilador e afirmou que a Operação Chacal da Polícia Federal (2004) foi "montada" para frear a investigação que a empresa americana Kroll Associates fazia sobre o paradeiro de milhões de dólares que teriam sido desviados na Brasil Telecom e que supostamente teriam sido usados para fins ilícitos.

No meu entendimento, na minha opinião, essa operação da PF foi montada, articulada e encomendada para sustar a investigação da Kroll”.

Lacerda afirmou, por meio de assessoria que aguarda convocação da CPI dos Grampos “para responder a informações infundadas no foro adequado”.

Segundo a Abin, o diretor-geral já encaminhou ofício à presidência da comissão para que seja ouvido.

Caso Kroll

Além de negar que não fez espionagem o banqueiro informou que a empresa de inteligência Kroll Associates foi contratada pela Brasil Telecom (BrT) para investigar se houve alguma ilegalidade no valor imposto pela Justiça para a compra da Companhia Riograndense de Telecomunicações (CRT).

Segundo Dantas, na disputa estavam a Brasil Telecom e a Telcom Itália, sócias na época, e, para resolver a questão, a Justiça determinou que a empresa deveria ser vendida por US$ 800 milhões.

Quem venceu a disputa foi a Brasil Telecom, que havia oferecido US$ 750 milhões e teve de pagar US$ 50 milhões a mais pela companhia CRT.

Grana a mais

A função da Kroll era investigar para onde teria ido esse valor pago a mais pela BrT, segundo o banqueiro:

US$ 800 milhões saíram dos cofres da Brasil Telecom e foram para os cofres da Telefonica da Espanha, e daí podem ter tido destinos distintos. A função da Kroll era investigar se esse dinheiro teria tido um destino ilícito”.

Dantas também afirmou categoricamente que a Kroll não realizou grampos ilegais quando prestava serviço para a BrT e que o processo na Justiça Federal de São Paulo que resultou da operação não tem informações sobre grampos ilegais.

Segundo Dantas, grampos ilegais teriam sido usados pela Telecom Itália, na disputa societária, conforme confissões de agentes contratados que estariam em mãos da Procuradoria Federal de Milão, na Itália.

Minha interpretação é que a Kroll estava próxima de achar para onde estava indo esses recursos. Essa celeuma que foi criada em cima disso teve efeito, que era parar a investigação da Kroll”.

Motivo da convocação

Dantas foi convocado pela CPI para falar sobre a Operação Chacal, realizada pela Polícia Federal em 2004, que desvendou um esquema de escutas telefônicas clandestinas feitas pela empresa americana Kroll Associates.

As escutas teriam sido encomendadas por Dantas durante a disputa com a Telecom Itália pelo controle acionário da Brasil Telecom.

A investigação demonstrou que a Kroll também investigou autoridades brasileiras.

Atrasaram tudo...

A tentativa de votar a indicação da assessora da presidência do Senado Emília Ribeiro para o Conselho da Anatel acabou frustrada ontem no Senado.

O atraso pôs em risco o cronograma para modificar o Plano Geral de Outorgas (PGO), o que permitiria a compra da Brasil Telecom pela Oi.

Na Comissão de Infra-Estrutura do Senado, choveram às indicações do Executivo para as agências reguladoras.

ETA ferro

O Brasil pode ter sido o destino escolhido por Iñaki De Juana Chaos, um dos principais líderes do grupo separatista basco ETA, para um "refúgio anônimo na América do Sul".

No fim dos anos 80, Chaos foi condenado a 3.000 anos de prisão pelo assassinato de 25 pessoas, mas acabou libertado no último dia 2 de agosto após duas décadas de reclusão.

Após cumprir 21 anos de prisão na Espanha, Chaos foi libertado há duas semanas e teria viajado para a América do Sul.

Há chances de que ele esteja no Brasil, na Argentina ou no Chile.

A suspeita é do jornal espanhol "El Mundo".

Agora, que o Caos e o terrorismo estão no Brasil há muito tempo, isso nunca foi novidade...

Freio nos grampos

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, vai propor ao Conselho Nacional de Justiça a criação de sistema de informações sobre escutas telefônicas para monitorar em tempo real o número de grampos e seus prazos de expiração.

Segundo o ministro, o conselho deverá elaborar “normas de procedimentos” para juízes que autorizem escutas a fim de “evitar abusos”.

Depois que foi alvo de grampos, Gilmar Mendes tomou raiva deles...

Algema, não

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) aprovaram ontem a súmula vinculante que restringe o uso de algemas aos casos em que há risco de agressão ou fuga.

Agora, todos os tribunais do país ficam obrigados a seguir a mesma orientação do STF.

O texto estabelece que o agente público que usar indevidamente as algemas poderá responder a ação penal e a processo administrativo, além de ter que pagar indenização a quem passar pelo constrangimento.

Além disso, a prisão poderá ser anulada, assim como os resultados das investigações que levaram às prisões.

Vale o que está escrito

O texto da súmula aprovada ficou assim:

"Só é licito o uso de algemas em caso de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros, justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena de responsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da autoridade, e a nulidade da prisão ou do ato processual a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do Estado".

Temor do Procurador

O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souzademonstrou preocupação com o texto aprovado.

Ele teme que policiais passem a ser punidos pelo simples exercício da profissão, e que atos processuais passem a ser anulados em série pela necessidade do uso de algemas.

Não podemos inviabilizar o interesse estatal e da sociedade de conter a criminalidade e, para isso, usar a força na medida devida”.

OAB na bronca

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, criticou que a Polícia Federal premeditou o uso de algemas em acusados da Operação Dupla Face apenas para afrontar o STF:

Não é crível acreditar que todos os acusados iam resistir aos mandados de prisão”.

Nos próximos dias, o Conselho Federal da OAB vai encaminhar ao STF a denúncia sobre o não-cumprimento da decisão dos ministros pela Polícia Federal em Cuiabá.

Garotinho enrolado

A Polícia Federal investiga um esquema de fraude que envolve o ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins, os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho, magistrados, advogados, empresários e contraventores.

Segundo a denúncia, o grupo tentou extorquir, da Companhia Siderúrgica Nacional, R$ 120 milhões de indenização por quebra de contrato.

A ação foi perdida pela CSN para a empresa Incopec, mas o valor teria crescido em progressão geométrica até chegar ao patamar que, segundo a acusação, foi acordado pelos envolvidos.

República Sindicalista

As centrais sindicais conseguiram aumentar significativamente seus orçamentos graças a uma mudança na legislação trabalhista.

Já neste ano, seis centrais dividirão R$ 55,55 milhões de forma proporcional a seu tamanho.

Tudo graças a uma nova regra que estabeleceu o repasse de um percentual do imposto sindical a essas entidades, antes distribuído apenas para sindicatos, federações, confederações e o Ministério do Trabalho.

Grandes beneficiadas

A Central Única dos Trabalhadores (CUT), com maior número de filiados e dona de uma arrecadação anual de R$ 19,8 milhões, terá seu orçamento dobrado.

A Força Sindical, que arrecada R$ 1,68 milhão, vai receber R$ 15,1 milhões.

Para organizações menores, a distribuição significará um aumento de até 12 vezes no orçamento.

Novo pecado da Playboy

A "Playboy" de Carol Castro já provoca a ira da Igreja antes mesmo de chegar às bancas.

Isso porque em uma das fotos a atriz aparece seminua com um corpete transparente, segurando um terço.

A imagem irritou o padre Juarez de Castro, Secretário de Comunicação da Arquidiocese de São Paulo.

O padre afirma que o ensaio é um desrespeito à igreja católica, mas Carol rebate:

"Me inspirei na cena em que Dona Flor sofre ao perder Vadinho. Jorge Amado sempre retratou as mulheres sensuais e religiosas. Não tive a menor intenção de ofender ninguém"

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente, inovador, fortemente analítico e propositivo, utilizando as mais modernas tecnologias para transmissão instantânea e eletrônica de informação privilegiada e análise estratégica, junto com a difusão de novos conhecimentos voltados para a construção e consolidação de novos valores humanos.

4 comentários:

Anônimo disse...

Então a operação era para ver "se te agarra" Lula?

Duvido. Há muita desinformação nessa história toda e parece mais que esse banqueiro está é mesmo querendo fazer os petralhas se intimidarem.

Tudo que podemos concluir é que essa história é uma lambança daquelas bem feias.

Quem foi mesmo que embolsou os 65 milhões de reais da comissão pela venda dessa tele?

Quem está de fato embolsando a grana preta da fusão que resultará na BrOi?

Agora eu tenho a plena certeza de que o PC Farias era um reles batedor de carteira.

bastilha disse...

As sementes do AI-5
por Raymundo Negrão Torres em 14 de dezembro de 2004

"Muito se fala hoje em dia sobre o AI-5, mas não dos motivos que levaram o governo a militar a decretá-lo."

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=3096

bastilha disse...

As sementes do AI-5
por Raymundo Negrão Torres em 14 de dezembro de 2004

"Muito se fala hoje em dia sobre o AI-5, mas não dos motivos que levaram o governo a militar a decretá-lo."

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=3096

Anônimo disse...

Sobre a "Playboy":se a ofensa re-
ligiosa fosse contra os muçulmanos
a "casa pegaria fogo".Aliás,eles não ofenderiam desta maneira.Mas,
contra os cristãos católicos,dei-
tam e rolam,pois estes não degolam
os contrários.Cristo perdoa!
Não sei se Alá perdoa.É possível que sim!Mas seus seguidores,não!

Abraços.