sábado, 10 de janeiro de 2009

Pensando Brasil

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Arlindo Montenegro


Lembro agora um pensamento em verso de Carlos Drumond: “Este é um tempo de partidos, tempo de homens partidos...” e imagino como seria a formação e educação de homens íntegros, para pensar e agir livremente na direção da cordialidade, do bem comum, do mutirão construtivo em busca da felicidade. Homens com a visão da imagem e semelhança com os outros homens. Homens pensantes antes de executivos repetidores.

Homens chamados João ou José, Maria ou Joana, cada um exercendo seu papel de livre escolha, cada um carregando seus sonhos e acumulando conhecimento e recursos para realizá-los, como missão de vida. Homens com o sentido da vida breve. Cada um com sua crença, sabendo que a direção de todos é única: construir e comemorar a própria vida como exemplo digno de ser imitado e ampliado pelos sucessores da manada.

Manada lembra boi? Pois não somos todos bois de canga? Pois não vivemos todos tocados nos limites da estrada da Lei que mudam a cada dia para agradar uns contra outros? Pois não temos todos obrigação de sobreviver e buscar o alimento, o teto e pagar impostos? Mas o que vemos nestes tempos de homens partidos é a confusão que aumenta a cada dia.

É preciso apanhar bastante, enfrentar a fome e o frio, provar o gosto de amar e o fel do abandono para concluir que não vemos o que pensamos ver e a mesma coisa vale para os verbos que enchem tantas páginas do dicionário: exceto repetir, copiar, imitar! Veja aí o que temos feito:

REPETIR! repetimos crenças políticas, repetimos comportamentos, copiamos “opiniões pessoais”, imitamos a condenação aos “outros” que fazem diferente de nós e macaqueamos o discurso de “humanos”, “libertadores”, “donos da própria verdade”. Alguém escreveu: “a Verdade está no fundo de um poço sem fundo”.

É que nem fazer um bolo com massa humana: o resultado ao sair do forno é o mesmo. O sabor é o mesmo. A indigestão é a mesma. Eu estou certo, você está errado. A flor que nasceu bem na linha da fronteira é minha e não sua. Já viram o filminho canadense “Neighbours”, utilizado por treinadores de pessoal? Então guerreamos até a morte para defender a opinião do “nosso” partido. E destruímos a flor, a vida.

Entre as bombas e tiros morrem opinantes, crentes e os outros. Repetimos a a tragédia do comportamento guerreiro: SOU MAIS PODEROSO QUE VOCÊ! Copiamos o terror, imitamos o ódio, a vingança, a violência e ainda temos o descaramento de dizer que somos todos animais da mesma espécie, irmãos, humanos, civilizados, defensores do meio ambiente. E que somos defensores da Paz... na terra aos homens de boa vontade.

Continuamos homens partido, como dizia o poeta. Num ponto qualquer aí pelo caminho perdemos parte da identidade espiritual ou fomos contaminados por algum vírus desconhecido que nos fez perder a percepção das lições produtivas, dos exemplos que levam a resultados positivos.

Restam uns poucos por aí. Precisamos de uma lanterninha que nem o filósofo grego para sair procurando “homens” no verdadeiro sentido de racionalidade, criatividade, tolerância, economia, persistência, busca da felicidade...

Aqui em nosso quintal, as carências básicas são engolidas pelo bicho chamado “custo Brasil”, hoje mais identificado com a empresa “rouba Brasil S.A.” que associa oligarcas e homens partido, para embolsar recursos públicos tomados da iniciativa e empreendimentos privados de maior risco e que deveriam ser aplicados em educação e em inovação, em saúde e segurança e moradias em vez de palácios e regabofes.

Mas quem decide? O poder centralizado. O poder total personalizado. Repetimos sem fazer diferença podres instituições burocráticas que conduzem a massa ao mesmo resultado do bolo humano violento e indigesto. A paralisia neuronal da boiada é flagrante. Uns poucos parecem preservar a vontade sistemática de pensar livremente, pensar Brasil.

A tal pirâmide do poder merece ser invertida. As micro regiões produtivas valorizadas e ouvidas. Os funcionários do tal poder central devem ser submetidos à vontade de quem produz e paga a conta, trabalhando para honrar os altos salários que se atribuem. Carecemos de auditorias isentas. Abaixo a propaganda. Basta de segredos, de discursos esotéricos e palavras de ordem!

É duro estudar para eleger quem finge agir politicamente para eliminar a convivência política e liberdades provadamente positivas. Ou mudamos ou continuamos repetindo a guerra e o desastre. As lições do saber e da reflexão são mais proveitosas que a repetição de alegres palavras de ordem. Pense nisto. Pense Brasil. Perceba como as competências estão sendo atiradas ao lixo.

Perceba como somos reféns das políticas planetárias, comandadas por uma oligarquia financeira que um ex-presidente no passado, Janio Quadros, chamou de "forças ocultas". Na medida que a população do planeta cresceu e os problemas essenciais não foram resolvidos, sabemos quem são, com nome e endereço, as tais forças ocultas.

Perceba como em todos os momentos de “mudança”, o que sobrou para os países "em desenvolvimento" (expressão que parece insinuar uma infância que deve ser para sempre monitorada pelos "desenvolvidos"), o que sobrou foi a privação de liberdades e muito trabalho para pagar as contas dos financiadores "desenvolvidos" que se impõem na condição de "deuses", donos da verdade donos das vontades.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

3 comentários:

COTURNO CARIOCA disse...

CERCEAMENTO DE DIREITOS FUNDAMENTAIS PELO GOVERNO
"Caros Srs
Sou Major de Polícia Militar do Rio de Janeiro e tenho sofrido não poucos problemas em razão de meu engajamento em mobilizações cívicas em busca de condições menos indignas de prestação de serviço à população por parte dos bombeiros e policiais militares de meu estado natal e do exercício de direitos que acredito haverem sido consagrados a todos os meus patrícios, independentemente de opção religiosa, sexual, política ou mesmo laborativa, pela Constituição do Brasil.
Faz mais de dois anos que tenho um blog pessoal (www.wanderbymedeiros.blogspot.com), no qual insisto em expor o que penso sobre várias questões, inclusive, sobre indícios de corrupção no meio policial, sobre a falta de preparo do governador Sérgio Cabral para o cargo que acupa e sobre a desastrosa 'política de segurança pública' implementada em sua gestão.
Como pode ser verificado nos links do próprio blog (barra da direita), minha conduta já rendeu três punições disciplinares (as primeiras após mais de dezenove anos de carreira) e um primeiro processo na Justiça Castrense (crítica indevida - art 166 do Código Penal Militar, evidentemente não recepcionado, in casu, pela Constituição Federal de 1988).Recentemente, fui surpreendido com novo ato de meus algozes. O Boletim Reservado da Polícia Militar do RJ n.º 01, de 06Jan08, estampou (pág. 12) novo indiciamento em razão do art 166 do CPM (crítica indevida), por haver postado em meu blog 'comentário desrespeitoso à autoridade máxima do Estado do RJ', ao declarar que o governador está despreparado para o exercício do cargo que ocupa e por 'tecer comentários desfavoráveis à política de segurança pública' implantada por seu Secretário de Segurança, 'criticando publicamente resolução de governo, amoldando-se em prática prevista no Código Penal Militar.'.
Eu sei que pode parecer Surreal, mas tal fato está acontecendo no RJ e, em breve, devo ter minha liberdade de locomoção cerceada pelo Comando da PM (administrativamente) em face da imputação supra, sem prejuízo da inauguração de mais um custoso processo penal militar.Gostaria de solicitar auxílio para que a questão seja alçada às instâncias competentes dos organismos internacionais de direitos humanos, pois meu direito elementar à liberdade de expressão (objeto da Carta Magna do Brasil e da Convenção Americana de Direitos Humanos de 1969, ratificada por meu país em 1992) está sendo alvo de flagrante lesão e, mesmo assim, eu não vou deixar, em hipótese alguma, de continuar a manifestar o que penso, de sorte que não posso prever até que ponto poderão chegar meus algozes.Além do mais, os resultados da política de segurança implementada no RJ não parecem demonstrar que estou errado!
Wanderby Braga de Medeiros


Cidadão brasileiro e militar de polícia no RJ" (texto encaminhado em 10/01/09).

http://www.wanderbymedeiros.blogspot.com/

Anônimo disse...

Jorge, que texto belo. Esse cara Arlindo tocou o coração.
Realmente um brinde de sábado.
Como você é jornalista, gostaria muito que desse uma olhadinha no meu blog e fizesse um comentário criticando ou dando toques que me façam melhorá-lo a cada dia. Informo que colocarei você na minha lista de melhores.
Obrigado pelo que escreveu.

Simplesmente Sônia Maria disse...

Prezado Sr. Arlindo Montenegro, sempre acompanho suas crônicas, suas reflexões sobre a crise que mais do que política é humana mesmo. O que necessitamos é de uma reforma humana na sociedade. queremos uma sociedade de "ouro "com homens de "chumbo" Reformas internas são não são possiveis apoenas com conhecimentos humanos..Lé sua matéria sobre 'homens partidos", mas eu quero lhe dizer que não sou uma pessoa partida, dentro de min hoje reina uma pessoa unida com sua consciencia e seu propósito de v ioda, que é servir ao bem-estar humano, considerando todos os sêres partes de uma mesma sociedade. Mas não sou socialista do ponto de vista de reformas sociais. Sou ativista b ahá'i, cidadã planetária, participo de uma comunidade que cappacita os seres humanos pára desenvolverem sua verdadeira potencialidade interior- nobreza, respoeito por si mesmo e pelos outros,lealdade etc. Sugiro ao Sr. cponhecer a visão Bahái de Sociedade acessando www.bahai.org.br. O mundo está cansado das mesmas propostas, das mesmas dinâmicas, das mesmas falas, dos acordos que não resultam em benefícos, nem da paz através de estgratégias tãofr´ageis e egocentricas. Se desejar pesquisar literatura bahái especialmente dirigidas a liderenças de opinião, acesse a Editora Bahái e compre o livro"O Domínio Imperecível" ou procure o memso nas Livrarias Saraiva, tenho certeza que o sr. apreciará o mesmo e encontrará respostas para algumas de sua indagações constantes, e irá trazer conforto para sua alma e seu coração. Sinceramente Esperança.