quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Rapidinhas Políticas

Edição de Quarta-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Não ler é bom demais...

O chefão Lula deu uma entrevista à revista Piauí avisando que não faz parte de sua rotina ler jornais ou revistas ou acompanhar o noticiário de sites ou blogs:

"Recomendaria a qualquer presidente que se afaste dos políticos e da imprensa nos fins de semana".

Lula alegou que a leitura do noticiário lhe provoca azia...

Mas ressalvou que é avisado por Franklin Martins e por sua assessora Clara Ant sempre que sai alguma coisa importante...

Ataque aos Maçons

Os maçons prometem uma reação a um longo vídeo, de 1 hora e 18 minutos de duração, que circula na Internet, no qual o médico e pregador José Renato Pedroza faz ataques à Maçonaria na palestra “Manifesto em Defesa da Igreja de Cristo”.

O pregador Pedroza faz ataques pessoais a vários “supostos” maçons e ainda vende um DVD para tratar do assunto.

Pedroza se apresenta em seu site como “Servo do Senhor Jesus Cristo, Médico Anestesiologista, Membro do Centro de Pesquisas Religiosas e Missionário
Honorário da Junta de Missões Nacionais, da Convenção Batista Brasileira”.

Confira o vídeo em: http://video.%20google.com/%20videoplay?

Veja também o site pessoal de Pedroza: http://www.cpr.org.br/jrpedroza.htm

Sobrou para Garotinho e Macedo

Um dos alvos de Pedroza é o ex-governador Antony Garotinho – a quem acusa de corrupção.

Na palestra, Garotinho é chamado de “falso profeta, Maçom, Cavaleiro Templário, Irmão de Hitler e Irmão de Albert Pike”.

Pedroza alega que tem documentos em que Garotinho assina com os famosos “três pontinhos” – como seria costume dos maçons.

Também acusa o Bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, de receber dinheiro do tráfico de drogas, por ser ligado aos maçons.

A Grande família

Lurian da Silva Sato pediu licença do PT, deixando temporariamente de ser filiada ao partido em Blumenau, para assumir o cargo de secretária de Desenvolvimento Social da São José, município vizinho a Florianópolis:

Não quero prejudicar o partido e nem o PT me prejudicar. Mas não saí da militância, vou continuar o meu trabalho e o contato com os líderes e com os filiados”.

Com respaldo do papai Lula, Lurian tomou a medida para não criar constrangimento ao PT, que tem um vereador na Câmara Municipal, Antonio Batisti, que faz oposição ao prefeito Djalma Berger (PSB), que é irmão do prefeito de Florianópolis, Dário Berger (PMDB).

Novata

Lurian, que é jornalista, assumiu o cargo de secretária de Desenvolvimento Social na prefeitura de São José no dia 2 de janeiro.

É a primeira vez que exerce um cargo público.

Promete lançar o cartão cidadão para atender os moradores carentes do município e para que eles possam decidir o que comprar de alimentos e não mais receber cestas básicas.

Ave, Cesar!

Os gabinetes da Câmara de Vereadores do Rio se transformaram no refúgio de três parentes do ex-prefeito Cesar Maia que deixaram os cargos no município com o fim de seu mandato, no último dia 31.

O vereador Carlo Caiado (DEM) nomeou ontem a ex-subsecretária de eventos Ana Maria Maia, irmã de Cesar, e o ex-chefe de gabinete da prefeitura Carlos André Xavier Bonel Júnior, sobrinho do ex-prefeito, para cargos de confiança, com data do dia 1º.

Já Eider Dantas (DEM), que viajou com Cesar de férias para a Europa, acolheu a ex-presidente da Fundação Planetário da Cidade Carmen Adela Ibarra Pizarro, cunhada do ex-prefeito.

Os vencimentos somados dos três parentes de Cesar chegam a R$ 22.048,80 no total.

Judeus top-top

A comunidade judaica ficou fula da vida com o aspone do chefão Lula para assuntos internacionais.

Todos odiaram a tese de Marco Aurélio Garcia alegando que a ofensiva de Israel na faixa de Gaza pode ser definida como “terrorismo de Estado”.

Lula, que deseja visitar Israel este ano, devia mandar seu pupilo falar menos bobagem.

Preconceito ideológico

O engraçado é que o mesmo MAG, que ataca os israelenses, perdoa os companheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

Garcia fica nervosinho quando alguém reúne provas objetivas de que as FARC são um grupo terrorista-revolucionário.

Não dá para debater com um sujeito que só raciocina ideologicamente e alimenta preconceitos...

Chávez na guerra

O presidente Hugo Chávez resolveu radicalizar ontem e manifestou sua solidariedade ao "heróico" povo palestino e às famílias daqueles que foram mortos durante os ataques de Israel:

"O governo da República Bolivariana da Venezuela decidiu expulsar o embaixador de Israel e parte do pessoal da embaixada de Israel na Venezuela, reafirmando sua vocação para a paz e a exigência de respeito ao direito internacional".

A nota divulgada pelo Ministério de Relações Exteriores venezuelana acusa Israel de praticar "terrorismo de Estado" e de violar o direito internacional com a ofensiva em Gaza.

Farsa Che

Um leitor anônimo do Alerta Total recomenda que todos acessem o vídeo "Chique de Matar: Che Guevara e Hollywood", produzido pela reason.tv.

O filme está devidamente legendado e é brilhante, demonstrando a hipocrisia hollywoodiana que idolatra esse assassino.

O endereço é:http://www.youtube.com/watch?v=9nqncTVPc8k&eurl=http://ordemlivre.org

Para quem duvida

Se você não acredita nos números que inflam, em mais de 70%, a popularidade do chefão Lula da Silva, tem uma chance de dar seu voto.

Participe da pesquisa promovida pelo Estadão para saber se Lula é realmente tão popular quanto os institutos de pesquisa afirmam.

Basta clicar em: http://www.estadao.com.br/pages/enquetes/default.htm?id_enquete=361

Em campanha

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), avisou ontem que vai começar a viajar pelo País a partir de março.

Aécio defende a realização de prévias para a escolha do candidato do PSDB à sucessão de Lula, e quer se fazer mais conhecido pelo Brasil afora:

Eu tenho convite da maioria dos estados para discutir, não apenas com o PSDB, mas com entidades da sociedade civil, com associações comerciais, com a federação das indústrias, com sindicatos. Eu pretendo fazer isso a partir do mês de março”.

Hermanos na pior

O ex-presidente argentino Carlos Menem e seu ministro da Economia, Domingo Cavallo, são investigados pela venda, em 1991, do prédio da estatal Sociedade Rural Argentina (SRA), por um preço inferior a US$ 100 milhões, que seria seu valor de mercado.

O juiz federal argentino Sérgio Torres convocará os dois para dar explicações no mês que vem.

O prédio, que fica entre as Avenidas Santa Fe e Sarmiento, em Palermo, um dos bairros mais caros da capital Argentina, foi vendido por US$ 30 milhões por indicação dos bancos Ciudad de Buenos Aires e Hipotecário.

No entanto, segundo a avaliação judicial, o imóvel não devia ter sido avaliado por menos de US$ 131,8 milhões.

Ainda bem que essa coisa horrível de vender patrimônio estatal abaixo do valor de mercado só acontece na Argentina...

MST paraguaio

O governo do Paraguai está mobilizando movimentos sociais do Brasil – como o MST - com o objetivo de angariar apoio à sua campanha por mudanças nas regras do tratado de Itaipu Binacional.

O radical João Pedro Stedile já admite aderir às teses do governo do presidente paraguaio Fernando Lugo contra o governo brasileiro:

Se for necessário faremos no futuro manifestações de solidariedade ao povo do Paraguai”.

Leia, abaixo, as Rapidinhas Econômicas

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 07 de Janeiro de 2009.

4 comentários:

Anônimo disse...

Serrão,
aproveito a oportunidade para repassar um texto de Fernado Pessoa sobre seu entendimento da Maçonaria, enviado por um Ir do interior, segue:

Fernando Pessoa escreve sobre a Maçonaria.

A Maçonaria compõe-se de três elementos: o elemento iniciático, pelo qual é secreta; o elemento fraternal; e o elemento a que chamarei humano - isto é, o que resulta de ela ser composta por diversas espécies de homens, de diferentes graus de inteligência e cultura, e o que resulta de ela existir em muitos países, sujeita portanto a diversas circunstâncias de meio e de momento histórico, perante as quais, de país para país e de época para época reage, quanto à atitude social, diferentemente.

Nos primeiros dois elementos, onde reside essencialmente o espírito maçônico, a Ordem é a mesma sempre e em todo o mundo. No terceiro, a Maçonaria - como aliás qualquer instituição humana, secreta ou não - apresenta diferentes aspectos, conforme a mentalidade de Maçons individuais, e conforme circunstâncias de meio e momento histórico, de que ela não tem culpa.

Neste terceiro ponto de vista, toda a Maçonaria gira, porém, em torno de uma só idéia - a "tolerância"; isto é, o não impor a alguém dogma nenhum, deixando-o pensar como entender. Por isso a Maçonaria não tem uma doutrina. Tudo quanto se chama "doutrina maçônica" são opiniões individuais de Maçons, quer sobre a Ordem em si mesma, quer sobre as suas relações com o mundo profano. São divertidíssimas: vão desde o panteísmo naturalista de Oswald Wirth até ao misticismo cristão de Arthur Edward Waite, ambos tentando converter em doutrina o espírito da Ordem. As suas afirmações, porém, são simplesmente suas; a Maçonaria nada tem com elas. Ora o primeiro erro dos Antimaçons consiste em tentar definir o espírito maçônico em geral pelas afirmações de Maçons particulares, escolhidas ordinariamente com grande má fé.

O segundo erro dos Antimaçons consiste em não querer ver que a Maçonaria, unida espiritualmente, está materialmente dividida, como já expliquei. A sua ação social varia de país para país, de momento histórico para momento histórico, em função das circunstâncias do meio e da época, que afetam a Maçonaria como afetam toda a gente. A sua ação social varia, dentro do mesmo país, de Obediência para Obediência, onde houver mais que uma, em virtude de divergências doutrinárias - as que provocaram a formação dessas Obediências distintas, pois, a haver entre elas acordo em tudo, estariam unidas. Segue daqui que nenhum ato político ocasional de nenhuma Obediência pode ser levado à conta da Maçonaria em geral, ou até dessa Obediência particular, pois pode provir, como em geral provém, de circunstâncias políticas de momento, que a Maçonaria não criou.

Resulta de tudo isto que todas as campanhas antimaçônicas - baseadas nesta dupla confusão do particular com o geral e do ocasional com o permanente - estão absolutamente erradas, e que nada até hoje se provou em desabono da Maçonaria. Por esse critério - o de avaliar uma instituição pelos seus atos ocasionais porventura infelizes, ou um homem por seus lapsos ou erros ocasionais - que haveria neste mundo senão abominação? Quer o Sr. José Cabral que se avaliem os papas por Rodrigo Bórgia, assassino e incestuoso? Quer que se considere a Igreja de Roma perfeitamente definida em seu íntimo espírito pelas torturas dos Inquisidores (provenientes de um uso profano do tempo) ou pelos massacres dos albigenses e dos piemonteses? E contudo com muito mais razão se o poderia fazer, pois essas crueldades foram feitas com ordem ou com consentimento dos papas, obrigando assim, espiritualmente, a Igreja inteira.

Sejamos, ao menos, justos. Se debitamos à Maçonaria em geral todos aqueles casos particulares, ponhamos-lhe a crédito, em contrapartida, os benefícios que dela temos recebido em iguais condições. Beijem-lhe os jesuítas as mãos, por lhes ter sido dado acolhimento e liberdade na Prússia, no século dezoito - quando expulsos de toda a parte, os repudiava o próprio Papa - pelo Maçom Frederico II. Agradeçamos-lhe a vitória de Waterloo, pois que Wellinton e Blucher eram ambos Maçons. Sejamos-lhe gratos por ter sido ela quem criou a base onde veio a assentar a futura vitória dos Aliados - a "Entente Cordiale", obra do Maçom Eduardo VII. Nem esqueçamos, finalmente, que devemos à Maçonaria a maior obra da literatura moderna - o "Fausto" do Maçom Goeth.

Acabei de vez. Deixe o Sr. José Cabral a Maçonaria aos Maçons e aos que, embora o não sejam, viram, ainda que noutro Templo, a mesma Luz. Deixe a Antimaçonaria àqueles Antimaçons que são os legítimos descendentes intelectuais do célebre pregador que descobriu que Herodes e Pilatos eram Vigilantes de uma Loja de Jerusalém.

(*) Fernando Pessoa - Este é um trecho do artigo que Fernando Pessoa publicou no Diário de Lisboa, no 4.388 de 4 de fevereiro de 1935, contra o projeto de lei, do deputado José Cabral, proibindo o funcionamento das associações secretas, sejam quais forem os seus fins e organização.

Paulo Figueiredo disse...

Ataque aos maçons.

Prezado Serrão, só posso entender a matéria como provocação à discussão sobre o tema. Acho que os maçons não devem perder tempo com a figura de Pedroza que é apenas um agente das mazelas que a Maçonaria combate. A Maçonaria não combate os agentes, combate as mazelas que se apossam dos agentes. Para que se reúnem? Para combater o despotismo, a ignorância os preconceitos e os erros; e para glorificar a verdade e a justiça. Não combate os déspotas, os ignorantes, os preconceituosos e os errantes; e não glorifica o verdadeiro ou o justo. A Maçonaria combate a doença e não o doente. Exalta a virtude e não o virtuoso. Porque age assim? Para mostrar que as obras são mais importantes que os obreiros. E isso, levado à cabo, evita comportamentos como deste tal Pedroza, eivado de presunção, vaidade, arrogância, prepotência, preconceito, soberba, insolência. Este agente é mais um, dos muitos, que já tentaram notoriedade atacando o que não conhece e nem tem a capacidade para entender. Por isso penso que os maçons não deveriam lhe dar a importância que não lhe cabe.

Como dizia Ibrahim Sued: “Os cães ladram e a caravana passa”.

E ainda utilizando uma frase sua, grafada um pouco abaixo, em outra matéria: “Não dá para debater com um sujeito que só raciocina ideologicamente e alimenta preconceitos”...

Anônimo disse...

A entrevista à revista Piauí, comentada em diversos meios de comunicação, reitera o que todos já sabiam: é verdade quando o Apedeuta alega não saber de nada. Suas "fontes de informação" são "opiniões pessoais" dos puxa-sacos que não se atrevem a falar-lhe algo que o desagrade.
Por outro lado, não se pense que ele é tão tolo que não perceba a disparidade entre a aversão que os verdadeiros profissionais da mídia tem contra ele e a liberdade de imprensa existente no país. Isso foi magistralmente solucionado com a avalancha de verbas públicas destinadas à "comunicação social" dos diversos órgãos estatais.
A incompetência do nosso empresariado fez com que praticamente todas as empresas jornalísticas se tornassem dependentes desse rico filão. A partir daí, o procedimento tem sido similar ao do relacionamento de qualquer traficante de drogas com os "usuários" que dele dependem: ou trabalha para mim, ou fica sem!!
Eis aí a razão das críticas, quando publicadas, serem extremamente polidas e o "jornalismo investigativo" estar tão reduzido em suas ações. Quem se atreve a buscar informações sobre os incontáveis "processos sob sigilo" que correm no poder judiciário?

Anônimo disse...

Por falar em Aécio, por onde andava o menino? Não compareceu à posse do novo prefeito de BH. Não deu as caras ante a tragédia ocorrida em BH no início do ano. Sumiu do noticiário da "grande mídia". Estranho... Será que já está adotando a estratégia do "guru", afastando-se de "fatos negativos" com a desculpa de que "não sabia"? Ou descobriu que curtir uma boa (sem trocadilho) namorada é muito melhor que preocupar-se com a maloquerada que vai morar na beira do esgoto e nas barrancas de morros?