sábado, 28 de fevereiro de 2009

A Desmoralização das Forças Armadas

Edição de Artigos de Sábado do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

O desgoverno do Foro de São Paulo resolveu acelerar seu processo de propaganda ideológica para desmoralizar e “demonizar” as Forças Armadas. Elaborada nos moldes do marketing de guerra bolchevique-nazista, a estratégia geral consiste em produzir efeitos psicossociais, em curto e médio prazo, para diminuir e colocar em dúvida o respeito que a opinião pública tem pelo Exército, Marinha e Aeronáutica.

A principal meta é reverter os resultados de uma pesquisa de opinião divulgada semana passada, feita com 1.200 entrevistados pela Fundação Getúlio Vargas, constatou que as Forças Armadas ocupam o primeiro lugar no índice de confiança, na comparação com outras 17 instituições.

A campanha de destruição de imagem tem três objetivos fundamentais. O primeiro é jogar a opinião pública contra as “legiões” para que seus integrantes se sintam intimidados a reagir contra o processo revolucionário inegavelmente em marcha. O segundo é vender à sociedade a imagem de que as Forças Armadas precisam sofrer reformulações radicais em suas bases, conforme algumas propostas de mudança contidas na Estratégia de Defesa Nacional lançada recentemente. O terceiro é associar os militares diretamente ao autoritarismo, pintando-os como entraves constantes para a “democracia”.

Quatro ministros do governo Lula lideram diretamente a campanha de desmoralização contra as Forças Armadas: Tarso Genro (Justiça), Paulo Vannuchi (Direitos Humanos), Dilma Rouseff (Casa Civil e potencial presidenciável) e Franklin Martins (Comunicação). O governo agora prepara um comercial de televisão em que aparecerão mães de desaparecidos políticos, nos tempos dos governos militares (1964-1985), segurando fotos dos filhos e chorando que não querem morrer sem saber o paradeiro deles.

O comercial tem duas intenções. A primeira reforçar a tese de que o Supremo Tribunal Federal tem de rever a abrangência da Lei de Anistia (Lei nº 6.683/79). A segunda é preparar o lançamento, até maio, de um sistema de acesso a dados de 14 arquivos estaduais, chamado Projeto Memórias Reveladas. O governo publicará um edital para convocar donos de acervos particulares a transferirem documentos sobre o período pós-64 para arquivos públicos.

Ontem, inclusive, o ministro Paulo Vanucchi voltou a pedir que a “sociedade civil” intensifique a pressão para que documentos e informações sobre o paradeiro de desaparecidos políticos sejam revelados. Vanucchi apelou ontem que “vítimas da repressão do regime militar”, seus familiares e entidades de classe, devem entupir o STF com ações judiciais em massa contra a Lei de Anistia e pedindo punição para “os torturadores”. Propagandisticamente, o termo genérico “torturadores” inclui todos os militares...

Curiosamente, o chefão Lula tenta manter uma posição pública “em cima do muro”, fingindo ser diferente dos anti-militares que compõem seu desgoverno. Anteontem, Lula deu uma entrevista ao jornalista Jorge Oliveira – que dirige um documentário sobre o operário Manoel Fiel Filho, um dos mártires pós-64. Lula deixou claro que a Lei de Anistia foi aprovada pelo Congresso e deve ser respeitada. Lula ressaltou que a lei anistiou a todos, e que o governo não tem como interferir. No entanto, Lula pondera que cabe à Justiça se manifestar sobre o assunto.

A campanha contra as Forças Armadas, no entanto, tem objetivos geopolíticos e estratégicos muito mais graves. O Alerta Total publicará, na edição de domingo, com exclusividade, um documento oficial revelando o que existe por trás da Estratégia Nacional de Defesa (e não Estratégia de Defesa Nacional) lançada pelos ministros Nelson Jobim (Defesa) e Mangabeira Unger (Assuntos Estratégicos).

Os militares terão a oportunidade de conhecer seus verdadeiros inimigos. Aqueles que os atacam agora são meros agentes conscientes da propaganda contra o Brasil.

Jorge Serrão, Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor, é Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. http://alertatotal.blogspot.com/ e http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Fevereiro de 2009.

9 comentários:

Anônimo disse...

Amigo sou sargento do EB e não me importo mais com desmoralização das FA, exite muita injustiça nas fileiras do Exército, tanto que já fui vítima inúmeras vezes. Nossos chefes são seres anacrônicos que dão valor a forma e não a essência das Forças Armadas que é o carater sólido e autruísta. Solenidade e pompa é tudo oq vivemos. O que salva são as missões de Paz e os Batalhões de construções e Fronteira. O Exército assim como as FA estão colhendo q semearam. As FA são um reflexo da nação, estamos em crise, e não é financeira é de carater.

João Roberto disse...

Tinha que ser um anônimo, pede as contas.

Anônimo disse...

Prezado João Roberto, no nosso caso as críticas só podem ser feitas no anonimato. Sou Oficial das FFAA e se o Sargento está falando isto, alguma coisa há. As autoridades têm de ouvir os seus subordinados sob pena de perderem o comando ou só o ter aparentemente.
No entanto, é necessário que o Sargento revise os seus conceitos sobre o caráter dos militares. Não há crise nesse aspecto. Passar a vida toda treinando para uma guerra que não vem é desgastante, por isto, é necessário rever os objetivos, princípios, abandonar certas tradições, e mudar a forma de agir e pensar.

Anônimo disse...

O Sargento: Injustiça não existe, ou se é soldado por vocação ou está aí só prá se encostar num emprego público, fica na sua e faz o teu trabalho bem feito, o superior manda, dá ralo no subordinado sempre e a coisa funciona assim de cima prá baixo. Não se importe com promoções nas fileiras e caras quem sabem de p@* nenhuma serem promovidos e ganharem mais, sob fogo o que vale é o talento, a hora que o jacaré abraçar num vai sobrar um vivo prá contar a história, sempre foi assim, num liga prá defunto não!

Anônimo disse...

Também sou sargento do EB e sei como a instituição está deturpada, os superiores não estão nem ai com que vai acontecer , salvos alguns que ainda se importam, mas não fazem quorum para poder mudar alguma coisa ou se omitem para não se prejudicarem, pois a promoção vale mais do que brigar por pouca coisa já que não conseguem mudar mesmo e tiram os seus da reta.Assim quem está embaixo sofre as maiores consequências pois não conseguem ter voz ativa e muito menos quem briguem por nós pois está tudo sendo jogado nas cordas e pagam para ver o que acontece.

José de Araújo Madeiro disse...

Serrão,

Falar com anônimos é complicado. É como dar um tiro no escuro e acertar no vácuo.

Todavia, como deve ser e em sintonia com os regulamentos disciplinares das FFAA, o soldado não deve se expor e as FFAA são os últimos sustentáculos da nossa democracia e do nosso Estado de Direitos. E isto o verdadeiro soldado brasileiro deve ficar ciente e jamais deve abdicar das suas atribuições e funções.

É por isto, ainda, que sempre foram e vão continuar sendo respeitados e não odiados, como querem os PTralhas traidores.

Mas, o soldado tem funções específicas e devem permanecer integrados as normas castrenses, dentro da ordem, da disciplina e da hierarquia.

No momento estamos sendo geridos por uns irresponsáveis e traidores do Brasil, da nossa História e das nossas tradições.

E nós civis estamos atentos, estamos lutando para desalojar os PTralhas do Poder. E isto é prioritário. Aí está a CPI do Cachoeira, do Julgamento do Mensalão e a Dilma está dividindo o poder com seus aliados, para garantir à governabilidade, com o Poder PTralha na liderança.

Precisamos e vamos avançar e o soldado brasileiro deve ficar tranquilo que estaremos do seu lado, conforme seu conceito que é bastante elevado diante da opinião pública.

Abs, Madeiro.

CkLlJLNCOF guguieloperation disse...

ONZE(11) = ONGs exibem estudo que mostra País de "Lulina Paz & Amor" (em que ele mesmo se denominou assim, em 2002) longe da sustentabilidade: - Onze(11) das maiores organizações ambientais do País divulgam hoje na Rio+20 o estudo "Brasil na contramão do desenvolvimento sustentável: o desmonte da agenda socioambiental", que faz um balanço das duas décadas desde a Eco-92 e acusa o governo Dilma Rousseff (que é, como todos sabemos, continuação-fantoche-do-Lulinha, "Paz & Amor" depois de 10 anos, a saber - 2002 - 2012), de enfraquecer a legislação ambiental com brechas jurídicas. Com a presença da ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, o documento será apresentado na Cúpula dos Povos. Entre as principais críticas do estudo está o uso de medidas provisórias e leis complementares por parte do governo para driblar questões polêmicas, como a redução de unidades de conservação e a limitação do poder de fiscalização de órgãos como o Ibama.
"Há um processo de desmonte da legislação ambiental no País. Sem cerimônia, o governo usa ferramentas jurídicas para fazer isso, quando devia fazer o que está a seu alcance na direção oposta", diz João Paulo Capobianco, presidente do conselho do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS). Nos últimos dois anos, dizem os responsáveis pelo documento, houve um retrocesso acentuado na política ambiental por causa do abuso de medidas jurídicas "autocráticas e totalmente unilaterais" por parte do governo. "No caso das unidades de conservação, a redução implica que o licenciamento são favas contadas. O dano ambiental será feito antes de a obra sair do papel." Apesar das críticas, que deverão ser intensificadas no discurso de Marina Silva hoje no evento paralelo do Aterro do Flamengo, o documento reconhece que houve avanços desde a Eco-92. Como principal exemplo é citada a formulação do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia, em 2004. "Isso encerrou um ciclo de aumento vertiginoso do desmatamento ilegal na região." fonte www.br.msn.com

Anônimo disse...

ESSES MILICOS SÃO UM BANDO DE COVARDES !!!
UNS MERDAS !

DESDE O INICIO DEVERIAM PROCESSAR ESSES FDP DENEGRINDO A IMAGEM DAS FORÇAS ARMADAS E METER NA CADEIA !!

BANDO DE COVARDES !!!

+CKLLJLNCOFound disse...

ARMADA E OU A FROTA BRASILEIRA SE ENCONTRA EM APROXIMADAMENTE 20% EM SUPERFÍCIE E 1% NO PROGRAMA SUBMARINO. O GOVERNO DO LULISMO (2002-2015) ENTERROU DE VEZ O PROGRAMA "GARRAS DO CISNE BRANCO" QUE PREVIA A CONSTRUÇÃO DE 10(DEZ) SUBMARINOS ATÔMICOS POLARES ANTÁRTICOS, EM TROCA ESTÁ CONSTRUINDO 3 SUBMARINOS CONVENCIONAIS SUPERANTIGOS E UM SUBMARINO SEMI-ATÔMICO E NÃO-POLAR. SENDO QUE AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS SÃO DE PARALISAR TAMBÉM ESSE SUBPROGRAMA.