segunda-feira, 11 de maio de 2009

Meirelles volta a ser especulado como candidato a presidente, caso Dilma ou Lula não possam concorrer

Edição de Segunda-feira do Alerta Total http://www.alertatotal.blogspot.com

Adicione nosso blog e podcast aos seus favoritos.

Por Jorge Serrão

Henrique Meirelles volta a ser um nome alternativo forte para a sucessão de 2010. Se Lula não conseguir o milagre da possibilidade de um terceiro mandato (desejo que sempre nega), o atual presidente do Banco Central se credencia como o nome a ser viabilizado pela força da Oligarquia Financeira Transnacional para concorrer ao Palácio do Planalto, ano que vem. Releia o artigo de 12 de outubro de 2008: O homem perfeito para derrotar Lula

A Presidência, agora, não seria o objetivo maior de Meirelles. Ele pretende deixar o Banco Central, dentro do prazo permitido pela lei eleitoral, se filiar a um partido (provavelmente o PP ou o PR) e ser candidato ao governo do Estado de Goiás. Meirelles aposta que se elege sem grandes dificuldades. A candidatura ao Palácio do Planalto, agora, teria risco maior. E Meirelles não deseja trocar o quase certo pelo duvidoso – embora seu sonho seja a presidência.

Por enquanto, Meirelles sabe que não é homem para isso. Mas ele pode ser mordido pela mosca azul da Presidência. Até porque os petistas têm problemas de um nome viável para suceder Lula – a não ser ele mesmo. Já se sabe que Dilma Rousseff não terá condições de disputar a eleição. O comando petista já sabe que, dificilmente, será quase impossível para Dilma encarar a maratona de uma campanha eleitoral brigando contra um linfoma.

Na falta de um candidato viável para suceder Lula, o PT se apressou em lançar, como factóide, o nome da brizolista histórica que os petistas históricos só engolem a fórceps. Para piorar, além do problema médico, o nome da guerrilheira aposentada ainda não pega como deveria, apesar das plásticas e jogadas propagandísticas. Por isso, o nome de Meirelles volta a ser especulado.

Os petistas temem o risco presidencial de Fenando Collor de Mello, cuja campanha é trabalhada nos bastidores pelo ex-deputado Roberto Jefferson. Quinze anos depois de cassado pelo Congresso, quando foi obrigado a renunciar à Presidência, Collor hoje ocupa a estratégica Comissão de Infraestrutura do Senado.

Amigos de Fernando Collor garantem que ele alimenta a ambição de voltar a Presidência – de onde foi saído pela porta dos fundos do Palácio do Planalto. Collor conta que usará como trunfo o fato de nada ter sido comprovado contra ele, depois de inúmeras acusações.

Globo x Universal

A guerra sem fim entre as Organizações Globo e a Igreja Universal do Reino de Deus ganha mais um ingrediente provocativo.

O Diário de São Paulo, que pertence à Família Marinho, informa que o empresário Edílson Cesário Vieira move uma ação na Justiça com o objetivo de receber uma indenização de R$ 400 mil da Igreja Universal do Reino de Deus.

Seguidor da religião entre 1997 e 2008, ele acusa bispos e pastores de estelionato.

O rolo

Os religiosos teriam convencido Edílson a pegar R$ 338 mil emprestados para fazer doações entre novembro de 2005 e janeiro de 2006.

Em troca, os pastores rezariam para que o empresário ganhasse uma ação trabalhista de R$ 1 milhão.

Dono de um lava-rápido na época, Edílson alega que não tinha dinheiro suficiente para ofertas tão altas.

O empresário perdeu a ação trabalhista no Fórum do Tatuapé.

Outro caso

Em março deste ano, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a decisão que obriga a Universal do Reino de Deus a devolver R$ 2 mil ao motorista e ex-fiel Luciano Rodrigo Spadacio, de 29 anos.

Morador de General Salgado, a 600 quilômetros da capital, Luciano alega ter dado o dinheiro na garantia de que seus problemas seriam resolvidos - o que ele garante que não aconteceu.

O motorista afirma ter sido convencido por um pastor a se desfazer de seus bens materiais para melhorar de vida em 1999.

Por isso, ele vendeu sua única propriedade, um carro Del Rey, por R$ 2.600 e entregou todo o valor à igreja.

Casa de...

O deputado Sérgio Moraes (PTB-RS) ameaça que, se for afastado, entrará com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal para continuar relator do processo de cassação de Edmar Moreira (sem partido-MG) no Conselho de Ética.

"Lá não é casa de moleque".

Na semana passada, Moraes deu a entender que não levaria o caso adiante e que estava se "lixando para a opinião pública".

A arte do roubo

Dois quadros de Cândido Portinari (O Cangaceiro e O Retrato de Maria), um de Tarsila do Amaral (Figura em Azul) e um de Orlando Teruz foram roubados ontem da casa da casa de lide Maksoud, na rua Estados Unidos, no Jardim América (zona oeste de São Paulo).

Além de Ilde, que tem 85 anos e é ex-mulher do empresário Henri Maksoud, sua nora Maria Paula e quatro funcionários da casa foram rendidos.

Os ladrões ainda tentaram levar uma escultura de Victor Brecheret, mas não conseguiram carregar a peça, cuja base foi quebrada.

Vida que segue...

Ave atque vale!

Fiquem com Deus!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Inteligente (analítico e provocador de novos valores humanos) com análise estratégica, conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 11 de Maio de 2009.

2 comentários:

Anônimo disse...

Por enquanto nada de especial e o Serra é o dono da vez.

Vejamos se aparece alguém correndo por fora para sairmos dessa dobradinha dos infernos.

Anônimo disse...

Como sempre a Rede Globo e a Rede Record estão fazendo joguinhos de amigos.

Se a Globo quer mesmo acabar com a IURD, é só ela mostrar a ligação da mesma com os narcotraficantes colombianos e bolivianos. E outros ''empreendimentos'' do ''bispo'' Edir Macedo por ai.

Eu sempre desconfiei dessa guerrinha entre a Rede Globo e a Rede Record.

Até agora ninguém conseguiu me desmentir!