domingo, 27 de setembro de 2009

Trapalhões da diplomacia

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Ernesto Caruso


Entre as desgraças televisivas dos abusos sexuais sobre indefesas e inocentes crianças por avô, tio e padrasto, sobre os produtores rurais que têm que dobrar a produção “na lei ou na marra”, ou perdem as terras como querem Lula – Dilma ­– MST, lembrando Goulart – Brizola – Ligas Camponesas, surgem sob os holofotes os trapalhões da diplomacia a desconcertar o que estava afinado pelos Poderes constituídos, harmônicos e independentes da pequena Honduras, diverso deste bagunçado, ébrio e prostituído país.

Lua-Sgt Pincel com cartola e fraque apela para a platéia interrogando que se deve acreditar nas palavras dele ou dos golpistas, maquiado pela longa experiência nos palanques-picadeiros, como grande ilusionista, tirando leite de pedra, moeda de nariz e relógio, tudo o que pode, escondendo com maestria. Aos olhos do mundo, diretamente dasONU.

Amoril-Dedé faz um gesto com o dedo indicador — como se fosse um fuzil, como diz — voltado para a própria cabeça, olhar pequeno, arregalado, garoto esperto, divertido, afiançando que o Exército daquela nação, alvo da sanha vermelha Chávez-Morales-Fidel, que só deseja alternância no poder, depôs um presidente eleito.

Magtoptop-Zacarias (Zacarias de alegre memória) chama a unanimidade legalmente estabelecida, constitucional de Honduras, não aliada-combinada-mancomunada como cá, de golpistas e mentirosos. Só faltou dar aquele rizinho de ironia e repetir o gestual célebre que caracteriza o seu comportamento às escondidas, mas captados pelas câmeras indiscretas.

Atores respeitados que fazem palhaçadas para a alegria da petizada e não governantes aloprados que agem em benefício da petezada.

Só os vendo com zombaria, pois é humanamente impossível observá-los sob outro prisma, tal o descaramento e a coragem dessa gente como dispõe dos microfones e imagens enganando, pois eles próprios menosprezam a inteligência dos outros e agridem os princípios que norteiam as relações entre as nações. A autodeterminação não é considerada, as regras de asilo são desprezadas.

A normalidade, os fatos históricos tradicionais, relevantes e registrados, expõem que alguém perseguido politicamente em seu país busca abrigo em uma Embaixada e que via de regra, após gestões diplomáticas, se lhe concede salvoconduto para sair como asilado. Nem sempre muito fácil, principalmente em se tratando dos países comunistas.

Foi assim, com o Cardeal Jószef Mindszenty refugiado até 1971 na Embaixada norte-america­na em Budapeste, ele que fora condenado à morte, depois prisão perpétua, pelo regime comunista em 1949 e libertado por ocasião da Revolução Húngara de 1956 (na foto com os seus libertadores), reprimida pelo exército russo.

Em Honduras se deu o contrário, o impedido legalmente, como Collor, já fora daquele território retorna afrontosamente para ser acolhido na Embaixada do Brasil. Não a respeita. Leva uma turba, um bando, guardacostas, a invade, toma de assalto, faz dela um palanque, típica ação do MST, com discursos desafiantes e apoiados pelo governo LULA/AMORIM/GARCIA, que fomenta a anarquia para produzir mártires , mortos e feridos, por eles dito, e repetido pelos repórteres.

O incrédulo disso tudo no contexto da nefasta ação governamental nas áreas da segurança, crimes e mais crimes, cada vez mais bárbaros, pelos maus exemplos que dão; da saúde, com tanta gente desassistida e morrendo nas portas de hospitais, perambulando de porta em porta em busca de socorro; da educação, com os professores, muitos dos quais adeptos do PT, agredidos por alunos enfurecidos, drogados, com o parãmetro do ministro-funkeiro.

Honra seja feita. Os telejornais, de um modo geral, mudaram os pronunciamentos. Hoje informam o desrespeito de Zelaya aos ditames constitucionais e o seu afastamento imposto pela Justiça de Honduras.

O Exército daquele país cumpriu com as suas obrigações com a Pátria e não com governos e poderes carcomidos.

Ernesto Caruso é Coronel da Reserva do EB.

2 comentários:

Anônimo disse...

O Exército daquele País, assim como fez o do Brasil, se aliou às elites e mais uma vez deu um golpe de Estado contra um presidente legalmente eleito.
Cel Caruso, quem está certo, o senhor ou o resto do planeta Terra, que está abominando o governo golpista ?
Lugar de torturador é na cadeia !

Ivan Lianov disse...

O Exército daquele país, assim como fez o do Brasil, se aliou à população e mais uma vez removeu do poder um governante inepto, eleito através de um sistema eleitoral corrupto.
Cel Caruso, quem está certo, o senhor ou a Ditadura Anti-Militar mundial (Obama, ONU, CNN etc.), que está abominando o governo contra-revolucionário ?
Lugar de terrorista é na cadeia!