quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Boeing e Saab batalham na mídia para derrotar francesa Dassault – já escolhida por Lula para vender caças ao Brasil

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net

Por Jorge Serrão

Embora já tenham a informação de bastidores de que o chefão Lula da Silva fechou mesmo com o colega francês Nicolas Sarkosy a compra dos caças Rafale (da Dassault), os principais concorrentes não se dão por derrotados e partiram para o ataque na mídia. Ontem, representantes da norte-americana Boeing IDS (Integrated Defense Systems) e da sueca Saab (que controla a Scania no Brasil) voltaram a insistir que podem garantir a transferência e o desenvolvimento de tecnologia para as Forças Armadas do Brasil, se o governo Lula fechar com elas.

O presidente da Boeing IDS, Dennis Muilenburg, avisou que a empresa entregará, na sexta-feira, uma proposta com um "robusto pacote de transferência de tecnologia". Foi a resposta antecipada de Muilenburg às críticas de que os norte-americanos não transferem tecnologia para que o Brasil possa fabricar e comercializar livremente suas aeronaves. Muilenburg propagandeou, sem revelar valores: “Acreditamos que os Super Hornets que oferecemos são eficientes, de baixo risco e de solução para o Brasil. Já mostramos que temos condições de entregá-los de acordo com o calendário”.

O presidente da Saab, Ake Svensson, prometeu não só uma transferência de tecnologia, mas de uma parceria para desenvolvimento conjunto de tecnologia com a FAB. Svensson também não quis falar de preços e não confirmou a versão de que seu caça Gripen NG custaria metade do preço dos Rafale preferidos por Lula. Svensson ponderou: “As aeronaves não são mais econômicas só pelo preço. Elas têm custos menores de manutenção e operação. Além disso, não se trata de vender aeronaves, mas um sistema aéreo de tecnologia”.

Passou fácil

O Brasil ganha um novo semi-deus com emprego quase vitalício (pelo menos até os 70 anos de idade).

O Senado aprovou no início da noite de ontem, em votação secreta, a indicação do atual advogado-geral da União, José Antônio Toffoli, para o Supremo Tribunal Federal.
Foram 58 votos a favor, 9 contrários e três abstenções.

Apenas os senadores Alvaro Dias (PSDB-PR) e José Agripino Maia (DEM-RN) realizaram perguntas mais incômodas sobre o currículo, a ligação com o PT e ainda sobre o processo a que Toffoli responde na Justiça do Amapá.

Limpo e puro

Na mole sabatina no Senado, Toffoli afirmou que o tempo em que foi advogado para campanhas do PT já não faz mais parte da sua vida.

Sobre a falta de diploma de mestrado e doutorado, ponderou que isto aconteceu por opção própria, porque preferiu a advocacia à vida acadêmica.

Toffoli também garantiu que mantém sua reputação ilibada pois um dos processos a que responde na Justiça do Amapá foi anulado e o outro teve a sentença suspensa.

Estatização do advogado

Na sabatina, o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) reclamou que não reconhecia em Toffoli notório saber jurídico e reputação ilibada:

A Constituição estabelece quesitos essenciais para a nomeação ao STF. Notório saber jurídico, ilibada reputação e notoriedade - ressaltou. - Quem deveria ser questionado (sobre a indicação) é o próprio presidente Lula. Não há prova para o STF, temos que nos valer da trajetória do indicado”.

Mas a crítica mais contundente foi a ligação de Toffoli com o PT:

A trajetória de Vossa Excelência é extremamente ligada ao presidente Lula e ao partido dele. Eu poderia dizer que o PT quer estatizar seu advogado mandando ao Supremo Tribunal Federal”.

Promessa

Logo no início da sabatina, o advogado declarou que, se fosse aprovado para o STF, teria compromisso apenas com a Constituição Federal.

Toffoli prometeu que não atuaria como advogado do governo, ao contrário do que teme a oposição:

Não nego a minha história, mas já deixei de lado os laços a partir do momento que fui para a Advocacia Geral da União - afirmou Toffoli, ressaltando que nos casos em que houver possível comprometimento poderá se abster”.

Nunca ouviu?

Em resposta ao senador Pedro Simon (PMDB-RS), Toffoli garantiu que, no período em que atuou como subchefe para assuntos jurídicos da Casa Civil, nunca ouviu sequer a palavra mensalão:

Houve uma comissão parlamentar de inquérito que investigou esse episódio, houve inquérito na polícia, investigação por parte do Ministério Público, denúncia do procurador-geral ao Supremo Tribunal Federal e nunca, em nenhum momento, meu nome foi citado sequer como ilação. Eu desconheço esses fatos, não tenho conhecimento do processo que está tramitando no STF”.

Mais um para a vasta coleção de petistas no governo que nunca sabem de nada.

Máquina a todo vapor

O Globo de hoje denuncia que apenas seis dos 37 ministros do governo Lula, no exercício do cargo, não têm vínculo partidário formal.

Os demais 31 são filiados a partidos políticos e, no próximo ano, estarão no palanque eleitoral como candidatos ou cabos eleitorais dos aliados.

Até agora, pelo menos 18 ministros deverão concorrer em 2010, desfalcando o governo a partir de abril.

Risco de abuso

O senador tucano Álvaro Dias (PR) adverte que o grande número de ministros candidatos ou filiados a partidos políticos pode significar um risco de abuso da máquina pública na campanha do ano que vem:

Isso é um fato inédito na história política do Brasil republicano. Nunca houve tantas candidaturas no primeiro escalão. Coincidência ou não, dados do Siafi mostram um direcionamento na celebração de convênios e na liberação de recursos para os estados de origem dos ministros hoje pré-candidatos”.

Os ministros que pretendem disputar as eleições do ano que vem terão que deixar seus cargos no início de abril, prazo de desincompatibilização fixado pela Justiça Eleitoral.

A História explica

O cientista político Leôncio Martins Rodrigues, professor aposentado da USP e da Unicamp, chama a atenção para o risco de uso da máquina:

Nos países latinos de formação católica, que são mais burocráticos e menos desenvolvidos, o Estado é quase sempre ocupado por partidos que nada mais são do que expressão de grupos familiares e clientelísticos. Não é por acaso que a democracia, nesses países, funciona de modo precário”.

Leôncio Martins Rodrigues lembra que, no Brasil, a prática da colonização do Estado por interesses privados ou por grupos econômicos sempre existiu em nossa História, especialmente no período de participação política limitada:

A diferença, agora, é que o aparelho estatal está sendo ocupado principalmente por grupos partidários, capitaneados pelo PT”.

Bem na fita

O PT, que controla 17 ministérios, também tem o maior número de prováveis candidatos - nove -, incluindo a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata a presidente.

O PMDB tem cinco ministros-candidatos; PCdoB, PR, PDT e PSB têm um cada.

São seis possíveis candidatos a governador.

“Caracas” pintadas

Um grupo de estudantes da Universidade do Oriente acampou diante da sede da OEA em Caracas.

Foi em protesto contra as perseguições e prisões dos que são contrários à revolução de Hugo Chavéz.

A iniciativa se espalhou por sete estados e agora, já são 149 estudantes em greve de fome, exigindo um posicionamento da OEA contra o governo bolivariano.

Razões ocultas

A Radio Globo - lá em Honduras - foi fechada pelo governo.

Fazia intensa propaganda anti-semita, reproduzindo o discurso de Cuba e da Venezuela em defesa de Zé-laia.

Acusando Israel de defender o governo, o editorialista da Radio Globo, David Romero disse que:

Hitler tinha razão em perseguir esta raça... por que não deixamos que Hitler cumprisse sua vasta missão histórica?”.

Aniversário da revolução

Hoje, a revolução comunista chinesa completa 60 anos.

No desfile militar será apresentado o novo armamento com 100% de tecnologia chinesa.

Lá, 90% dos helicópteros, carros de combate, radares, caças e mísseis vão ser apresentados pela primeira vez.

Representantes dos exércitos norte-americanos e britânico estarão presentes à festa.

Só faltava Stalinácio ter dado um pulinho lá, para rearmar nosso exército.

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo analítico, independente e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 1º de Outubro de 2009.

2 comentários:

Anônimo disse...

essa questão dos caças é um escandalo! Como Lula não entende nada de aviões, é claro que Nélson Jobim (esse entende?)fez Lula optar pelo Rafale, com o argumento de que é estrstégico. Mas já se sabe que a aeronave francesa, com os custos de aquisição e manutenção por toda sua vida útil - 30 anos -, vai custar duas, três ou mais vezes do que os concorrentes! Será que podemos nos dar a esse luxo??? Será que o Senado e/ou a Câmara dos Deputados Federais não pode impedir essa decisão já tomada em favor do caça francês???

Anônimo disse...

A presença de Stalinácio na China para reequipar as FFAA não está tão longe. Para quem não sabe a FAB comprou um lote de helicópteros russos (Mi-35). É claro que a grande mídia chapa branca não sabe (ou finge não saber) de nada...