domingo, 27 de dezembro de 2009

BRIC a BRAC

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Pedro Chaves


Pretender comparar o Brasil (o B dos Brics) com os outros emergentes do acrônimo é tarefa, no mínimo ridícula, se não inútil.

O Brasil é tão fabulosamente mais rico que todos os demais países do mundo que qualquer comparação é digna de dó.

Este fato nos causa vantagens e desvantagens. A inveja, a cobiça e o ódio alheios nos colocam em uma posição desconfortável.

Os ataques da Oligarquia Financeira Transnacional serão cada vez mais graves e frequentes.
Pela analise dos atos de guerra praticados contra o Brasil recentemente, podemos identificar os propósitos e objetivos de nossos inimigos externos e internos.

O ataque e depredação do centro de pesquisas da Aracruz Celulose S.A. foi comandado por estrangeiros, que destruíram anos de trabalho e dedicação dos técnicos da empresa.

As pixações, depredações e imundícies, propositalmente impostas às cidades brasileiras tem como objetivo destruir o habitat da “burguesia” com a consequente desvalorização dos imóveis e pontos comerciais.

São Paulo é um exemplo do estropício urbano causado pelo “calçadão” que transformou as outrora elegantes ruas do centro, em feira livre de quinto mundo onde são comercializados produtos de origem ilegal e muitas vezes nocivos à saúde da população, sob as vistas grossas das autoridades, que prevaricam sem temor.

A negligência governamental com a segurança pública nos causou mais de dois milhões de assassinatos nos últimos vinte anos, ao mesmo tempo em que se procura desarmar apenas a população honesta e não os bandidos.

O dia 15 de maio de 2.006 nos mostrou quem de fato manda na cidade de São Paulo. As facções criminosas, treinadas por especialistas estrangeiros, conseguiram paralisar o maior centro financeiro do hemisfério sul.

A pretexto de prevenir assaltos e outros tipos de violência, síndicos inescrupulosos -conluiados com “empresas de segurança privada” - impõem custos ilegítimos a proprietários e inquilinos de imóveis comerciais e residenciais, violam a privacidade alheia e criam obstáculos e constrangimentos ao direito constitucional de ir e vir.

Em mais vinte ou trinta anos os hindus provavelmente morrerão de sede (uma vez que está baixando o lençol freático); os chineses morrerão de fome e os russos, de medo das máfias instaladas no pós – comunismo.

A Oligarquia Financeira Internacional vive hoje um dilema hamletiano:

Não pode destruir fisicamente o Brasil com suas ogivas nucleares ou seus terroristas, porque precisa de nossa comida, de nossa água e de nossos minérios;

Não tem condições de nos conquistar militarmente e manter a ocupação devido ao tamanho continental do Brasil e à unidade linguística e cultural de seu povo.

Só lhe resta o caminho da tentativa de nos dividir, de criar artificialmente ódios e rancores, de identificar e pagar regiamente aos que se dispõe a trair a Pátria.

Pedro Chaves é Advogado.

Nenhum comentário: