sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

A Demagogia e o Estamento Militar

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Valmir Pereira

Impressionou-nos a gastança do desgoverno, a título de indenização para a família dos militares vitimados pelo terremoto do Haiti.

De repente, no choque da perda de vidas de cidadãos fardados, no lamento da Nação, eis que surge das trevas o “grande benfeitor” para distribuir benesses às famílias enlutadas.

Um portento, dizem os puros e os incautos, um golpista faturando na morte alheia, dizem outros.
De fato, a Instituição militar nos seus regulamentos prevê amparo para os seus soldados, como a promoção post –mortem, e outros benefícios; portanto, não vamos permitir que o “pulha” nos iluda com seu altruísmo de ocasião, distribuindo gratificações e esmolas não previstas para os nossos soldados, como se fosse um messias redivivo.

Não esqueçamos que o embromador – mor é o mesmo cretino de sempre, e é o timoneiro que nos levará à matroca. De sua orientação, de sua calhordice e do seu incomensurável narcisismo, cerca após cerca, estão construindo uma jaula invisível em torno da nossa liberdade.

As inúmeras medidas cerceadoras em andamento, em doses homeopáticas, falam por si. Embora tenhamos os cegos físicos, morais e intelectuais que não querem ver o que salta aos olhos, nem os surdos ou desinteressados, que não percebem ou fazem ouvidos moucos diante das contradições e inverdades existentes nos discursos de autopromoção.

O processo de total submissão está em pleno andamento, como se comprova pelo mutirão de medidas, que visa, ao término de seu reinado, colocar os mais diversos segmentos, previamente selecionados, ao cabresto do petismo, mas a máquina de agitação e propaganda foi posta em marcha e está recrudescendo, a julgar - se pelo acionamento das massas de manobra já conhecidas.

Observem que aos poucos, chusmas estudantis estão nas ruas, o mesmo acontecendo com o inefável MST, que se movimenta e ataca como se fosse vítima e toma dianteira mostrando o seu poder de fogo.

A CONFECOM, O III PNDH e a iminente Conferência sobre a Cultura, nos dão uma pálida idéia do pretendido.

O domínio sobre o Legislativo, o aliciamento do Judiciário, o domínio da imprensa, o controle dos meios de comunicação e da educação e o amordaçamento do Estamento Militar serão o arcabouço para novas e solertes empreitadas.

Que ninguém se iluda, o sujeito é o mesmo canalha que tem permitido tantas quantas bandalheiras possíveis contra o Segmento Militar. Não se esqueçam que é de sua autoria e está sob a sua guarda, a asquerosa Comissão de Anistia, promovendo impune as mais escabrosas indenizações e, avalizando como heróis, autênticos assassinos.

Contudo, o safado é vivo, manipula suas marionetes de longe, e quando algo dá errado, pula de banda e solta os cordéis. Assim, “o assinei sem ler”, junta - se aos conhecidos “eu não sei”, ou ao “eu não sabia”, desculpas incabíveis no referido caso, onde sua chancela o incrimina.

Escrevemos no artigo “O empolgado comunicador popular” que estes enganadores, dependendo da platéia, choram, suam, já vimos este filme, e dizem até palavrões. Na solenidade militar alusiva à homenagem aos militares vitimados no Haiti, o que assistimos foi a performance chorosa de um tremendo canastrão.

Por isso, e por tudo o que virá, gritamos, “sem novidades no front”.

Valmir Fonseca Azevedo Pereira é General de Brigada Reformado.

7 comentários:

Anônimo disse...

Engraçado, é que, quando na ativa esses generais ficam todos com o "rabo entre as pernas". Na ativa engolem tudo, acatam todas as ordens sem discutir. Basta ver, agora, se algum oficial general, das tres forças falam alguma coisa, estão todos calados! a cmeçar pelos comandantes, que são os mais covardes! Depois, vão para a reserva, perdem as regalías, as benesses dos cargos, ai ficam esquecidos no tempo. Então, para preencher o vazio, e aumentar a auto estima ficam escrevendo "ABOBRINHAS". Não adianta mais! estão sem voz! nimguém lhes dá ouvidos! Perderam a oportunidade de fazer alguma coisa pela nação, pelas intituições FFAA, mas nada fizeram, só olhavam para o próprio umbigo. Agora vão ficar "Clamando noo Deserto"

Euller disse...

Na ATIVA, não tem meio termo...se fala vai pro saco...fala entao quem pode falar...quem sabe um dia, pega o pessoal da ativa com caragem para dar a vida pela Patria...

Euller disse...

Entendo inclusive, que ja passou o tempo de as FFAAs fazer alguma coisa em prol de NOSSA PATRIA, pois nao somos um paizinho qualquer, somos um continente...e precisa ser respeitado por estes comunistas e terroristas...independente do pensamento de INSTITUIÇÕES INTERNACIONAIS...ninguem poderá nos DOMINAR assim de mao beijada...( a pedido do tio sam as FFAA, deram o poder aos ladroes democráticos).

Anônimo disse...

As forças armadas tomaram o poder "porque o tio sam" pediu? Taí, embarcou na mentira!
O povo encheu o vale do anhangabaú e a 23 de maio... encheu as ruas de belorizonte e do rio de janeiro dando um basta no governo de Goulart... os jornais lançaram editoriais desancando o desgoverno, radio e tv metendo o pau! O país todo se manifestando, a igreja, oab, fiesp tudo quanto era organização, contra... aí sim! Os militares agiram.
Protestar pela internet???

Anônimo disse...

Tudo hoje, são consequencias que se veem desenrolando, desde a eleição do louco Janio; tivesse sido eleito o Marechal Lott, e nada do que vem acontecendo nos últimos anos, estaria acontecendo, inclusive a "vitoria do PT". Outra grande falha, os militares, exageraram quando deram de mão beijada a anistia aos velhacos e não se resguardaram. Fizeram tudo pela Pátria e se esqueceram das FFAA e de seu pessoal. Não souberam sair.

Anônimo disse...

Tudo hoje, são consequencias que se veem desenrolando, desde a eleição do louco Janio; tivesse sido eleito o Marechal Lott, e nada do que vem acontecendo nos últimos anos, estaria acontecendo, inclusive a "vitoria do PT". Outra grande falha, os militares, exageraram quando deram de mão beijada a anistia aos velhacos e não se resguardaram. Fizeram tudo pela Pátria e se esqueceram das FFAA e de seu pessoal. Não souberam sair.

Anônimo disse...

Pior do que o ranço autoritário expresso em ridiculas linhas é ler os comentários.
Quanta asneira!!!!!!!!
Marcos Simões