terça-feira, 12 de janeiro de 2010

FHC pega leve contra o Programa de Direitos Humanos, e Lula manda abortar polêmicas para não prejudicar Dilma

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net

Por Jorge Serrão

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi dúbio e pouco ostensivo nas críticas à terceira versão do Programa Nacional de Direitos Humanos. FHC pegou leve porque o PNDH foi lançado em seu governo, em 2002, tendo teor bastante parecido com o lançado agora pelo $talinácio. Os nazipetralhas apenas aproveitaram para radicalizar, ideologicamente, o tão criticado plano. FHC apenas reclamou do fato de o governo ter usado o programa como uma espécie de "guarda-chuva", que abrange questões que vão desde a reforma agrária até o aborto.

Lula preferiu ontem fugir do assunto na primeira reunião anual de sua equipe de coordenação política do governo. Na versão oficial, em vez do PNDH3, foram discutidas, apenas, as metas do governo federal em 2010. Como os ministros Paulo Vannuchi e Nelson Jobim continuam de férias e não participaram do encontro, a discussão sobre o tema acabou adiada. Os dois devem se reunir com o presidente nos próximos dias, quando Lula deve determinar aos ministros que evitem trocar farpas publicamente.

Preocupado com as críticas mais contundentes ao programa, Lula apenas deu ordens para mudanças semânticas no plano. Lula mandou abortar o trecho do plano que estabelece "apoiar a aprovação do projeto de lei que descriminaliza o aborto, considerando a autonomia das mulheres para decidir sobre seus corpos". Pela nova redação, deve-se fazer uma defesa genérica do aborto. Será suprimida a parte que fala da autonomia, pois caracteriza apoio à decisão íntima de interromper a gestação – o que cria problemas com a Igreja católica.

Lula tem outros dois objetivos imediatos. Quer escapar da polêmica com a área militar. Não por causa da repercussão da encenação sobre o “pedido de demissão” de Nelson Jobim, da Defesa, e dos comandantes do Exército, general Enzo Martins Peri, e da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, caso não fosse revogado o trecho do programa que cria a Comissão da Verdade para apurar torturas e desaparecimentos durante o regime militar (1964-1985). O medo de Lula não é um improvável “golpe das Legiões”. Mas sim a repercussão do assunto na candidatura de Dilma Rousseff.

Até agora, a ministra-candidata de Lula e ex-terrorista nos tempos da dita-dura não tocou no assunto que, obrigatoriamente, teria de passar pelo crivo da Casa Civil. Ontem, Dilma reapareceu sem falar nada sobre o plano. Repaginada, com visual mais produzido, depois de uma temporada no Kurotel Spa, em Gramado (RS), prometeu um café da manhã com a imprensa na próxima semana. Lula só quer evitar que os militares desgastem Dilma com o rolo do PNDH3, identificando-a entre os “insultuosos, agressivos e revanchistas” contra as Forças Armadas.

Boi cagado

O Palhaço do Planalto está intrigado com uma estranha brincadeira do José Simão.

O colunista-humorista fez referência a um “boi cagado” em sua coluna de sábado, na Folha de São Paulo.

O mais famoso bovino do Detrito Federal, tenso com as cagadas dos radicais do governo, considerou ofensiva a piada pronta do Macaco Simão.

O Sapo Boi bem que devia recorrer contra essa violação dos direitos humanos dos bovinos, cometida por Simão, apelando para a suprema corte da Sociedade Protetora dos Animais.

Descansada e repaginada

Pelos preços de julho, a diária para uma pessoa no Spa Kurotel variava de R$ 1.132 a R$ 2.419 (permanência mínima de três dias).

Na Serra Gaúcha, o spa oferece planos de beleza, emagrecimento, controle de estresse, antitabagismo, juventude prolongada e longevidade saudável.

Dilma tirou férias entre 28 de dezembro e 5 de janeiro, mas esticou o período até domingo, para se recuperar da gripe suína.

Tergiversando

Em entrevista ao correspondente da BBC, Gary Duffy, dada sexta-feira passada e veiculada ontem, FHC se manifestou a favor da “Comissão da Verdade”, argumentando que "é sempre bom que um país tenha a possibilidade de saber o que ocorreu no passado", além de ser "um direito das famílias".

FHC só reclamou da firma como o governo apresentou o plano, dando a entender que apenas os crimes cometidos pelos militares serão julgados, e não os crimes do "outro lado", ou seja, dos militantes que combatiam o regime:

"Isto dá a impressão de parcialidade, o que produz intranquilidade entre as Forças Armadas. Eu penso que a situação do Brasil não pode ser comparada com a situação da Argentina ou com o Chile - que criaram comissões para apurar abusos durante seus regimes militares. Este não é um assunto político no Brasil, mas uma questão de direitos humanos, o que para mim é importante, mas o perigo é transformar isso em um assunto político".

CUTucando as Legiões

A Central Única dos Trabalhadores soltou ontem uma provocação aos militares na nota de apoio ao Plano Nacional de Direitos Humanos do governo federal, principalmente no que diz respeito à criação da Comissão da Verdade para investigar torturas e desaparecimentos durante o regime militar (1964-1985).

"Os defensores da tortura alegam que os dois lados em conflito deveriam ser investigados. Acontece que os opositores da ditadura militar já foram punidos, com sequestros, cárceres clandestinos, estupros, mortes, 'desaparecimentos', prisões, torturas, exílios forçados. Mesmo dentro das leis do regime de exceção, foram cometidos crimes de lesa-humanidade que nunca foram investigados. O Brasil é o único país da América Latina que ainda não julgou seus torturadores".

Os militares, que já tinham classificado o PNDH3 como "excessivamente insultuoso, agressivo e revanchista" às Forças Armadas, devem ter amado a análise da CUT.

Alvo fácil

E-mails de oficiais do EB circulavam ontem com uma notícia desfavorável ao presidente da OAB no Rio de Janeiro, Wadih Damous, que recomendou que Nelson Jobim e os comandantes militares deviam mesmo pedir demissão pelas críticas ao PNDH3.

A juíza Claudia Vieira Maciel de Souza, da 6ª. Vara Cível, Falência e Concordata do Fórum de Porto Velho, Rondônia, condenou o advogado Wadih Damous, e seus dois sócios, por não prestação de contas e dano material contra um cliente.

O servidor público federal Luiz Nunes da Silva teve sua contribuição para o FGTS resgatada por Wadih Damous em 1993, no Rio de Janeiro, mas nunca recebeu seu dinheiro.

Transitada em julgado, a sentença de 19 de junho de 2009, gerada pelo processo 001.2006.025124-6, entrou esta semana em processo de execução no Fórum de Porto Velho.

A crise continua

Outro radical, o ministro do Desenvolvimento Agrário voltou a entrar em rota de colisão com colegas de ministério.

Guilherme Cassel alegou que não entende a reação de "setores localizados" dentro do governo ao plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3).

Segundo ele, a proposta foi amplamente discutida e assinada por todos os ministérios.

BIS pro Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, foi eleito ontem, para um mandato de dois anos, como membro do conselho diretor do BIS (Banco de Compensações Internacionais).

É a primeira vez que o Brasil tem um representante nesse conselho transnacional, responsável pela supervisão bancária, que é conhecido como o "banco central dos bancos centrais".

O conselho do BIS é formado por representantes da Alemanha, Bélgica, Canadá, China, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Itália, Japão, Suécia e Suíça e é responsável pela direção do órgão.

Vai ter de escolher...

Como a vaga no conselho diretor é pessoal, se Meirelles deixar a presidência do BC, será feita uma nova eleição e poderá ser escolhido um presidente de banco central de outro país.

Meirelles, que se filiou ao PMDB no ano passado, só decidirá em março se deixará a presidência do BC do B para concorrer às eleições neste ano.

Tem tudo para concorrer ao governo de Goiás, depois da desistência de Íris Resende em entrar na disputa eleitoral.

É o candidato

Líderes tucanos decidiram ontem que José Serra será o candidato à Presidência da República pelo partido, mesmo que retarde o anúncio até abril.

Aécio Neves, não será o vice, mas sim candidato ao Senado e apenas fará palanque para Serra em Minas Gerais.

O acordo foi fechado durante um almoço que reuniu Aécio, o presidente nacional do partido, Sérgio Guerra, e o senador Tasso Jereissati (CE), com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, na casa dele, no bairro de Higienópolis, em São Paulo.

Vice pra depois

Guerra se encontra hoje com Serra (que nesta segunda cumpria agenda no interior do estado) para falar da reunião.

Sobre o candidato a vice de Serra, Guerra avisou que a decisão é não tocar no assunto até que Serra anuncie sua candidatura.

Para os tucanos, o importante agora é equacionar os palanques nos estados e fechar ofensivas e mobilizações contra o governo Lula e a candidatura da ministra Dilma Rousseff (PT).

Má digestão

FHC evitou comentários contundentes sobre o almoço, mas, ao final, brincou sobre o cardápio oferecido e elogiado por Aécio:

Servimos carne assada e cuscuz à paulista. É que o Aécio é muito mineiro e precisa comer alguns pratos mais paulistas”.

Resta saber se Aécinho realmente engoliu bem a comida...

Apelando ao Bispo

O PDT espera convencer o superintendente-geral da Rede Record, bispo Honorilton Gonçalves, braço direito do Bispo Edir Macedo, a liberar o apresentador Wagner Montes para disputar o governo do Rio de Janeiro.

Os pedetistas ponderam que, sem Wagner na cabeça de chapa, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) ficará sem palanque no Rio de Janeiro para a campanha à reeleição.

Como Crivella é sobrinho de Macedo, tudo indica que Honorilton Gonçalves será facilmente sensibilizado.

Só bancar

Wagner Montes, que é deputado estadual, tem interessa na disputa e faz suas contas:

Uma campanha ao governo custa de R$ 30 milhões a R$ 50 milhões. Se o partido bancar, sou candidato. Não quero é dever favor a empresário. A eleição está polarizada (Cabral e Garotinho). Esse é o momento. O PDT tem a oportunidade de ter candidato próprio”.

Wagner acena para ser o candidato de uma possível coligação com PSDB/DEM/PPS/PV, que está sem um nome de oposição ao atual governo para a disputa fluminense.

Em campanha

A republicana Sarah Palin vai virar estrela televisiva nos EUA.

A bonitona ex-candidata à vice-presidência dos Estados Unidos pelo partido Republicano será colaboradora da Fox News.

A ex-governadora do estado do Alasca não descartou concorrer à Presidência em 2012.

Você não vale nada mas eu gosto de você...

O premier regional da Irlanda do Norte, Peter Robinson, decidiu se afastar do cargo por seis semanas, depois que descobriu galhos na própria testa.

A mulher dele, Iris Robinson, de 60 anos, 40 de casada, admitiu ter tido um caso amoroso com o jovem Kirk McCambley, de apenas 19 anos.

Para piorar, Iris Robinson admitiu ter levantado 50 mil libras esterlinas (cerca de R$ 144 mil) com dois empresários para ajudar o amante a abrir uma cafeteria, Lock Keeper's Inn, no sul de Belfast.

Em tratamento

O caso amoroso queimou o filme de Íris - que também é política de peso na província semi-autônoma administrada pelo Reino Unido - conhecida como religiosa conservadora e defensora dos valores do casamento, e já condenou o homossexualismo publicamente.

Íris agora passa por tratamento psiquiátrico em Belfast, depois de ter tentado suicídio e sofrer de grave depressão.

Ela ficará ausente de suas funções por alguns dias, tanto no Parlamento Britânico quando na Assembleia da Irlanda do Norte.

Sem preconceito

O diretor do "Big Brother Brasil" 10, Boninho, avisa que vai liberar um possível beijo homossexual no programa global.

"Se rolar, vamos exibir sem preconceito".

Foi o recado de Boninho em seu Twitter sobre o idiotizante reality que começa hoje, na Rede Globo, tendo duas lésbicas e dois gays assumidos entre os concorrentes ao milionário prêmio.

Atentado à criação

O Papa Bento XVI advertiu ontem que as leis enfraquecendo "as diferenças entre os sexos", como o casamento gay, são uma ameaça à criação:

As criaturas diferem-se uma das outras e podem ser protegidas, ou colocadas em perigo, de formas distintas, como sabemos a partir da experiência diária. Um ataque desse tipo vem de leis ou propostas que, em nome da luta contra a discriminação, atingem a base biológica da diferença entre os sexos. Estou pensando, por exemplo, em alguns países da Europa ou da América do Sul e do Norte”.

O casamento gay é permitido por lei em diversos Estados norte-americanos e em alguns países europeus.

Na Califórnia, nos EUA, a proibição do Estado contra o casamento gay vai a julgamento na segunda-feira que vem, num caso federal onde os querelantes esperam seguir até a Suprema Corte dos Estados Unidos e derrubar o banimento em toda a nação.

Crise etílica, não

O governo reduziu de 25% para 20% o percentual de etanol na nossa gasolina - cara e de péssima qualidade.

Na verdade, o governo só não pode é reduzir o volume de álcool no isoporzão-tanque do cabra mais popular e poderoso do Brasil.

Se isso acontecer, aí eclode uma crise real de abstinência que pode ter sérias consequencias...

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 12 de Janeiro de 2010.

4 comentários:

Anônimo disse...

Para esconder os métodos não-democráticos, antinacionais, extralegais e até mesmo criminosos de resolver as crises internas; para minimizar ou neutralizar atividades internas anti-regime; para neutraliza qualquer tentativa externa de fomentar ou explorar suas atividades por baixo do pano, a política da desinformação!

A fim de ser bem sucedida, tal
política precisa de uma cobertura e fachada que distorça e mascare a percepção de seus objetivos
específicos, de suas táticas e manobras, enquanto cria as "condições favoráveis" para o "assalto final ao poder".
Este decretinho é apenas o começo do fim!

Anônimo disse...

Notícia-se que está batido o martelo pelo Pentágono. A indústria aeronáutica americana não fornecerá mais os componentes do Super Tucano, caso o caça comprado por Lula seja o Rafale. Os americanos até aceitam que o escolhido não seja o F-18, mas que, então, o Brasil compre o sueco Gripen, onde eles têm participação importante em componentes. O Rafale é inaceitável.Com isso, o Super Tucano passará a ser Super Planador:
1- Motor, Hélice, Cx Redutora = USA
2- Chapas de alumínio aeronáutico = USA
3- Aviônicos = USA
E agora, como é que fica a “comessão” adiantada pelos franceses?

léo guedes disse...

Fico impressionado com a representatividade dos trabalhadores através de seus sindicatos. Se alguém tiver a curiosidade de saber o que pensam os trabalhadores não se surpreenderia em descobrir que eles estão léguas de distância do bafo asqueroso e ideológico de seus representantes. Mas a tal minoria organizada e encastelada em posições de mando leva os incautos a pensarem que há unanimidade no posicionamento político dessas instituições trabalhistas. Como sempre, o povão é usado como se fosse a voz do dono.

Anônimo disse...

Ô Leo Guedes! Abre o ôlho menino! Sindicatos funcionam como partidos políticos, melhor como um partido comunista. Só são eleitos os da panelinha. E para controlar as assembléias existem técnicas na hora do voto coletivo. Por exemplo, para aprovar depressa uma proposta, o orador inflamado, grita, "Vamos votá!" (ele já conhece a tendência e quer que a turma levante o braço) Quem estiver (de acordo - ou contra) fique como está!"
A galera levanta o braço.
- Proposta rejeitada!
(E vice versa) Funciona! Lula usava e abusava da técnica.