terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O Plano Maldito

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Mário Ivan de Araújo Bezerra

Muito – se bem que ainda não o suficiente – foi escrito sobre a terceira versão do Plano Nacional de Direitos Humanos, uma autêntica conspiração urdida por setores do governo contra o povo brasileiro. Vários aspectos já foram abordados nas diversas manifestações da sociedade em repúdio ao plano maldito. A meu ver falta, entretanto, falar sobre uma importantíssima faceta de todo esse imbróglio: a constante, insidiosa, pertinaz, solerte, falaciosa e criminosa semeadura de ódios entre os diversos setores da sociedade brasileira, um verdadeiro crime de lesa-pátria. Nunca antes, na História desse país, trabalhou-se tanto para desuni-lo.

No período de nossa consolidação histórica, no século XIX, graças à atuação esclarecida de muitos de nossos estadistas, conseguimos estabelecer e manter esse imenso e rico país. No estudo daquela fase destaca-se a figura ímpar do Duque de Caxias que, com sua espada invencível, percorreu o Brasil de norte a sul, a impedir que o país se desunisse. Herói nunca vencido, sempre soube, além de conquistar a vitória pelas armas, estabelecer a paz entre os contendores tão logo terminava a beligerância. Assim fez, desde o Pará até o Rio Grande do Sul. Dessa habilidade política derivou-lhe o epíteto de “O Pacificador”.

No período republicano, até meados do século XX, em que pese o pipocar de rebeliões surgidas no afã de melhorar o país – o separatismo já havia sido deixado para trás –, sempre prevaleceu a idéia de manter o Brasil uno e forte. Dentro desse espírito, várias vezes foi usado o instituto da anistia. Os governantes de então entendiam perfeitamente o perigo de cultivar ódios, como ocorria (e ocorre) em diversos países vizinhos.

Dentro desse contexto, é bom lembrar que o dirigente comunista Prestes, mentor da Intentona de 1935, foi beneficiado e, em 1946, como deputado, foi um dos constituintes. (Mais tarde, em 1979, foi anistiado novamente). Getúlio, deposto em 1945, foi eleito senador pouco depois. Juscelino anistiou os revoltosos de Aragarças e Jacareacanga. Esse foi o Brasil que minha geração recebeu.

Prosseguindo na tradição, em 1982, ainda no ciclo de governos militares, graças à Lei de Anistia de 1979, o Sr Leonel Brizola pôde concorrer livremente à eleição para governador do estado do Rio de Janeiro. Testemunha ocular que sou de alguns fatos daquela época, lembro-me perfeitamente do Gen Figueiredo declarando peremptoriamente que Brizola havia vencido e tomaria posse, apesar da pressão que estavam a fazer determinados parlamentares da oposição no sentido de obstá-la.

Hoje, tudo ocorre ao contrário. A História está dando meia-volta. Tudo o que conquistamos está sendo jogado fora. Bandeirante virou bandido. Agora é garimpeiro e virou escória. O Estado protege e até financia a invasão de terras. Com base na simples declaração do interessado, conforme prevê a Lei, desapropria uma área e a entrega a quem se diz quilombola. (Meu Deus! Será que sabem que o bairro do Leblon já foi um quilombo?).

Num país eminentemente miscigenado, o vestibular para a universidade está sendo substituído por critérios racistas. O terrorismo, crime hediondo, é perdoado e até mesmo premiado, enquanto quem defendeu a pátria é execrado (será que vão mudar o nome da ponte Costa e Silva, em Brasília?). O país, que era católico e primava pelo sincretismo religioso, agora quer tirar os símbolos cristãos dos lugares públicos. Demolirão o Cristo Redentor?

Realmente, nunca, na História desse país, fomentou-se tanto a luta de classes, trabalhou-se tanto em prol da desunião, semeou-se, irresponsavelmente, tanto ódio. Graças a Deus temos as Forças Armadas, que permanecem unidas e coesas. Benditos sejam o Ministro da Defesa e os comandantes militares, que alertaram a nação ainda em tempo. Bendita seja a porção livre de nossa Imprensa, que logo tratou de esclarecer a opinião pública. A História não os esquecerá.

Mário Ivan de Araújo Bezerra é General-de-Divisão da Reserva do Exército Brasileiro.

7 comentários:

Anônimo disse...

O único problema, é: Todo general que vai para a reserva e não consegue uma "BOQUINHA" no governo, fica escrevendo no alerta total, no ternuma...
Porque não fazem isso quando estão na ativa? É somente por disciplina? Não é por covardia mesmo! Basta ver os comandantes militares, aceitam, e engolem todo tipo de insultos que são dirigidos as FFAA, uma vergonha!

Anônimo disse...

O texto é esclarecedôr,com mensagen sincerae pértinente.

Anônimo disse...

Queria informar ao primeiro comentarista anônimo que, quando na Ativa, participei do movimento de 31 de março de 1964, no Rio de Janeiro, e durante 45 anos de carreira marquei minha presença em muitos pontos do território nacional e pude, por felicidade, dar diversos contributos para o progresso do país. Por ter passado para a Reserva, não me sinto, em absoluto, obrigado a ficar mudo.
Gen Mário Ivan

Anônimo disse...

Os militares da aitva são cochorros que habitam em canil, sendo assim, ao ladrarem seus donos podem lhes tirá a ração, ração essa espressa por meio das promoções ou transfência para lugares que niguem quer ir, desse modo são cochorros amordaçados. Do modo direferente, quando vão para a reserva, estes bradam seus granidos, suas vozes roucas e desconsertadas, seus saudosismo de vivência dentro de quatro muros, onde reinaram para necessitados deformados nos seus centos de fazerem dementes. E vivem seus sonhos quixotescos de bravata que nunca existiu. Não conseguiram ao menos viverem como uma classe, já que esmagam seus subordinados com uma doutrina ultrapassada de um fascismo classista e mentiroso.

Anônimo disse...

Parabéns general Mario Ivan! Que bom que a caserna aos poucos vai quebrando a lei do silêncio. Oxalá que os irmãos de fardas do senhor, os generais da ativa, mostrassem essa coragem que ora o senhor demonstrou. General, o senhor já se imaginou algunha vêz prestando continência para uma guerrilheira?, que assaltou, roubou, atrquitetou plano nefasto contra o Brasil e foi responsável pelas mortes de alguns colegas de fardas do senhor? que humilhação! não é mesmo? Mas as coisas estão marchando para isso, infelizmente ou lamentavelmente! Menos mal, quando o senhor díz que estão coesos, apesar de não ser essa a impressão que nos passam, pelo contrário, passam a impressão de omissos e submissos!. Pois que a verdade seja dita, só tenho ouvido comentários de generais da reserva, nada contra, deve haver mesmo. Mas porquê os da ativa não se pronunciam?. Os senhores criaram cobras para serem picados, quem mandou dar anestia para esses sociais comunistas?, em troca estão recebemdo a revanche. Já não se faz mais GENERAIS como antigamente! Esssa gente corría dos mesmos como o diabo corre da crúz. Eles agora estão querendo trocar o azul da nossa bandeira pelo vermelho sangue, cor dos comunistas. E os senhores aonde estão que assistem a tudo isso calados?. A bandeira é o nosso simbolo maior, os senhores tem a obrigação e o dever cívico de defendê-la, se não daqui a pouco estaremos vendo estampada na mesma a foice e o martelo, Que vergonha!. Enfim,o que está havendo no Brasil, é uma tremenda inversão de valores. Os bons( os militares), que foram chamados a defenderem a pátria dessa gente nefasta, hoje são obrigados a prestar continêencia aos maus(eles), que queriam e querem implantar aqui no Brasil, esse regime comunista, nefasto e ultrapassado. O pior, ainda receberam fabulosas indenizações e aposentadoria, pelo caus que fizeram sofrer o Brasil! A pátria mãe espera que cada um cumpra com o seu dever!. Que outros mais generais, não só os da reserva, rompam também o silêncio, e mandem essa gente ir devagar com o andor, que o santo é de barro. Num país onde tudo está dominado, se dominarem as forças armadas, só nos resta apelar para Jesus Cristo! Aliás, para o mesmo deveremos apelar sempre! Avante camaradas, que a pátria ainda confia nos senhores! Omissão e submissão, nunca foi o lema dos militares! Que toque as trobetas nas casernas, para mostrar a essa gente, que os senhores estão atentos a tudo! Na vanguarda, sentinelas aguerridos e defensores da grande nação, vigilantes na paz e na guerra, coragem e ação! Defendam a democracia, o povo e a nação! CLaudio-Natal-RN

Anônimo disse...

Parabéns general Mario Ivan! Que bom que a caserna aos poucos vai quebrando a lei do silêncio. Oxalá que os irmãos de fardas do senhor, os generais da ativa, mostrassem essa coragem que ora o senhor demonstrou. General, o senhor já se imaginou algunha vêz prestando continência para uma guerrilheira?, que assaltou, roubou, atrquitetou plano nefasto contra o Brasil e foi responsável pelas mortes de alguns colegas de fardas do senhor? que humilhação! não é mesmo? Mas as coisas estão marchando para isso, infelizmente ou lamentavelmente! Menos mal, quando o senhor díz que estão coesos, apesar de não ser essa a impressão que nos passam, pelo contrário, passam a impressão de omissos e submissos!. Pois que a verdade seja dita, só tenho ouvido comentários de generais da reserva, nada contra, deve haver mesmo. Mas porquê os da ativa não se pronunciam?. Os senhores criaram cobras para serem picados, quem mandou dar anestia para esses sociais comunistas?, em troca estão recebemdo a revanche. Já não se faz mais GENERAIS como antigamente! Esssa gente corría dos mesmos como o diabo corre da crúz. Eles agora estão querendo trocar o azul da nossa bandeira pelo vermelho sangue, cor dos comunistas. E os senhores aonde estão que assistem a tudo isso calados?. A bandeira é o nosso simbolo maior, os senhores tem a obrigação e o dever cívico de defendê-la, se não daqui a pouco estaremos vendo estampada na mesma a foice e o martelo, Que vergonha!. Enfim,o que está havendo no Brasil, é uma tremenda inversão de valores. Os bons( os militares), que foram chamados a defenderem a pátria dessa gente nefasta, hoje são obrigados a prestar continêencia aos maus(eles), que queriam e querem implantar aqui no Brasil, esse regime comunista, nefasto e ultrapassado. O pior, ainda receberam fabulosas indenizações e aposentadoria, pelo caus que fizeram sofrer o Brasil! A pátria mãe espera que cada um cumpra com o seu dever!. Que outros mais generais, não só os da reserva, rompam também o silêncio, e mandem essa gente ir devagar com o andor, que o santo é de barro. Num país onde tudo está dominado, se dominarem as forças armadas, só nos resta apelar para Jesus Cristo! Aliás, para o mesmo deveremos apelar sempre! Avante camaradas, que a pátria ainda confia nos senhores! Omissão e submissão, nunca foi o lema dos militares! Que toque as trobetas nas casernas, para mostrar a essa gente, que os senhores estão atentos a tudo! Na vanguarda, sentinelas aguerridos e defensores da grande nação, vigilantes na paz e na guerra, coragem e ação! Defendam a democracia, o povo e a nação! CLaudio-Natal-RN

negrodefinição disse...

General, o senhor não respondeu ao anônimo informando a ele que a presidenta é autoridade máxima deste Brasil, eleita pelo voto popular, contra quem nada pesa -salvo ser uma guerreira e denodada brasileira - e a ela se deve todo o respeito até que venha outra ditadura. Ou o senhor concorda que seja constrangedor no regime democrático se submeter a quem também lutou por esta democracia?!...
joliveira
Brasília/DF