domingo, 3 de janeiro de 2010

Um chute no saco do Meirelles

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão


Enquanto a mídia amestrada repercute a “crise” militar – pré-fabricada ideologicamente para favorecer a campanha de Dilma Roussef, e também para criar a falsa imagem de Nelson Jobim como “defensor e paladino” dos militares -, ficam praticamente esquecidos os sinais de uma crise realmente séria, que se avizinha. A crise econômica pós-marolinha pode criar problemas para o Brasil a partir de 2011. Ignorantácio – o apedeuta mais sabido do Planeta (e da casseta) – já foi advertido sobre isto pelo presidente Henrique Meirelles.

Um indício de que algo estranho se avizinha é que o popular líder $talinácio jámandou avisar que não comparecerá ao Fórum Econômico Mundial na geladíssima cidade de Davos, nos Alpes da Suíça. No mínimo é estranho que Lula – em propagandeada fase de “enorme prestígio internacional” – deixe de aparecer na reunião anual da elite financeira do globalitarismo. Será que - como ele mesmo bem diria – tem cheiro de “merda” no ar? Só falta mandar a pobre da Dilma em seu lugar, para acostumá-la com a escatologia econômica futura.

Quem sente cheiro de merda econômica no ar é o professor Carlos Lessa. A jornalista Flávia Oliveira, da coluna “Negócios e Cia” de O Globo, publicou, no sábado, uma esclarecedora entrevista com o ex-presidente do BNDES e ex-reitor da UFRJ. Estranhamente, o jornal da Família Marinho (que ajudou a produzir o épico “Lula, o Filho do Brasil”) não deu destaque de primeira página (merecia uma manchete) para o que disse o economista Carlos Lessa na matéria “Não vejo razão para otimismo”.

O velho professor Lessa deu um violento chute no saco do futuro senador goiano Henrique Meirelles – que pode se eleger e ficar onde está, ou assumir a direção de um grande banco privado transnacional. Carlos Lessa detonou: “Vivemos uma política econômica de péssima qualidade para o futuro. Há um festival de otimismo, mas não vejo nenhuma razão para ser otimista a longo prazo. Só sou otimista com o povo brasileiro, que é maravilhoso, resiste a tudo”.

Carlos Lessa foi direto no ataque ao presidente do Banco Central do Brasil: “A política do Meirelles não está preparando o Brasil para o futuro. Na melhor das hipóteses, segura um pouquinho o curto prazo. Endividar em massa as famílias para segurar a indústria automobilística, de eletrodomésticos e o setor imobiliário só garante o presente. Se não houver retomada do investimento na siderurgia, na indústria de cimento, cerâmicas finas, fiação, o País não terá ampliação de capacidade produtiva”.

O economista Carlos Francisco Theodoro Machado Ribeiro de Lessa toca na maior armadilha de nossa política econômica, e critica o Comitê de Política Monetária do Banco Central (o Copom), também presidido por Meirelles: “O problema fundamental é que segurar a inflação com taxa de câmbio e juro alto é a pior fórmula possível. Com o câmbio muito valorizado, você barateia o importado e dificulta o que se exporta. O que dá saúde a uma economia é ampliar a agressividade no comércio internacional ou desenvolver poderosamente o mercado interno”.

Ao contrário do que divulga a máquina de propaganda de $talinácio, Carlos Lessa adverte que o País não faz isso: “O Brasil está atrofiando as exportações industriais e ampliando as primárias. Voltou a ter pauta basicamente primário-exportadora. Não estamos competitivos com o dólar a R$ 1,70. País competitivo é a China, que não permitiu a valorização do Iuan”. Lessa acrescenta que o Brasil tem aprovação internacional óbvia porque é a melhor aplicação financeira de curto prazo (com os juros altos e que podem subir ainda mais, em 2010).

Chamado pelos amigos de “Barão do Rosário” - pelo trabalho de revitalização cultural de uma área nobre do Rio Antigo -, Lessa também deixou clara a impotência do ministro Guido Mantega diante de Henrique Meirelles: “A Fazenda é prisioneira do BC. As relações estão invertidas. O Mantega disse outro dia que o dólar ideal para o Brasil é R$ 2,60. Ele parecia um cronista, não o ministro da Fazenda. Esta declaração deveria produzir especulação e uma terrível alta do dólar, o que seria uma irresponsabilidade. Não aconteceu nada. Significa que o ministro é impotente”.

A máquina do Bolcheviquepropagandaminister – que gasta milhões para vender a imagem de um Brasil cuja economia vai bem com Lula – deve ter se sentido impotente diante do chute no saco dado pelo Barão do Rosário em Henrique Meirelles – que desistiu de ser vice na chama da Dilma, porque não quer correr o risco de queimar seu filme com os problemas econômicos previstos para o governo que sucederá Ignorantácio.

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 3 de Janeiro de 2010.

7 comentários:

Anônimo disse...

Caro Serrão!!!Quando eu era criança, lá no Vale do Ribeira, falava-se muito sobre um personagem folclórico chamado Pedro Malazarte. Esse Pedro era muito esperto e sua maior qualidade era enganar todo mundo. Hoje, a politica brasileira está "infestada" desses Malazartes. O sujeito quanto mais engana mais se dá bem. Será que aquele Pedro Malazarte já era coisa da Oligarquia? Eu não duvido.
Zaqueu

Martim Berto Fuchs (64) disse...

Com o excesso de gastos dos governantes com as folhas de pagamento - por exemplo, só no inútil Senado temos 10.000 parasitas, repito 10.000 pessoas penduradas na folha, mas sem produzir NADA - que depois se transformam em aposentadorias milionárias, o presidente do BC pouco pode fazer. Ele não é culpado deste crime de lesa-pátria. Aliás, diria, que de todos é o menos culpado. À ele só cabe administrar a imprudência das Cortes, nacional, estaduais e municipais. Culpados são os políticos, de todas as matizes, que condenam tudo quando não estão com a chave do cofre na mão e fazem exatamente o que condenavam, quando são o Poder. Se os políticos administrassem melhor a fortuna que arrancam da sociedade, o Brasil seria uma das maiores economias do planeta.

Anônimo disse...

Quando o professor Carlos Lessa ficou à frente do BNDES, gerou severos atritos entre os funcionários do alto escalão do bancão brasileiro de fomento. Logo após a saída do professor, tive a oportunidade de participar de um curso na APIMEC-SP, na rua São Bento, centro velho de SP, em que um funcionário de carreira do BNDES era um dos palestrantes.
Este palestrante, discordava em gênero, grau e número das “teorias” do professor Lessa, e em tom de sarcasmo vaticinou: ele quer ser mais realista do que o Rei...

O que é certo e o que é errado na teoria do professor Lessa, talvez seja para ser descoberto no médio/longo prazo. Por ora, o professor Lessa é apenas mais uma andorinha. E já sabemos do legado deixado por nossos avós que: “uma andorinha só não faz o verão”...

Anônimo disse...

Sou produtor rural e venho sofrendo com esta politica econômica do Sr. Meirelles e seu mulla mor esquerdista.

Não vale mais apena produzir no campo.
O individamento e falta de lucros desde o ano de 2003, tem deixado este produtor de mal a pior.
Ainda vamos pagar um preço muito alto por esta politica desastrada desse banqueiro chamado Meirelle

PRODUTOR RURAL

Anônimo disse...

BACARIA disse:
novembro 16, 2009 às 9:10 pm
BACARIA disse:
outubro 12, 2009 às 10:31 am
REINALDO SÓ AGORA APARECE COMENTARIOS SOBRE O REAL SUPER VALORIZADO.
ESTA POLITICA ESTA QUEBRANDO A INDUSTRIA DE MADEIRA, SAPATOS E PEQUENOS EXPORTADORE PREJUDICANDO AGRICULTURA(CASO DO TRIGO ESTAMOS DEIXANDO DE PLANTAR PELO ALTO CUSTO INTERNO, ESTA ACONTECENTO COM MILHO E POR ULTIMO O SOJA)
ESTE MINISTRO CHAMADO DE MEIRELLES É UM BANQUEIRO O QUE PODEMOS ESPERAR, ELE É UM ESPECULADOR SEMPRE TEVE SEUS ATIVOS NA EM FUNDOS QUE RENDEM OU APLICAÇÕES FINANCEIRAS DELE E DESEUS AMIGOS DO EXTERIOR.

REINALDO ALGUM DIA VAI APARECER OS A PATIFARIA DESSE SENHOR QUANTO PREJUDICOU OS EMPRESARIOS BRASILEIRO INCLUSIVE O AGRONEGÔCIO

BACARIA

Anônimo disse...

A crítica é procedente e não é novidade, já que o único do projeto do Bolivariano da Silva é de se manter no poder a qualquer custo, inclusive fazendo alianças com as FARC, Irã etc.

Esse desiderato poderia ser desintegrado se assumir nos EUAs um republicano respeitável e determinado, razão pela qual nossa política econômica está hoje voltada para fortalecer a China quem, em última instância poderia enfrentar "o império".

Realmente, tudo é feito sem antever o futuro e de forma imediatista. Mas há outras críticas sobre o que está acontecendo agora na economia, ou seja, uma coisa é a propaganda oficial exageradamente otimista e outra são os sinais de grave deteriorização das contas públicas.

Mas é só alguém falar no tema e aparece uma avalanche de matérias para, sem adentrar no tema, desqualificar as análises no nascedouro, fato perfeitamente constatável até mesmo nos comentários aqui postados, pois, reparem que a busca é por desqualificar o crítico e nada sobre o que ele disse.

Anônimo disse...

Eles operam com a certeza de que no longo prazo estaremos todos mortos.