sexta-feira, 5 de março de 2010

Vitória surpreendente do PCC: Júri absolve três acusados de assassinar bombeiro na semana do terror de 2006

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alertawww.fiquealerta.net (atualizado nesta sexta)

Por Jorge Serrão

Investigada sigilosamente pelo Ministério Público, por já ter liberado R$ 45 milhões para campanhas eleitorais que ainda nem começaram este ano, a facção criminosa Primeiro Comando da Capital obteve ontem uma vitória judicial emblemática da impunidade tupiniquim. Três acusados de integrarem o PCC foram absolvidos por um júri, mesmo tendo provas evidentes de que participaram de um bárbaro crime relacionado à “Semana do Terror” - período entre 12 e 19 de maio de 2006, quando houve 43 assassinatos de agentes de segurança do estado de São Paulo.

A surpreendente sentença pró-crime-organizado aconteceu no mesmo dia em que o Supremo Tribunal Federal teve um surto de rigor seletivo perante a opinião pública (mantendo José Roberto Arruda na cadeia e confirmando que o casal Nardoni tem de ir a júri pela morte da filha Isabella, jogada pela janela do apartamento). Ontem, também, o Superior Tribunal de Justiça decidiu reabrir os processos contra o banqueiro Daniel Valente Dantas, acusado de lavagem de dinheiro.

A vitória do PCC aconteceu no Fórum Criminal da Barra Funda. Os três acusados de matar o bombeiro João Adalberto da Costa, durante os ataques criminosos de maio de 2006 no estado de São Paulo, foram considerados inocentes pelo júri. O bombeiro foi morto covardemente ao ser atingido por dois disparos, quando estava em frente a um quartel no bairro da Luz, Centro da capital, no dia 13 de maio. Na ocasião, a base foi atacada com mais de 50 disparos no ataque terrorista que o PCC terceirizou com claros fins políticos.

Os réus Eduardo Aparecido Vasconcelos, Alex Gaspar Cavalheiro e Giuliana Donayre Custódio serão soltos. A juíza Eva Lobo Chaib Dias Jorge, que presidiu o júri, foi obrigada a expedir o alvará de soltura em favor dos acusados de fazer parte do PCC. Durante o julgamento, claro, os três negaram a autoria dos crimes.

O promotor de Justiça Marcelo Camargo Milani, responsável pela acusação, deve recorrer. Ele esperava que cada um dos réus fosse condenado a 60 anos de prisão. Além do homicídio, os três ainda eram acusados por duas tentativas de homicídio, formação de quadrilha e uso de arma de fogo ilegal com numeração raspada.

O resultado do julgamento do PCC só mostra que o crime organizado compensa no Brasil.

Arruda preso

O Supremo Tribunal Federal pegou pesado com o governador afastado do Distrito Federal (DF), José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM).

O STF decidiu mantê-lo preso, desde 12 de fevereiro, pelo placar de 9 votos a 1.

A Corte Suprema Tupiniquim negou o pedido de habeas corpus a Arruda, preso desde 12 de fevereiro, acusado de tentar subornar uma testemunha do suposto esquema de corrupção no governo local, que ficou conhecido como Mensalão do DEM.

Arruda virou o símbolo do corrupto nacional – como se ele fosse o único político enquadrável em tal categoria.

Vai segurar a onda sozinho?

Com a decisão do STF, Arruda deverá continuar atrás das grades até o fim da investigação.
Arruda terá até o fim de abril para renunciar ao cargo sem perder os direitos políticos.

Como vem sendo pressionado a deixar o governo desde o início do escândalo, que estourou no fim de novembro, não será surpresa se ele renunciar a qualquer momento.

Ou se os tais dossiês que seus defensores afirmam ter acabarem vazando na mídia.

Injustiçado?

O advogado Nélio Machado reclamou que seu cliente está sofrendo um "linchamento moral".

Segundo o defensor, Arruda, ao ser preso, foi submetido a um ato de "violência inominável"

Também tem recebido um tratamento "díspare e desigual" da Justiça.

Irrelevância

A decisão do STJ foi tomada especialmente com base na suposta tentativa de suborno a uma das testemunhas do inquérito.

O relator do caso, ministro Marco Aurélio, citou vários julgamentos em que o STF manteve réus presos por "ato concreto de obstrução da justiça".

O ministro considerou de "irrelevância jurídica" o documento no qual Arruda de compromete a não voltar ao governo se for libertado.

A votação

Só José Antonio Dias Toffoli foi a favor de soltar Arruda, alegando que não era possível abrir processo ou prender um governador sem autorização prévia do poder Legislativo.

Marco Aurélio de Mello, Lúcia, Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa, Carlos Ayres Brito, Cezar Peluso, Ellen Gracie, Celso de Mello e Gilmar Mendes votaram com o relator contra Arruda.

Placar final: goleada de 9 a 1 contra Arruda.

Salve o Fausto

Por 4 votos a 1, o Superior Tribunal de Justiça manteve ontem o juiz Fausto de Sanctis à frente do processo envolvendo o empresário Daniel Dantas, investigado por crimes financeiros pela Polícia Federal (PF) na Operação Satiagraha.

Na denúncia apresentada ao TRF-3, em São Paulo, o Ministério Público sustenta que Dantas, sua irmã, Verônica Dantas, e o presidente do Banco Opportunity, Dório Ferman, constituíram "um verdadeiro grupo criminoso empresarial, cuja característica mais marcante fora transpor métodos empresariais para a perpetração de crimes, notadamente delitos contra o sistema financeiro, de corrupção ativa e de lavagem de recursos ilícitos".

O juiz Fausto de Sanctis, suspeito de parcialidade no caso, sai mais forte contra o dono do Grupo Opportunity.

Garotinhos apanhando

A juíza Mirella Letízia Guimarães Vizzini, da 3ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Rio, determinou ontem a quebra do sigilo bancário e o bloqueio dos bens dos ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho.

A decisão atinge outras 86 pessoas denunciadas por improbidade administrativa pelo Ministério Público estadual.

Eles operariam um suposto esquema de desvios de verbas públicas de ONGs e empresas de fachada para despesas de campanha, que pode ter causado R$ 58 milhões os prejuízos aos cofres públicos.

A acusação

Na denúncia, os promotores identificam, pela primeira vez, a conexão explícita entre o dinheiro usado na pré-campanha do ex-governador à Presidência, em 2006, pelo PMDB, e verbas que saíram do governo do estado.

O promotor Eduardo Carvalho, à frente das investigações, garante que são contundentes as provas de que foram usados recursos públicos na pré- campanha do ex-governador Garotinho em 2006:

Fica demonstrado, sem margem de dúvida, que a campanha à Presidência de Garotinho em 2006 foi financiada com desvio de dinheiro público”.

Os alvos

Duas das empresas que contribuíram para a campanha de Garotinho, a Emprim e a Inconsul, receberam, em espécie ou por transferência bancária, R$ 30 milhões dos cofres do estado.

A Teldata, empresa com sede em Olinda, Pernambuco, recebeu do IBDT, uma ONG que prestava serviço ao estado, um total de R$ 160 mil, no dia 17 de fevereiro de 2006.

No mesmo dia, uma outra ONG também ligada ao estado, o Inep, realizou pagamento de R$ 80 mil à empresa.

Também no dia 17, em cheques sequenciais, a Teldata (empresa que não funciona nos endereços declarados à Receita e à Previdência Social), fez depósitos de R$ 250 mil na conta do PMDB destinada à pré-campanha de Garotinho.

Nardoni continuam presos

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal negou ontem liminar ao pedido da defesa do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, presos e acusados da matar a menina Isabella Nardoni, em 29 de março de 2008.

Assim, os dois vão a júri popular, o Fórum de Santana, na Zona Norte de São Paulo, no próximo dia 22 de março.

O casal é acusado de ter limpado com uma fralda manchas de sangue da parede do apartamento de onde a menina foi jogada, alterando a cena do crime.

O relator do processo no STJ, ministro Napoleão Nunes Maia Filho, confirmou o direito constitucional que garante à pessoa não se autoincriminar, mas "não abrange a possibilidade de os acusados alterarem a cena do crime, levando peritos e policiais a cometerem erro de avaliação".

O crime bárbaro

A menina Isabella morreu ao ser jogada do sexto andar do prédio onde moravam os acusados na zona norte de São Paulo.

Para a promotoria, a madrasta tentou esganá-la e o pai a jogou do sexto andar do apartamento pela janela.

O casal, que está preso em cadeias no interior de São Paulo, alega inocência. Eles sustentam a tese de que uma terceira pessoa jogou a menina do prédio.

Ovo cabeludo

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), descartou ontem assumir a Presidência da República caso o chefão Luiz Inácio Lula da Silva se licencie do cargo para entrar pesado na campanha da Dilma.

Sarney não acredita na possibilidade de afastamento de Lula:

Isso não existe, não tem fundamento. Se o presidente não se licenciou na candidatura dele, como vai se licenciar para a candidatura de outra pessoa? Isso é o mesmo que 'cabelo em casca de ovo'

Com Lula licenciado, Sarney seria de novo presidente, já que o vice-presidente José Alencar e o presidente da Câmara, Michel Temer, não poderiam assumir o cargo, pois devem ser candidatos nas próximas eleições.

Pátria mineira

Continua o misterinho sobre a candidatura presidencial tucana.

Aécio Neves voltou a repetir ontem que não será candidato a presidente, conforme já havia dito em dezembro:

Minas é minha causa, minha casa, meu chão. Minas é minha pátria”.

Indeciso

José Serra ainda não tornou pública sua pré-candidatura.

A indefinição ajuda a alimentar especulações de que ele pode não disputar a Presidência, o que abriria o caminho para Aécio voltar ao páreo.

Era tudo que Aécinho gostaria, com o apoio de muita gente boa do DEM.

Escândalo no Vaticano

Um dos ajudantes do Papa Bento XVI e um membro do coro de elite da Basílica de São Pedro tiveram seus nomes ligados a uma rede de prostituição gay, no mais recente escândalo a envolver o Vaticano.

O nigeriano Ghinedu Ehiem foi expulso, na quarta-feira, do coro da Capela Giulia, logo após seu nome aparecer em transcrições de gravações policiais sobre corrupção para construir obras públicas, publicadas por um jornal italiano.

Já o engenheiro italiano Angelo Balducci foi afastado do grupo de elite "Cavaleiros de Sua Santidade", que são chamados para trabalhar no Palácio Apostólico do Vaticano em ocasiões especiais, como visitas de chefes de Estado.

Ligações perigosas

Balducci, que é também membro da diretoria do departamento de obras públicas da Itália e consultor de construções do Vaticano, está detido desde o dia 10.

Ele é acusado de corrupção, num esquema que envolveria troca de favores sexuais por licitações das obras do complexo La Maddalena - localizado na região italiana da Sardenha, que abrigaria a Cúpula do G8 em junho do ano passado.

Como é duro e pecaminoso viver em um País com tanta corrupção, envolvendo até a cúpula religiosa...

Implosão necessária

Exatamente às 11 horas da manhã do dia 13 de março está marcada a implosão de oito blocos do velho presídio da Frei Caneca, no Rio de Janeiro.

O desmonte será executado pelo engenheiro Giordano Bruno Pinto, um dos maiores especialistas mundiais no assunto.

A novidade é que a empresa dele, a Fabio Bruno Construções fez cálculos da implosão em um simulador em 3 D (terceira dimensão).


Bem que um aparelho parecido devia ser usado para programar a demolição de muita coisa errada no Brasil...

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 5 de Março de 2010.

4 comentários:

Radio e Tv disse...

Lula nao vai deixar o trono para Sarney .É melhor fazer campanha para Dilma com a maquina na mão ...
Já o pcc precisa de seus membros , na forca tarefa que sera essas eleicoes .O terror precisa ser tocado , assim alguem grita dos palanques: VEJAM A SEGURANÇA COMO ESTÁ ?VAMOS MUDAR ISSO !
Sempre o mesmo filme, com a mesma sequencia de cenas ...
Serra está fazendo doce ? nem confeiteiro ele é .....
Aliás, eu queria saber quem é esse,o
confeiteiro -chefe, o articulador.
Pode ser que essa demora do Serra , dê mesmo em pão de queijo ,feito com muita farinha .

E os Nardoni !?que tipo de pesadelo devem ter ?Ou será que são esquisofrenicos e viram alguém jogando a menina ?
Sinistro ...
A Isabella esteja com Deus !

Um abraço
Marcelo Gergont

Jonathan disse...

OS BANDIDOS CONFESSARAM O CRIME, UM HOMEM DE BEM, UM HERÓI BOMBEIRO FOI MORTO COVARDEMENTE. A ABSOLVIÇÃO DESSA CORJA FOI UMA AFRONTA A TODOS OS BRASILEIROS HONESTOS. ESSES JURADOS NÃO TÊM VERGONHA DO QUE FIZERAM? PISARAM NA JUSTIÇA, AUTORIZARAM O PCC A CONTINUAR MATANDO CIDADÃOS DE BEM, IGUALARAM-SE A ELES E QUANDO MORREREM VÃO ARDER NO INFERNO JUNTOS.

Rejane (Mel) disse...

Off Topic


Veja essa entrevista:

"Mário de Oliveira entende que faltava um candidato do campo de centro-direita, que levante a bandeira em que liberais, conservadores, patriotas, pessoas incomodadas com o império do esquerdismo em nosso país, que se prolonga por décadas, possam se ver representadas."

http://www.midiasemmascara.org/artigos/entrevistas/10869-a-candidatura-de-mario-de-oliveira.html

Anônimo disse...

sábado, 6 de março de 2010

Irmão do Papa é alvo de campanha difamatória que visa a atingir o Sumo Pontífice

O Jornal da Globo de ontem noticiou os casos de pedofilia em Regensburg e o escândalo envolvendo um funcionário público italiano e um jovem nigeriano. Notícias que, via de regra, já despertam algum interesse. Mas se há algo que pode torná-las ainda mais apelativas, sobretudo numa “chamada”, é associá-las ao Vaticano – e o que teria ainda maior impacto – relacioná-las ao Papa. Foi o que fez o Jornal da Globo. Pouco profissionalismo e muita má-fé.

O funcionário público, Angelo Balducci, está sendo investigado por corrupção. Como objeto de investigações, suas ligações telefônicas vinham sendo monitoradas; numa delas descobriu-se que Balducci usava os serviços de um nigeriano, Thomas Ehiem, para agendar encontros sexuais com jovens rapazes. Balducci é “gentiluomo” do Papa – uma função cerimonial – e consultor de uma Congregação da Cúria e Thomas Ehiem é um leigo que canta num coral do Vaticano. As estripulias sexuais do funcionário público acusado de corrupção e a cafetagem do corista serviram como mero antepasto para a canalhice do prato principal: pedofilia na Alemanha.

O caso de Regensburg é ainda mais escabroso, pois querem envolver indiretamente o próprio Papa no imbróglio. Um caso de pedofilia (acontecido em 1958) e outro ainda não provado (do início dos sessenta) dizem respeito ao coro da catedral, do qual Georg Ratzinger, irmão do Sumo Pontífice, foi diretor (Domkapellmeister) de 1964 a 1993. Se o primeiro sequer aconteceu no tempo em que o coro era dirigido pelo irmão do Papa, o segundo teria ocorrido no alojamento dos rapazes. Ocorre que, na estrutura do coral, o diretor musical não tem relação com o alojamento, o qual tem seu diretor próprio. Um terceiro caso envolve um antigo diretor de alojamento que cometeu abusos dez anos depois de ter abandonado seu cargo no coral.

Repito: incompetência ou má-fé. Tertium non datur!

http://oblatvs.blogspot.com/2010/03/irmao-do-papa-e-alvo-de-campanha.html

______________________________________________________________________

Moreira