quarta-feira, 26 de maio de 2010

Aécio depende de decisão da família Neves para ser vice de Serra, e Lula só tira licença se tucano disputar o Planalto

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Quarta)

Por Jorge Serrão


Só depende de uma decisão familiar, para Aécio Neves definir se vem candidato a vice-Presidente na chapa de José Serra ou se fica limitado a disputar uma vaga ao Senado por Minas Gerais. Aliados do DEM preferem que Aécinho entre na corrida pelo Palácio do Planalto. No ninho tucano, o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, é um dos maiores incentivadores da solução que garantiria uma grande votação nos dois maiores colégios eleitorais do País, além de parte do Nordeste – onde a popularidade de Lula pode fazer alguma diferença pró-Dilma Rousseff. Serra acha a chapa “o máximo”.

A família Neves mede os prós e contras de uma aventura na chapa com Serra. A grande questão é se vale a pena arriscar uma fácil eleição para o Senado por uma incerta disputa com a candidata de $talinácio. Aécio tem cacife político para ser o Presidente do Senado no próximo governo. O cargo é bom em um eventual governo Serra, e melhor ainda na continuidade do governo Lula. A oposição direta a Dilma pode abrir o caminho do Planalto para Aécio, em 2014. Ainda mais que a previsão conjuntural para o próximo governo é de crise econômica internacional – um cenário bem diferente do enfrentado por Lula, que só sentiu uma pequena turbulência – definida por ele como “marolinha”, nos dois mandatos, desde 2003.

O objetivo maior de Aécio, no longo prazo, é ser candidato a Presidente. Preferia ter sido agora, mas deixar para a próxima eleição é a opção alternativa. A complicada decisão de compor a chapa com José Serra também depende de uma equação geopolítica. A qual candidato a Oligarquia Financeira Internacional dará seu apoio político-financeiro? Pela gélida recepção dos investidores internacionais à Dilma, na recente visita a Nova York, a balança dos banqueiros-controladores globais penderia para o lado de José Serra – apesar dos discursos dele ameaçando mexer na governança do Banco Central do Brasil e seu lucrativo esquema de juros altíssimos. Aécio é muito bem visto pela banca transnacional.

Se prevalecer o velho estilo mineiro, Aécio disputa o Senado e resguarda sua imagem para daqui a quatro anos. Enquanto isto, sua indefinição até a convenção tucana, obrigará o PT a pensar várias estratégias para a nada fácil campanha de Dilma, que decola nas pesquisas amestradas, mas, na realidade, voa com o desempenho e habilidade de uma galinha.

Fator Aécio

No fim de semana, $talinácio definiu que poderia tirar licença da Presidência, por um mês, entre 31 de julho e 31 de agosto, para mergulhar na campanha da Dilma.
Mas só vai tomar tal decisão se Aécio Neves vier candidato a vice de José Serra.

Se Aecinho disputar o Senado (o que é muito mais provável), Lula deixa tudo como está e continua fazendo campanha disfarçada, tomando inúteis multas do Tribunal Superior Eleitoral.
Impostura político-tributária

As figuras que disputam a dianteira nas pesquisas presidenciais deram ontem mais uma prova de que não estão dispostas a tratar, com seriedade, a questão dos impostos elevados e abusivos no Brasil.

O encontro entre os três principais pré-candidatos à Presidência da República e os representantes das indústrias - realizado ontem, em Brasília, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) – decepcionou quem queria discutir a elevada carga tributária brasileira.

Dilma Rouseff, José Serra e Marina Silva foram completamente evasivos sobre temas como redução de tributos, dos encargos sobre a folha de pagamentos e desoneração das exportações.

Fugindo do assunto

José Serra criticou a falta de planejamento, de investimento em infraestrutura, além da ausência de uma política de concessões na área.

Dilma Rousseff optou por um discurso focado nas ações do governo Lula, em que defendeu a política macroeconômica, embora classificasse o sistema tributário de "caótico".

Marina embarcou na demagogia de que “não faltam boas ideias no Brasil que podemos adotar para desenvolver e criar empregos".

Dos presidenciáveis, apenas Mário Oliveira, do PT do B, tem batido seriamente na tecla da redução de impostos e redesenho do modelo tributário no Brasil.

Pulando do Dilmanic

A base amestrada de $talinácio sofre uma baixa importante.

Roberto Jefferson, presidente do PTB, fechou ontem um acordo para apoiar José Serra, pré-candidato do PSDB à Presidência.

Jefferson anunciou que a convenção nacional será realizada nos dias 18 e 19 de junho, em São Paulo, quando o acordo será formalizado.

A coligação com o PTB dará ao tucano mais 58 segundos no tempo da TV.

Sucessão Global

Não são apenas Aécio e Lula que vivem com os olhos apontados para o ano de 2014, quando teremos Copa Mundial de Futebol no Brasil.

Carlos Henrique Schroder, atual diretor da Central Globo de Jornalismo e Esportes, é sério candidato à Presidência da Rede Globo, a partir de 2014.

Corre por fora, mas com chances enormes, Érico Magalhães, atual diretor de Recursos Humanos da Globo.

O atual presidente, Octávio Florisbal, tem um compromisso com a família Marinho para ficar no cargo por mais quatro anos.

Troca-troca

O presidente francês Nicolas Sarkozy aproveitará o encontro de cúpula do G-20, mês que vem, em Toronto, no Canadá, para propor que o Brasil tenha uma cadeira permanente no Conselho de Segurança da ONU.

O benefício será a moeda de troca para que Lula referende o compromisso de adquirir 36 caças franceses Rafale, da Dassault, para o reequipamento da Força Aérea Brasileira.

O prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, e o próprio Alto Comando da FAB preferiam o caça sueco Gripen NG, da Saab.

Seis por meia dúzia?

O Ministro da Defesa do caça francês, Nelson Jobim, tem agora novos argumentos em favor do Rafale.

Se vencer o jato francês, o governo Sarkozy se comprometeria a adquirir 12 cargueiros KC-390, cargueiro da Embraer que substituiria a atual frota francesa de C-130 Hércules, fabricados pela norte-americana Lockheed.

Jobim já raciocina que os EUA não ficariam PTs da vida com a derrota do F-18, fabricado pela norte-americana Boeing – porque a maior parte da tecnologia usada pela Embraer em seu cargueiro vem de empresas do Tio Sam e seus controladores associados.

Controladores nervosos

A Oligarquia Global sente arrepios com o projeto de lei 5.696, que tramita na Câmara Federal desde o ano passado, e pretende exigir das empresas estrangeiras a indicação de todos os participantes do quadro societário como condição para se instalarem no Brasil.

Atualmente, para terem autorização para funcionar, obtendo o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), as estrangeiras só precisam indicar à Receita Federal um procurador no Brasil.

O autor da ideia é o deputado Paulo Rubem Santiago (PDT-PE).

O projeto ainda precisa ser submetido às comissões de Finanças e Tributação e, posteriormente, à Comissão de Constituição e Justiça, seguindo, finalmente, para votação no Senado.

Salvação programada

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar as relações de Romeu Tuma Júnior com a máfia chinesa.

Mas o Secretário Nacional de Justiça pode curtir suas férias usando um Raidar fabricado em Xangai...

A investigação dará em nada, para que papai Tuma não colabore para que o Boi acabe no brejo...

Mala cheia

Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos receberão da Rede Globo, cada um, R$ 9,5 milhões pelos direitos de transmissão do Campeonato Paulista de 2011

O valor equivale a um ajuste de pouco mais de 26% em relação ao que foi pago no campeonato deste ano (R$ 7,5 milhões).

O contrato foi assinado ontem pelos clubes com a Globo.

X versus $ do Reino de Deus...

O Bispo Macedo terá um adversário de peso financeiro na disputa para comprar o prédio da velha TV Manchete, na Rua do Russel, para transformar em majestosa sede da Rede Record no Rio de Janeiro.

O Sr X Eike Batista também tem interesse no edifício, que fica em área sob seus domínios, na região da Glória.

A Credicheque Serviços Bancários, que é a atual dona do imóvel, quer a bagatela de R$ 80 milhões para passar para frente o elefante branco dos Bloch - projetado por Oscar Niemeyer.

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 26 de Maio de 2010.

8 comentários:

Anônimo disse...

Continuação...

Contudo, para a construção da colossal barragem e implantação das turbinas da imensa usina, havia uma carência de milhares de trabalhadores. E este pessoal que deviam ser contratados para tocar a imensa obra, teriam que morar e viverem na cidade de Foz do Iguaçu. Ocasionando assim uma imensa migração para a tríplice fronteira brasileira.

O terceiro grande fluxo migratório brasileiro ocorreu na época da divisão dos estados de Goiás e Mato Grosso, sendo assim criados os estados do Mato Grosso do Sul (Campo Grande) e o estado de Tocantins (Palmas).
Este fato concretizou, desde então, o sonho visionária de JK e com a divisão destes estados, fomentou a consolidação de vez do interior do Brasil. E vendo hoje o cinturão agro-pecuário formado por estes estados Mato Grosso(2), Goiás e Tocantins, percebemos o grande acerto das decisões de interiorização do Brasil daquela época, obra começada nos idos dos anos 50.

Já que estou reconhecendo os méritos daquela época, uma empresa brasileira tem muito da glória em todo esse processo de migração do povo brasileiro, é a colossal empresa de mineração Vale (antiga Vale do Rio Doce), que na época da sua privatização foi detratada, massacrada e espezinhada, mas que sozinha quase que sem nenhuma ajuda governamental, tornou-se a maior mineradora de ferro do mundo, e a terceira (disputa pau-a-pau com a segunda) a posição de maior mineradora mundial.
A Vale, com suas principais jazidas no Pará e em Minas Gerais, levantou sozinha diversos municípios levando o progresso e um padrão de vida para os seus funcionários, e outras populações que se formaram como satélites.

Nos dias atuais está começando um novo ciclo de migração no Brasil, e ele deverá ocorrer por ocasião da construção e funcionamento das duas usinas hidroelétricas, que deverão ser construídas na amazônia. Belo Monte e Jirau. Estas movimentarão um enorme contingente de brasileiros, que irão para uma área ainda pouco habitada na distante e imensa amazônia.

O certo, o verdadeiro, é que esses movimentos migratórios que ocorreram e estão ocorrendo no Brasil, são os verdadeiros movimentos colonizadores que fincam as bases para o progresso destas regiões e do Brasil, mas que, não obstante, mancham com prejuízos incalculáveis à natureza. E esta é a nota maléfica do progresso brasileiro, que destrói um patrimônio natural para construir um patrimônio artificial.
Saldanhas.

Anônimo disse...

MMigrações e o crescimento no Brasil – tudo a ver

Até o início da Segunda Grande Guerra – 1939 à 1945 – o Brasil era um país essencialmente agrário. Após a guerra, houve o início dos movimentos migratórios em maior escala, com milhões de brasileiros saindo do campo para as cidades, e ocorrendo também a migração entre as cidades de diversas regiões brasileiras.
Este movimento de migração permaneceu em pequenas proporções até a criação de Brasília, ocasião em que ocorrereu o maior movimento migratório brasileiro de todos os tempos. Isto tudo atendia a intenção do presidente JK, que visava interiorar o Brasil e demografar a população para áreas não habitadas do Brasil. Marcou aquela época a música que identificou JK e a sua obra - como pode um peixe vivo viver fora da lagoa?

Bem, desta ocasião para frente o Brasil passou a sofrer ciclos migratórios constantes, principalmente para as capitais que se adensavam nos estados do Sudeste. Além de que, os gaúchos (RS e PR), tradicionalmente tidos como pessoas ligadas à terra, foram em busca de terras virgens e baratas em outros estados, e levaram suas técnicas agro-pecuárias para o interior do Brasil, criando o que hoje se chama novas fronteiras/frentes agrícolas.
Contudo, Brasília é considerada o divisor de águas para um novo Brasil, que teimava em não abandonar a sua costa marítima. E hoje, já é possível concluir que a interiorização da Capital do Brasil, foi o fator fundamental para a colonização de todo o Brasil e o rápido crescimento econômico de que hoje desfrutamos. Além de que, estas exitosas novas fronteiras agrícolas e pecuárias que surgiram motivou o domínio de todo um imensa área despovoada, até então.

Como a meta de JK era desenvolver o Brasil 50 anos em 5 anos, nos anos seguintes ao governo JK, tornou-se imperioso a construção de uma super hidroelétrica, que provesse a energia barata (sic) para o necessário suprimento da industria, comércio e conforto do povo brasileiro das regiões Sul-Sudeste. Escolheu-se, então, a cidade de Foz do Iguaçu, as margens do Rio Paraná.
E como esta cidade forma uma tríplice fronteira com o Paraguai e a Argentina, a princípio, o local era imaginado como o ideal e de localização privilegiada.
Agora, fazer a hidroelétrica em parceria com a Argentina ou com o Paraguai?
Como sabemos o país vizinho, o Paraguai, na época era tido como um país extremamente pobre (hoje não é muito diferente, não), diferente da Argentina, que possuía uma economia estável e um povo culto, isto nos idos dos anos 60 (a guerra das Malvinas e os governos militares acabaram com tudo isto...). E como o Brasil daquela época não queria concorrência desvantajosa, eram os anos da nossa época de chumbo, escolheu-se o Paraguai, que como todos sabem, não entrou com dinheiro algum, e até o dia de hoje a dívida é paga com a compra da energia excedente não utilizada por eles. Resumo: os paraguaios ganharam uma usina, royalties e ainda uma dívida que volta e meia eles querem renegociar por acharem injusta...
A nota que devemos lamentar e que por ocasião do enchimento do lago de Itaipu, o grande poeta de Itabira descreveu em uma belíssima carta/denúncia/testamento/poema a Nação, relatando a sua amarga despedida para o sepultamento das Sete Quedas, uma das maiores maravilhas da humanidade, que foi perdida para todo o sempre com o enchimento do imenso lago de Itaipu, e isto privou a maioria dos brasileiros de hoje de conhecerem a indescritível Garganta do Diabo, obra prima da natureza.

Anônimo disse...

A questão é simples. Se Aécio quiser, um dia, ser presidente da República, terá que ser vice do Serra agora. Se não sair vice do Serra, e Serra perder, será visto em São Paulo e em todo o Sul do Brasil como um traidor (já traiu Alckmin em 2006, pois não se esforçou para o paulista ganhar em Minas. Fez corpo mole). São Paulo e o Sul são essencialmente anti-PT. E sendo visto como traidor em São Paulo e no Sul do Brasil, nenhuma chance terá, JAMAIS, de ser eleito presidente da República.

Anônimo disse...

South Park faz grosseria com Dilma e deve provocar polêmica .
Seg, 10 de Maio de 2010 13:05 Otileno Júnior TV . .O desenho animado South Park vai exibir em breve um episódio que tem tudo para provocar polêmica no Brasil. A candidata do PT, Dilma Roussef, aparecerá em meio a piadas grosseiras. O desenho de Dilma já vazou e está circulando na internet.
No capítulo que deve ir ao ar até o fim do mês nos Estados Unidos, Obama receberá Lula na Casa Branca e o presidente brasileiro levará Dilma.

A cena segue, com os seguinte diálogo:

OBAMA - Lula, você é o cara.

LULA - Obama, eu trouxe uma mulher brasileira incrível para você conhecer.

Obama então se anima

OBAMA - Mulher brasileira incrível? Gisele Bündchen?!?!?!

Uma atarracada Dilma entra e um close no presidente americano mostra sua decepção, com um efeito sonoro.

OBAMA - Cara, o que é isso? Eu achei que as coisas não estivessem tão feias no Brasil.

Diante da cara de decepção de Lula e Dilma, Obama tenta ser simpático.

OBAMA - Ei, Dilma, você pode ensinar uma depilação brasileira à Michele?

DILMA - Eu não depilo...

OBAMA - Vocês estão levando muito a sério esse negócio de não desmatar as florestas

Lux (mãe de 2) disse...

Aécio vai sair como vice sim , porque se ele for para o Senado agora, daqui a 4 anos vai querer concorrer contra a volta do Sapo da Silva?
Ele não seria tão ingênuo assim.
A chance dele é aqui e agora!

Anônimo disse...

Dilma urgente!

A previsão é de que Lula sancione o pacote (de presente?) aprovado ontem pelo plenário da Câmara com aumentos salariais de servidores públicos, vetando apenas as emendas incluídas no texto. Mas mais uma vez fica difícil para os meros mortais, e para os eleitores, entender porque a reestruturação de 25 carreiras da administração pública, com custo de R$ 401,9 milhões neste ano, e que chegará a quase R$ 800 milhões em 2012, é tão urgente que tem de ser objeto de MP.

Anônimo disse...

Só ele quer conceder bondades

Enquanto os aposentados são criminalizados pela imprensa como os causadores do rombo nas contas públicas, o governo conseguiu aprovar, na Câmara, um pacote de bondades destinado os servidores públicos. Em um dos projetos, aprovado na CCJ, o Poder Executivo cria gratificações e reajusta salários de servidores de diversos órgãos federais, beneficiando mais de 32 mil deles. Em outro, por intermédio de uma MP, 25 carreiras da administração pública são reestruturadas, dando origem a gratificações e reajuste. Os projetos são de autoria do governo Lula, por isso aprovados sem chiadeira, e certamente serão sancionados sem que o presidente acuse os parlamentares de irresponsáveis. Lula quer todos os méritos, louros e bônus para ele, e não deixa nada para o Congresso. Pós-redemocratização, jamais vi um presidente demonstrar tanto desprezo pelo Poder Legislativo como esse.

Martim Berto Fuchs (64) disse...

Se o Serra não encarar logo essa disputa, o melhor é convidar o Aécio para cabeça de chapa e o Requião para Vice. Desmonta a candidatura da Dilma PACote.
O Aécio adula e o Requião bate. Sim, porque se alguém está achando que o Partido dos Trambiqueiros vai entregar sem luta os mais de 100.000 contra-cheques que os companheiros recebem sem fazer nada nos diversos orgãos públicos, está sonhando acordado.
O Lulla acomoda os radicais. A Dilma é uma radical e se eleita não vai obedecer o Lulla nesse quesito. Vamos ter confusão novamente.
Portanto, ou o Serra encara essa prá valer, ou desocupa a moita.
O PMDB aceita, o Requião aceitará. Aceitarão vencer.