domingo, 30 de maio de 2010

Jogadas Decisivas

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Uma verdade é que a sociedade ocidental está erguida sobre os sólidos fundamentos do judaico cristianismo; outra verdade é que há mais de um século, os teóricos do marxismo encontraram na instituição da família, na propriedade privada e na fé em Deus a barreira de força espiritual que impedia os excessos do Estado.

Como garantir todo poder ao Estado? Todo e qualquer meio – guerra, roubo, assassinato em massa, homicídio, drogas, perseguição aos oponentes, mentiras, - foi admitido pelos apóstolos do fundamentalismo marxista, como norma de ação para tomar e manter-se no poder. Alguns mataram pessoalmente, por prazer, como Guevara. Outros mais próximos e recentes contratam sicários e eliminam as provas.

Para manter o poder, todos que o impuseram às nações vitimadas pelos estados comunistas começaram por impor novas leis, proibir as práticas religiosas, limitar a manifestação do pensamento e a liberdade de locomoção, controlar toda a propriedade e essencialmente aterrorizar as populações. Desarmar. Como dizia Stalin: "Não os deixamos ter ideias. Por quê deixaríamos terem armas?"

Nosso progresso, até há pouco tempo, devia-se à prática de virtudes – amor, misericórdia, simplicidade, boa fé, justiça, coragem, temperança, humildade – inspiradas pelo cristianismo. A infiltração e o ataque ao "ópio do povo" manifesta-se hoje como a grande ofensiva dos marxistas, para varrer os valores ancestrais da memória dos homens, abrindo caminho para a "fé" e esperança no Estado todo poderoso, metido em tudo, pretenso sabedor e promotor de tudo.

O "bem comum", foi virado em bem das megaempresas e bem estar dos políticos. Os ideólogos do marxismo desistiram da economia socialista e disponibilizaram a mão de obra barata para os megaempresários capitalistas. O estado da nova ordem mundial, para assegurar a ordem econômica globalizada, decide e controla tudo, reescreve a história e ensina às crianças o primado da sociedade contra o indivíduo. Esta é a diretiva que chamo capimunista.

Como se o coletivo, não devesse às iniciativas individuais, ao genio individual, à aplicação individual, ao estudo disciplinado, o progresso e tudo quanto significa bem estar e qualidade de vida. Os estados democráticos se agigantam e impõem, sem medida, o volume de impostos cobrados sobre a renda bruta das nações. Aproximam-se todos do modelo capimunista. Um casta que domina as instituições e todos os que produzem para o Estado e seus empresários.
Outro dia uma pessoa amiga que já andou pelo mundo inteiro fez a pergunda: "O que fazer para agir realmente??????? " - agir contra os desmandos e a socialização em curso imposta ao Brasil?

Estamos vivendo sob o fogo cerrado do Movimento Comunista Internacional associado aos interesses de mega empresas capitalistas, cujos proprietários financiaram e financiam as matanças e o ódio de classes dos comunistas. Estes proprietários industriais, financeiros, midiáticos e políticos apenas financiam, não sujaram as mãos de sangue e pólvora. Os governantes controlam o voto e o veto.

A ação destes estados exclui a comparação entre ações humanas. O que seja a melhor escolha. Eles, os poderosos, decidem tudo. Calam ou isolam quem seja oposicionista. O significado do que enuncio, pode ser constatado entre nós, nas cartilhas pornográficas que induzem o hedonismo e a lascívia desde o berço, na corrupção denunciada e impune, nos atos do governo ignorando e modificando as Leis fundamentais – com o silêncio dos lebisladores e do Poder Judiciário.
Querem implantar a idéia de que nada diferencia os seres humanos. O Estado decide pela coletividade isolando o indivíduo.

Será mais racional o critério de construir palácios luxuosos e de manutenção dispendiosa, monumentos gigantescos, obras inacabadas e superfaturadas ou seria mais conveniente aplicar os recursos em pequenas obras locais para facilitar a vida dos cidadãos? Será ético tomar iniciativas, sem consulta prévia, ignorando as leis vigentes, sem qualquer possibilidade de prestação de contas? Quem autoriza ao poder o gasto do dinheiro público com cartões de crédito secretos mais juros secretos?

Emilio Cárdenas, ex Embaixador da Argentina nas Nações Unidas, publicou recentemente um artigo sob o título "A esquerda radical e o uso da intimidação", indicando a ação de grupos violentos a serviço da ideologia esquerdista, financiados pelo mesmo Estado e cidadãos que atacam e prometem destruir. Na Venezuela são os “Círculos Bolivarianos”. Na Argentina: “Quebracho”. Na Nicaragua, os "Conselhos do Poder Cidadão".

A esquerda radical, organizada e protegida pelo Partido que tomou o Estado de assalto e a mobiliza, alimenta e transporta com gastos ilimitados, segue o exemplo de Cuba, onde as forças de segurança atacam a agridem as "Damas de Branco". O articulista deixou de citar a direção do Foro de São Paulo, que orienta todos os movimentos "sociais".

No Brasil temos o MST, PCC, CV e similares. Seus líderes acreditam nos efeitos sociais da intimidação e semeiam o terror, ocupando propriedades públicas e privadas, praças, ruas e rodovias, muitas vezes com a proteção da policia, que segue instruções pouco transparentes. Golpeiam, matam, roubam, ferem, destroem, insultam em uníssono, coordenados operacionalmente em todos os países.

Defendem com unhas e dentes o Exército do Povo Paraguaio, a Venezuela e a Bolívia e a ditadura cubana, todos conectados com as Farc. O verdadeiro "ópio do povo" é a deseducação, a doutrinação e a propaganda que nos enche de medo. O terror, arma do megaestado capimunista.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

5 comentários:

Manoel Vigas disse...

Saudações.

AS DOUTRINAS TOTALITÁRIAS TAIS COMO COMUNISTAS, FASCISTAS, ETC., QUE INFESTAM NOSSO POBRE E DESINFORMADO PAÍS, TEM MUITO QUE AGRADECER AOS “OBSCURANTISTAS DE PLANTÃO”

Melhor esclarecendo:
--- A idéia de JUSTIÇA e de JULGAMENTO é dos ESTÓICOS e não dos cristãos.

--- A seita criada (cristã) foi considerada uma bobagem pelos judeus, que a negaram, ou não se converterem ( .... E SOFRERAM POR ISSO).

Até hoje (maio de 2010) eles não reconhecem JC nem como filho, nem como enviado ou inspirado por Javé.
Caso assim considerassem, se converteriam imediatamente a nova doutrina ideológica.

RESUMINDO:
Falar de "fundamento judaico-cristão” é como falar de "opressão-libertadora" ... não faz qualquer sentido senão em mentes incapazes de reconhecer a realidade histórica.

Atenciosamente.
Manoel Vigas

Anônimo disse...

Uma perguntinha ao sr. Manoel Vigas: sabia que o livro santo judaico, contém o mesmo que o Antigo Testamento da Bíblia?

Manoel Vigas disse...

Saudações.

Respondendo ao “ANÔNIMO” das 8:39 PM. a pergunta:
“sabia que o livro santo judaico, contém o mesmo que o Antigo Testamento da Bíblia?”

Para poder entender “o assunto”, é melhor começar por entender "os personagens" envolvidos.

Assim, para entender de maneira clara, com relatos históricos verídicos, sem “alterações manipuladas”, ... leia a “Vida de Jesus”, do Ernest Renan.

É o primeiro volume da “História das origens do cristianismo”.

Depois vem Os Apóstolos, São Paulo, O Anticristo, Os Evangelhos e a segunda geração cristã, A Igreja cristã e Marco Aurélio.

Estes nada têm a ver com a vida do Cristo, mas são fundamentais para o entendimento do cristianismo.

Há uma tradução portuguesa dos sete volumes, publicada por Lello & Irmão - Editores.


Caso o amigo leia em francês, confira em:

“The Project Gutenberg EBook of “Vie de Jésus”, by Ernest Renan

http://www.gutenberg.org/files/15113/15113-h/15113-h.htm

DEPOIS PODEREMOS VOLTAR AO ASSUNTO !!!

Atenciosamente.

Manoel Vigas

Anônimo disse...

Sr. Vigas, conheço Renan sim, apenas para entender uma das mais badaladas fontes do pensamento dos agnósticos e ateus. E compreendo a admiração de Mussolini que louvava a obra daquele autor como "fonte espiritual do fascismo".
Vamos encurtar a conversa. Apenas constatando seu intelecto está conformado por alimentos que são antagônicos com os meus. Donde sua apreensão da realidade e objetivos, provavelmente seguem trilhas diferentes.
Respeito sua posição. E a sua particular capacidade de "reconhecer a realidade histórica" à luz particular do que cultiva como alimento mental.
Agradeço a indicação do projeto Gutemberg.
Estou de bem comigo e respeito todas estas manifestações e variedades que enriquecem a natureza humana em busca da Verdade.
João Bosco dos Santos, S.Paulo

Manoel Vigas disse...

Saudações.
Sr. João Bosco dos Santos, S.Paulo

Li seu ponto de vista educado e democrático enquanto ouvia (de fundo) a ópera Nabucco de Guiseppe Verdi.

Sob esse clima invulgar e de extase (enlevo e contemplação interior), vi-me compelido a ser útil e indicar um “livrinho” que embora não seja divulgado como o do Ernest Renan, trata o “assunto em pauta” sob outro prisma, outro entendimento, que aos “buscadores da verdade” não pode ser menosprezado.

Falo do livro:

“Abrégé de l’origine de tous lês cultes”

par J.-B. Dupuis

suive DU CHRISTIANISME.

Par Benjamin Constant

Avec une notice et dês notes critiques

Par B. Saint-Marc

Muito interessante é a parte relativa ao Benjamin Constant, que lamentavelmente NÃO consta da tradução feita em Lisboa, 1913, por José Nunes da Graça, sob o título “Resumo da Origem de todos os Cultos”.

NOTA:
Infelizmente algumas obras de valor são adotadas por indivíduos inescrupulosos (... por ex.: Mussolini) para demonstrar falsamente uma sanidade e uma ética mental que não possuem.

Atenciosamente.
Manoel Vigas