sábado, 8 de maio de 2010

O povo, a Polícia e o marginal

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Archimedes Marques


Infelizmente grande percentagem da população brasileira não tem a Polícia como sua amiga ou sua parceira no combate ao crime. As pessoas apenas usam os policiais quando precisam e logo os descartam. Para muitos, Policia e bandido se confundem e são até palavras sinônimas do submundo da nossa sociedade.

A frase popular de autor desconhecido sempre é vivenciada tristemente por todas as Policias do Brasil: “Quando alguém está em perigo, pensa em Deus e clama pela polícia. Passado o perigo, se esquece de Deus e execra a polícia”.

Aliados a tais pensamentos insensatos os governos pouco investem nas suas Polícias. A segurança pública sempre foi esquecida e sucateada através dos anos. As Polícias sempre foram relegadas ao segundo plano, principalmente no que tange a valorização profissional dos seus membros. Com raras exceções, poucas conquistas foram alcançadas pelas classes policiais em alguns Estados da Nação.

Entretanto, na área penal, destarte para diversos tipos de crimes, vários benefícios surgiram e alcançaram os seus praticantes. O avanço nesse sentido foi significativo para os transgressores da Lei e dentre tantas conquistas destacam-se: a regressão das penas com os consequentes cumprimentos em regimes fechado, semi-aberto e aberto, a prisão domiciliar, a liberdade condicional, o indulto de Natal (aquele benefício em que boa parte dos detentos vai passar em casa e nunca retornam), as penas alternativas e até o auxilio-reclusão que já existe para dar proteção aos dependentes dos presos, dado as suas impossibilidades de prover a subsistência dos mesmos. Tais benefícios chegaram para o bem dos delinqüentes mesmo contra a vontade popular e para sobrecarregar o trabalho policial em vários sentidos.

Enquanto para os delinqüentes seus direitos evoluíram, para os Policiais estagnaram e até regrediram, vez que até os próprios direitos humanos que na teoria são para todos, na prática pouco lhes alcançam, ao passo que, quanto ao povo, continua a sua triste sina do desamparo quase que absoluto.

Sem se aprofundar muito nesta questão social e só para citar um índice, o do desemprego, é triste constatação que recentemente houvera inscrição em concurso para Gari no Rio de Janeiro (não desfazendo dessa classe, mas por se tratar de uma profissão que requer a mínima cultura para exercê-la) e então, por falta de opção, 1.026 dos mais de 100 mil inscritos possuíam nível Superior completo, dentre os quais 45 com Títulos de Doutorado e 22 com Mestrado, ressaltando que tudo isso por uma busca de um salário mínimo, enquanto que o auxilio-reclusão atinge bem mais do que isso para os familiares dos presos e que em contra-senso, por ironia do destino para os familiares das suas próprias vítimas, destarte para as vítimas de homicídio e latrocínio, só lhes restam as lembranças dos seus entes queridos quando em vida.

Buscando algo ilustrativo para o fiel dessa balança incompreensível encontrei publicado em diversos sites, o artigo exemplo intitulado CARTA A UM BANDIDO escrito pelo colega Delegado de Polícia Civil do Estado do Pará, WILSON RONALDO MONTEIRO, que agora o transcrevo na íntegra:

“Senhor Bandido,

Esse termo de senhor que estou usando é para evitar que macule a sua imagem ao lhe chamar de bandido, marginal, delinqüente ou outro atributo que possa ferir sua dignidade, conforme orientações de entidades de defesa dos Direitos Humanos.

Durante vinte e quatro anos de atividade policial, tenho acompanhado suas “conquistas” quanto a preservação dos seus direitos, pois os cidadãos e especialmente nós policiais estamos atrelados às suas vitórias, ou seja, quanto mais direito você adquire, maior é nossa obrigação de lhe dar segurança e de lhe encaminhar para um julgamento justo, apesar de muitas vezes você não dar esse direito as suas vítimas. Todavia, não cabe a mim contrariar a lei, pois ensinaram-me que o Direito Penal é a ciência que protege o criminoso, assim com o Direito do trabalho protege o trabalhador, e assim por diante.

Questiono que hoje em dia você tem mais atenção do que muitos cidadãos e policiais. Antigamente você se escondia quando avistava um carro de polícia; hoje, você atira, porque sabe que numa troca de tiros o policial sempre será irresponsável em revidar. Não existe bala perdida, pois a mesma sempre é encontrada na arma de um policial ou pelo menos sua arma é a primeira a ser suspeita.

Sei que você é um pobre coitado. Quando encarcerado, reclama que não possuímos dependência digna para você se ressocializar. Porém, quero que saiba que construímos mais penitenciárias do que escolas ou espaço social, ou seja, gastamos mais dinheiro para você voltar ao seio da sociedade de forma digna do que com segurança pública para que a sociedade possa viver com dignidade.

Quando você mantém um refém, são tantas suas exigências que deixam qualquer grevista envergonhado. Presença de advogados, imprensa, colete à prova de balas, parentes, até juízes e promotores você consegue que saiam de seus gabinetes para protegê-los. Mas se isso é seu direito, vamos respeitá-lo.

Enfim, espero que seus direitos de marginal não se ampliem, pois nossa obrigação também aumentará. Precisamos nos proteger. Ter nossos direitos, não lhe matar, mas sim de viver sem medo de ser um policial.

Dois colegas seus morreram, assim como dois de nossos policiais sucumbiram devido ao excesso de proteção aos seus direitos. Rogo para que o inquérito policial instaurado, o qual certamente será acompanhado por um membro do Ministério Público e outro da Ordem dos Advogados do Brasil, não seja encerrado com a conclusão de que houve execução, ou melhor, violação aos Direitos Humanos, afinal, vocês morreram em pleno exercício de seus direitos.”

Em verdade os nossos policiais são verdadeiros heróis que vivem tudo isso e que dão as suas próprias vidas em defesa da sociedade que em contra-senso, ao invés de aplaudir as suas ações e ajudar a resgatar as suas dignidades que os governantes fizeram perder ao longo dos tempos ainda cometem a tamanha insensatez de críticas descabidas e atitudes insanas que só fortalecem a marginalidade e as ações em prol dessa mesma classe.

A sociedade brasileira que também é uma sobrevivente a tais aberrações, precisa sentir a Polícia à luz do valor da amizade, funcionando como sua parceira contra o crime e contra certos desmandos, enquanto que, por sua vez, o poder público deve valorizar mais a sua Policia, e por outro lado, tentar de uma melhor maneira recuperar os delinqüentes quando dos seus crimes nas suas segregações, não com tantos benefícios, com direitos exacerbados, e sim com efetivos e verdadeiros projetos de ressocialização dando-lhes ocupações, cursos profissionalizantes e trabalho ao invés da ociosidade recompensada e breve liberdade para retorno ao crime.

Archimedes Marques, Delegado de Policia, é Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Publica pela Universidade Federal de Sergipe) archimedes-marques@bol.com.br

6 comentários:

Anônimo disse...

Dr.Delegado
Aos políticos que são eleitos por nós, interessa essa desordem, pois é dai que saem os fundos para as campanhas eleitorais.
A eles não interessa gente séria na política e nos governos.
Veja exemplo abaixa:

Brasileiros e Brasileiras

É inacreditável que a mídia, escrita, falada e televisada de todo o PAIS esteja macomunada com os grandes partido( PSDB, PT ) para impedirem que brasileiros, competentes, experientes e profundos conhecedores dos problemas que o BRASIL atravessa, venham candidatos a PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA.
Não permitir que um pré-candidato a um cargo público majoritário não possa levar sua pretenção a convenção nacional do partido, competindo com outros candidatos fere os principios básicos da DEMOCRACIA,
Isso, nós eleitores não podemos aceitar e temos que denunciar.
O PARTIDO TRABALHISTA CRISTÇÃO (PTC), vai mudar a data e o local da sua convenção com a finalidade de tentar impedir que dois outros candidatos, venham a apresentar os seus nomes na convenção, para votação secreta de seu colégio eleitoral, ignorando que este è um PAIS, democrático e ainda contrariando o que determina o seu estatuto.

Ass. Cesar Pinto Cel PM

Anônimo disse...

O Dr. Delegado deve perceber que a situação se complica quando os governantes deste país prestigiam os narcotraficantes das Farc, o Foro de São Paulo, Chaves, Correia, Morales, Lugo... a solução de política - se e quando tivermos políticos honestos.
O PTC que o Coronel Cesar Pinto defende tem um homem íntegro: Paes de Lira. Mas o comando do partido parece pensar pequeno, fechado em interesses menores. Está perdendo a oportunidade de apresentar ao Brasil um Mario de Oliveira. Este sim, faria a diferença.
Rosa Neto, um pé rapado de SP.

Anônimo disse...

Sr. Rosa Neto um dos candidatos a quem me refiro é o BRIGADEIRO DO AR E EX-PRESIDENTE DO CLUBE DA AERONAUTICA ERCIO BRAGA, que vai lutar até fim, para apresentar a sua candidatura na convenção do partido.no dia, local e hora. Seja ela aonde for.
É um nome novo no cenário político nacional, MILITAR, honesto, competente e que se ganhar a legenda do seu partido, vai disputar de igual para igual com os velhos presidenciáveis de sempre dos grandes partidos. Os grandes partidos nesta eleição, temem a presença de um MILITAR, que possa ser eleito pelo povo, principamente sendo Oficial General das Forças Armadas, tais como: O BRIGADEIRO DO AR ERCIO BRAGA OU O GENERAL AUGUSTO HELENO, que aparece nas pesquisas do ALERTATOTAL, em primeiro lugar. Mas este Of.General não é postulante a Presidencia da Republica.
Gostaria de ver o nome do GENERAL, substituido pelo do Brigadeiro BRAGA, que é postulante a PRESIDENTE DA REPÚBLICA, para termos uma idéia da força do MILITAR para o nosso povo nestas próximas eleições.
A dificuldade do Brigadeiro BRAGA em conseguir esta legenda em seu partido PTC, è justamente o medo que os grandes partidos tem de que O MILITAR possa ganhar as ELEIÇÕES deste ano e tira-lhes o pão da boca, pricipalmente o PSDB, que pelas pesquisas, se não aparecer O MILITAR ele será eleito no primeiro turno.
O PSDB, por intermédio de seu Candidato, GOVERNADOR JOSE SERRA, teve um encontro com o Sr. CIRO MOURA, vice-presidente do PTC, na sua residência, dois dias antes, do programa eleitoral do partido ir ao ar, no qual o Sr.Ciro Moura, se apresentou como pré-candidato a Presidente pelo PTC.
Numa prévia do partido, que aconteceu no hotel Guanabara, no Rio de Janeiro, o Sr.Pastor SÁ FREIRE, que presidiu esta reunião, disse em auto e bom som, que o PTC iria apresentar candidato a PRESIDENCIA DA REPUBLICA e que o partido não se venderia aos grandes partidos.
Será que após este encontro com o Governador de São Paulo o partido mudou de idéia e se comprometeu com o PSDB. Pois só este comprometimento justifica o adiamento da data da convenção que já se encontra marcada para o dia 13 de junho , no Rio de Janeiro e a decisão da Direção Nacional em não permitir que o Brigadeiro BRAGA e o outro candidato, se apresentem na convenção como postulantes, também a PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA.
O Brigadeiro BRAGA, que tem um programa de GOVERNO pronto, vai tentar convencer os convencionáis de que as suas chance e se eleger Presidente são maiores que as dos outros dois candidatos.
Ass. Cesar pinto Cel

Antonio tira disse...

Queria encaminhar um artigo que li deste Delegado em um site. Me orgulho de ver um policial como o Dr. Wilson Monteiro.

OBRIGADO GOVERNADORA



Ao ver meu contra cheque do mês de abril, fiquei maravilhado ao saber que o aumento anunciado pela Governadora iria modificar minha vida.

Como primeira mudança, procurei logo trocar de carro, ou seja, saí do veículo ano 2004 e retornei para um 2003, pois assim poderia pagar o imposto de IPVA, o qual nunca acompanha nossos reajustes.

Devido as mensalidades escolares sempre serem maiores do que o percentual dado ao meu salário, conversei com meus filhos e sugeri que os mesmos estudassem em escola pública, usando como argumento de que para eles seria melhor, pois teriam mais chance de ingressar na Universidade, haja vista que entrariam no sistema de quota destinada aos alunos daqueles Estabelecimentos de Ensino... e como meus filhos tem origem negra e indígena, aposto que entrarão na Universidade sem fazerem vestibular. Esse raciocínio só veio a tona após saber o “quantun” que foi dado de “aumento salarial'.

Continuarei usando meus velhos palitós, pois não temos o auxilio que Deputados e Juízes recebem para trocarem a indumentária, porém, como já faço compras no “brechó” da “Tieta”, esta não perderá seu cliente e nossa amizade perdurará por muito tempo, afinal, com um bom aumento em meu salário certamente a Tieta iria comentar que eu estava “metido” e que abandonara os amigos. Graças a Governadora eu e Tieta continuamos amigos.

Cada vez passo mais longe de um restaurante de luxo. A inflação ainda não chegou ao “espetinho de gato” do “Negão”, o qual costumo levar algumas pessoas para um jantar ao luar, aproveitando o fato da Vigilância Sanitária não expulsar, ainda, o “Negão” daquela área. Manterei o plano de saúde, porque com certeza o usarei muitas vezes.

Ainda bem que não acreditei no discurso de um ex-chefe da casa civil , o qual usou nossa festa de confraternização como palco eleitoral e com a cabeça cheia de Whisky prometeu um aumento para nós de 45%. Ora, esse político pode saber tudo que circunda um Estado, mas o que ele soube mesmo naquele momento foi nos persuadir, enganar, manipular. Ele sabia que precisávamos(e precisamos) de heróis; sabia que estávamos e (estamos) imensamente carentes, e claro, estenderíamos a mão ao primeiro que desejasse nos salvar. No outro dia após o primeiro gole de água gelada, percebemos que o político nos colocou uma capa e depois que nos arremessou do prédio com ele, descobrimos que não podíamos voar.

Obrigado Governadora por manter meu cotidiano de vida. Não tenho que me preocupar com carro moderno, roupas caras e comidas exóticas, pois com esse aumento salarial, fortalecerei ainda mais a amizade com o meu mecânico “marcha lenta” ; abrirei um crediário no Brechó da Tieta e degustarei o molho de pimenta do Negão.

Enfim, acreditando que V. Exa., gostaria de dar um aumento expressivo para a categoria de Delegado de Polícia Civil, porém as finanças do Estado não suportaria o impacto, apresento neste momento a solução: “nomear todos os Delegados como seus assessores especiais, afinal já estamos acostumados a carregar cobras e ver fantasmas.

Wilson Ronaldo Monteiro
Delegado de Polícia Civil

Anônimo disse...

Dr. Delegado,
Enquanto às Polícias dos Estados e do Distrito Federal estiverem atreladas aos interesses políticos de cada Governo, estaremos sempre à merce dos senhores dos crimes. Continuaremos a viver às margens da escuridão, amedrontados pela força política do crime organizado e das entidades que defendem os Direitos Humanos em favor dos criminosos. Nunca vi na história da imprensa nenhuma organização defender com tanto entusiasmo o trabalhor ou o Policial.
Políticos ardilósos conseguiram ao longo do tempo criar mecanismos ou leis para restringir o poder da polícia e, ao mesmo tempo, foram criadas leis para fortalecer e proteger àqueles que trabalham em favor do crime, até as algemas nos proíbiram de usar!!!!!!

Amaury Moreira da Silva Filho
Inspetor de Polícia - RJ
Bacharel em Direito

Anônimo disse...

Estou muito, muito indignada com os ditos Direitos Humanos é impressionante a falta de respeito e o que eles são capazes de causar em uma sociedade, eles sim são os vermes causadores dessa distruição de valores que vivemos hoje, o problema que parece não ter fim na segurança publica, "direitos humanos" defendendo sempre os ....., agora eu pergunto; os policiais que morreram os direitos humanos participaram com palavras de apoio..., não, quando entram no onibus e arrebentam tudo e matam o cidadão que acorda cedo e trabalha para comer onde estão os "direitos humanos" onde está os "direitos humanos" eu cheguei a uma concluaão eles estão acabando com o minimo de dignidade existia nessa sociedade. Eu gostaria de uma ideia para começar a mobilizar a todos cidadãos, estamos refens de bandidos e dos "direitos humanos" eu vou começar a movimentar não aguento mais. Estou farta dessa inércia da população de bem. Meu Deus socorrooooooooooooooooooooooo Cida Sbcampo