sábado, 29 de maio de 2010

Refrescando a Cuca


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Arlindo Montenegro

Existem fatos para os quais pouca gente atenta, mesmo as pessoas contrárias à marcha dos acontecimentos que desfiguram a nação. Quem deseje conhecer mais sobre o significado das ações que nos encaminham para a ditadura total, pode encontrar a históia dos antecedentes brasileiros de vários intentos comunistas para colocar as garras sobre a nação. A fonte de consulta é o site http://www.averdadesufocada.com/. Quem quiser pode baixar e ler o livro documento, sobre a resistência das Forças Armadas contra o terrorismo que os comunistas espalharam, em varias ocasiões da história, tentando chegar poder.

O "Orvil", (livro ao contrário) é apenas uma descrição dos fatos, direta, objetiva, despida de qualquer pretensão literária em suas mais de 900 páginas. No mesmo site, está a notícia do lançamento da 5ta. Edição do testemunho do Cel. Brilhante Ustra, “A verdade sufocada” também escrito em linguagem direta, acessível, sem maquiagens, achismos ou suposições. Apenas fatos. Como deveriam ser todos os registros históricos.

A propósito, destacamos algumas anotações de José Carlos Pedrosa, sobre estas histórias mal contadas: "A líder do grupo, terrorista que tinha os codinomes Estela, Luiza, Patrícia e Wanda, era chamada de "Joana D'Arc da subversão". Com sua colega de quarto, conseguiu penetrar em um quartel e roubar armas e munição, levando tudo para a pensão em que moravam. Hoje seria muito bem chamada de Joana D'Arc da corrupção."

"A esquerda brasileira cometeu crimes absurdos, matou inocentes, esquartejou, dilacerou corpos e parece que não se lembra de nada. Acusa os militares de terem cometido crimes de tortura, mas não fala nas torturas praticadas pelos terroristas. As vítimas, militares e civis, pontilharam com sangue o caminho desses bandidos." Esta é a parte da "memoria e da verdade" que deletaram na mídia, nos livros, nos documentários, que nem o inédito sobre o caso Lovecchio e outros que "Nada tinham a ver com aquela luta desmiolada, mas foram vítimas assim mesmo."

O que estamos vivendo no Brasil é resumido por Carlos José Pedrosa, colunista do site Mídia sem Máscara: "Entre os flagelos que atormentam o Brasil figuram mais de 10 milhões de analfabetos, um sistema de saneamento básico que só cobre metade das moradias, cicatrizes apavorantes no sistema de saúde e de educação, favelas miseráveis penduradas em morros sem lei, fronteiras fora do alcance do Estado, zonas de exclusão que encolheram o mapa oficial em milhões de quilômetros quadrados, a violência epidêmica, a corrupção endêmica, o primitivismo político, uma demasia de carências a eliminar. O presidente faz de conta que isso é conversa de inimigo da pátria e capricha na pose de conselheiro do mundo."

Os bem informados, racionais, conscientes, defensores de um estado democrático de direito (restam poucos no Brasil!) sabem que tudo isto tem a raiz cravada há 80 anos, quando os emissários da Internacional Comunista chegaram ao Brasil, cumprindo ordens de Lenin para orientar os internacionalistas brasileiros que conclamavam a tomada violenta das terras e a defesa pelas armas. Eram uns gatos pingados naquele tempo. Hoje são os militantes petistas e grupos de pessoas simples mobilizadas sob o engano e promessas.

A primeira "frente" para a revolução comunista no Brasil, foi fundada fevereiro de 1935, denominando-se Aliança Nacional Libertadora. Trinta anos depois, Marighella apenas mudaria o nome para Aliança Libertadora Nacional (ALN). Dos seis principais dirigentes, três eram militares: o presidente, Hercolino Cascardo, comandante da Marinha; o vice-presidente, Amorety Osório, capitão do Exército; e o secretário-geral, Roberto Henrique Sisson, também oficial da Marinha, este o único filiado ao PCB. Prestes foi aclamado presidente de honra.

Em Novembro de 1945, o recém-anistiado Luiz Carlos Prestes foi ao Recife para as comemorações do 109 aniversário da Intentona Comunista. E discursou: “O Partido Comunista fez uso da violência, contra a violência dos dominadores, como única arma de que podiam dispor todos os verdadeiros patriotas". Mentindo, afirmou que a Intentona Comunista não visava a implantar o comunismo e nem o socialismo, mas, apenas, realizar uma "revolução democrático-burguesa". O discurso e a mentira se repete hoje.

Em Março de 1946, em pleno Congresso Nacional, Prestes declarou, que lutaria ao lado da Rússia em caso de guerra contra o Brasil. Era a confirmação de que a pátria dos comunistas era a União Soviética. Era a confirmação de que o comunismo lida com a promessa de igualdade utilizando a força, seguindo o que Lenin ensinava em política: “a conveniência em lugar da ética e a utilização dos canalhas”.

Mas a lição contundente de Lenin que estamos experimentando há duas gerações e passa por despercebida no Brasil, era: "Dai-me quatro anos para ensinar às crianças e as sementes que terei plantado jamais serão erradicadas... Destrua a família, e destruirás o país."

Duvido muito que cada um dos que nos representam não saiba disso. Duvido muito que cada um não tenha contribuído para a destruição do país. Tenho certeza que bem poucos ainda lembram do princípio do “bem comum”. Nosso país está destruído por conta das decisões insensatas dos nossos representantes, escolhidos sob o arbítrio de partidos especializados na rapinagem da coisa pública.

Desviam a atenção da gente com notícias que parecem moralizadoras. Como no recente caso envolvendo os da família Tuma. Duvido que toquem no Senador! Ele é guardião de segredos que jamais vai revelar, seja em virtude do sigilo profissional ou para honrar compromissos com as entranhas do poder. Está entre os intocáveis deste país. Se os porra loucas se quiserem livrar dele teriam de “queimar arquivo” que nem fizeram com o Celso Daniel e outros, quantos ninguém sabe. Mesmo assim vão hesitar, porque certamente existem documentos secretos, que guardam e garantem a integridade do Delegado Senador.

A violência comunista que teve sequência histórica no Aeroporto dos Guararapes, no Recife, com a explosão de uma bomba matou o jornalista Edson Régis de Carvalho e o Almirante Nelson Gomes Fernandes e deixou 17 pessoas feridas, já foi esquecida pela imprensa que louva e promove os comunistas mascarados, que hoje pousam de democratas e atribuem a violência das ruas e das drogas a uma “polícia mal formada” e não as políticas oficiais. Eles abrem o caminho para um caos futuro não muito distante.

A nação, enganada, nem percebe. Queira Deus que seja o contrário!

Arlindo Montenegro é Apicultor.

3 comentários:

Martim Berto Fuchs (64) disse...

Só lamento que este site , aparentemente, tem poucos leitores. Vocês deveriam, perdoe a intromissão, buscar uma maneira de torná-lo mais visitado.

Anônimo disse...

Sugiro aos editores dar ênfase ao

caso da Gamecorp-Lulinha

a coisa se encaminha ao STF

é nitroglecerina puríssima

chamada lá do Ricardo Noblat

guerreira disse...

Nação, Arlindo? Aqui cada um fala sua própria língua, não sabem o que é Pátria, Lei, direitos e deveres, nada. De maioria analfabeta ou que "lê", segundo alguns, mas apenas juntam palavras sem nada entender. Os seguidores de Lenin estão aí, nos governando e não se esqueça que, na Russia, os dashas íam para os ricos. Classe média extinta, como está aconmtecendo aqui. Estamos chovendo no molhado. Cansada e triste,
Maria Cecilia