sexta-feira, 25 de junho de 2010

Ficha Limpa e nossos desastres

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Márcio Accioly


A tragédia das enchentes no Nordeste brasileiro, com o “tsunami” que devastou inúmeras cidades de Pernambuco e Alagoas, mostrou novamente ao país Região esquecida e miserável que não dispõe de mínima infraestrutura, e na qual as relações sociais em pouco ou quase nada diferem das estabelecidas ao tempo da escravidão.

O que fica bem claro e assusta é a certeza de que o Brasil não deu certo. Trata-se de país do oba-oba, onde a televisão impõe pauta de discussões e determina seus rumos, numa ação orientada de fora para dentro em prática de visível domínio. No Brasil do século 21 (transformado em bordel), a ignomínia tornou-se normalidade.

Vivemos cheios de invencionices e mentiras. Massacrados por festas e arranjos que nada deixam de produtivo ou positivo. Carnaval, futebol, são João, novelas, BBBs e programas de auditório de baixíssimo nível, aparato que privilegia a malandragem e um jeitinho cujo resultado gritante é a falta de perspectiva. Festa permanente.

Há de se falar bem alto e em bom som: somos um país doente, dominado por ladrões e analfabetos (a maioria diplomada), pessoas sem qualquer compromisso com o futuro, até porque a desinformação e o despreparo as levam crer unicamente num imediatismo que só faz aprofundar nosso desespero.

Como solução para o alto grau de analfabetismo, cotas foram instituídas. Somos, talvez, o País onde mais existem pessoas diplomadas per capita no mundo! Mas tente-se fazer com que algumas delas redijam um ofício.

De vez em quando as coisas acontecem como uma onda: vêm e passam. Quem não se lembra do avião da TAM no aeroporto de Congonhas, no dia 17 de julho de 2007? À época, o ministro Nelson Jobim (Defesa), garantiu que todas as providências seriam tomadas, que novo aeroporto seria construído, etc. e tal.

Sua excelência, inclusive, compareceu a Congonhas vestido de bombeiro (ele, antes, já tinha vestido farda de general, segurado uma jibóia na Amazônia, com ações de impacto para impressionar incautos). E o que se fez desde então? Que providências concretas foram tomadas com o objetivo de se prevenirem outras tragédias?

Aqui estamos sempre à espera de novos desastres, quando atentas autoridades anunciarão providências indispensáveis só para aparecerem bem nas fotografias. Nada além. A memória humana é fraca e a televisão está aí para determinar o que é ou não importante. Num país onde não se estuda ou lê, discute-se o que as TVs apresentam.

Na nova onda, aprovou-se agora a lei que se convencionou chamar “Ficha Limpa”, jogada mal elaborada pelos principais atores (saiu pela culatra de boa parte da classe política), e que o Judiciário em boa hora resolveu adotar. Quem dos corruptos em são consciência pretendia vê-la colocada em prática nalgum ano?

Temos visto pessoas envolvidas nos mais escabrosos desmandos a participarem de postos importantes na administração pública, detendo mandatos eletivos. Fica difícil destituí-las dos cargos, pois são responsáveis pela elaboração das leis.

A nova desgraça que se abateu sobre o Nordeste deverá ser amontoada a tantas outras acontecidas e não resolvidas. Mas é preciso que se dê o primeiro passo em busca de justas saídas. Ou veremos o país explodir a médio ou curto prazo num cipoal de más decisões e desordenamento.

A propaganda oficial dos diversos governos que entram e saem não conseguem esconder o flagelo do Nordeste, o analfabetismo nacional, a ausência de transporte público, Saúde e falta de presídios. Quantos desastres serão ainda necessários?

Vamos torcer para que o Ficha Limpa funcione, impondo restrições à reincidência de abusos. E que eles não anulem tudo isso na primeira oportunidade.

Márcio Accioly é Jornalista.

3 comentários:

Anônimo disse...

É a frágil esperança esta "ficha limpa"... A queda de braço entre a nova ordem mundial comunista e os que ainda não se conformaram com o enterro das liberdades democráticas.

Anônimo disse...

Não há dúvida: estipaiz não tem jeito. O Brasil? Não sei; caso Dilma se eleja, certamente será o aprofundamento do caos. E ciao.

tio disse...

O brasil não deu certo, e nunca vai dar certo. A culpa é de todos.
Dos administradores, chamados "políticos", escolhidos pelo idiota do
povo, que só se fode, mas continua votando, dando sequência a essa situação.
Na outra ponta os "políticos", cagando e andando para o que acontece no país e
com a população. Gente tem para caralho, se morrer, vai nascer mais. O importante
é que não seja da "famiglia" dêles. Essa raça pouco se importa com enchente no
nordeste ou no sul, avião que cai, gente sendo massacrada nas ruas, etc...etc....
Essa merda tem uma única saída................Aeroporto.