segunda-feira, 7 de junho de 2010

A fraude do aquecimento global

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Márcio Accioly

Os meios de comunicação trombetearam, em recentes dias, que o ex-vice-presidente dos EUA Al Gore pôs termo a seu casamento de 40 anos com Tipper Gore (Mary Elizabeth), uma das fundadoras de grupo moralista a defender valores familiares, em especial com relação a letras de músicas vendidas indiscriminadamente.

Al Gore, como se sabe, ganhou o prêmio Nobel da Paz (2007), destacando-se mundialmente por famoso documentário, intitulado “Uma Verdade Inconveniente”, o qual lhe rendeu inclusive um Oscar e infindáveis aplausos.

Só que as verdades inconvenientes, a respeito de ações praticadas pelo ex-companheiro de chapa de Bill Clinton (1993-2001), estão começando a aparecer. Na terra do Tio Sam isso pode levá-lo para a cadeia, pois ali se entende que as instituições devem ser preservadas.

O professor e escritor Alan Caruba denunciou em seu blog que a anunciada separação de Al Gore é armação. Ela tem como principal objetivo a preservação de seu imenso patrimônio, acrescido em milhões e milhões de dólares desde que saiu da Vice-Presidência e montou a Generation Investment Management.

A empresa foi criada com um fundo de um bilhão de dólares, juntamente com David Blood, “um veterano de 18 anos da Goldman Sachs”, Banco de Investimentos sediado em Nova York e envolvido recentemente em criminosa jogatina mundial.

Blood, que em inglês quer dizer “sangue”, numa ação vampiresca com Gore (que em português significa “furar com chifre ou marfim” e, também, “sangue coagulado”), decidiu salvar o planeta do “aquecimento global” que os dois juram estar sendo causado pelos humanos. E os humanos nada têm a ver com isso.

Com tal disposição, vejam só, ganharam bilhões de dólares vendendo carbono na bolsa de valores, transmitindo a certeza de que controlam os elementos da natureza, determinando quando deve ser frio ou calor fazer.

Estabeleceram essa agenda na pauta de discussão mundial, inclusive com a participação direta de globais jornalistas. Qual será o rendimento de tão vergonhosa manipulação?

Em 2009, com o auxílio de cientistas de aluguel envolvidos no esquema, montou-se a Conferência de Copenhagen no mês de dezembro, onde Al Gore compareceu com imaginário painel de controle de forças da Natureza, vendendo carbono, oxigênio e moléculas a quem estivesse disposto a lucrar nos arranjos.

O premiado documentário de Al Gore, bem como o restante da fraude, vai ser alvo agora de investigação por parte do Departamento de Justiça dos EUA, em solicitação oficial do senador republicano James Inhofe, representante do Estado de Oklahoma.

Quem tem colocado panos quentes em cima, tentando sustentar perigosos desdobramentos, é o presidente Obama, seu companheiro democrata. Mas mesmo Obama está saltando na brasa quente, enrolado com vazamento de óleo no Golfo do México, o maior desastre ambiental que o mundo já registrou. Falta-lhe tempo.

De maneira que Al Gore está virtualmente num beco sem saída, principalmente depois que o livro de Robert Felix (“Not By Fire But By Ice”, “Não por Fogo, Mas Por Gelo”), não traduzido em português, amplia espaços no meio científico ao provar que o mundo está mergulhando numa Nova Era Glacial, fato que ocorre a cada 11.500 anos!

Al Gore poderá até salvar o casamento, mas não o mundo, isso foge de sua alçada. É oposto o caminho. E até a bem intencionada instituição criada por Tipper Gore será desmontada, porque exemplos têm antes de ser dado para depois serem seguidos.

Márcio Accioly é Jornalista.

Nenhum comentário: