segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Atentados contra comandante e quartel da Rota em São Paulo são ação de guerrilha psicológica na fase eleitoreira

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Segunda)

Por Jorge Serrão


Facções do crime organizado em São Paulo repetem a mesma tática terrorista de sempre, durante a campanha eleitoral. Escalam o chamado “quarto elemento” (a narcoguerrilha urbana) para ações de guerrilha psicológica. Os dois atentados recentes – contra o comandante e o quartel da temida “Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar” – tiveram duas claras intenções. Primeiro, atacar a política de segurança perante a opinião pública. Segundo, provocar uma reação da Rota, para desmoralizar a Polícia Militar e responsabilizá-la por um eventual aumento de assassinatos que ocorrerem na periferia.

Os seis tiros contra o muro do quartel da Rota, domingo de madrugada, na Luz, simbolizaram o primeiro atentado em 40 anos de existência da tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo. Seu efeito psicológico foi amplificado com o atentado contra o comandante da unidade, no sábado. O tenente-coronel Paulo Adriano Telhada, há um ano e três meses no cargo, foi alvo de atiradores, às 11 horas da manhã de sábado, na porta de casa dele, na Rua Fábio Ferreira Veloso, na Zona Norte da capital. A mulher dele teria sido um alvo fácil dos dez disparos, se não tivesse voltado para dentro da residência, para atender a um telefonema.

Incêndios criminosos também destruíram 13 carros na madrugada de ontem na Zona Leste de São Paulo. O Centro de Inteligência Policial da PM e três departamentos da Polícia Civil investigam os incidentes. Os comandos da PM foram orientados a redobrar a vigilância. Defensivamente, colocaram cones e barreiras na porta dos quartéis – o que deve deixar os bandidos realmente muito apavorados.

Apesar das evidências de terrorismo, foi curiosa e covardemente defensiva a reação do governador Alberto Goldman. O tucano ponderou que não é possível saber se os ataques são resultantes do crime organizado ou até mesmo do PCC. Goldman opinou que "não existe nenhum perigo que possa colocar em risco a segurança do povo paulista".

Velhinha do Bandeirantes?

Goldmam ponderou que não é possível saber se esses ataques são resultantes do crime organizado ou até mesmo do PCC:

Eu não acredito que haja essa possibilidade. Mesmo que seja possibilidade zero, ou quase zero, eu acho que é obrigação nossa estarmos preparados para qualquer eventualidade. Estamos preparados e não acredito que possa, de qualquer forma, se repetirem os episódios que nós tivemos em 2006”.

As autoridades paulistas dão a impressão de que se esqueceram do atentado de maio de 2006, quando o Primeiro Comando da Capital (PCC), com claras intenções políticas, até terceirizou atiradores e especialistas em bombas das Farc e do ETA para aterrorizar São Paulo.

Se o governador continuar com esta conversinha, a Velhinha de Taubaté perderá o emprego...

Motivações possíveis

Uma retaliação específica contra a Rota não está descartada, mas é um fato muito pequeno para justificar o poder simbólico dos ataques.

No dia 17 de maio, a tropa de elite da PM matou Fábio Fernandes da Silva, o Vampirinho, um dos líderes do PCC.

No último dia 7 de julho, oito homens do PCC foram presos e um morto na Zona Leste da capital paulista.

Marginal terceirizado

A PM identificou como Frank Ligieri Sons, de 33 anos, o bandido morto no ataque contra o quartel da Rota.

Com Frank os policiais encontraram um coquetel molotov e uma pistola calibre 40, mesmo tipo usado no atentado fracassado contra o tenente-coronel Telhada.

Frank deixou em fevereiro a prisão em Guarulhos, e sua ficha policial o acusa de dois roubos - um na região da Sé e outro na Lapa, em São Paulo -, um estupro e uma lesão corporal, estes em Guarulhos.

Custo para lamentar Brsileiro

Cada parlamentar brasileiro custa em média R$ 10 milhões e 200 mil reais por ano.

Nova campanha na Internet, usando imagens da Rede Globo, aborda o o assunto deste custo para lamentar:

http://www.youtube.com/watch?v=0CoCSX1eMog&feature=player_embedded#!


Assim é mole

A partir de hoje, o viajante que trouxer do exterior um relógio de pulso, uma câmera fotográfica ou um celular não precisará mais declará-los à Receita Federal quando entrar no Brasil, como acontece atualmente.

Esses objetos passam a fazer parte da chamada cota de bens de uso pessoal e não pagarão impostos. Além disso, roupas, acessórios e produtos de higiene pessoal também entram nesse mesmo quesito e ficam isentos de impostos.

Nesta terça-feira, a Receita Federal deverá baixar instrução normativa com o detalhamento das novas regras para compras no exterior.

Outra novidade

A partir de hoje, não será mais obrigatório declarar à Receita, antes de embarcar, produtos estrangeiros que está levando.

A simplificação vale para laptops e câmeras fotográficas ou filmadoras fabricados em outros países.

A Receita passou a entender que esse formulário, chamado de Declaração de Saída Temporária, apenas aumentava a burocracia.

Vida que segue...

Ave atque Vale!

Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 02 de Agosto de 2010.

3 comentários:

Anônimo disse...

Estes ataques contra forças policiais estão enquadrados dentro das estratégias do Foro de São Paulo: "não deixar nenhum espaço para a direita" - neste caso o ataque atinge as políticas de segurança nas vésperas de eleições.
Na Colômbia está acontecendo o mesmo: as farc estão matando policiais para contestar as políticas de segurança, antes da posse do novo presidente.

Anônimo disse...

Blog do Ucho

Há quinze dias, o editor do ucho.info comunicou a policiais paulistas a possibilidade de o crime organizado deflagrar uma série de atentados, em especial contra órgãos da Segurança Pública, repetindo o que ocorreu em 2006, meses antes das eleições gerais.

O que foi antecipado reservadamente pelo site acabou se confirmando. Comandante da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, tropa de elite da Polícia Militar de São Paulo, o tenente-coronel Paulo Telhada foi alvo de atentado na manhã do último sábado (31), quando saía de casa. Telhada, que estava dentro do carro, foi alvo de uma emboscada, mas não se feriu. A própria corporação (Rota) teve a sua sede, na região central da capital paulista, atingida por disparos de armas de fogo.

Criminosos também agiram na Zona Leste da cidade, ateando fogo em vários veículos na maior e mais populosa região paulistana. Em 2006, os ataques do crime organizado produziram 52 mortes e colocaram sob o manto do pânico uma das maiores cidades do planeta.

Na ocasião, o governo do presidente Lula da Silva chegou a oferecer ao governador paulista a ajuda da Polícia Federal, o que pode se repetir nas próximas semanas, caso os ataques continuem.

Se coincidências existem não se sabe, mas o chefe da maior organização criminosa do País atende pelo nome de Marcos Williams Herbas Camacho, o Marcola, cujo irmão, o boliviano Gabriel Herbas Camacho, deputado federal pelo MAS (Movimiento al Socialismo), partido de Evo Morales, recebeu a visita, em 2006, do ex-comissário palaciano José Dirceu de Oliveira e Silva, o Pedro Caroço. Os ataques na capital paulista ocorreram depois da bisonha visita.

O governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), descartou a possibilidade de os recentes ataques terem a rubrica da facção criminosa, mas segundo apurou o ucho.info as provas dessa autoria são inquestionáveis.

Anônimo disse...

Você não tem vergonha na cara de mentir dessa forma seu gordo nojento?