domingo, 8 de agosto de 2010

Crimes cada vez mais sem castigo. Até quando?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão


Conceituar é sempre preciso. Crime Organizado é a associação entre criminosos e servidores públicos. Sem a proteção do Estado o crime não se organiza. Cada vez mais organizado, o crime joga contra a Ordem Pública, que é o patrimônio jurídico mais importante para a sociedade, pois garante a vida e a liberdade dos cidadãos.

O crime corrompe e destrói as instituições – que são a concretização da vontade da Nação (cristalizadora da vontade de um povo). A ação criminosa inviabiliza a Democracia, que é a segurança do direito natural. No Brasil, o sistema delitivo obedece, ideológica e politicamente, a esquemas externos que nos mantêm permanentemente colonizados, sem soberania efetiva.

O crime organizado emprega duas sofisticadas modalidades de violência radical. Tudo para minar as instituições e constranger o senso comum a não identificar o verdadeiro inimigo. A intenção é usar o medo como fator de contenção social. Isto dificulta ou impede uma reação efetiva da sociedade.

A organização criminosa promove a Guerra de 5ª geração. Também chamada de guerra assimétrica, é toda tentativa de origem externa, por quaisquer meios, que objetive minar o cenário político – econômico – tecnológico – psicossocial – ambiental – militar de um País, através de agentes internos ou externos.

Outra modalidade violenta é o Terrorismo. Privado ou de Estado, o terror consiste no emprego político da violência ilegal: física, psicológica ou administrativa. O terrorismo objetiva a submissão pessoal ou coletiva, pelo medo. A eficácia da guerra assimétrica e do terror é cada vez maior em um ambiente de falta de Justiça – como ocorre no Brasil.

Embora haja um grande esforço de profissionais do Direito (magistrados, advogados e servidores) em aprimorar o sistema Judiciário, alguns vícios de origem colaboram para cristalizar, na opinião pública e publicada, a imagem de impunidade. Pegou muito mal – e a OAB está gritando alto – a “punição” imposta a um ilustre ministro do Superior Tribunal de Justiça.

Paulo Medina foi processado por venda de sentenças e envolvimento com o crime organizado no Rio de Janeiro. Medina foi punido, de forma inédita, pelo Conselho Nacional de Justiça, com a aposentadoria compulsória. Curiosamente, ele se aposenta com direito à polpuda aposentadoria. Mesma “punição” imposta pelo CNJ ao parceiro dele, o desembargador José Eduardo Carreira Alvim, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 2.ª Região. Pela Lei Orgânica da Magistratura, continuarão recebendo até o fim da vida o salário proporcional ao tempo de serviço.

Enquanto o Congresso não muda a lei para impedir a farra do crime organizado no Judiciário, a mais alta Corte do País se lança em campanha. Salarial, é claro! Os ministros do Supremo Tribunal Federal pedem aos parlamentares um reajuste de 14,8% em seus próprios vencimentos. Se o Congresso concordar, o salário dos integrantes da Corte passará de R$ 26.723 para R$ 30.675 em janeiro do próximo ano.

O aumento para os 11 ministros do Supremo representará impacto de R$ 2 milhões por ano para o orçamento do STF. Impacta outros R$ 450 milhões anuais para o Judiciário como um todo, já que o reajuste tem efeito cascata. Em greve desde abril, os servidores do Judiciário também devem receber um aumento salarial de 56%. O Congresso deve conceder a benção salarial, em fim de mandato.

O Judiciário merece aumento. Claro que sim! Todos merecemos! Da mesma forma como merecemos Justiça. E o crime organizado precisa ser efetivamente combatido. A tarefa não é só do Judiciário. Mas sim de toda sociedade. O problema é: “Vamos fazer Juntos?”. Ou o crime cada vez mais organizado ficará sem castigo por muito mais tempo ainda no Brasil?

Não pode! Nem deve!

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

9 comentários:

Ronald disse...

Bom dia prezado Jorge,
O gráfico em epígrafe é sinistro e não é a primeira vez que é mostrado aqui no ALERTA. Ele mostra com clareza as ligações de toda a cadeia do crime no Brasil.

E o Judiciário deveria ser mais diligente e prestar um melhor trabalho ao país visto os absurdos vencimentos que ganham, e não param de aumenta-los com uma rapidez inconveniente.
Depois a sociedade fica se perguntando por que se mata tanto no Brasil...
Elementar meu caro Serrão, com uma Justiça lenta, morosa e eventualmente corrompida, o crime passa então a compensar...
Haja visto o que o pinguço maneta faz em campanha dando uma banana para o TSE...Se o exemplo que vem de cima é este, o que esperar das esferas inferiores de nossa sociedade ?
Sds

Humberto Pinto disse...

Que Democracia é essa?

Claro que estou me referindo a Democracia Brasileira, porque sou cidadão brasileiro e vivo no Brasil.
Todos nós sabemos, porque assim nos ensinaram e porque assim diz a significação do termo que Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual.
Sim, para o exercício da Democracia é necessário a presença do estado organizado, ou melhor dizendo a presença do Estado de Direito estruturado.
Hoje, pelo advento da Internet, qualquer pessoa tem acesso a informação. Assim, os manipuladores do conhecimento estão em extinção. Até aqueles que usam os meios de mídia estão tentando se adequar a nova era.
O III Milênio é a Era da Verdade.
A mentira perde espaço e na política os embusteiros e enganadores vão perdendo as condições de manter o discurso demagógico para explorar a boa-fé das pessoas. Nesse ocaso, no vácuo do momento de passagem desse processo corrompido para o horizonte da liberdade aparecem os atos promíscuos com assombrosa nitidez.
É exatamente nesse ponto que está a minha estupefação.
Um brasileiro, cidadão, ser impedido de poder se candidatar a Presidência da República. Pois é, para espanto e indignação dos demais brasileiros, isso está ocorrendo com o Brigadeiro Ercio Braga que está sendo cerceado pela Justiça Eleitoral de poder concorrer, nas eleições de 2010, ao cargo maior da Administração do Estado Brasileiro e, pasmem, pela decisão unilateral de um Presidente de Partido Político, “nas barbas” de um magistrado do Egrégio Tribunal Superior Eleitoral.
Eis o fato:

“Registro negado

Ainda na sessão desta terça-feira, o TSE rejeitou recurso de Ércio Braga, que pretendia se candidatar individualmente ao cargo de presidente da República pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). O pedido de candidatura foi rejeitado inicialmente pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, devido a falhas no requerimento.

Dentre as falhas apontadas está a ausência da ata da convenção do PTC que teria escolhido Ércio Braga como candidato a presidente; impossibilidade de leitura da mídia magnética com as informações geradas pelos sistemas CANDex e CAND do TSE e ausência de apresentação de candidato a vice-presidente, como determina o artigo 29, § 1°, da Resolução 23.221/2010 do TSE.

Ao analisar o recurso de Ércio Braga, o ministro Aldir Passarinho Junior ressaltou que as irregularidades apontadas persistem e que não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC. Assim o ministro negou provimento ao recurso e foi acompanhado pelos demais integrantes da Corte”.

Não obstante o Brigadeiro ter justificado as “irregularidades apontadas” em documentos remetidos ao Tribunal, arranjam ao “apagar das luzes” a ficção da não filiação.
Essa injustiça explícita do Tribunal Superior Eleitoral está configurada pela alegação de que: “não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC”.
Ora, o TSE possui nos seus assentamentos o registro dessa filiação, cuja certidão de comprovação foi enviada pelo postulante ao TSE, em 4ago2010, após ter tomado ciência da esdrúxula decisão de negação da sua candidatura.
Caro eleitor, como entender essa falha que cerceia um cidadão brasileiro de exercer sua prerrogativa política, que é fundamento da Democracia?
Parece que estamos revivendo a fábula do lobo e o cordeiro.

Humberto Pinto Cel

Humberto Pinto disse...

Ilustre Jornalista
Jorge Serrão

O crime, de fato, está organizado...

Que Democracia é essa?

Claro que estou me referindo a Democracia Brasileira, porque sou cidadão brasileiro e vivo no Brasil.
Todos nós sabemos, porque assim nos ensinaram e porque assim diz a significação do termo que Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual.
Sim, para o exercício da Democracia é necessário a presença do estado organizado, ou melhor dizendo a presença do Estado de Direito estruturado.
Hoje, pelo advento da Internet, qualquer pessoa tem acesso a informação. Assim, os manipuladores do conhecimento estão em extinção. Até aqueles que usam os meios de mídia estão tentando se adequar a nova era.
O III Milênio é a Era da Verdade.
A mentira perde espaço e na política os embusteiros e enganadores vão perdendo as condições de manter o discurso demagógico para explorar a boa-fé das pessoas. Nesse ocaso, no vácuo do momento de passagem desse processo corrompido para o horizonte da liberdade aparecem os atos promíscuos com assombrosa nitidez.
É exatamente nesse ponto que está a minha estupefação.
Um brasileiro, cidadão, ser impedido de poder se candidatar a Presidência da República. Pois é, para espanto e indignação dos demais brasileiros, isso está ocorrendo com o Brigadeiro Ercio Braga que está sendo cerceado pela Justiça Eleitoral de poder concorrer, nas eleições de 2010, ao cargo maior da Administração do Estado Brasileiro e, pasmem, pela decisão unilateral de um Presidente de Partido Político, “nas barbas” de um magistrado do Egrégio Tribunal Superior Eleitoral.
Eis o fato:

“Registro negado

Ainda na sessão desta terça-feira, o TSE rejeitou recurso de Ércio Braga, que pretendia se candidatar individualmente ao cargo de presidente da República pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). O pedido de candidatura foi rejeitado inicialmente pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, devido a falhas no requerimento.

Dentre as falhas apontadas está a ausência da ata da convenção do PTC que teria escolhido Ércio Braga como candidato a presidente; impossibilidade de leitura da mídia magnética com as informações geradas pelos sistemas CANDex e CAND do TSE e ausência de apresentação de candidato a vice-presidente, como determina o artigo 29, § 1°, da Resolução 23.221/2010 do TSE.

Ao analisar o recurso de Ércio Braga, o ministro Aldir Passarinho Junior ressaltou que as irregularidades apontadas persistem e que não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC. Assim o ministro negou provimento ao recurso e foi acompanhado pelos demais integrantes da Corte”.

Não obstante o Brigadeiro ter justificado as “irregularidades apontadas” em documentos remetidos ao Tribunal, arranjam ao “apagar das luzes” a ficção da não filiação.
Essa injustiça explícita do Tribunal Superior Eleitoral está configurada pela alegação de que: “não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC”.
Ora, o TSE possui nos seus assentamentos o registro dessa filiação, cuja certidão de comprovação foi enviada pelo postulante ao TSE, em 4ago2010, após ter tomado ciência da esdrúxula decisão de negação da sua candidatura.
Caro eleitor, como entender essa falha que cerceia um cidadão brasileiro de exercer sua prerrogativa política, que é fundamento da Democracia?
Parece que estamos revivendo a fábula do lobo e o cordeiro.

Humberto Pinto Cel

Humberto Pinto disse...

Ilustre Jornalista
Jorge Serrão

O crime, de fato, está organizado...

Que Democracia é essa?

Claro que estou me referindo a Democracia Brasileira, porque sou cidadão brasileiro e vivo no Brasil.
Todos nós sabemos, porque assim nos ensinaram e porque assim diz a significação do termo que Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual.
Sim, para o exercício da Democracia é necessário a presença do estado organizado, ou melhor dizendo a presença do Estado de Direito estruturado.
Hoje, pelo advento da Internet, qualquer pessoa tem acesso a informação. Assim, os manipuladores do conhecimento estão em extinção. Até aqueles que usam os meios de mídia estão tentando se adequar a nova era.
O III Milênio é a Era da Verdade.
A mentira perde espaço e na política os embusteiros e enganadores vão perdendo as condições de manter o discurso demagógico para explorar a boa-fé das pessoas. Nesse ocaso, no vácuo do momento de passagem desse processo corrompido para o horizonte da liberdade aparecem os atos promíscuos com assombrosa nitidez.
É exatamente nesse ponto que está a minha estupefação.
Um brasileiro, cidadão, ser impedido de poder se candidatar a Presidência da República. Pois é, para espanto e indignação dos demais brasileiros, isso está ocorrendo com o Brigadeiro Ercio Braga que está sendo cerceado pela Justiça Eleitoral de poder concorrer, nas eleições de 2010, ao cargo maior da Administração do Estado Brasileiro e, pasmem, pela decisão unilateral de um Presidente de Partido Político, “nas barbas” de um magistrado do Egrégio Tribunal Superior Eleitoral.
Eis o fato:

“Registro negado

Ainda na sessão desta terça-feira, o TSE rejeitou recurso de Ércio Braga, que pretendia se candidatar individualmente ao cargo de presidente da República pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). O pedido de candidatura foi rejeitado inicialmente pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, devido a falhas no requerimento.

Dentre as falhas apontadas está a ausência da ata da convenção do PTC que teria escolhido Ércio Braga como candidato a presidente; impossibilidade de leitura da mídia magnética com as informações geradas pelos sistemas CANDex e CAND do TSE e ausência de apresentação de candidato a vice-presidente, como determina o artigo 29, § 1°, da Resolução 23.221/2010 do TSE.

Ao analisar o recurso de Ércio Braga, o ministro Aldir Passarinho Junior ressaltou que as irregularidades apontadas persistem e que não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC. Assim o ministro negou provimento ao recurso e foi acompanhado pelos demais integrantes da Corte”.

Não obstante o Brigadeiro ter justificado as “irregularidades apontadas” em documentos remetidos ao Tribunal, arranjam ao “apagar das luzes” a ficção da não filiação.
Essa injustiça explícita do Tribunal Superior Eleitoral está configurada pela alegação de que: “não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC”.
Ora, o TSE possui nos seus assentamentos o registro dessa filiação, cuja certidão de comprovação foi enviada pelo postulante ao TSE, em 4ago2010, após ter tomado ciência da esdrúxula decisão de negação da sua candidatura.
Caro eleitor, como entender essa falha que cerceia um cidadão brasileiro de exercer sua prerrogativa política, que é fundamento da Democracia?
Parece que estamos revivendo a fábula do lobo e o cordeiro.

Humberto Pinto Cel

Humberto Pinto disse...

Ilustre Jornalista
Jorge Serrão

O crime, de fato, está organizado...

Que Democracia é essa?

Claro que estou me referindo a Democracia Brasileira, porque sou cidadão brasileiro e vivo no Brasil.
Todos nós sabemos, porque assim nos ensinaram e porque assim diz a significação do termo que Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual.
Sim, para o exercício da Democracia é necessário a presença do estado organizado, ou melhor dizendo a presença do Estado de Direito estruturado.
Hoje, pelo advento da Internet, qualquer pessoa tem acesso a informação. Assim, os manipuladores do conhecimento estão em extinção. Até aqueles que usam os meios de mídia estão tentando se adequar a nova era.
O III Milênio é a Era da Verdade.
A mentira perde espaço e na política os embusteiros e enganadores vão perdendo as condições de manter o discurso demagógico para explorar a boa-fé das pessoas. Nesse ocaso, no vácuo do momento de passagem desse processo corrompido para o horizonte da liberdade aparecem os atos promíscuos com assombrosa nitidez.
É exatamente nesse ponto que está a minha estupefação.
Um brasileiro, cidadão, ser impedido de poder se candidatar a Presidência da República. Pois é, para espanto e indignação dos demais brasileiros, isso está ocorrendo com o Brigadeiro Ercio Braga que está sendo cerceado pela Justiça Eleitoral de poder concorrer, nas eleições de 2010, ao cargo maior da Administração do Estado Brasileiro e, pasmem, pela decisão unilateral de um Presidente de Partido Político, “nas barbas” de um magistrado do Egrégio Tribunal Superior Eleitoral.
Eis o fato:

“Registro negado

Ainda na sessão desta terça-feira, o TSE rejeitou recurso de Ércio Braga, que pretendia se candidatar individualmente ao cargo de presidente da República pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). O pedido de candidatura foi rejeitado inicialmente pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, devido a falhas no requerimento.

Dentre as falhas apontadas está a ausência da ata da convenção do PTC que teria escolhido Ércio Braga como candidato a presidente; impossibilidade de leitura da mídia magnética com as informações geradas pelos sistemas CANDex e CAND do TSE e ausência de apresentação de candidato a vice-presidente, como determina o artigo 29, § 1°, da Resolução 23.221/2010 do TSE.

Ao analisar o recurso de Ércio Braga, o ministro Aldir Passarinho Junior ressaltou que as irregularidades apontadas persistem e que não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC. Assim o ministro negou provimento ao recurso e foi acompanhado pelos demais integrantes da Corte”.

Não obstante o Brigadeiro ter justificado as “irregularidades apontadas” em documentos remetidos ao Tribunal, arranjam ao “apagar das luzes” a ficção da não filiação.
Essa injustiça explícita do Tribunal Superior Eleitoral está configurada pela alegação de que: “não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC”.
Ora, o TSE possui nos seus assentamentos o registro dessa filiação, cuja certidão de comprovação foi enviada pelo postulante ao TSE, em 4ago2010, após ter tomado ciência da esdrúxula decisão de negação da sua candidatura.
Caro eleitor, como entender essa falha que cerceia um cidadão brasileiro de exercer sua prerrogativa política, que é fundamento da Democracia?
Parece que estamos revivendo a fábula do lobo e o cordeiro.

Humberto Pinto Cel

Humberto Pinto disse...

Ilustre Jornalista
JORGE SERRÃO

Veja o exemplo...

Que Democracia é essa?

Claro que estou me referindo a Democracia Brasileira, porque sou cidadão brasileiro e vivo no Brasil.
Todos nós sabemos, porque assim nos ensinaram e porque assim diz a significação do termo que Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual.
Sim, para o exercício da Democracia é necessário a presença do estado organizado, ou melhor dizendo a presença do Estado de Direito estruturado.
Hoje, pelo advento da Internet, qualquer pessoa tem acesso a informação. Assim, os manipuladores do conhecimento estão em extinção. Até aqueles que usam os meios de mídia estão tentando se adequar a nova era.
O III Milênio é a Era da Verdade.
A mentira perde espaço e na política os embusteiros e enganadores vão perdendo as condições de manter o discurso demagógico para explorar a boa-fé das pessoas. Nesse ocaso, no vácuo do momento de passagem desse processo corrompido para o horizonte da liberdade aparecem os atos promíscuos com assombrosa nitidez.
É exatamente nesse ponto que está a minha estupefação.
Um brasileiro, cidadão, ser impedido de poder se candidatar a Presidência da República. Pois é, para espanto e indignação dos demais brasileiros, isso está ocorrendo com o Brigadeiro Ercio Braga que está sendo cerceado pela Justiça Eleitoral de poder concorrer, nas eleições de 2010, ao cargo maior da Administração do Estado Brasileiro e, pasmem, pela decisão unilateral de um Presidente de Partido Político, “nas barbas” de um magistrado do Egrégio Tribunal Superior Eleitoral.
Eis o fato:

“Registro negado

Ainda na sessão desta terça-feira, o TSE rejeitou recurso de Ércio Braga, que pretendia se candidatar individualmente ao cargo de presidente da República pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). O pedido de candidatura foi rejeitado inicialmente pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, devido a falhas no requerimento.

Dentre as falhas apontadas está a ausência da ata da convenção do PTC que teria escolhido Ércio Braga como candidato a presidente; impossibilidade de leitura da mídia magnética com as informações geradas pelos sistemas CANDex e CAND do TSE e ausência de apresentação de candidato a vice-presidente, como determina o artigo 29, § 1°, da Resolução 23.221/2010 do TSE.

Ao analisar o recurso de Ércio Braga, o ministro Aldir Passarinho Junior ressaltou que as irregularidades apontadas persistem e que não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC. Assim o ministro negou provimento ao recurso e foi acompanhado pelos demais integrantes da Corte”.

Não obstante o Brigadeiro ter justificado as “irregularidades apontadas” em documentos remetidos ao Tribunal, arranjam ao “apagar das luzes” a ficção da não filiação.
Essa injustiça explícita do Tribunal Superior Eleitoral está configurada pela alegação de que: “não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC”.
Ora, o TSE possui nos seus assentamentos o registro dessa filiação, cuja certidão de comprovação foi enviada pelo postulante ao TSE, em 4ago2010, após ter tomado ciência da esdrúxula decisão de negação da sua candidatura.
Caro eleitor, como entender essa falha que cerceia um cidadão brasileiro de exercer sua prerrogativa política, que é fundamento da Democracia?
Parece que estamos revivendo a fábula do lobo e o cordeiro.

Humberto Pinto Cel

Humberto Pinto disse...

Ilustre Jornalista
JORGE SERRÃO

"O exemplo vem de cima"

Que Democracia é essa?

Claro que estou me referindo a Democracia Brasileira, porque sou cidadão brasileiro e vivo no Brasil.
Todos nós sabemos, porque assim nos ensinaram e porque assim diz a significação do termo que Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual.
Sim, para o exercício da Democracia é necessário a presença do estado organizado, ou melhor dizendo a presença do Estado de Direito estruturado.
Hoje, pelo advento da Internet, qualquer pessoa tem acesso a informação. Assim, os manipuladores do conhecimento estão em extinção. Até aqueles que usam os meios de mídia estão tentando se adequar a nova era.
O III Milênio é a Era da Verdade.
A mentira perde espaço e na política os embusteiros e enganadores vão perdendo as condições de manter o discurso demagógico para explorar a boa-fé das pessoas. Nesse ocaso, no vácuo do momento de passagem desse processo corrompido para o horizonte da liberdade aparecem os atos promíscuos com assombrosa nitidez.
É exatamente nesse ponto que está a minha estupefação.
Um brasileiro, cidadão, ser impedido de poder se candidatar a Presidência da República. Pois é, para espanto e indignação dos demais brasileiros, isso está ocorrendo com o Brigadeiro Ercio Braga que está sendo cerceado pela Justiça Eleitoral de poder concorrer, nas eleições de 2010, ao cargo maior da Administração do Estado Brasileiro e, pasmem, pela decisão unilateral de um Presidente de Partido Político, “nas barbas” de um magistrado do Egrégio Tribunal Superior Eleitoral.
Eis o fato:

“Registro negado

Ainda na sessão desta terça-feira, o TSE rejeitou recurso de Ércio Braga, que pretendia se candidatar individualmente ao cargo de presidente da República pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC). O pedido de candidatura foi rejeitado inicialmente pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, devido a falhas no requerimento.

Dentre as falhas apontadas está a ausência da ata da convenção do PTC que teria escolhido Ércio Braga como candidato a presidente; impossibilidade de leitura da mídia magnética com as informações geradas pelos sistemas CANDex e CAND do TSE e ausência de apresentação de candidato a vice-presidente, como determina o artigo 29, § 1°, da Resolução 23.221/2010 do TSE.

Ao analisar o recurso de Ércio Braga, o ministro Aldir Passarinho Junior ressaltou que as irregularidades apontadas persistem e que não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC. Assim o ministro negou provimento ao recurso e foi acompanhado pelos demais integrantes da Corte”.

Não obstante o Brigadeiro ter justificado as “irregularidades apontadas” em documentos remetidos ao Tribunal, arranjam ao “apagar das luzes” a ficção da não filiação.
Essa injustiça explícita do Tribunal Superior Eleitoral está configurada pela alegação de que: “não houve, sequer, a comprovação de filiação partidária junto ao PTC”.
Ora, o TSE possui nos seus assentamentos o registro dessa filiação, cuja certidão de comprovação foi enviada pelo postulante ao TSE, em 4ago2010, após ter tomado ciência da esdrúxula decisão de negação da sua candidatura.
Caro eleitor, como entender essa falha que cerceia um cidadão brasileiro de exercer sua prerrogativa política, que é fundamento da Democracia?
Parece que estamos revivendo a fábula do lobo e o cordeiro.

Humberto Pinto Cel

Anônimo disse...

O Estado brasileiro é um parasita
que sugará a nação até sua completa
dissolução
Como todo parasita, não se importa com
o hospedeiro, e só vê a si próprio.
Nesta nefasta tarefa, se associa aos
banqueiros agiotas, aos globalistas, aos
comunistas, ao diabo se preciso for.
Não há luz no fim do túnel.

Diogo Fontana disse...

Acabei de ler uma notícia assustadora e que merece investigação. Não sei se é verdade mas está circulando pela rede a informação de que o escritor Yves Hublet teria sido preso e morto em Brasília em julho sob "circuntâncias estranhas". O senador Álvaro Dias chegou a citar o assunto em plenário pedindo esclarecimentos. O blog Alerta Total, com suas fontes, poderia averiguar tal questão!