segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A crueldade nossa de todos os dias

Artigo no Alerta Total - www.alertatoal.net

Por Márcio Accioly

Os EUA, como se sabe, existem para complementar a obra fenomenal do universo (sistemas planetários, galáxias, estrelas, etc.), dando uma mãozinha a quem concretizou toda esta maravilha. Figura celestial, por sinal, de cuja intimidade o papa e o bispo Edir Macedo se encontram sabidamente mais próximos.

A responsabilidade norteamericana com a ordem mundial, em perfeita harmonia com o Criador, foi brilhantemente retratada pelo cineasta Stanley Kubrick no filme “Full Metal Jacket” (Nascido Para Matar), lançado em 1987.

Numa das cenas, o sargento durão protagonizado por Lee Ermey, depois de afirmar que Deus tem admiração pelos fuzileiros dos EUA, garante que “para mostrar agradecimento pela força que lhes é concedida, os fuzileiros estão sempre deixando o céu lotado de novas almas”.

Claro que em muitas ocasiões vão almas erradas. Como no caso do Vietnã, onde os EUA devastaram o país com napalm e outros produtos químicos, mas tiveram de sair correndo, surrados e desmoralizados. Ou na recente invasão do Iraque, onde foram instaurar maravilhosa democracia que tudo equaciona e simplifica.

Depois da aventura do Iraque (eles também estão no Afeganistão e a coisa por lá parece mais do que complicada), já se planeja invadir o Irã, por conta das usinas nucleares e da possibilidade concreta de conseguirem fabricar artefatos nucleares. Tudo exige discursos, solenidades, memoriais e conversa mole que justifiquem.

Os EUA soltaram duas bombas atômicas no Japão (Hiroshima e Nagasaki), patrocinaram golpes militares pelo mundo e cometeram assassinatos de lideranças de oposição em países que pretendiam dominar. Eles aplicam ainda pena de morte em seu território, de maneiras das mais cruéis: enforcamento, fuzilamento e eletrocussão.

Nos dias atuais, em função da repercussão negativa desses métodos, pretende-se uniformizar as execuções, a serem praticadas apenas com injeção letal. No julgamento de alegada conspiração para pôr fim à vida do presidente Abraham Lincoln (1861-65) foi enforcada a primeira mulher nos EUA, Mary Surratt, no dia 07/07/1865.

Tal descrição serve apenas para deixar clara a contradição entre prática e discurso, ao mesmo tempo que se evidencia a inviabilidade do ser humano, peça que a natureza em breve certamente irá também varrer do mapa. Mas isso é outra história.

Pois bem: agora, no afã de ligar alhos com bugalhos, dando vazão à paranóia incontrolável, os EUA ameaçam o ditador Hugo Chávez por causa de voo que vem sendo realizado pela Conviasa, empresa aérea estatal, saindo da Venezuela para Teerã com escala na Capital da Síria, Damasco.
Já se fala até em derrubar o avião, que estaria carregando terroristas de organizações do mundo islâmico, prontos para agir na América do Sul (é bom lembrar que os EUA estão organizando base militar na Colômbia, de onde pretendem vigiar todo o Continente).

Não é o caso de se defender ditadores sanguinários ou abençoar causas perdidas, mas os EUA precisam descobrir que a tática que vêm empregando só tem causado dor e desespero. Veja-se o caso de Abu Ghraib e Guantánamo, onde a tortura ficou esquecida depois que celulares e câmeras fotográficas foram banidas para dar fim à polêmica.

Além do mais, os EUA denunciaram aos quatro cantos as tais armas de destruição em massa que o Iraque supostamente possuía, para que o mundo descobrisse ter sido tudo uma farsa, pano de fundo de invasão e massacre genocida irreparável.

Da mesma forma que produziram ditaduras militares sanguinárias em meados do último século, os EUA estão fomentando grupos de guerrilha de poder incontrolável.

Márcio Accioly é Jornalista.

11 comentários:

Anônimo disse...

INCRIVEL,NENHUMA PALAVRA A RESPEITO DAS ATIVIVIDADES DO FORO DE SÃO PAULO, DAS ATUAÇÕES DA KGB RE DA CHINA NA GUERRA DO VIETINAN E DA DITADURA CHAVISTA,QUE SBRIGA TERRORISTAS.ISSO É ANTIAMERICANISMO PURO NÃO CONCORDO

Anônimo disse...

Mesmo com um presidente muçulmano, que está para aniquilar os fundamentos morais e patrióticos do país, a política externa conserva a posição de "defesa do mundo livre" a mesma que construiu o maior exército, os maiores arsenais e espalhou pelo mundo. ESta política, associada e participando com a Inglaterra do comando da economia global se propõe instaurar o governo mundial.
Os comunistas ortodoxos, como os islamintas ortodoxos, disputam a liderança deste novo governo ou um naco maior de participação e influência decisória.
Nós...? Estamos próximos dos "avatares".

Anônimo disse...

Na contagem de corpos,
chineses e russos estão em 1o. e 2o. lugares, respectivamente. Se a lógica do artigo é essa,
então foi contra o alvo errado.

Honório Salgado disse...

Serrão,

a sua dubiedade impressiona! Este artigo é lixo comunista, só e apenas isto.

Um Homem Qualquer disse...

O exército Norte-Americano já não é + o mesmo.

Após do ataque e morte de jornalistas DESARMADOS no Iraque recentemente protagonizado pelo vazamento por Julie Assange (wikileaks.org) do vídeo da matança covarde pelo helicóptero Apache muitos Norte-Americanos estão decepcionados qu na maior Democracia do planeta a covardia do US Army esta crescendo a cada dia em nome dos SENHORES DAS ARMAS !

VIVA O BRASIL !

Anônimo disse...

Lixo comunista.
Texto ridiculo. Qual o objetivo do texto afinal? Desencar os americanos? Falar de atrocidades? Por que o jornalista idiota nao fala sobre os massacres de ditadores esquerditas como Stalin,Pol Pot, Fidel Castro e outros que assassinaram milhoes de pessoas so porque nao concordavam com suas ideias.

Lixo...so Lixo!

Anônimo disse...

Prezados Senhores.
Precisamos aprender a separar a macroeconomia da lógica humanista.
Os EUA são um devorador voraz de energia;(petróleo)e suas fontes estão se esgotando.
Foi preciso criar um motivo "passional" para justificar o roubo do petróleo iraquiano.
( o 11 de setembro caiu como uma luva) e as pseudo armas de destruição em massa, outro. E para completar bastava um ditador sanguinário.
Agora, não se iludam. O petróleo do Irã é a "bola da vez" e o motivo passional são as armas de destruição em massa. (denovo). A invasão já está planejada ha muitos anos.
E vai acontecer.
O outro ponto de petróleo é a Venezuela. E o Chaves está fazendo direitinho o que os EUA querem para justificar uma invasão por lá. E vai acontecer. Isso é macroeconomia.
Esperamos que não falte água nos EUA...senão...adeus amazônia brasileira.

Mário Stefani

Anônimo disse...

A covardia de soldados americanos se deve à droga que rola solta!

Anônimo disse...

Quanta bobagem sr. Marcio Accioly. Não foi feliz e as vezes até infantil em comentários desprovidos de lógica e coerencia.
Ou é ignorancia, má fé ou apenas delirio.

Antonio disse...

Seu esquerdista enrustido!

MIL-B disse...

Atualmente os americanos cumprem apenas o papel de Guarda Pretoriana do verdadeiro Governo que escraviza os povos, o Governo dos Banqueiros Internacionalistas serviçais do bezerro de ouro. Será que os militares não enxergam que Capitalismo e Comunismo vieram do mesmo ventre materialista dos adoradores de Mamonn??