segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Juizes preferem eleição com cédula de papel por considerarem que voto eletrônico é vulnerável

Edição do Alerta Total - http://www.alertatotal.net/
Leia também o Fique Alerta – http://www.fiquealerta.net/ (atualizado nesta Segunda)


Por Jorge Serrão

O dogma da infalibilidade das urnas eletrônicas agora é questionado pelos próprios juízes. A próxima eleição para a presidência da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), marcada para 16 de novembro, usará a velhas cédulas de papel – e não o moderno sistema eletrônico de votação que o Tribunal Superior Eleitoral garante ser seguro e a prova de falhas. O Conselho Executivo da AMB desistiu admitiu que um sistema de votação pela Internet ainda é vulnerável.

Os magistrados receberão em suas casas, até o dia 24 deste mês, a sobrecarta com a cédula para votação. Eles poderão enviar a correspondência pelo correio ou, se preferirem, manifestar o voto pessoalmente na sede das associações de magistrados estaduais. A apuração da votação será encaminhada às respectivas associações, onde será realizada a contagem parcial. Em seguida, a AMB quem fará o balanço total, à moda antiga.

O retorno do voto eletrônico para o voto em papel foi provocado pelo questionamento da chapa Novos Rumos, encabeçada pelo desembargador paulista Nelson Calandra, que disputa a presidência da AMB com o juiz Gervásio Protásio dos Santos, juiz da 9ª Juizado Especial Cível e das Relações de Consumo de São Luís, da chapa AMB com Você. O magistrado paulista denunciou a vulnerabilidade do sistema de votação pela Internet. O risco foi admitido pelo próprio Gerente de Informática da AMB, Erick Alencar, depois da análise de um documento produzido pelo especialista em votação eletrônica Eduardo Luiz Maffessoni.

Ao optarem pelo retorno ao velho voto em papel, os magistrados não cometeram um retrocesso. Apenas confirmaram a tese, há muito repetida pelo movimento “Voto Seguro”, do engenheiro Amílcar Brunazo Filho, de que o voto eletrônico deve ocorrer junto com a possibilidade de impressão do mesmo voto, para posterior auditoria ou conferência por amostragem. Assim, o processo eleitoral realmente se torna seguro, aliando transparência e modernidade.

O fato de a AMB rejeitar o processo eletrônico gera um questionamento imediato nestes tempos de segundo turno eleitoral no Brasil: Se o processo eletrônico de votação é bom para todos os cidadãos brasileiros, porque não é seguro a ponto de ser usado por uma das mais respeitadas representações de magistrados do País? Infelizmente, os eleitores comuns terão de acreditar no dogma da suprema confiabilidade da votação eletrônica, na hora de escolher entre Dilma Rousseff e José Serra para Presidente.

Muro desaba

A neutralidade de Marina Silva no segundo turno é mais uma cena do teatro eleitoral do João Minhoca.

A preferência de ficar “em cima do muro”, imposta por Marina na Convenção da Executiva Nacional do Partido Verde, carrega um risco futuro.

É pura ingenuidade política acreditar que, ficando “neutra” agora, Marina viabiliza seu nome para disputar a Presidência da República em 2014.

Até lá, muita água, confusão política e crise econômica devem rolar...

Abortado

O tema do aborto, que incendiou o segundo turno, ficou fora do “debate” de ontem na Rede TV!.

Dilma se esforçou para apresentar Serra como privatista.

Serra tentou colar em Dilma o rótulo de antipaulista.

Mais uma vez, nenhuma discussão de temas relevantes sobre o Brasil.

Futuros empregos


Se Dilma vencer a eleição presidencial, segundo a onda de boatos na Ilha da Fantasia, já tem coleguinhas famosos arrumando um futuro grande emprego.

Helena Chagas será a ministra-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência.

Tereza Cruvinel deixa o comando da TV Brasil e recebe a indicação para o emnprego vitalício no Tribunal de Contas da União.

E o atual titular da Secom, Franklin Martins, deseja um grande cargo diplomático, de preferência na África – que não é a empresa de Nizam Guanaes, mas sim o continente onde muito petista de alta estirpe ganha muito dinheiro em altos negócios.

Vida que segue...


Ave atque Vale!


Fiquem com Deus.


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 18 de Outubro de 2010.

7 comentários:

José disse...

Jorge

A Dilma è bulgara. Nasceu na Bulgaria e só muito depois se naturalizou brasileira!

Pela nossa Constituição (se è que ela ainda vale alguma coisa neste desgoverno), não se pode candidatar à presidência da Republica!

Logo, mais uma vez, Lulla passa a ser um traidor inominável por querer (e forçar seus correligionários a aceitar-) Dilma como candidata.

Vamos acompanhar a posição do STF, da justiça eleitoral e das forças armadas com esta denúncia publicada na internet.

O STF tem a obrigação e a responsabilidade legal, constitucional e moral de obter diretamente do governo búlgaro uma declaração sobre a veracidade ou não da cópia da certidão publicada em um jornal daquele país.

Comprovada a denúncia se nada acontecer temos que reconhecer que a justiça no país está mesmo avacalhada e somente presta para proteger corruptos e traidores do país. Uma guerra civil será questão de tempo.

Teremos uma búlgara terrorista como presidente?

O que Luís Inácio vai dizer? Que é um homônimo? Uma coincidência de nomes? Que não sabia de nada?

O presidente da república tem a obrigação de ocupar as redes de rádio e televisão e desmentir enfaticamente esta notícia de posse de documentos legais que Dilma nasceu no Brasil e que esses documentos sejam examinados pelas forças armadas e por uma instituição internacional.

http://brasilacimadetudo.lpchat.com/index.php?option=com_content&task=view&id=9727&Itemid=141

Anônimo disse...

Se já começam a lotear cargos é porque as urnas eletrônicas ja asseguram a vitória?

Anônimo disse...

E esse vídeo??? DE-MASSSSS!!!

Márcio disse...

A crônica parte da premissa "juízes preferem eleição com cédula a votação pela internet" para fundamentar a conclusão de que a votação eletrônica no Brasil não é confiável. Contudo, a votação eletrônica no Brasil não é feita pela internet. Não há só uma forma eletrônica de se computarem votos, e com certeza há umas mais seguras e confiáveis que outras. O fato de a Associação ter preferido a votação em papel a uma espécie de votação eletrônica não implica que todas as formas de votação eletrônica sejam vulneráveis, mas somente que a AMB não tinha condições de arcar com uma votação eletrônica segura. A conclusão a que o autor chegou é absurda e demonstra a fragilidade dos argumentos de quem se dedica, com radicalismo, a criticar o que desconhece.

Anônimo disse...

ELOGIO DA VAGABUNDAGEM


http://antiforodesaopaulo.blogspot.com/2010/10/elogio-da-vagabundagem.html

Leon disse...

Internautas;
Pela ordem:
- Chega de bobagens contra Lula e Dilma. Agora é voto na Urna e seja o que Ele quiser.
- No que se refere a Eleições Eletrônicas a AMB resolveu tomar uma decisão em cima da hora e, portanto, não pôde desfrutar das (poucas) alternativas de Votação Eletrônica por Internet que existe no país. Nada mais !
- Por favor, que não se faça nenhuma ilação com o processo do TSE (que é inseguro, sim)mas que, entretanto, não serviria para uma entidade como a AMB.

José disse...

Jorge

O voto em papel È Democracia, pois permite recontagem do voto e verificar se o voto è válido, pois a cruz pode estar fora do quadrado, dadso voto nulo.

A aberração do voto eletrônico, só è possível em ditaduras ou regimes corruptos como o nosso, pois existem programas para alterar a votação. Mas nem vou por aí. Vou sim pela recontagem dos votos. Não há! Não existe possibilidade de ele ser efetuada e, confiar em programas informáticos, só mesmo os imbecis, os corruptos e os idiotas úteis!

Na Europa, essa urna foi poscrita! Existe lá tanta corrupção nas eleições como aqui? Evidentemente que não! Quem defende essa urna eletrônica, jamais pode ser boa gente ou gente séria!