segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Carta a um jornalista investigativo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Valmir Fonseca

Prezado Sr Jornalista Ali Kamel: Como uma das mais alvissareiras notícias recebidas nesta infausta quadra, a que o jornalista pretende dissecar os grupos de esquerda que aterrorizaram o Brasil durante certo período, a boa nova, nos enche de justo júbilo.

Aleluia! Homessa! Até que enfim!

Diversos livros, redigidos por alentados militares e por ilibados civis, foram escritos e expostos os propósitos e as ações daqueles famigerados comunistas, contudo, podem soar aos incautos como obras parciais, embora cobertas de comprovações e testemunhos irretocáveis.

Esperamos que persiga com denodo os seus propósitos, pois duvidamos que os arquivos e documentos secretos e as verdadeiras intenções dos guerrilheiros cheguem, gratuitamente, às suas mãos. Cremos que a canalha tem muito a esconder, exceto o que consta em alguns trabalhos publicados por seus fieis acólitos, os quais enaltecem torpes feitos e potencializam suas tétricas façanhas.

Será preciso muita sorte, muito engenho e, principalmente, colossal artimanha para extrair segredos e mentiras acobertadas ciosamente pelos facínoras.

Estamos certos de que, ao levantar a ponta do tapete de mentiras que acobertam terroristas pintados como patriotas, emergirão passagens, atos da mais cruel vilania, devassidões de corar frade de pedra, e muitos e muitos esqueletos serão encontradas nos tenebrosos armários da esquerdalha.

Sua tarefa será difícil, até impossível, pois veja que bradam para que os torturadores sejam punidos, julgados, massacrados, mas escondem a sete chaves, os atos terroristas, os seqüestros, as torturas, os assassinatos, os assaltos e os justiçamentos.

Sim, há muito que investigar, há uma Caixa de Pandora a ser descerrada, dissecada. Sim, há muito que descobrir, há muito do que se horrorizar.

Entre os seus quadros imperava uma fogueira de vaidades, a pulverização, a desconfiança, os interesses e a discórdia.

Contudo, uniram - se nos atos violentos, nos assaltos, nas ações terroristas, nos assassinatos, nos seqüestros, e muitas vezes, por jactância desmesurada vangloriavam – se de incursões exitosas contra as forças policiais.

Sim, foi uma luta. Uma Guerra Irregular, onde o inimigo não tinha rosto, vivia nas sombras, atuava como e quando queria. Mesmo assim, foram derrotados. Hoje, vingam - se cultivando um revanchismo sem resposta e, portanto, posam de vencedores, perante a desinformada opinião pública.

Certamente, suas pesquisas comprovarão o que já foi escrito por literatos imparciais, e confrontarão os autores reconhecidamente da esquerda, que travestiram de heróis reles meliantes e celerados, que acobertados pela ideologia julgavam - se no direito de quebrar a lei e a ordem nacionais e, pasmem, quando confrontados, delatavam e justiçavam companheiros.

Depois, para posarem de heróis, alegavam torturas sem fim, tantas equimoses e ossos quebrados, que hoje nenhum possui no corpo qualquer vestígio, qualquer seqüela; pelo contrário, com histórias inverossímeis, acalentados pela perspectiva de receberem polpudas indenizações, posam de mártires.

Prezado Ali Kamel, seja bem - vindo, disseque o que eles guardam a sete chaves, lembranças vis e atos imperdoáveis, vergonhosos, dos quais não se ufanam, e, por isso, escondem, escamoteiam, acusam, e assim, vivem na ofensiva, para que as suas vítimas, acuadas, não possam esboçar qualquer reação.

Porém, de repente surge um curioso, um jornalista, um perquiridor, você, e o castelo de areias começa a ruir. Aplaudimos e aguardamos um trabalho meticuloso, imparcial, que se descerre de vez a “Grande Mentira” que acoberta os atos de barbárie, que a “Verdade Sufocada”, receba uma lufada de ar para postar - se soberana, irretorquível diante da Nação.

Prezado Sr Ali Kamel, mostre a este povo, o que está por detrás dos bastidores, por detrás dos discursos, dos ataques; mostre o porquê de tanta raiva, de tanto revanchismo, pois àqueles que os combateram, conheceram a sua verdadeira e vergonhosa face.

Parabéns pela iniciativa. Lembramos à guisa de colaboração que há farta matéria a respeito do assunto, disponível na internet no endereço “www.averdadesufocada.com”, ou “Projeto Orvil”. Auguramos êxito na sua pesquisa, e que ela se transforme em libelo e desmascaramento dos inimigos da Pátria.

Valmir Fonseca Azevedo Pereira é General de Brigada Reformado do EB. A Carta foi enviada para o endereço eletrônico do destinatário (TV Globo, Central de Jornalismo), no dia 12 de Nov às 22 horas.

Nenhum comentário: