sábado, 16 de abril de 2011

Caças... Para quê?

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Conforto

Como militar e general da reserva tenho sido questionado sobre a decisão de o governo brasileiro investir cerca de US$ 10 bilhões na aquisição de 36 caças a jato de última geração para a Força Aérea Brasileira, mesmo sem inimigos aparentes.

O questionamento, compreensível em um país como o Brasil com tantas carências na educação, na saúde e na segurança pública, entre tantas outras, surge da falta da percepção dos diferentes poderes de uma nação.

O poder é a capacidade (não confundir com o potencial) de uma pessoa, empresa, instituição ou país alcançar o que almeja. Quando os objetivos de uma nação são confrontados ou quando a mesma deixa de exercer o seu poder, seu espaço é cobiçado e ocupado por outras. É dai que surgem os conflitos e as guerras. Foi assim na enorme perda de território do México para o poderoso vizinho norte-americano.

O fortalecimento das Forças Armadas está inserido nas cinco dimensões de poder de uma nação. O poder político é a solidez das suas instituições, a estrutura de governo, a capacidade de influência nos organismos internacionais e construir alianças estratégicas. O poder econômico é o tamanho do PIB (Produto Interno Bruto), do comércio internacional, das indústrias, da produção agrícola, do acúmulo das reservas internacionais, da circulação e da distribuição das riquezas. O poder científico-tecnológico vem do grau de conhecimento produzido e acumulado, da inovação aplicada na saúde e bem estar da sua população. A preservação da cultura, a educação, o temperamento, a religiosidade, a solidariedade e as aspirações de um povo estão no poder psicossocial de um país.

Já o poder militar é a capacidade do emprego da força de ataque e de defesa em prol dos objetivos nacionais e contra as ameaças externas ou internas aos outros níveis de poder. Em uma nação forte, as relações entre as diferentes esferas de poder devem ser harmônicas e uniformes. A preponderância de uma sobre as outras. Por exemplo, provocou a queda da antiga União Soviética. Gigante nos campos militar, científico-tecnológico e na política internacional, fracassou nos campos psicossocial, econômico e político.

Ser rico e fraco é se expor à cobiça dos ambiciosos e mais fortes. O Brasil está em franco processo de desenvolvimento, na exploração de suas riquezas e conquista de mercados. As reservas de água, petróleo e de minério, a biodiversidade amazônica, constituem patrimônio inestimável para as atuais e futuras gerações.

O Brasil é um país pacífico por excelência, perfeitamente satisfeito com o seu território, amparado por tratados, e auto-sustentável em recursos naturais. As atividades das forças armadas tem se destacado, sim, na manutenção da paz em outros países em conflito.

Não passa pela estratégia militar brasileira agredir, invadir, conquistar territórios que não nos pertença. Mas é preciso acenar, de forma convincente, aos olhos cobiçosos que não faltam. Quanto mais influentes nos tornamos como nação, mais fortes teremos que ser para defender as nossas riquezas. Investir na defesa territorial, naval e aérea é investir na paz.

Sérgio Ernesto Alves Conforto é General reformado e professor do Curso de Pós-graduação de “Estratégia Militar para a Gestão de Negócios” da Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP).

2 comentários:

Anônimo disse...

O fortalecimento das Forças Armadas está inserido nas cinco dimensões de poder de uma nação? Então é seu fiel espelho, como foi provado pelas quatro mais altas condecorações atribuídas por cada um dos chefes dos três ramos das FA mais seu ministro Jobim, a uma terrorista cuja organização onde militava, tinha ordens para matar militares. Vassalagem ou imensurável bajulação ou canina bajulação ou gratidão por terem recebido um cartão corporativo? O que receberam as FA em troca dessas altas condecorações? O quê? Nada de nada! E os generais que as distribuiram?

Senão vejamos a precariedade do valor que o autor quis atribuir às suas expressões para definirem "o fortalecimento das Forças Armadas":

- "poder político é a solidez das suas instituições". O poder político está totalmente corrompido, corrupto!
- "a estrutura de governo". Mais de 40 ministérios, alguns em gestação apenas para cumprir metas de clientelismo!
- "a capacidade de influência nos organismos internacionais e construir alianças estratégicas". Capacidade de influência, onde? Foro de São Paulo? Organismos internacionais? As FARC?
- "O poder econômico é o tamanho do PIB (Produto Interno Bruto), do comércio internacional, das indústrias, da produção agrícola, do acúmulo das reservas internacionais, da circulação e da distribuição das riquezas". Poder econômico com uma fabulosa divida interna que ultrapassa R$ 2,4 trilhões! Do comércio internacional? Só se forem importações, pois apenas exportamos royalties! Indústrias? Só com produção para consumo interno, pois a louca e desvairada valorização do real, quebrou a exportação dos manufaturados. Distribuição de riquezas? Onde? Entre nós, 95% da população ou 5% dos ricos que controlam a nossa economia? Reservas internacionais? Em US$? Só papel e quando o US$ quebrar afundamo-nos sem essas "reservas".
- "poder científico-tecnológico vem do grau de conhecimento produzido e acumulado, da inovação aplicada na saúde e bem estar da sua população". Saúde no Brasil e bem estar da população? Só pode ser piada de muito mau gosto! A Saúde è só para os ricos e políticos e bem estar da população? Onde? Quando? O que efeito da ajuda Federal para as populações desalojadas pelas inundações? E a reconstrução de estradas e pontes? Loucura tamanha afirmação irresponsável!

E por aqui me fico perante um artigo totalmente demagógico e bajulador!

Anônimo disse...

Esse ex-presidente lulla, continua viajando nos aviões da FAB quando se desloca ao exterior, por quê?

Quem paga? O otário do brasileiro que nem transportes publicos possui?

Está em Espanha para assistir hoje ao jogõ Real Madrid x Barcelona, deslocando-se seguidamentre para Inglaterra? Quem paga? Por quê a FAB? Viajamos numa ditadura do proletariado, do pé descalço, dos corruptos, dos mentecaptos!

O canal desportivo ESPN, acompanhou sua visita ao estadio do Real Madrid. Politica baixa e reles a esse ponto em um canal de desporto? Mas quem è lulla? Algum "deus" ou um bronco corrupto e oportunista? Um gigolô do povo brasileiro?