quarta-feira, 13 de abril de 2011

Chega de Armação Ilimitada

Edição de Vídeos no Alerta Total – http://www.alertatotal.net/
Por Jorge Serrão

Oportunista como sempre, o presidente do Senado, o imortal José Sarney, apresentou proposta de plebiscito sobre o desarmamento para o próximo dia 2 de outubro.

Felizmente, na contramão do demagógico pensamento midiático, o colunista da Folha de S. Paulo, Fernando Rodrigues, definiu muito bem a intenção de Sarney:

“Proposta de repetir plebiscito é irreal e oportunista”.

Chega de demagogia

O povo brasileiro já votou, favoravelmente, ao direito de se ter uma arma para defesa.

O que os políticos deviam fazer é elaborar uma legislação com penas mais rigorosas para quem abusa desse Direito, fazendo uso criminoso da arma.

A arma não mata; quem tira a vida de outros é o ser humano – eu deve ser punido se cometer tal crime dolosamente, fora de circunstância de legítima defesa da vida.

Usar o triste massacre de Realengo – promovido por um jovem psicopata – como argumento pró-desarmamento é a mais covarde e criminosa demagogia cometida pelos pretensos defensores dos direitos humanos.

Um pouco de história para quem esqueceu ou nunca soube:


Em 1929, a União Soviética desarmou a população ordeira. De 1929 a 1953, cerca de 20 milhões de dissidentes, impossibilitados de se defender, foram caçados e exterminados.

Em 1911, a Turquia desarmou a população ordeira. De 1915 a 1917, um milhão e quinhentos mil armênios, impossibilitados de se defender, foram caçados e exterminados.

Em 1938, a Alemanha desarmou a população ordeira. De 1939 a 1945, 12 milhões de judeus e outros "não arianos", impossibilitados de se defender, foram caçados e exterminados.

Em 1935, a China desarmou a população ordeira. De 1948 a 1952, 20 milhões de dissidentes políticos, impossibilitados de se defender, foram caçados e exterminados.

Em 1964, a Guatemala desarmou a população ordeira. De 1964 a 1981, 100.000 índios maias, impossibilitados de se defender, foram caçados e exterminados.

Em 1970, Uganda desarmou a população ordeira. De 1971 a 1979, 300.000 cristãos, impossibilitados de se defender, foram caçados e exterminados.

Em 1956, o Camboja desarmou a população ordeira. De 1975 a 1977, um milhão de pessoas "instruídas", impossibilitados de se defender, foram caçados e exterminados.

Efeito do desarmamento efetuado nos países acima no século XX: 56 milhões de mortos.

Com o recente desarmamento realizado na Inglaterra e no País de Gales, os crimes a mão armada cresceram 35% logo no primeiro ano após o desarmamento. Segundo o governo, houve 9.974 crimes com armas entre abril de 2001 e abril de 2002. No ano anterior, haviam sido 7.362 casos. Os assassinatos com armas de fogo registraram aumento de 32%. Segundo as Nações Unidas, Londres é considerada hoje a capital do crime na Europa.

Tudo isso é óbvio, pois marginais não obedecem às leis. Com o desarmamento, só gente honesta como você não poderá ter uma arma.
Leia no site Fique Alerta o artigo de Francisca Romana Giacometti Paris: Bullying: procedimento vital ao grupo e mortal para quem o sofre

Acima: vídeo produzido pela Associação da PM de São Paulo

Um comentário:

Antonio Celso Marconatto disse...

"Em 1938, a Alemanha desarmou a população ordeira. De 1939 a 1945, 12 milhões de judeus e outros "não arianos", impossibilitados de se defender, foram caçados e exterminados"

Gostaria muito - mas muito, mesmo - que fosse citada a fonte, fidedigna, de tal informação.