domingo, 18 de setembro de 2011

Bestas no trânsito, e na gestão dele



Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão

Não existe ninguém preso no Brasil por ter cometido crime de homicídio doloso no trânsito. Esta é uma de nossas mais consagradas impunidades e injustiças. Se o assassino tem dinheiro, é famoso ou boas relações com o poder aí é que ele não pega cadeia mesmo. Foi apenas um entre milhões o caso do famoso Edmundo, cujo apelido era “Animal” quando jogava futebol. Matou no trânsito, só cumpriu 0,1% da pena, e teve sua condenação prescrita pelo Supremo Tribunal Federal.

Mais culpados que a permissiva Injustiça Suprema Tupiniquim são as bestas humanas com Carteira Nacional de Habilitação. Na mão delas, os veículos são armas letais. Também merecem condenação mais grave os supostos gestores de trânsito. São craques na repressão, em nos impor multas. Porém, são péssimos em investir, de verdade, em Educação. Usam a grana da Indústria das Multas para beneficiar esquemas lucrativos com os empreiteiros da sinalização – excelentes pagadores de mensalões aos políticos. As milionárias arrecadações com as multas não geram reais benefícios para o tráfego de veículos e o transporte de massa.

Vejam o triste exemplo da cidade de São Paulo. Só no ano passado, arrecadou nada menos que R$ 528 milhões com multas de trânsito. Para este ano de 2011, a arrecadação prevista é de R$ 638 milhões. O dinheiro arrecadado com multas deve, por lei, ser usado em ações de trânsito, como sinalização, renovação de frota da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e manutenção de semáforos e programas de educação. Se você reler o artigo “CET, o Caça Níqueis de Kassab”, escrito pelo advogado Antônio Ribas Paiva, presidente da Associação dos Usuários de Serviços Públicos,verá que nada disto acontece como deveria: http://www.fiquealerta.net/2011/09/cet-o-caca-niqueis-do-kassab.html

Tudo isto acontece por pura falta de cidadania. Os “cidadãos” se comportam como cordeirinhos mansinhos na hora de reclamar seus direitos ou para protestar contra os abusos de autoridade cometidos pelos poderosos que o voto ignorante bem emprega nos podres poderes públicos. Mas estes mesmos “cidadãos” agem como bestas humanas quando dirigem veículos, pilotam motos, andam de bicicleta ou quando são meros pedestres. Eles são irresponsáveis e desleixados com a própria segurança e a dos outros. E acabam impunes quando cometem um delito de trânsito com vítimas fatais.

Precisamos de uma revisão geral de valores. Vide o mega-acidente que aconteceu esta semana na Rodovia dos Imigrantes, em São Paulo. Se mautoristas, a 40 km/hora em média, provocaram aquele strike de 2 km de engavetamento com uns 200 veículos, cabe fazer algumas perguntinhas. A primeira: Será que já não passou da hora de termos uma ação preventiva contra acidentes absolutamente previsíveis, principalmente no trânsito brasileiro que mata mais que muitas guerras pelo mundo afora?

O caso da Imigrantes, que liga São Paulo ao litoral, se torna emblemático. A estrada SP-160 é administrada, desde 1998, pela empresa Ecovias. A concessionária, que fatura milhões com o medieval pedágio de R$ 20,10 (só queria pra mim os 10 centavos...), é classificada como uma das melhores do País. O centro de manutenção deles é tão moderno que toda a via é monitorada por câmeras. Portanto, a forte neblina foi filmada. Ninguém enxergava nada. Mas a estrada não foi interditada. E a mídia amestrada sequer questionou a Ecovias por não ter cumprido o que está previsto no próprio site dela (http://www.ecovias.com.br/Duvida). Grifamos o ponto crucial:

“O ponto mais crítico em relação à visibilidade são os oito quilômetros da Interligação Planalto, via que liga as duas principais rodovias do Sistema Anchieta-Imigrantes, na altura do km 40, permitindo a mudança de uma estrada para outra. Na descida da serra, a Interligação não pode ser bloqueada porque os veículos pesados que seguem em direção ao litoral pelo planalto da Imigrantes precisam obrigatoriamente trocar de rodovia para descer a serra pela Anchieta. Já na subida as alças da Interligação são prontamente bloqueadas sempre que a visibilidade fica abaixo dos 100 metros sem prejuízo ao tráfego de veículos tanto leves quanto pesados”.

Assim, o leitor simplório pode concluir que a súbita neblina em São Bernardo do Campo não foi a maior culpada pelo mega-desastre (que, por milagre, teve apenas duas vítimas fatais até agora). Por que a estrada não foi fechada na neblina forte, como prevê a própria regra dela? A mídia abestada novamente esqueceu de perguntar. E quem vai pagar o prejuízo dos motoristas no acidente? O seguro... De quem tiver um, claro! Reclamações adicionais para aquele velhinho de cabeça branca, o tal de Bento 16... Ou, para o Bispo Macedo, quem sabe...

Pondo-se de lado mais esse “acidente”, uma outra pergunta fundamental - que sempre tem a resposta urgente postergada na prática - é: Também não está na hora de uma revisão completa sobre Educação no trânsito, para que as pessoas aprendam a dirigir correta e civilizadamente, sobretudo em São Paulo, onde os carros, motos, ônibus e caminhões parecem pilotados por animais enfurecidos? Quando as pessoas vão parar para rever os anti-valores que vêm praticando no cotidiano? Quando vamos reagir positivamente?

Eis as questões... Pelo menos o cidadão do vídeo lá em cima protestou no Youtube...

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


© Jorge Serrão 2006-2011. Edição do Blog Alerta Total de 18 de Setembro de 2011. A transcrição ou copia deste texto é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas.

5 comentários:

José de Araújo Madeiro disse...

Serrão,

Aluízio Amorim,

Repassando para você:

Augusto Nunes,
Repassando para você:
Reinaldo Azevedo,
Repassando para você:

Lula, cabo eleitoral do Irmão de R. Lewandowski

Postado por José Eduardo C. Santarelli Manno em 17 setembro 2011 às 14:44
Exibir tópicos

Brasil 10/09/2011
Cabo eleitoral

Lula virou cabo eleitoral
do irmão do ministro do STF R icardo Lewandowski, que é candidato a deputado na Suíça por um partido de centro-direita. A frase anterior parece o samba do suíço doido, mas é isso mesmo: Marcel, irmão de Ricardo Lewandowski, é candidato a
deputado no Parlamento suíço pelo BDP nas eleições do fim do mês que vem.
Na semana passada, Marcel surpreendeu Lula em Lisboa com um pedido de apoio. Foram feitas fotos dos dois abraçados e a gravação de uma fala do ex-presidente pedindo votos para Marcel. Se isso vai resultar em votos, são
outros quinhentos.
Por Lauro Jardim.

Att. Madeiro

BRAGA disse...

Sem nenhum reparo à sua colocação.
É uma vergonha o desprezo pela vida humana. Os motoristas de São Paulo parece que odeiam a vida (dos outros, é claro); dirigindo parecem monstros, agora amparados na justifictiva "tô doidão", mas não faço isso com intenção de matar (!!??). Sou habilitado e dirijo há 49 anos, tendo rodado quase todo o Brasil. Nunca atropelei ninguém nem bati em outro veículo.
"Mautoristas", dirigir é um ato de Amor e respeito ao próximo.
Descarreguem seus recalques e ódios em outro local.
Braga

Anônimo disse...

Carro de paulistano parece que é dotado só de acelerador e busina. Parado no semáforo ele fica acelerando e ao abrir o sinal a estridente busina é disparada automaticamente. Daí segue numa enfurecida carreira até os próximos 30 ou 40 metros quando a pata direita é arrancada do acelerador o jogada com fúria sobre o pedal do freio, no último centésimo de segundo. E, claro, os "outros" são sempre dignos das mais torpes ofensas por serem...maus motoristas. É um circo de horrores.

Dr. Traffic Calming disse...

A empresa mista, travestida de órgão publico, e que supostamente gerencia o trânsito de SP arrecada com multas e zona azul e torra o dinheiro publico como e quando quer, atendendo os interesses de lobbies e seus comissionados. O de placas, semáforos, radares, e publicidade, onde torra-se no circo de ilusões, e acobertam-se erros e manobras factóides, falácias e cinismo que envolvem essa empresa.

A redução dos limites de velocidade de 70/80Km foi travestida de padronização p/segurança e redução de acidentes. Quem estabeleceu e insistiu nesses limites irresponsáveis, por quase dez anos, sem se importar com as consequências, inclusive como fator contribuinte para muitos acidentes fatais? Quem estimula o desentendimento entre os grupos potencialmente conflitantes que compõe o sistema de trânsito, tratando-os antagônica e separadamente, sendo que qualquer melhoria no trânsito depende de um consenso entre todos integrantes?
Por que não há um plano sério, profissional, transparente como é feito em várias cidades inteligentes pelo mundo?
Utilizar o pedestre como bucha de canhão nessa campanha cínica dita de Respeito ao pedestre é irresponsável e temerário, se o trânsito é mal orientado e mal fiscalizado. Como há dinheiro publico sobrando, produzem-se campanhas efêmeras e caras com direito a filminhos idiotizantes, faixas,palhaços e outras firulas no circo de ilusões da empresa mista.
As tentativas de CPI da mesma são bloqueadas pela tropa de choque do Prefeito, e assim vai. Pobre cidade rica, cheia de ratos.

Paulo Figueiredo disse...

Simples: os problemas com os maus procedimentos no trânsito retratam, apenas e tão somente, o grau de imbecilização que o povo brasileiro atingiu. Estão repetindo nas direções dos veículos suas incapacidades de raciocínio lógico e interpretação da realidade.

E um aviso aos comentaristas que me antecederam: o fenômeno não se restringe aos motoristas paulistas e paulistanos; grassa em todo território nacional. Os maus exemplos dos nossos “dirigentes”, estão fazendo hábitos nos súditos em todas as atividades sociais; mais notadamente nas “convivências” onde se requer conceitos e habilidades mais esmerados.

Estamos em plena canalhocracia, caracterizada por altíssima corrupção generalizada (nos três poderes – mais e pior no judiciário); enquanto os vassalos boçais se esfalfam, se engalfinham e se matam. Também dançam funk, assistem e votam nos big brothers, votam nos mais reles e vis políticos, etc,etc,etc,

Gente, este país acabou. Estamos em plena e absoluta degeneração moral, intelectual, cultural e outros “als”. Estes comportamentos no trânsito são apenas alguns dos sintomas da gravíssima doença social.

Desculpem a sinceridade.