quinta-feira, 8 de setembro de 2011

No Limiar dos Absurdos

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Márcio Accioly

Os brasileiros trabalham com afinco mais de cinco meses, todos os anos, para pagar impostos que sustentam larápios e assaltantes do dinheiro público, sem receber serviços que correspondam a tremendo desgaste. Nada acontece: a roubalheira é constante e a aparente, só aparente, conformidade da população, também!

As pessoas, notadamente os jovens, parecem estar iniciando movimento contra os desmandos que nossas autoridades praticam todos os dias, a partir da comemoração de “independência” (só rindo), do Brasil, neste dia 7 de setembro.

Porém, faz-se necessário que a mobilização continue, pois há de se tomar atitude para que figuras asquerosas como Sarney, Valdemar Costa Neto e tantas outras (contadas aos milhares), sejam removidas da vida pública e deixem de ser pagas com suado salário de quem de fato trabalha. O correto seria colocar todos eles na cadeia!

Não adianta trocar seis por meia dúzia! Remover tal caterva e recolocar salafrários “liderados” pelo ex-presidente FHC, homem de ego universal, responsável pela formulação de toda essa política entreguista a partir de 1995.

As pessoas demoram muito a perceber quem são os seus algozes. Só para ficar na história recente, foi assim com FHC (descoberto depois de dois mandatos) e está sendo assim com o ex-presidente (2003-11), Dom Luiz Inácio (PT-SP). Toda essa pilantragem ampliada por Dom Luiz Inácio foi elaborada a partir de FHC.

O interessante é perceber que o mais bem sucedido politicamente de todos é justamente o que abomina o estudo e sempre se posicionou contra todas as situações. Sua estratégia foi vitoriosa. É só verificar: O PT, por orientação do analfabeto “metalúrgico” votou contra a Constituição de 88 e o que lhe antecedeu e se seguiu.

Votou por não comparecer à eleição de Tancredo Neves, no Colégio Eleitoral, puniu parlamentares que optaram por ir (José Eudes, Bete Mendes e Airton Soares), ficou contra o Plano Real (existem vários vídeos no youtube atestando isso). Mas não se admita que Dom Luiz Inácio é do contra porque bebe muito.

Ele é inteligente e muda de acordo com as conveniências (afirmou ser “uma metamorfose ambulante”, como Raul Seixas), até alcançar o objetivo maior: a Presidência da República. Quem quiser que pense que o ex-presidente, por ser analfabeto e quase alcoólatra, seja de pouca percepção. Estará redondamente enganado.

Na Presidência agiu de forma semelhante: entregando as riquezas do país e se locupletando com velhas quadrilhas. Não têm um plano de organização do Estado, de formação de uma nação. O que eles possuem é mero plano de funcionamento, coisa precária que mantém o fluxo de capitais para o exterior e a roubalheira interna.

Votam ressalvas e artigos a bel-prazer e criam a legislação que acomode seus crimes. Não temos presídios, a educação é um lixo e o desenvolvimento do país acontece dentro de caos estabelecido. Basta verificar a falta de estradas numa sociedade que depende quase exclusivamente do automóvel.

O Brasil não tem ferrovias, metrô, nem plano de transporte de massas. As Cidades estão quase paralisadas por conta do trânsito. Os ladrões públicos, os maiores expoentes, são reverenciados por grandes e infindáveis obras, embora não se as enxerguem, pois o maior capital, o humano, está relegado ao esgoto que também não há.

Os acordos são feitos com pessoas impossibilitadas de circular livremente, apesar do passaporte diplomático, como o deputado Paulo Maluf (SP), procurado pela Interpol e na mira de negociação eleitoral com o governador Alckmin (PSDB-SP).

Se não houver mobilização popular, alterando o atual cenário, o país irá presenciar uma tragédia: a violência irá descambar para o descontrole, pois a crise institucional é visível e os poderes constituídos emitem sinais de intensa fadiga.

Márcio Accioly é Jornalista.

2 comentários:

Coronel Humberto Pinto disse...

Ilustre Jornalista
Accioly

O movimento não pode parar...

"Entretanto, quando num governo popular as leis não mais são executadas, e como isso só pode ser conseqüência da corrupção da república, o Estado já está perdido".

Montesquieu

BUDASEMCABEÇA disse...

QUANDO SAIO PELA RUA -
EU NÃO SEI MAIS O QUE EU FAÇO -
EU COMEÇO A PIRAR -
VEJO TODO MUNDO POBRE -
TODO MUNDO MUITO POBRE -
MUITO POBRE -
BEBENDO CACHAÇA -
É DE ARREPIAR -
É PELO MENOS UMA -
CONTRADIÇÃO -
O POVO BRASILEIRO -
ESTRANGEIRO EM -
SUA PRÓPRIA NAÇÃO -