domingo, 25 de setembro de 2011

O empalamento das instituições

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net/
Por Valmir Fonseca

Poderíamos denunciar as várias agressões de que foram vitimas as Forças Armadas nas ultimas décadas. Elas, certamente, negarão.

Foram maltratadas, sacaneadas, envergonhadas, difamadas, estupradas e, em alguns casos, ridicularizadas.

Mas existe um prazer sádico na sequência de abusos, a vítima tem que emitir gritinhos de prazer ou engolir em seco, e revirar os olhinhos diante de tanta orgia. Talvez, os disciplinados subordinados tenham recebido ordens para disfarçar orgasmos e deleites.

E assim tem sido nas ultimas décadas.

A cada cacetada, como sadomasoquistas depravadas, as Instituições nem gemidos soltam. Aprenderam como satisfazer aos seus sádicos senhores.

Ah, mas com a Comissão da Verdade, o sadismo chegou às raias da loucura. Cansados de deflorar a incauta dama, os psicopatas se agigantaram.

A sanha e a depravação que foram levadas ao extremo chegaram ao seu limite. Era preciso muito mais, causar dor já não era mais suficiente, era preciso desmoralizar, envergonhar, cuspir, trucidar.

E assim, surgiu a ideia da criação de uma Comissão para o trucidamento final (?). E, após exaustivos estudos, ouviu - se uma voz. Que tal empalar?

Aplausos. É possível empalar a honra? Fisicamente, é. Mas a grandeza, a personalidade, também? Não sabemos, mas não custa tentar.

Quem quer ser empalado? E os três braços se levantaram ao mesmo tempo.

Quem quer ser o primeiro? Os três quase se atracaram em busca da primazia.

Agora, caberá a um grupo de notáveis esculpir uma tala, uma grossa e comprida estaca. Pois faz parte do empalamento, introduzir o instrumento no ânus do inimigo até surgir a sua ponta na boca da vitima.

Por quanto tempo? Dois anos. Provavelmente ao vivo e em cores pela televisão.

Mas nada impede que nas vésperas do seu final, amplie – se o prazo. Lembram - se da busca das ossadas? Perdemos as contas de quantas comissões foram nomeadas, num processo sem fim.

E os recursos para a Comissão? Provavelmente infinitos, pois basta pedir mais que eles serão repassados. Alguém duvida?

Não sabemos de empalados que tenham sobrevivido. Nem física, nem moralmente.

Aguardemos o que sobrará das instituições militares depois desta gratificante e gloriosa experiência.

Valmir Fonseca Azevedo Pereira, Presidente do Ternuma, é General de Brigada Reformado.

Um comentário:

Anônimo disse...

Bom dia,
Eu, modéstia à parte, tenho alertado em diversos comentários anônimos sobre o risco que representa essa tal comissão da inverdade para as FFAA e para a democracia no Brasil.
A linguagem figurada (será?) usada no presente comentário do General Valmir - empalamento - é bem significativa desse risco. O alerta é tão claro quanto bem-vindo, para que os atuais comandantes militares, de todos os níveis, estejam preparados para a carnificina moral que será levada a efeito no País, nos próximos dois anos e nos seguintes.
Alguém tem que ter voz ativa, voz de verdadeiro comando, para alertar o desgoverno de que os rumos dessa tal comissão poderão levar a rumos perigosos para a democracia e para o ordenamento legal do País.
Deve ser deixado bem claro que cutucar a onça com vara curta pode ser perigoso para os "cutucadores", especialmente se estes forem mentirosos esquerdistas que pretendem falsifcar os fatos e criar uma verdade inexistente, em nome de ideologias de há muito tornadas obsoletas no mundo.
Alguém tem que falar grosso com essa gentalha esquerdopata, pois, só assim, os covardes se recolherão à sua insignificância de ladrõezinhos do Erário. Vão continuar roubando, é claro, pois para isso lutaram tanto pelo poder. Mas, pelo menos, recolherão por um tempo suas manguinhas e suas garrinhas esquerdistas.
SALVE O BRASIL!!
E SALVEM O BRASIL!!!