segunda-feira, 5 de março de 2012

Esboça-se uma Crise Militar

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Por Gelio Fregapani

A existência de um Ministério da Defesa, em si, é uma medida acertada, mas sua criação, por ordem do Consenso de Washington foi sempre uma fonte de risco institucional, porque os militares nunca aceitaram a autoridade de Ministro civil. Era o que se dizia...

Não é verdade que os militares recusem um comando civil; nunca se ouviu uma restrição ao Dr. Pandiá Calogeras. O problema são os ministros designados, claramente escolhidos para humilhar a força e destruir sua estrutura. Sob a presidência do FHC as Forças Armadas estiveram em seu pior momento; sem munição e sem comida. Nesta situação foi imposto um Ministro suspeito de ser ligado ao crime organizado. Foi como uma bofetada o sermos comandados por um político fracassado e de história controvertida, a gestão de Álvares foi a pior possível. Incompetente, contestado todo o tempo, caiu envolvido em corrupção.

Os sucessores em geral foram da mesma cepa podre. O Advogado, Geraldo Quintão foi outra escolha controvertida colocada para desmoralizar os militares Ficou no Ministério até o final do governo Fernando Henrique, mas ao custo de ser uma figura ignorada.

Lula nomeou José Viegas, um diplomata. Foi uma nomeação consentida, mas perdeu o apoio ao querer revolver o passado, ameaçando os que apenas tinham cumprido seu dever no Araguaia Desatendido pela tropa, pediu demissão. Foi substituído pelo Vice-Presidente, José Alencar, que conseguiu aplacar os ânimos. Quando Alencar pediu para sair, Lula escolheu para seu lugar o inútil Waldir Pires, que durou pouco no Ministério. Jamais foi assimilado quer por seu passado quer por sua inutilidade. Foi derrubado pela queda do Airbus A-320, da TAM. Assumiu, então, o arrogante Nelson Jobim, que recebido com desconfiança, aos poucos foi conseguindo alguma liderança, por adotar o ponto de vista dos militares. Continuou Ministro no início do governo Dilma e caiu por declarações políticas que irritaram a Presidente. Certamente uma jogada política.

Dilma nomeou o ex-chanceler Celso Amorim, também recebido com desconfiança. Na atual crise do Manifesto publicado pelos Clubes Militares, negociou uma solução branda, mas esta não é uma crise simples como parece. O Manifesto, retirado dos sites dos clubes já está subscrito por centenas de oficiais e praças e continua recebendo adesões.

Tudo isso aconteceu porque uma Ministra, Maria do Rosário, resolveu fazer uma exortação contra a letra da lei e contra a decisão do Supremo, mexendo com o “universo sagrado” da Instituição Militar – o cumprimento do dever. Terão, o Ministro e a Presidente, o bom senso de conduzir o assunto com sabedoria? (...)

Há no momento uma sucessão de eventos perigosos; as declarações da Ministra dos Direitos Humanos visa claramente a vingança, a humilhar as Forças Amadas. Será que ela não percebe que haveria reação? O que realmente ela quer? Uma crise institucional, no momento em que o mundo está em clima de pré guerra? Não basta o exemplo da Argentina, que destruiu suas Forças Armadas e agora fica a mercê de qualquer país ambicioso? (...)

Não se espezinha um Exército brioso, e um Exército sem brio não serve para nada, mas o brio, aceitando provocações de agentes maquiavélicos (ou de partidários inconsequentes como talvez seja o caso da Ministra) podem levar a decisões erradas e a atingir o que não se pretende. O brio e a bravura são essenciais a qualquer Exército. O soldado tem que ser bravo e brioso, e pode até ser inconsequente, mas o comandante tem que acertar. Não pode e não deve se lançar como um touro quando lhe acenam um pano vermelho. Tem que saber o que quer alcançar e a discernir qual o verdadeiro alvo, e o que possa ser apenas uma armadilha.

Bom também que a Presidente se dê conta que a Nação precisa de Forças Armadas ao contrário de Lula, que teve a desfaçatez de declarar que sempre embromou os milicos com sua disciplina, e quando lhes dava migalhas ainda ficavam agradecidos. Ainda por cima foi o criador da tal “Comissão da Verdade”.

Muitos de nós esperamos uma mudança com a Presidente Dilma. Evitemos estragar a esperança agindo intempestivamente.

Que Deus guarde a todos vocês.

Gelio Fregapani é escritor e Coronel da Reserva do EB, atuou na área do serviço de inteligência na região Amazônica, elaborou relatórios como o do GTAM, Grupo de Trabalho da Amazônia.

5 comentários:

Manoel Vigas disse...

Saudações.

DO TEXTO:
“Evitemos estragar a esperança agindo intempestivamente.”

“HÁ DUAS HISTÓRIAS,

A OFICIAL, EMBUSTEIRA, QUE SE ENSINA AD USUM DELFINI,
E A REAL, SECRETA, EM QUE ESTÃO AS VERDADEIRAS CAUSAS DOS ACONTECIMENTOS:
UMA HISTÓRIA VERGONHOSA”

HONORÉ DE BALZAC (escritor francês)

Sim,
é nesta “história vergonhosa” que poderemos vislumbrar os RESULTADOS que geraram os FATOS DO PRESENTE DESMONTE DAS FORÇAS ARMADAS DO BRASIL --- 2012.

Portanto, nada de ficar perplexo !!!

NESTE CENÁRIO GERALMENTE TEMOS UMA PARTE QUE POSSUI ÉTICA, BOM SENSO, E PENSA COMO VERDADEIROS PATRIOTAS.

SEM AGIR !!!

A OUTRA, ATUANTE E PROATIVA, É A GRANDE FORMADORA DA “HISTÓRIA VERGONHOSA” QUE PERMANECE OCULTA, ONDE SEUS AGENTES SE LOCUPLETAM DOS BUTINS.

ENTÃO DARIA PARA SE PERGUNTAR:

POR QUE TANTA HUMILHAÇÃO, ANOS A FIO, NUM PROCESSO ININTERRUPTO DE ANIQUILAÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS ?

RESPOSTA:

PARA NÃO SURTAR RECOMENDO
“ACREDITAR” NA HISTORIA OFICIAL !!!

MAS,

SENDO CORAJOSO, E ESTANDO ACORDANDO,

SEM ERRO PODEREMOS AFIRMAR QUE:

A ESPERANÇA, NESTES CASOS É AUSÊNCIA DE RACIONALIDADE !!!

NOTA:

NA ATUAL SELVA COMUNISTA
( república socialista soviética do brazil ), AJA COMO CAÇADOR E NÃO COMO CAÇA !!!

É O MÍNIMO QUE SE ESPERA !!!

PELO MENOS, CONTE COMIGO.

Atenciosamente.
Manoel Vigas

Anônimo disse...

Sabe, aquele tipo de estrago sem a menor possibilidade de conserto ?
Pois foi o caso ,isso não tem volta.

Anônimo disse...

Anônimo das 12:44 PM

Estou totalmente de acordo consigo!


E agora Sr. Coronel Gelio Fregapani

Quando escreve convitamente:

"Muitos de nós esperamos uma mudança com a Presidente Dilma. Evitemos estragar a esperança agindo intempestivamente."

Acredito sinceramente que V.Exª. mudou de campo, virou petista ou petralha. A escolha de opção è inteiramente sua! Quem diz acreditar nessa terrorista soviética, só pode estar de seu lado!

Os militares não têm nada que agir intempestivamente, se agirem e já o deviam ter feito, aí duvido, corto o saco até para comprovar minha certeza, mas felizmente jamais serei obrigado a isso devido è perene covardia dos nossos generais. Eles, nossos generais, só gostam de whisky com 12 anos e boquinhas! Têm tanta certeza disso que assinaram o documento. Serão intocáveis, ficando-se apenas pela mensagem de macho transmitida à terrorista soviética que ilegimamente chefia esta Nação e que V.Exª. lhe chama de "Presidente"!

Para lhe explicar porque afirmo ilegitimamente chefia a nossa Nação, è pporque ela foi eleita através de urnas eletrônicas comprovadamente 100% manipuláveis e inacreditavelmente por Lei, impedidos de recontagem de votos! Isto, è a Coreia do Norte com nome de Brasil!

Para acontecer um Golpe de Estado e repôr a Ordem, Progresso, respeito e dignidade pelos militares, só mesmo os atuais cadetes das Agulhas Negras. Mas até esses não conhecem os motivos de 1964! Então porque o fazer, não è? Repare, nem è dificil, porque somos uma Nação macrocefalo!

Quando se torna necessario, somos extremamente violentos, muito longe do que dizem sermos cordiais. A nossa Historia tem muitos exemplos, mas quem ignora nosso passado, está sujeito a repeti-lo. Não nesta geração como militares de pouca garra, soldos com 150% inferiores à inflação, sem armamento nem munições! Militar fraco não consegue grandes feitos heroicos porque porque não entende o que isso è nem como se pratica! Basta vê-los prestando vassalagem a qualquer político sem Honra e corrupto!

Para terminar, quem nomeou celso amorim para ministro da defesa, não foi dilma mas sim lula. Informe-se!

Anônimo disse...

Pelo Bem do BRASIL, eu estou, aliás, sempre estive de PRONTIDÃO.
"TUDO PELA PÁTRIA!"

Anônimo disse...

Boa tarde senhores,
Assino embaixo com o Coronel Fregapani, especialmente no que se refere à sagacidade do militar em saber se enfrenta um perigo real ou uma armadilha.
Olhando de fora e acompanhando tudo o que se passa, pude notar que as provocações das ministrinhas de merd* foram propositais, para forçar uma reação dos militares da ativa, para testar a capacidade de reaçãoe de indignação destes. Atiraram no que viam e acertaram no que não viam. Os militares da reserva agiram muito bem na reação - que até foi muito diplomática e contida. Nunca afirmaram ser porta-vozes do pessoal da ativa, por não o serem, de fato, e, em momento algum, usaram palavras desrespeitosas nem foram "indisciplinados" ou "insubordinados" contra o ministro da defesa ou contra a presidente. Reagiram contra a intromissão indevida e ilegal do ministro enxerido em uma sociedade civil. Imaginem um ministro determinando ao Serrão o que deve e o que não deve ser publicado no blog Alerta Total! Ridículo e absurdo, né?
Voltando ao início, eu não pretendo jogar gasolina nesta fogueira criada artificialmente pelas ministras maluquetes - já estão dizendo até que foi a mando do quadrilheiro zédirceu - e acho que as pessoas deveriam evitar qualquer alusão que possa levar os atuais terroristas no governo a justificar ações ainda mais prejudiciais às nossas Forças Armadas.
Paulão - Reservista de 3ª (CMPA - 65/71).