domingo, 29 de abril de 2012

A essência dos fatos

Artigo no Alerta Total – http://www.alertatotal.net
Por Arlindo Montenegro

Tudo quanto nos alegra ou aflige fundamenta-se nas idéias que povoam o cérebro e que se originam das experiências físicas ou abstratas. Se a coisa é física, “está na cara” em sua simplicidade direta e objetiva. No campo abstrato interferem os elementos universais, tudo quanto a ciência persegue na eternidade infinita. Como disse Einstein: “conhecer o pensamento de Deus”.

Os fatos que afligem e ainda envergonham os brasileiros, decorrem de idéias e ação política dos governantes que colocam o carro do modelo econômico e institucional, adiante das reais necessidades da boiada humana, encangada aos cabrestos-impostos, presa à atividade produtiva que gera a riqueza mal distribuída.

O governo desmancha toda possibilidade de ordem e progresso quando permite que idéias externas ocupem o espaço do ideário brasileiro, afirmando a divisão de classes, preconceitos e “pressão social”, em nome de idéias falsas, propaladas como verdadeiras. Estamos permitindo que se semeiem as idéias revolucionárias que têm como primado: “quanto pior, melhor”.

Quanto mais educação e conhecimento, melhor para o indivíduo tomar decisões sensatas. O pior é quando a educação pública segue os ditames da nova ordem mundial, imprimindo na mente das pessoas que o melhor é obedecer às leis que propõem a submissão aos tratados internacionais, antes de reconhecer os objetivos prioritários da nação.

Se um indivíduo, uma família, uma nação, renuncia às idéias e crenças culturais, geradas em seu ambiente está renunciando à liberdade. Submeter-se às leis de controle do ambiente internacionalista é resignar-se diante do caos proposto, como declarou Embaixadora da Noruega na ONU: - O desenvolvimento é: “abandonar algumas convicções tradicionais, inclusive as que se baseiam em crenças religiosas ou na cultura”.

As leis da ordem cósmica perpassam a mente humana. Deus, imaginado em formas diversas, tem marcado sua presença em todas as culturas humanas documentadas, orientando os homens para as escolhas e comportamentos éticos. O abstrato e o físico são complementares. Abandonar um ou outro é o mesmo que amputar-se.

Os “índios” que invadem fazenda, os sem terra que destroem laboratórios de pesquisa e prédios públicos, os que ocupam rodovias, os que aterrorizam e torturam e trucidam pessoas em suas própria casas, seja nas periferias ou nos bairros prósperos, estão obedecendo à educação e informação oficial que espalha ordens subliminares para criar o caos. Quanto pior, melhor para os que perseguem superar as Leis Cósmicas.

O pior ambiente revela a família conduzida a ficar de boca calada, engolindo o sapo do Estado legislando sobre a vontade de uma minoria, para extinguir a autoridade sobre os filhos, a responsabilidade e a possibilidade de escolhas livres sobre a educação e sexualidade impingida como direito que antecede a maturidade mental.

O pior ambiente escancara as escolhas dos dirigentes para buscar alianças econômicas e políticas fundadas em ranço ideológico, com a China, por exemplo, cujo interesse é a aliança com empresas ocidentais, para a produção e contrabando de quinquilharias e alta tecnologia produzidas por mão de obra semi escrava, acesso à matéria prima e concorrência sufocante.

As indústrias que podem mudam para outros países em busca de mão de obra barata, ambiente tributário menos agressivo e juros menos concentradores praticados pelo sistema financeiro sob imposição da rede bancária internacional. Com isto e por escolha dos governantes a produção local regride ou anda a passo de tartaruga.

As políticas externas parecem empenhadas em buscar e adotar leis internacionais que em nada contribuem para a educação ou para a defesa de interesses nacionais. Ao contrário: a cultura nacional é espezinhada pela importação de kuduro, funk, $1.99, produtos pirateados e outros aspectos que alimentam a alienação de uma juventude presa das drogas, dos insólitos axés, batidões e violência gratuita.

São muitos os aspectos que agridem e dificultam as excelentes iniciativas dos nacionais, enquanto os legisladores estão engalfinhados esperando as ordens de um poder executivo que deita e rola, servindo-se das tecnologias mais avançadas para controlar cada cidadão, impondo sua vontade internacionalista, sem rumo definido.

Resta abrigar-se na certeza de que há uma verdade eterna, guiando os homens para adotar ações éticas que afirmem a superioridade do espírito sobre as coisas materiais. Uma verdade que perpassa as cogitações humanas, presente em toda a historiografia documentada. Uma verdade reconhecida com faces imaginárias de deuses na Ilíada e Odisséia, Mahabarata, Egito Antigo e na Bíblia... A face imaginária e percepção da presença do Deus desconhecido.

Arlindo Montenegro é Apicultor.

3 comentários:

Ronald disse...

Grande mestre Arlindo, sempre sucinto e direto ao mesmo tempo em seus textos que nos fazem pensar não somente quando terminamos de ler os mesmos mas por horas, dias ou semanas...
Obrigado mais uma vez.
Saudações

César disse...

Acredito que a matéria está incompleta, pois apresenta a carga tributária como um mal separado da industria. Ledo engano!!
Nenhuma empresa paga tributos, pois todos são repassados para o consumidor final. Nenhuma empresa acrescenta nada a nação, pois a produção industrial copiativa (a nosa industria só copia)é predatória e a não ampliadora de divisas, ampliadora de divisas são as propriedades intelectuais, inventos, pois esses geram divisas apenas com royalties e podem gerar através de novas tecnologias. Mas a propriedade intelectual é sabotada no mundo todo pelas industrias que criam leis escatológicas e criminosas para roubarem inventos de inventores individuais. Os ladrões de inventos são chamados empresários, mas são ladrões. E quase todas as PATENTES do BRASIL são ROUBADAS pelo INPI, o antro mafioso de roubo de propriedade industrial. Tudo com conivencia de todo o status quo.
A essencia do fato é que enquanto o governo continuar apoiando elite parasitária metida a empresária, essa latrina imunda brasil continuará a mesma merd...
Só inventos, propriedade intelectual, pode gerar desenvolvimento, é a base do desenvolvimento. E quem inventa não é "empresário" é inventor, uma profissão que sequer é reconhecida, mas existe instituto de roubo do fruto dessa profissão, o INPI, instituto nacional de propriedade INDUSTRIAL e não intelectual, mostrando o mais criminoso esquema de roubo de inventos. Um instituto que proptege industia ser legitimado para proteger invento. Um claro conflito de interesses, pois industria não inventa, mas quer muito produzir invento sem pagar royalties.
Consegui mostrar a essencia da industria nacional???

http://members.libreopinion.com/br/vapera

Anônimo disse...

O texto fica em cima do muro e não defende claramente a cultura superior do ocidente fundada no padrão ético e moral judaico-Cristão. Fica em cima do muro quanto aos valores que de fato fizeram o ocidente o que é.Iliada, tolices egípicias, esse papo diplomático no campo metafísico não nos ajuda. É o Deus de Israel, e o seu Cristo, é na Bíblia que temos a única porposta eficaz que defende e ensina a forma correta de vida e civilização a ser vivida. Não temos que ter medo ou vergonha de dizer que cremos em Deus e somos cristãos e que só Nele temos esperança.