quarta-feira, 4 de abril de 2012

Ordem do Dia 31 de Março 2012

Documento Histórico no Alerta Total – www.alertatotal.net  
Por Antônio de Pádua Lima da Silva

Meus comandados:Não enxerguem esta manifestação de seu Comandante como um ato de rebeldia, de desrespeito às disposições legais que regem nosso País ou mesmo como uma ameaça àqueles recalcitrantes que teimam em não querer sepultar suas ultrapassadas crenças e, obstinadamente, ainda numa luta sem tréguas, procuram denegrir a história de nosso Exército.

Pelo contrário, a finalidade destas minhas palavras é a de levar a todos vocês uma mensagem de confiança em seus chefes, nas Instituições a quem, por um juramento sagrado, prometemos defender “com o sacrifício da própria vida” e conclamá-los a exercer uma das mais difíceis qualidades do ser humano: a tolerância.

Junto a esta dignificante ação acresçam a necessária paciência. Lembrem-se do velho ditado árabe: “quem me irrita me domina”.

Os adversários do Brasil, aqueles que não querem vê-lo pacificado, usam das mesmas armas de sempre, empregando jovens irados, embriagados por idéias de paraísos inexistentes, para atacar o Exército, por intermédio de covardes ações contra velhos chefes, hoje, indefesos octogenários.

Valem-se de ditos “formadores de opinião” para querer nos impor o que devemos fazer ou deixar de fazer dentro dos muros castrenses; avaliam nossas ações sem nos conhecer; propõe que mudemos nossa história, como se ela pudesse passar pelo mesmo revisionismo que atingiu aos falidos países por onde sua alienígena doutrina prosperou.

Saibam que o seu Comandante tem pleno conhecimento que as ofensas dirigidas aos militares, da ativa e da reserva, nos atingem e muitas vezes clamam por uma dura resposta, pois além de estar dirigida a nós mesmos, tem como alvo nossos antigos chefes e camaradas.

Nossa resposta a essas ações deve ser sempre a LEI, pois, constitucionalmente, somos a Instituição Nacional encarregada de defendê-la, mantendo a ORDEM para o conseqüente PROGRESSO do Brasil.

Meus Comandados!

A Força Terrestre de hoje, da qual nossa Brigada faz parte, é o mesmo Exército de Caxias, que anistiou aos “Farrapos”; é o mesmo que sangrou vítima dos covardes atos praticados pelos tresloucados internacionalistas de 1935; é o mesmo que conquistou Monte Castelo, lutando contra o nazifacismo; é o mesmo que impediu que ensandecidos comunistas, embalados pelo mundo bipolar da segunda metade do século XX, transformassem nosso País num satélite de uma confederação de paupérrimas republiquetas; e, é o mesmo que propiciou e garante a Democracia que hoje vivenciamos.

Antônio de Pádua Lima da Silva, General de Brigada, é Comandante da 5ª Bda C Mec (Brigada Angustura).


PS – O Alerta Total torce para que o General não sofra covarde punição pela livre manifestação feita dentro da Lei e da Ordem em uma unidade militar.

10 comentários:

Anônimo disse...

Se ele sofrer, será o alerta para nos manifestarmos e sairmos às ruas. Chega de tratar os doutrinados, sempre com classe, elegância e em cima do salto. Se o General sofrer represálias, saiamos de cima dos nossos saltos e rodemos a baiana!!
Chega de tratar os desiguais comunistas, como trataríamos nossos iguais. Chegou a hora de lhes mostrarmos que nosso silêncio era apenas para evitar nos misturarmos na "lesma lerda" na qual eles vivem. Agora a briga deve ser de igual para igual. Estamos com o General e ele está conosco!

Carlos Bonasser disse...

Esse foi o exercício de cidadania mais interessante que li nesses dias.
Está na hora de os da ativa verificar que opiniões como esta que externou o General podem muito bem serem proferidas, pois além de não criticar governo nem autoridade, faz um retrospecto a relembrar aos mais velhos e aguçar os neurônios dos mais novos que a historia não conhece.
Muito bem colocado à maneira como o General se posicionou em relação aos fatos históricos, dado a precisão cronológica dos seus acontecimentos.
Excelente e contundente, mesmo por que o que o Ilustre e Nobre General expos foram fatos históricos que culminaram com a adoção da Democracia no nosso País.
Os Militares da ativa devem sentir muito orgulho dos atos de seus irmãos desse passado próximo, pois graças a eles, os Governos Militares nós hoje vivemos um estilo de vida totalmente adverso do que praticado nos países cultuados por esses terroristas, assassino, sequestradores, torturadores e ladrões, que graças aos nossos Militares ainda se encontram enfurnados na alta cúpula desses governos ditos populares, de onde sangram com suas maracutáias os cofres da União, sem um pingo de amor ao Povo, à Nação e ao País.
Estou com o General Antônio de Pádua para o que der e vier.
Um forte abraço.
Carlos Bonasser

Carlos Bonasser disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Martim Berto Fuchs disse...

Lamentável sob todos aspectos o revanchismo dos derrotados. Usam um bando de ignorantes, bem orquestrados, para atingir quem impediu uma ideologia canhestra de se adonar também do Brasil.
Quando vejo e leio em que se transformou Cuba, posso melhor avaliar do que nos livramos, graças a intervenção militar em 1964.
Nem tudo foram flores nos anos em que nossos governantes, oriundos das FA, dirigiram e administraram este país, mas pelo menos tinham os olhos voltados para frente e não para trás.
O que me impressiona nesse pessoal que está governo, é a cara de pau de nunca dizer à que vieram, explicitamente. Agem sempre na calada da noite. Condenavam os Atos Institucionais, mas não fazem outra coisa, legislando através de Medidas Provisórias.
Defendo um novo contrato social para nosso país e que poderá servir de base, pelo menos para o mundo ocidental e em particular aos países que não aceitam a hegemonia do capitalismo selvagem e menos ainda de Estados Absolutistas disfarçados de democracia.

http://capitalismo-social.blogspot.com/

Ronald disse...

Anônimo @ 11:40, suas palavras são sensatas e pertinentes. Qualquer manifestação da cambada vermelha será tenazmente combatida.
Afinal, não há no texto do General nenhuma provocação, somente verdades incontestáveis.
A ver.
Sds

Anônimo disse...

Embora o texto mereça ser lido e entendido, por primoroso, infelizmente o autor declinado não existe.

Ricardo disse...

Espero,sinceramente, que a coragem demonstrada pelo General seja firmemente seguida por outros.Esta na hora,alias ja esta passando dela,da sociedade que tem honra e carater reagir às infâmias que estão nos obrigando a enfrentar.

Luciano disse...

Palmas para o senhor general. Mas que tal sair da retórica e fazer algo a respeito daquela agressão sofrida pelos velhinhos? Nada de ilegal e fora do alcance de vocês, apenas identifique os responsáveis e convoque-os para o serviço militar obrigatório. De preferência no interior da amazônia, em algum lugar infestado de jacarés e piranhas. Faça justiça aos justos.

Ubirajara Itagi disse...

A anistia incluiu até mesmo os bandidos dos dois lados da luta. Desse modo, os covardes torturadores que denegriram as instituições militares também foram perdoados. Isto, todavia, não nos impede de conhecer tais bandidos e de tê-los como bandidos nos espaços públicos comuns.

G Silva disse...

Caro amigo Jorge Serrão,infelizmen-te esse é um texto é falso, porque não existe no Eb esse general Anto-nio de Pádua, que assina o texto e nem mesmo essa 5ª Brigada C Mec a
qual ele se diz comandante. É mais uma vez uma cusparada na cara do pessoal da ativa e da reserva do EB
Gostaria muito que o amigo Serrão republicasse um texto, publicado no
dia 25Dez2011, de autoria de Ricar-do Montedo, militar da ativa e de coragem irreparável, o texto se intitula "Carta de um milico para o
Papai Noel".Esse sim é um texto verdadeiro que retrata a realidade da coisa. Gostaria de terminar com uma frase para uma reflexão. " Os maus triunfam onde os bons se acovardam. Um abraço.