segunda-feira, 7 de maio de 2012

A CPMI do Cachoeira

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Valmir Fonseca

Já nos perguntaram: e a CPMI do Cachoeira? À indagação, valemo - nos de uma entrevista realizada por uma TV, na manhã de uma 2ª feira, em frente ao Conjunto Nacional, conhecido shopping central situado próximo à cabine do piloto da “aeronave Brasília”.

O repórter, aleatoriamente, abordou dez transeuntes com três perguntas. A primeira foi quem venceu o BBB 12? Dos perguntados, oito responderam, acertadamente, embora três tenham discordado quanto à escolha do populacho. Cinco se empolgaram com a disputa, tanto que telefonaram para a emissora em favor de seu candidato. Como afirmaram, não se importaram em pagar a ligação, pois julgaram estar cumprindo um dever de cidadania.

Um, afrodescendente e candidato à UnB, de preferência sem o concurso, mostrando - se mordaz, garantiu que o vencedor foi o Bial. Outro, conhecido bêbado, não assistiu, pois estava concentrado numa garrafa de cachaça. Portanto, concluiu o repórter, a audiência do programa na final foi de 90%.

A segunda pergunta foi sobre o STF. Como incentivo, o entrevistador dava uma palhinha e traduzia uma parte do mistério. É o Supremo Tri...., mas a tchurma não conseguia desembocar no resto. Conclusão irrebatível, nenhum dos entrevistados sabia o que era, quem era, nem para o que servia. Portanto o repórter concluiu que a audiência ou a credibilidade daquela repartição governamental foi de 0%.

A terceira foi sobre a CPMI do Cachoeira. Dos entrevistados, quatro não tinham a menor ideia do que significava CPMI. Três arriscaram opinar sobre Cachoeira. Um alegou que deveria ser um acidente topográfico, outro, um acidente geográfico, e o terceiro palpitou que seria uma pequena cascata d’água.

O oitavo, mostrando sapiência, arriscou que seria uma investigação sobre um tal de Cachoeira, conhecido bicheiro de Goiânia. O nono, do PT, esbravejou que agora os outros partidos iam “si fu”. O décimo era o nosso já conhecido bêbado, que vomitou ao ser perguntado, não sabendo o repórter se por nojo da futura maracutaia ou por desconforto estomacal. Portanto, por conclusão do repórter, o índice de audiências foi de 10%.

Diante dos resultados acachapantes, constatamos que a turba é fã do BBB, mas não está ligada aos arroubos de justiça do STF, nem à CPMI do Cachoeira.

Nós, por óbvio, e sovados por portentosas CPI e CPMI de triste memória, e comédias, farsas e pizzas nos fornos do Teatro do Congresso Nacional, temos a premonição de que assistiremos a um espetáculo recheado de canastrões, onde serão sacrificados os patifes de outras panelinhas, que para a sua desgraça não compactuaram com a turma da maioria governamental, e o Cachoeira, é lógico.

Dizem que o Cachoeira sabe cobras e lagartos, coisas de arrepiar.

Já vimos este filme. Por mais que ele fale e prove, nada na face da terra existirá, senão for do interesse da alta cúpula.

Nada perdurará que um retumbante NÃO dos acusados pelo indigitado Cachoeira não destrua, fragorosamente. O STF não decidiu que nem todos são iguais?

Meus amigos, sobre a CPMI do Cachoeira, sabemos que só chegará onde os interesses da alta cúpula da esbórnia forem atendidos. O resto é mera especulação.

Valmir Fonseca Azevedo Pereira, Presidente do Ternuma, è General de Brigada Reformado.

Um comentário:

Martim Berto Fuchs disse...

O advogado do nosso amigo Cachoeira é nada mais nada menos que o advogado que livrou o Sr. Luiz Inácio do impeachment. Pelo que consta, a cachoeira vai secar, pois não sairá nem uma gota para a CPMI. Mais ou menos na base de “eu não sei de nada” e ponto final.
Se fosse para valer, Brasília amanheceria deserta.
Só partindo para outro contrato social, pois este já deu o que tinha que dar. Não adianta mais remendar esse velho e carcomido colchão.

http://capitalismo-social.blogspot.com/2011/12/2-novo-contrato-social.html