sábado, 28 de julho de 2012

Caso Carandiru – Justiça feita ao Coronel Ubiratan

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Francisco Torres de Mello

VOCÊ SABIA que para poder julgar alguém ou mesmo uma situação é necessário que se conheça a fundo as condições e o andamento do processo?

VOCÊ SABIA que lá nos "autos do processo" tem o depoimento de um dos presos onde afirma que: "Nós preparamos uma emboscada para a Tropa de Choque"?

VOCÊ SABIA que os jurados que julgaram o Coronel Ubiratan da primeira vez concluíram que ele agiu no "Estrito Cumprimento do Dever" e mesmo assim ele foi condenado?

VOCÊ SABIA que se a Tropa de Choque não interviesse e os amotinados se matassem entre si, eles teriam que responder na justiça por não terem cumprido o seu dever?

VOCÊ SABIA que nos "autos do processo" está a declaração de um perito que à época afirmou que:

"Caso a Tropa de Choque não tivesse invadido o pavilhão 9, provavelmente a maioria dos presos ou em sua totalidade poderia morrer pelo fogo ou asfixiados" ?

VOCÊ SABIA que naquele pavilhão 9 estavam quase 2200 (dois mil e duzentos) presos e que quando a Tropa de Choque estava chegando ao terceiro andar (andar onde ocorreu a confusão), já tinham mortos pelas escadarias, além de óleo e sangue para os policiais escorregarem?

VOCÊ SABIA que o Coronel Ubiratan não deu um tiro sequer e muito menos ordenou à sua tropa que matassem alguém? Que o que aconteceu foi uma fatalidade?

VOCÊ SABIA que o Coronel Ubiratan, ainda nas escadas abrindo caminho para os bombeiros, foi atingido pela explosão de um botijão de gás, motivo pelo qual foi imediatamente tirado dali e conduzido ao pronto-socorro?

VOCÊ SABIA que na primeira barricada montada pelos presos na entrada do pavilhão já tinha um dos presos degolado pendurado de cabeça para baixo?

VOCÊ SABIA que em mais barricadas os policiais se depararam com presos já totalmente mutilados pelos demais. As fotos estão nos autos!

VOCÊ SABIA que os presos tinham armas de fogo, estiletes, barras de ferro, facas?

VOCÊ SABIA que para fazer o filme do Carandiru, Hector Babenco não fez qualquer consulta ou mesmo contato com nenhum dos policiais e muito menos com o Cel Ubiratan?

Que este filme que tanto mexeu com a opinião pública foi baseado somente no depoimento de presos?

Que na verdade ali tinha mais ficção do que realidade?

VOCÊ SABIA que as verdades que coloco aqui não são veiculadas pela grande mídia porque os interesses pela proteção dos criminosos no Brasil são muito maiores?

Que a inversão de valores está tomando espaço cada vez mais do nosso dia-a-dia e na maioria das vezes não nos damos conta disso?

Todas as informações aqui contidas fazem parte dos "autos do processo" do Coronel Ubiratan Guimarães, que por muitos anos foi acusado pelo que ficou conhecido como "Massacre do Carandiru".

São informações públicas e então no Tribunal de Justiça de São Paulo, à disposição de todos aqueles que tiverem dúvidas sobre o que ocorreu de verdade.

E foi nestes autos que os 24 Desembargadores se basearam para inocentar o acusado.

E a Justiça foi feita!

Francisco Torres de Mello, General de Divisão Reformado do EB, é Presidente do Grupo Guararapes.

2 comentários:

tiu disse...

Infelizmente morreram poucos....
Deveriam ter matado o carandiru inteiro....e deixado os urubus limparem a sujeira......

Martha Alaíde disse...

Infelizmente ele não tomará conhecimento que a Justiça foi feita ao ser declarado inocente. Aliás, tenho curiosidade em saber o resultado da investigação do seu assassinato. A ex-namorada foi julgada ? Está presa ???