domingo, 1 de julho de 2012

Chavez comanda o espetáculo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Cesar Maia

É ingenuidade pensar que ALBA (o grupo de países associados à aliança bolivariana) seja composta apenas por aqueles formalmente inscritos, como os explícitos Venezuela, Nicarágua, Equador e Bolívia.

Bolivarianos do ponto de vista politico são todos aqueles que, ao menor estalar de dedos de Chávez, seguem suas palavras de ordem, automaticamente e sem pestanejar. Nesse sentido, o Brasil de Lula e de Dilma, é bolivariano. Um com o caso Zelaya em Honduras e a outra com o caso Lugo no Paraguai.

Também são - nesse sentido - Bolivarianos, a Argentina e o Uruguai, da mesma forma reagiram nos casos Zelaya e Lugo. Mujica -presidente do Uruguai- declarou, no final de 2011, que como o Senado do Paraguai não votava o ingresso da Venezuela no Mercosul, que o presidente Lugo se lixasse para o Congresso e aprovasse o ingresso da Venezuela por um decreto seu. Até o presidente do Chile tergiversou debaixo do superego de Chávez no caso do Paraguai.

Foi lastimável, no dia da votação da destituição de Lugo, que chanceleres de países do Unasul, como formiguinhas em fila, assistissem às perorações do chanceler Maduro da Venezuela e do secretário da Unasul, também chavista venezuelano.

Por que em casos de escandalosos atropelamentos aos direitos dos opositores, varrição das regras constitucionais, agressões à liberdade de imprensa e coisas no estilo, nenhum presidente do Unasul balbucia uma palavra se quer? Silêncio cúmplice, com Chávez, com Corrêa e com Morales.

Tragicômico papel do secretário geral da OEA, que sem sequer reunir o pleno e sem ser credenciado como porta voz de quem quer que seja, deitou falação orquestrando-se com Chávez, no caso do Paraguai.

Os fatos mostram e demonstram que Chávez exerce uma liderança que vai muito além dos países da ALBA. E que, lastimavelmente, o Brasil e a Argentina fazem parte deste coro de subservientes políticos.

Cesar Maia é Economista.

2 comentários:

Carlos Bonasser disse...

O pior de tudo foi ver de como tão fraca são nossos Presidente e a nossa Diplomcia.
A PR como que sem atitude para que pudesse corroborar a ideia de se achar protagonista dos paises do cone sul deixando-se levar pela maluca da argentina,
O nosso representante do Itamarati feito uma barata tonta, sem ter conhecimento das normas em vigor no Paraguay e assessorando o governo e não o Estado brasileiro de forma equivocada.
O lula e o chaves de longe dando as cartas deixando o Estado brasileiro fazer o papel de babaca.
Não respeitaram as Instituições daquele País, não respeitaram e nem conhecem a Constituição que vigora por lá.
Nem sabem o que vem a ser ruptura, pois, ruptura, creio, se dá quando há a quebra da ordem Constitucional, quando o Ordenamento Juridico fica a reboque do pseudo usurpador, quando tambem ocorrer o alijamento da Constituição que hora vige naquela Nação, aí sim, SMJ, fica caracterizado a ruptura constitucional, que os esquerdistas do foro de são paulo chamam de ruptura democratica, pura balela dos bolivarianos e seus seguidores.
Um forte abraço.

augusto disse...

Os interesses dessa gente, agora que chegaram ao poder está acima de tudo. E ficam o tempo todo falando em democracia. A rataria está aproveitando.