domingo, 1 de julho de 2012

Fátima, rogai por nós, pecadores e midiotas...

Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrão

O showrnalismo tupiniquim é de uma imbecilidade tacanha. Dá nojo ver algumas notinhas, em colunas abestradas e amestradas, comemorando um prematuro insucesso do “Encontro com Fátima Bernardes”. O problema dos críticos é tão sintomático quanto a não decolagem (ainda) do programa. A maioria de medíocres adora criticar e detonar as boas ideias, focadas em um jornalismo popular que exija ou provoque um mínimo de reflexão da “audiência”.

Em audiovisual (cinema, televisão e rádio), algumas boas propostas demoram a vingar. Milagre quando alguma proposta de qualidade faz sucesso imediatamente e, mais raramente ainda, consegue sobreviver ao imediatismo ignorante dos dirigentes midiáticos brasileiros. Justamente por isto atacam o programa da Fátima, por preconceito, burrice ou inveja, aqueles que já tiveram seu senso comum modificado pelo modelinho ignorante de telejornalismo ou de entretenimento televisivo de baixo nível.

O programa da Fátima – proposto pela jornalista – tem de dar certo. Primeiro, porque ela contribui para elevar o nível da programação da televisão aberta. Segundo porque promove uma interatividade e troca de ideias com seu auditório – vencendo uma barreira dentro da própria Globo, que nunca foi muito chegada à interação e ao debate livre de ideias em sua programação ao vivo. Terceiro, porque a mídia brasileira precisa discutir questões relevantes e humanas – como parece ser a proposta da Fátima. Sucesso para ela, e para todos nós – mesmo que demore um pouco.

Aproveitando o título do programa, os brasileiros precisam se encontrar com o Brasil – ou vice-versa. Temos tudo para ser, rapidamente, potência mundial. Basta ter vontade, competência e capacidade de gestão. Temos de tirar proveito da genética de vira-lata – e não ficarmos reféns de um complexo de inferioridade, fracasso, medo, omissão, provincianismo e burrice. Precisamos desenvolver um otimismo operacional, que se transforme em resultados produtivos, medidos em conhecimento bem aplicado e geração efetiva de bem-estar e riquezas para a maioria dos brasileiros.

Os ignorantes, medrosos ou corruptos – em parceria ou mera conivência com os ideólogos e operadores do Governo do Crime Organizado – querem exatamente o contrário: um País aparentemente rico, mas que tenha um povo cada vez mais idiotizado política e culturalmente, para servir aos interesses dos bandidos que têm a hegemonia dos podres poderes. Para eles, uma mídia leviana, oportunista, vaidosa e que só critica o que lhe interessa provinciana ou individualmente serve perfeitamente aos planos de manutenção da escatologia vigente.

No mar de lama, tomo emprestada a parte de um desabafo reflexivo do leitor Alberto Figueiredo – sempre presente na área de comentários deste Alerta Total. Ele descreve bem o fenômeno da gritaria virtual, que ajuda, mas não resolve os problemas e nem viabiliza soluções mais práticas. Abre aspas para ele: “A parte do povo que usa jornal (pra ler), internet ou revista já sabe de tudo isso e muito mais. Mandar: Vejam isso, vejam aquilo (divulguem) não vai alterar nada, querem fazer alguma coisa que realmente sirva? Vão para as ruas, para a frente do congresso, do STF, TSE, Assembléias, Câmaras, Prefeituras, palácios de governos, e demais coitos, nada conseguirão. Esta revolta digital já era esperada. Faz parte do jogo”.

O leitor prossegue: “No Brasil o povo pode reclamar, chamar todo mundo de ladrão. É a liberdade de expressão, teatro para o mundo. Enquanto isso, nos redutos das quadrilhas, o futuro do Brasil vai indo pro brejo. Reclamações? Tolice! Gente safada não tem vergonha. “Deixa este povinho idiota gritar, em outubro ele vai às urnas e nos concede mais quatro anos de liberdade para roubar, mesmo que não queiram. O resultado já é conhecido. As inexpugnáveis urnas brasileiras nos garantirão um futuro tranquilo. Eis a vontade livre e democrática do povo”.

Mandou bem! A reação parece inútil e sempre fora do tempo. A ação quase não acontece. O governo do Crime faz a festa. E seus agentes ficam impunes e cada vez mais ricos e poderosos. A campanha cidadã em favor de candidatos ficha-limpa sofreu mais uma contundente derrota. O Tribunal Superior Eleitoral resolveu facilitar a candidatura de políticos que tiveram as contas de eleições passadas reprovadas pela Justiça Eleitoral. Teremos 21 mil contas-sujas disputando – com enormes chances de vencer com a grana roubada – a próxima eleição.

E vai começar o teatrinho eleitoral do João Minhoca, encenado em pleno cassino eleitoral do Al Capone, com seu sistema de votação eletrônica 101% confiável. Enquanto isto, o cenário de crise global se agrava no horizonte externo. No lamaçal interno, a permanente crise institucional realiza o milagre de não desandar em ruptura – e sim sempre acabar em “conciliações, conivências, conchavos e negociatas”.

No discurso de propaganda oficial, vai tudo bem no Brasil. Mas, se der algo errado, e os emergentes precisarem de algum reforço de crédito, sugiro que se peça uma graninha emprestada ao partido político no poder. Talvez tenha sobrado um tantinho dos R$ 1.150.000,00 que a construtora Delta generosamente doou para a campanha presidencial da Dilma, em 2010 – conforme denúncia da Transparência Brasil.

Se sobrar algum, manda para cá... Mas deve ter sobrado, não...

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 1º de Julho de 2012.

3 comentários:

augusto disse...

O problema da mídia vendida, é que ela dá importância somente ao que lhe interessa, não importando a verdade nem seu conteúdo, tem que enrolar as pessoas que assistem, e todas vão pelo mesmo caminho medíocre da enganação. Eles estão esquecendo que as redes sociais estão acabando com as suas mentiras.

Anônimo disse...

Se Fátima Bernardes não tivesse inimigos, não tinha valor. E midia amestrada, não è midia, è pasquim.

Anônimo disse...

Ah gente peralá também..

É indiscutível o talento da jornalista, mas senso crítico muitas pessoas ainda tem e é bom usá-lo de vez em quando.

O programa é ruim sim. Horário ruim, aliás péssimo pra alguém do naipe dela...e superficial demais. Eles a engessaram completamente.

A culpa ali não é dela, mas de quem deu as diretrizes de como o programa seria, o que ela poderia falar etc..

É um horário que a mulherada ou está voltando pra casa depois de pegar as crianças na escola ou estão indo. O formato Oprah Winfrey só decola a tarde...e no mundo todo.
Aquilo ali é suicídio profissional. Tinha de ser notícias pela manhã com ela ancorando e vazarem com Ana Maria..

Realmente lastimável o que estão fazendo com ela. Por outro lado, deram para o Bial um programa onde o politicamente correto será debatido...e bem tarde da noite...

Viva a internet.