quinta-feira, 19 de julho de 2012

Intervenção da Anatel em Tim, Claro e Oi beneficia Vivo, mas não ataca remessa de lucros às matrizes

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net

Por Jorge Serrão

A Agência Nacional de Telecomunicações, que ontem surpreendeu o mercado com intervenções nos negócios de três das quatro grandes companhias de telefonia celular, deixou de fazer o maior e principal dever de casa: estabelecer alguma regra que freie a elevada remessa de lucros destas empresas para suas matrizes no exterior. TIM, Claro e, principalmente a Vivo, têm focado o envio de recursos aos seus controladores, em detrimento dos investimentos no Brasil, para melhorar a qualidade dos serviços – alvos de constantes reclamações  dos consumidores nos Procons e na Justiça.

Na interpretação do mercado, claramente, a decisão da Anatel beneficia a Vivo, do grupo Telefonica de Espanha, que não foi afetada pela forçada interrupção de vendas de celulares. A stalinista medida contra TIM, Claro e Oi não tocou na essência do problema – que é a falta de investimentos causada pelo envio de resultados financeiros ao exterior ou pela destinação dos lucros para outros fins que não o de melhorar o serviço prestado na rede de telefonia móvel e pretensa internet de banda larga (cuja velocidade é uma piada).

A decisão radical e, no mínimo, anticompetitiva, da Anatel nada mais é que um jogo para a plateia incentivado diretamente pelo governo Dilma Rousseff. Nos bastidores do mercado de telefonia só se comenta que o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, foi o padrinho da intervenção. A partir de segunda-feira, TIM, Oi e Claro teráo restrições na venda de novas linhas e aparelhos até que apresentem um plano de metas e qualidade, com informações detalhadas sobre datas, valores de investimentos e ações concretas de melhoria do serviço. Tudo dependerá de aprovação da Anatel.

A TIM terá seus negócios muito afetados. Será obrigada a interromper a venda de serviço em 19 estados. A Oi fica temporariamente impedida de vender em cinco estados e a Claro em outros três. As ações dessas empresas, naturalmente, vão despencar na cotação da Bolsa. Todas também ficam com suas imagens institucionais arranhadas com a decisão da Anatel. Melhor para a Vivo, que tem tudo para ganhar mercado onde as outras sofrerão duras perdas.

Resta, agora, aguardar qual será o resultado efetivo, em benefício do consumidor, de mais esta jogada promovida pelo modelo capimunista tupiniquim – um dos campeões de interferência estatal em negócios privados.  

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de sexta-feira 19 de Julho de 2012.

4 comentários:

Anônimo disse...

Colonização Brasil pela Vivo dos espanhois! Quanto recebeu a louca terrorista?

E porquê este desgoverno soviético não publica leis do primeiro mundo para que TODAS operadoras telefonicas e de internet forneçam serviços de primeiro mundo?

Brasileiro è merda? È isso?

Anônimo disse...

Alguém da Nova Ordem Mundial ou da Oligarquia Financeira Transnacional está interessado em saquear mais ainda nossos minérios. Daí que alguém daqui se mexeu. O saque continua! Por um lado, è bom que os fdp dos selvagens indios reconhecam o que na realidade são: selvagens oportunistas.

"AGU - Portaria 303 - Salvaguardas institucionais às terras indígenas

Dispõe sobre as salvaguardas institucionais às terras indígenas conforme entendimento fixado pelo Supremo Tribunal Federal na Petição 3.388 RR.

O ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição Federal e o art. 4º, incisos X e XVIII, da Lei Complementar nº 73, de 10 de fevereiro de 1993, e considerando a necessidade de normatizar a atuação das unidades da Advocacia-Geral da União em relação às salvaguardas institucionais às terras indígenas, nos termos do entendimento fixado pelo Supremo Tribunal Federal na Petição 3.388-Roraima (caso Raposa Serra do Sol), cujo alcance já foi esclarecido por intermédio do PARECER nº 153/2010/DENOR/CGU/AGU, devidamente aprovado, resolve:

(...)"

http://www.defesanet.com.br/toa/noticia/6827/AGU---Portaria-303---Salvaguardas-institucionais-as-terras-indigenas

Anônimo disse...

NINGUÉM MORA NOS PRÉDIOS MINHA CASA, MINHA VIDA, INAUGURADOS NO RIO DE JANEIRO. FALTA TUDO!

http://aluizioamorim.blogspot.com.br/2012/07/nao-mora-ninguem-nos-predios-minha-casa.html

Ronald disse...

Jorge, o que você me diz sobre a agiotagem praticada pelas operadores de celular ?
Explico como funciona a canalhice:
Quem possui um Oi pré-pago e fica sem crédito para efetuar ligações ou enviar torpedos recebe a oferta de um crédito especial no valor de R$ 4,00 que serão cobrados na próxima recarga.
Detalhe: quem aceita essa oferta é obrigado a "devolver" R$ 4,80 para a operadora, o que nos meus cálculos significa uma agiotagem de 20%. Imediatamente a recarga feita um torpedo é enviado descontando os R$ 4,80 do cliente;

Pode ?

Cadê esta merda desta Anatel ?

Brasil, país de merda !!!!