terça-feira, 31 de julho de 2012

Omissão do nome de Lulinha na CPI dos Correios e blindagem ao sigilo da Gamecorp salvaram Lula de ser denunciado no rol dos mensaleiros

Edição do Alerta Total- www.alertatotal.net Leia também o Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrão

É sintomática da permanente onda de impunidade tupiniquim a pouca repercussão midiática da gravíssima e tardia revelação de que a CPI dos Correios recebeu pressão política e suprimiu, em seu texto final, qualquer menção ao filho de Luiz Inácio Lula da Silva. Eram públicas as ligações privadas dele com uma grande empresa de telefonia que tinha recebido aportes do BNDES e que tinha dois fundos de pensão investigados entre seus acionistas. Mas a omissão proposital no relatório final da CPI tinha o objetivo tático de blindar Lula de uma eventual denúncia no escândalo do mensalão.

A aliviada de barra para Lulinha, na ação de bastidores que evitou qualquer investigação sobre os recursos financeiros da família Silva, foi fundamental para que o Papai e Chefão Lula tivesse seu santo nome providencial e milagrosamente excluído dos réus do mensalão. A CPI tinha como uma das missões apurar o caminho do dinheiro do mensalão. Como não quebrou o sigilo da Gamecorp, empresa de jogos eletrônicos de Lulinha, toda a família acabou salva de qualquer suspeita.

Fábio Luís da Silva foi investigado na CPI dos Correios, que cuidou do tema “Fundos de Pensão”, pelo fato de a Telemar (atual Oi) ter investido R$ 5 milhões na Gamecorp. Criada por Lulinha em 2004, com capital de R$ 10 mil, um ano depois, a empresa recebeu o aporte milionário da tele. Mas o fato acabou no dito pelo não dito, como um mero investimento de uma quase estatal em uma promissora empresa de um jovem empreendedor. Puro capimunismo tupiniquim.

Nessa mesma onda, o julgamento do mensalão, que começa na quinta-feira no Supremo Tribunal Federal, tem tudo para dar em nada ou em pouca coisa. A previsão é de penas brandas ou nenhuma pena para os principais autores dos comprovados crimes de peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, formação de quadrilha e os crimes fiscal e financeiro. Apesar da impunidade programada, a petralhada ainda teme que algo diferente possa acontecer e o julgamento se transforme em um ponto de inflexão na História do Brasil.

O medinho é tão sintomático que um dos mais famosos réus do esquema, o deputado federal petista João Paulo Cunha, foi taticamente orientado a não comparecer à sessão pública de fotos de campanha que Luiz Inácio Lula da Silva promoveu ontem com 118 candidatos a prefeito e vereador do partido, em São Paulo. Cunha, que é candidato a prefeito de Osasco (cidade paulista estratégica para os esquemas petistas) preferiu faltar ao encontro para não ficar mal na foto, com exposição negativa na imprensa, na véspera do julgamento da Ação Penal 470 no STF.

Antes do esperado evento jurídico-político começar, o PT será alvo indireto de mais um desgaste. O ministro Antonio Dias Toffoli pode ser acionado e ser impedido de participar do julgamento. Motivo: em 2007, a namorada dele, Roberta Gurgel, fez sustentação oral para um dos réus no STF: o ex-deputado Professor Luizinho (PT-SP). O MPF tem tudo para pedir impedimento dele, já que o marido (ou companheiro) não pode decidir causas em que a esposa tenha sido advogada ou parte. Além disso, Toffoli é tido como “amigo” de José Dirceu, um dos réus.

Ontem, o advogado Paulo Magalhães Araújo enviou petição ao STF para que Toffoli seja impedido de participar do julgamento. Mas a Corte não deve considerar o documento, porque Araújo não é advogado de nenhum réu. O pedido contra Toffoli só seria válido se viesse da defesa ou do procurador-geral. Por isso, o presidente do Supremo, ministro Carlos Ayres Britto, reafirmou que o ministro Dias Toffoli tem plena capacidade para decidir se deve ou não participar do julgamento do mensalão.

Agosto, mês do desgosto que começa amanhã, tem tudo para ser inesquecível para os membros do Governo do Crime Organizado...

Caso Lulinha

Foram meramente políticos os motivos para que tenham diso suprimidos do texto final da CPI trechos que citavam Lulinha ou eram críticos a ele e a Lula.

O recado que vinha dos bastidores era: se o nome dele entrar no papel, o relatório final não seria aprovado.

O caso é apenas mais uma demonstração de como funcionou a operação abafa para impedir que Lula acabasse relacionado a qualquer denúncia em torno do esquema mensaleiro que agora vai a julgamento no STF.

Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.


© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 31 de Julho de 2012.

6 comentários:

Anônimo disse...

Em matéria de política nacional, sou pessimista. Acredito, baseado no apoio geral à participação do ministro Toffoli no julgamento do mensalão [(segundo Lula não existiu, mas mesmo assim pediu desculpas (?)]que o circo está sendo armado. Mais, o julgamento poderá se tornar em uma gigantesca marmelada. Cagliostro

Anônimo disse...

No primeiro mundo essa putativa blindagem semelhante ao que estão fazendo com lula, è impossível de aconteçer, porque o político seja ele qual for, è demitido na melhor das hipoteses e preso preventivamente na pior das hipoteses! Aqui è louvado, defendido, elogiado, adorado, lambido, chupado, beijado!

Pode?

Claro que pode no Brasil dos petistas, dos soviéticos, dos corruptos, dos criminosos de colarinho branco!

Nunca em 500 anos de nossa Historia este país foi tão phodido!

Anônimo disse...

Esse filho da p@ta do chavez, se recusou a entrar no Palacio do Planalto por meio de um elevador do lado leste e, exigiu entrar subindo a rampa do Palacio do Planalto. Brasil já um colônia de chavez? Desde quando?

E a louca e irresponsável terrorista, deixou!

Não contente, ainda os presidentes assinaram o contrato da venda de seis jatos Emb 190 da Embraer à Venezuela. O documento prevê que o negócio pode incluir mais 14 aeronaves, um investimento entre US$ 270 milhões e US$ 900 milhões. A entrega dos aviões será feita até o fim do ano.

A verba virá a fundo perdido do BNDES!

E esse grande fdp ainda não pagou o que deve da refinaria Abreu Lima em Pernanbuco, 40% da despesa que já ultrapassou US$ 40 milhões!

Até quando Brasil continua abaixando as calças perante ditadores soviéticos?

Quem manda no Brasil?

http://oglobo.globo.com/economia/chavez-muda-protocolo-pede-para-subir-rampa-do-planalto-5640220

Anônimo disse...

O "ministro" do STF sem qualificações para ser sequer juiz, vai julgar o mensalão para libertar os quadrilheiros do mensalão, começando pelo espião dirceu, 50% cubano e 50% brasileiro de quem ele já foi advogado e è amigo!

Grande justiça lá pelos lados do STF!!!! Todos se esqueçem que esse fdp do canceroso quis corromper Gilmar Mendes, ao melhor estilo da Cosa Nostra! PQP!

Tudo pôdre!

"Com apoio de Lula e de colegas do STF, Toffoli irá julgar mensalão
Ministro do Supremo Tribunal Federal, José Antonio Dias Toffoli afirma estar descontente com dúvidas sobre sua imparcialidade"

(...)

"Toffoli é amigo do ex-presidente Lula e do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, considerado pelo Ministério Público como o líder da “quadrilha” do mensalão. O ministro do STF já foi advogado do partido, assessor jurídico da Casa Civil na gestão de Dirceu e advogado-geral da União no governo Lula.

Toffoli também trabalhou como advogado pessoal de Dirceu, e até 2009, era sócio no escritório da advogada Roberta Maria Rangel, sua atual namorada, que defendeu outros acusados de envolvimento no mensalão, como os deputados Professor Luizinho (PT-SP), então líder do governo, e Paulo Rocha (PT-PA)."

http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/com-apoio-de-lula-e-colegas-do-stf-toffoli-ira-julgar-mensalao/

Anônimo disse...

O "ministro" do STF sem qualificações para ser sequer juiz, vai julgar o mensalão para libertar os quadrilheiros do mensalão, começando pelo espião dirceu, 50% cubano e 50% brasileiro de quem ele já foi advogado e è amigo!

Grande justiça lá pelos lados do STF!!!! Todos se esqueçem que esse fdp do canceroso quis corromper Gilmar Mendes, ao melhor estilo da Cosa Nostra! PQP!

Tudo pôdre!

"Com apoio de Lula e de colegas do STF, Toffoli irá julgar mensalão
Ministro do Supremo Tribunal Federal, José Antonio Dias Toffoli afirma estar descontente com dúvidas sobre sua imparcialidade"

(...)

"Toffoli é amigo do ex-presidente Lula e do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, considerado pelo Ministério Público como o líder da “quadrilha” do mensalão. O ministro do STF já foi advogado do partido, assessor jurídico da Casa Civil na gestão de Dirceu e advogado-geral da União no governo Lula.

Toffoli também trabalhou como advogado pessoal de Dirceu, e até 2009, era sócio no escritório da advogada Roberta Maria Rangel, sua atual namorada, que defendeu outros acusados de envolvimento no mensalão, como os deputados Professor Luizinho (PT-SP), então líder do governo, e Paulo Rocha (PT-PA)."

http://opiniaoenoticia.com.br/brasil/com-apoio-de-lula-e-colegas-do-stf-toffoli-ira-julgar-mensalao/

Marizinha disse...

Sinceramente, nem sei mais o que pensar de tudo isso. É tanta canalhice que dá vontade de fazer justiça com as próprias mãos...Dá até para entender os "homens- bomba" do oriente médio...
Estamos assistindo um espetáculo grotesco de corrupção e grande parte da população que recebe os "bolsas-esmola" não estão nem aí...é bem capaz de elegerem Lula ou Dirceu para 2014. Aliás, com os "bolsas-esmola eles já estão garantidos no poder por muito tempo...ESTAMOS FERRADOS!!!