sábado, 28 de julho de 2012

PRÉ-CONCEITO da OAB ou de Damous?

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Clóvis Puper Bandeira

O jornal O Globo de 19 de julho publica coluna assinada pelo advogado Wadih Damous, presidente da OAB – Rio, sob o título “A Herança da Ditadura nos Quartéis”.

Começa por citar suposta música cantada por soldados do 1º Batalhão de Polícia do Exército, enquanto se exercitavam realizando corrida pelas ruas da Tijuca. Apesar de tal fato não ser confirmado pelos vizinhos do Batalhão, que ouvem diariamente as cantorias dos soldados em exercícios, o fato já provoca reações “indignadas”, como a Dr. Wadih Damous, antes de qualquer investigação da veracidade da notícia. Não seria esta a primeira ocasião em que uma notícia negativa para a imagem do Exército é plantada e orquestrada na imprensa.

Um detalhe que chama atenção na suposta música é a alegação de que os militares gritariam que quem faria as barbaridades descritas seria um “Esquadrão Caveira”. Ora, o BPE, sendo uma unidade de Infantaria, não está organizado em esquadrões, mas, sim, em companhias. É muito estranho que os militares não conhecessem o nome das subunidades onde servem.

Mas o que se segue no artigo é que mais surpreende. A partir da notícia duvidosa, o articulista saca várias conclusões que nada têm a ver com o fato, insinuando ou afirmando claramente que o Exército está “fora dos eixos” na formação de seus oficiais e soldados, que se reservam o direito de dar a última palavra nas questões que lhes dizem respeito diretamente, como a formação de quadros nas Forças Armadas. Quem deveria formular os currículos das escolas militares? O MEC? A OAB? O PT? Quem sabe Carlinhos Cachoeira?

Por aí segue a coluna opinativa, declarando que a influência militar negativa teria levado o STF a “estender os benefícios da Lei da Anistia a torturadores e assassinos de presos”.

Quem lê atentamente – e não seletivamente – a Lei de Anistia, não pode ter dúvidas de que ela abrange os dois lados envolvidos, não apenas a esquerda. Foi isso que o STF concluiu, não tendo “estendido” os benefícios da lei a ninguém, como insinua maldosamente o autor. Como pouca gente leu a Lei, a palavra do Presidente da OAB – Rio é suficiente, e todos passam a acreditar que o STF agiu parcialmente, estendendo aos agentes da lei os benefícios que só deveriam atingir os angelicais e indefesos guerrilheiros e terroristas – afinal, eles lutavam, de armas na mão, para implantar uma ditadura comunista no Brasil, como pode alguém discordar desse ideal?

Concluindo, insinua que os militares são educados com base em concepções antidemocráticas, “para o desrespeito aos direitos humanos, mesmo em períodos de paz”. Baseado em que o ilustre advogado afirma isso?

Por acaso conhece, leu alguma vez, estudou os currículos das escolas militares de formação? Sabe que elas são símbolo de excelência no ensino brasileiro? Sabe o resultado da participação dos alunos de nossos Colégios Militares nas testes de avaliação do MEC?

Ouviu falar que dois alunos do Instituto Militar de Engenharia, entidade respeitadíssima nos meios acadêmicos e científicos do país, após passarem um ano estudando na Academia Militar de West Point (EUA), num programa de intercâmbio, foram os primeiros colocados em todas as provas de final de ano realizadas no ano escolar 2011-2012?

Desconfia de que a formação que desconhece, mas abomina e quer reformar, provocou a vinda ao Brasil, em 2011, de professor da prestigiada Universidade de Harvard, dos EUA, para conhecer os Colégios Militares brasileiros, cujos alunos têm conseguido várias matrículas naquele educandário pelo seu desempenho escolar?

Será que o informado autor acredita que nos currículos de nossas escolas de formação de oficiais e de sargentos existe a matéria “Tortura e Desrespeito aos Direitos Humanos”? Quem sabe haverá aulas práticas, ministradas à noite, em porões escuros e úmidos…

Como fecho de ouro em tão precioso artigo, o Dr. Wadih Damous afirma que “é preciso reformar e adequar as Forças Armadas à democracia”. Discordando frontalmente de tal absurdo, retruco: é preciso reformar e adequar a OAB – Rio à democracia. Ou o seu Presidente…

Clóvis Puper Bandeira é General de Divisão na Reserva.

3 comentários:

Anônimo disse...

Esse tal advogado wadih damous, presidente da OAB – Rio, è a prova provada que todas nossas instituições com algum relevo na vida política, justiça e social do Brasil, foram profundamente infiltrados pelos soviéticos!

Um frustrado que nunca teve corpo para servir as FA.

Anônimo disse...

Na Folha, Jânio de Freitas, em sua coluna, conclamou inclusive o Ministro da Defesa. Ele citou a coluna de Ilimar Franco do Globo, mas não continha detalhes, falava em instrução.
Parece até orquestrado, pois Jânio foi em linha semelhante a Damous recorrendo as mesmas conjuminações.

Anônimo disse...

REPASSADO PELA INTERNET:

Caros amigos, eu também acreditava nesta possibilidade, anulava o meu voto, mesmo não confiando nas urnas eletrônicas – se fossem confiáveis, os Estudos Unidos adotariam o sistema.
Considerando-se o sucesso da cultura da desonestidade, disseminada pelo partido dos trabalhadores, é fato que fica muito fácil – vamos ser claros – o PT roubar os votos nulos em urnas por eles controladas, não se esqueçam de que a máquina pública está loteada: tem um petista em cada posto. Roubar os votos da oposição talvez seja pouco mais difícil.
Em função do acima exposto, acredito que a estratégia de concentrar os votos na oposição – proposta do movimento idealizado por aposentados – seja a única maneira de tirar o PT do poder e, com ele, muitos males do brasil.
“É UM TRATAMENTO DE CHOQUE”. “VAI SER UM DEUS NOS ACUDA” PORQUE ELES JÁ CONTAM COM A PERPETUAÇÃO NO PODER.
Vamos tomar as suas cadeiras antes que tornem-se perpétuas, sem eleições no país com a ajuda do judiciário. Acham absurdo?
O rolo compressor da corrupção está, até, atropelando a suprema corte de justiça do país.
O lula, pessoalmente, decidiu pela permanência do terrorista italiano, depois do processo passar pelo supremo, lembram-se? Lembram-se também do nome do advogado do cachoeira? Sim! O ministro da justiça do lula.
Ainda há tempo: a classe beneficiada com a queda do PT é, por enquanto, mais numerosa do que os beneficiários das bolsas-escravos-das-urnas.
Quanto à oposição, teremos quatro anos para vigiá-los. O povo vai sair fortalecido desta luta.
A união de esforços para divulgar o movimento é importante para o povo conquistar uma vitória histórica, nas urnas, começar uma nova cultura política onde o povo, realmente, é patrão e os políticos seus funcionários.
Expressão de pensamento retirada de textos do movimento: “A REVOLTA DAS BENGALAS E DAS CADEIRAS DE RODAS” que gira na net.
REALIDADE:
HÁ ANOS CONHECEMOS E ANALISAMOS OS PROBLEMAS POLÍTICOS NO BRASIL, MAS NUNCA CONSEGUIMOS A SOLUÇÃO. AS NOSSAS ATITUDES ATÉ AGORA SÓ POTENCIALIZARAM O MAL. O MOVIMENTO DOS APOSENTADOS É A ÚLTIMA SAÍDA.
PENSEN NISSO E DIVULGUEM, O MOMENTO É ESTE.
VAMOS COMEÇAR A ENDIREITAR O BRASIL, ENFRAQUECER o mal – O PT E COLIGAÇÕES – JÁ NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES.