quinta-feira, 12 de julho de 2012

Vencimentos dos Militares - Porque Estamos Assim

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Haroldo Amorim

Dia desses conversei com o Mike, um inglês boa praça casado com uma brasileira, dono de uma lan house perto da minha casa. A conversa descambou para política, pobreza e corrupção no Brasil. No meio do papo, o Mike externando a verve da lógica saxônica soltou a seguinte pergunta: o Brasil tem muitos pobres, mas alguém perguntou o motivo da pobreza? Espantosa e simples indagação. Concluímos que a pobreza é prima da ignorância, filha da corrupção, neta da omissão, irmã do populismo e bastarda da ausência de oportunidades. Saí de lá com esse pensamento. Diante dos atuais, e porque não dizer históricos problemas salariais dos militares brasileiros, cabe também a lógica pergunta do Mike: porque as Forças Armadas ganham mal ?

As explicações são várias: estrutura verticalizada da autoridade, com as decisões centradas no que manda mais, ou seja o Comandante. Quem manda é o Comandante. Por isso, quem está logo abaixo quer o cargo dele. É a fila que anda sem marolas, e assim vai até a base. Daí o círculo vicioso dos emarolados que não querem se queimar ou se indispor, de olho numa merreca a mais como insinuou o Lula. Militares são “migalheiros”, o Lula acertou.

Outra explicação, consequência da primeira, é a acomodação com a miséria. Estamos precariamente aparelhados e equipados, nos acostumamos a cumprir a missão constitucional dessa forma, aliás muito bem. Nossos hotéis de trânsito são ruins, habitamos moradias acanhadas porque incorporamos esse modo acochambrado de viver, afinal somos militares e militar não pode ter conforto. Daí nos contentarmos com migalhas salariais, como disse o Lula. Sempre foi assim. É o conformismo da merreca, pior do que não vir nada...., já dizia o meu avô.

Uma terceira explicação é a conveniência da disciplina. A disciplina é usada para justificar a mudez conveniente. Não podemos dizer isso ou tomar tal atitude porque somos disciplinados, o regulamento não permite, temos de acreditar nos chefes, não posso manifestar porque o estatuto assim o exige, então só resta mandar a mulher protestar batendo panela, isso é ridículo. Alguém já viu mulher de juiz, político, diplomata, auditor da receita ou procurador batendo panela no meio da rua?

Marola quando justa não faz mal a ninguém, pelo contrário, alerta sobre um estado de coisas. O que é mais feio: esposa batendo panela ou a penúria com disciplina? As carreiras citadas acima são carreiras de estado, mas os militares pagam mais pelas mazelas do estado.

Uma quarta e última explicação é a mania de se desvalorizar. Militar não se dá valor. Os cursos são difíceis, as exigências profissionais são absurdas, mas o militar despreza esse fato. Quando faz um curso, tira do contracheque a habilitação anterior. Não incorpora gratificações, não ganha hora extra e está disponível ao empregador em regime integral, sem receber por isso, ao contrário, os chefes antigos até aquiesceram quando a MP 2215 subtraiu injustamente a gratificação por tempo de serviço e o posto acima na reserva, só que quem negociou e assinou embaixo não perdeu nada. A culpa não é do Chefe “A” ou do Comandante “B”. A culpa é do patriotismo errante, da postura filha do carreirismo, irmã da autoflagelação merrequeira , neta do comodismo da marola, prima do complexo de inferioridade e bastarda da conveniência verticalizada.

Um dos sinais da desagregação de uma nação é quando as Forças Armadas dão sinais de fragilidade.

Na queda do Império Romano foi assim. Mas isso eu não falei pro Mike.

Haroldo Amorim é Coronel na reserva do Exército.

11 comentários:

Anônimo disse...

Sou filho de militar e medico recem-formado. Mais clara precisa e concisa este texto nao pode ser!
Minha vida inteirq convivi com este estilo de vida espartano e tal como na medicina o que se aprende deste estilo é: faça primeiro a ti pra depois fazer aos outros!
Ainda sonho com uma reaçao militar pra q toda essa humilhacao comunista seja desintegrada da nossa patria!
Se o saudoso Figueiredo fosse vivo provavelmente diria: quem for contra a extinçao do comumismo-socialismo eu prendo e arrebento!!!
Esse é o espirito!!

Anônimo disse...

Uma análise perfeita da atual situação das Forças Armadas. O que deveria ser base de sustentação, os dois pilares, hierarquia e disciplina, são utilizados justamente para oprimir os integrantes, visto que o topo da pirâmide nunca assume o seu papel, não decide nada, não toma posição, não informa, não comanda na verdade. Vemos apenas manifestações carreirísticas, pensamentos egoístas e individualistas. As forças armadas brasileiras são gigantes sem cabeça.
Não vejo solução, pois está disseminada essa cultura do comodismo, do acovardamento, do carreirismo, da migalha. Chegamos a nos orgulhar de viver do improviso, a falta de recurso é algo que nos faz pensar no quanto somos rústicos, capazes e criativos. Só falta-nos agradecer aos governos que nos mantém nessa situação de penúria.

Borduna disse...

Grande 666, parabéns pelo artigo, abraço, Tomka

Anônimo disse...

Sempre a mesma conversa quando se fala no aumento salarial das Forças Armadas: não tem dinheiro.Mas e a política de doação do suado dinheirinho brasileiro que o Sr Lula fez doando a Cuba,Hamas,FMI,perdão da dívida de vários países,concordância com o aumento da tarifa de Itaipu quando o contrato original não previa isso,etc.A paciência dos militares tem limite,quando sabem que é a carreira de Estado mais atrasada nesta recomposição salarial...

Anônimo disse...

é por isso que tem tanto militar estudando pra concurso público.

Anônimo disse...

Quando leio estas putativas desculpas:

"A culpa é do patriotismo errante, da postura filha do carreirismo, irmã da autoflagelação merrequeira, neta do comodismo da marola, prima do complexo de inferioridade e bastarda da conveniência verticalizada.

Um dos sinais da desagregação de uma nação é quando as Forças Armadas dão sinais de fragilidade."

Verifico como os militares que temos, são tão fracos em toda sua extensão, sua mentalidade de galinha sempre pronta para a degola.

Não, os militares que infelizmente temos, a visão que deviam possuir e não possuem do Brasil, vai desde a porta de sua casa até à próxima esquina da sua rua. A partir daí, são apenas analfabetos funcionais, tanto culturalmente como politicamente.

Só servem para transportar as pastas dos políticos e abrir-lhes as portas dos seus automóveis, para além da eterna e putativa vassalagem beijando-lhes as bundas e os sapatos ou mesmo a sua sombra nem que seja num chiqueiro.

Militar brasileiro, não presta. È covarde por natureza, especialista em desculpas e só servem para defenderem a soberania brasileira nas favelas.

Produto descartável. Compensa muito mais entregar as casernas aos MST.

Anônimo disse...

Sr. Coronel, com todo respeito, mas acho que o Sr. anda tomando muita cerveja com seu amigo Mike. Em primeiro lugar, o militar nunca ganhou bem, mas ganhavam o suficiente para ter uma vida digna. Mesmo na época dos governos militares, até para servir de exemplo, pois apesar de estarem no poder, nunca se favoreceram disso financeiramente. Os exemplos estão por aí em várias postagens na internet.
Quanto a vantagem na reserva no posto acima,isso foi ambição dos senhores que se juntaram ao Deputado Jair Bolsonaro, para serem promovidos a General na reserva, apesar de já estarem ganhando como tal, vindo a prejudicar todos que para a reserva foram, posteriormente. O único que se deu bem foi o Comandante, que ganhou foi muito, como conselheiro da Petrobras. Deve estar muito bem até hoje, enquanto a gente ficou chupando o dedo. Então, quanto a este quesito, a culpa é sim, dos senhores!
Quanto ao resto de seus argumentos, é o revanchismo...! o nosso Exército vinha se modernizando na década de 80: FT 90; FT 2000, lembras? Mas aí... vieram os socialistas(comunistas). E a vaca foi pro brejo!
O Lula pode até ter falado bobagens, como é de seu costume, mas reajustou alguma coisa.
Por incrível que pareça, a melhor fase foi no governo Sarnei, com inflação galopante mas o tal do "gatilho" funcionava financeiramente para os militares. Foi o melhor período!
Quando quiser falar da Força, pense globalmente e não só no seu círculo.
O Sgt QE por exemplo, vive reclamando, mas muitos não sabem que o quadro só existe justamente pela preocupação de alguns oficiais superiores quanto a situação financeira dos cabos estabilizados que iam para a reserva. Já estão brigando para irem a 2º Sgt ou a ST sem nenhum curso. Conhecí alguns que nem escrever sabiam, mas neste governo socialista(comunista) tudo é possível.
Portanto, Sr. Coronel, pare de falar generalidades e seja mais objetivo! E pare de escrever textos depois de tomar algumas com seu amigo Mike.
Sr anônimo das 11:48 PM, pare de escrever asneiras. Pelo visto nem ao nosso glorioso Exército o Sr. serviu. Talvez esteja aí a sua mágoa.

José T. S.

Anônimo disse...

Tenho nojo desses militares da reserva que vivem a exigir das autoridades da ativa as atitudes e providências que, por conveniência ou por covardia, ou por ambos os motivos, não tiveram peito de tomar. Passam para a reserva e escudados pela legislação (Estatuto dos Militares) ficam a distribuir asneiras em blogs e rodas de chopp. Raramente se vê um desses a apoiar os nossos comandantes, a fim de manter a Força unida. Não percebem que são inicentes úteis à causa dos inimigos dos militares, que buscam como objetivo permanente essa desunião, ao pregar a ruptura dos eixos ativa x reserva, comando x tropa e oficiais x praças.

Anônimo disse...

Sabe quando vamos ter solução? Nunca mais pois quem esta lá em cima do poder dos militares já tem sua boquinha no governo (petrobras, STM, ....) ganharão um empregao para um cala boca agora!
Otário e quem nao correu atras do seu durante a carreira ou foi embora antes! Tamu fudido com esses chefes "trouxas" pq de trouxas nao tem nada

Haroldo Amorim disse...

Prezado José T S
Respeito o seu comentário, até porque você se identificou. Mas vamos lá: eu não bebo.Você com suas palavras corroborou o que escrevi, só que de outra forma.Só discordo quando você falou "que ganhava o suficiente para ter uma vida digna". Aí o companheiro foi "merrequeiro", por isso está assim. Quanto ao companheiro abaixo, que disse ter "nojo do pessoal da reserva", digo que logo logo você estará lá e vai lembrar desse texto.As Agressões verbais anônimas de sua parte só posso desconsiderá-las,visto que você não teve "peito de se identificar".
Haroldo Amorim Cel R?1

Haroldo Amorim disse...

Ao prezado José T.S.
Respeito o seu comentário, até porque, em essência, corroborou o que foi escrito. Mas vamos lá: eu não bebo.Quando você fala que "ganhava o suficiente para ter uma vida digna", aí, infelizmente, você foi "merrequeiro", por isso está assim....Quanto ao companheiro abaixo que disse ter "nojo desse pessoal da reserva" só me resta dizer que logo logo você também estará lá. Quanto as palavras rudes proferidas no seu comentário, prefiro desconsiderá-las, visto que o companheiro não "teve peito de se identificar".