quinta-feira, 9 de agosto de 2012

A peleja de Zé Dirceu com Roberto Jefferson

Poesia no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Graco Medeiros

Zé Dirceu

Muita gente ainda tem lembrança
Do governo de Collor de Mello,
O Roberto não era assim magrelo,
Exibia a sua grande pança.
Passaram a mão na poupança
De viúva e de aposentado
E depois que Collor foi cassado
O safado mudou de visual
Pra tentar enganar o pessoal,
Vejam como ele é dissimulado.

Roberto Jefferson

Você foi o fracasso de Ibiúna,
Na verdade, uma grande palhaçada,
Um fiasco pra toda estudantada,
Pois os "homi" meteram a borduna.
Foi pra Cuba se formar em "comuna",
Esticou toda pelanca do rosto,
Pra família você foi um desgosto,
Não sabia da sua identidade,
Pra quem sempre viveu na falsidade,
Deve ter sonegado muito imposto.


Zé Dirceu

Collorido, safado e sacripanta,
Você gosta de canto, ópera-bufa
Mas seu peito comigo não estufa,
Onde eu estiver você não canta.
Seu estilo também não me espanta,
Ele é feito de muita encenação,
Quando me libertaram da prisão
Fui pra Cuba virar um guerrilheiro,
Eu não tenho medo de trambiqueiro
Nem de quem tem a fama de ladrão.

Roberto Jefferson

Acho bom que você tenha cuidado,
Observe o terreno onde pisa,
Pois você já perdeu sua divisa
E deixou o governo humilhado.
Quando eu terminar o meu recado,
Tocar fogo de vez no buscapé,
Genuíno se engasga com café
Se eu falar no "Sombra" e Waldomiro,
Imagine o estrondo desse tiro
Quando a bomba explodir em Santo André.


Zé Dirceu

Ninguém dá mais nenhuma confiança,
Nos Correios você tá enrolado,
Seu mandato vai ser mesmo cassado
Pois ninguém é mais besta, nem criança.
Nunca mais você vai fazer lambança,
Atacar a moral de mais ninguém,
E não vai desviar um só vintém,
O governo de Lula é honrado,
Não conheço nenhum cabra safado
Que abale o prestígio que ele tem.

Roberto Jefferson

Seu governo tem muito parasita
Segurando cargo de confiança,
Viajando pra Espanha, pra França
E enchendo a cara de birita.
Depois fala da herança maldita,
Que não rouba e nem deixa roubar,
Na verdade adora é arrumar
Mil boquinhas para fumar charuto
Mas o povo já anda muito puto
E a resposta vem quando for votar.


Zé Dirceu

Você é componente da quadrilha
Que detona os cofres do tesouro
Mas agora vou dar-lhe um estouro
E botar pra correr toda matilha.
A polícia já vem na sua trilha,
Sabe tudo o que você fez errado
E agora tenta, desesperado,
Enredar-me também na sua trama,
Eu não gozo da sua triste fama
Que você ostentava no passado.

Roberto Jefferson

Eu não tenho colega Waldomiro,
Conchambrança com Marcelo Sereno,
Para o "Sombra" eu nunca fiz aceno,
O que digo, sustento e não retiro.
Avisei pro Palocci, para o Ciro,
Para toda cúpula do PT,
Até mesmo pra Lula fui dizer:
No governo tem muita roubalheira,
Foi por isso que Frei Beto e Gabeira
Se afastaram das hostes do poder.


Zé Dirceu

Quando o povo irado foi pra rua,
Estudante virou cara-pintada,
Todo mundo sabia da roubada
De um governo metido em falcatrua.
É por isso que você insinua,
Acusando sem prova e sem razão,
Meu partido não tem corrupção,
Você é mentiroso e leviano,
Nós não somos governo de tucano
Abafando os escândalos da Nação.

Roberto Jefferson

Você tem fama de autoritário,
No seu grupo só tem stalinista,
Por isso não gosta de anarquista,
Ninguém segue o seu abecedário.
O Gabeira lhe chama de otário,
De babaca metido a Ferrabrás,
Você sabe que foi longe demais,
Com Delúbio pegou o bonde errado,
Ao pagar mensalão pra deputado,
Zé Dirceu ,acabou o seu cartaz!

Nenhum comentário: