sábado, 8 de setembro de 2012

Administração Ideologizada

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net  
Por Gil Cordeiro Dias Ferreira

Como Administrador, respeitosamente refuto a expressão empregada pelo colunista Francisco Bosco, na matéria publicada à pg 2 do Segundo Caderno de O Globo de 05/09, sob o título “Freixo” (reproduzida abaixo, para maior clareza). Explico:

A primeira parte, data venia, é uma falácia de generalização - Qualquer pessoa inteligente tem capacidade administrativa – que ignora a proverbial existência de milhares de gênios desorganizados e desmerece tanto a Ciência da Administração quanto a atividade administrativa em geral, exercida ou não por profissionais;

A segunda exalta o descompromisso - basta delegar as funções para as pessoas tecnicamente competentes para desempenhá-las – e reduz o administrador a um mero “meio-campista”, ou “passador de bola”, sem ressaltar que a delegação de poderes deve realmente ser aplicada, mas criteriosamente, nunca sendo “bastante”, como quer o colunista, e, conquanto conceda autoridade ao delegado, mantém a responsabilidade do delegante ; e

A terceira - o que distingue os políticos é a política – faria morrer de inveja o Conselheiro Acácio, por não tê-la proferido.

O colunista se propôs tecer loas ao candidato que, filiado a um partido de esquerda, já manifestou seu dirigismo cultural, pretendendo regulamentar enredos de escolas de samba. Não surpreende, pois, que tal princípio seja agora estendido à administração pública, sob nova falácia - “toda ação administrativa é politicamente orientada”. Sim, em regimes ditatoriais, a ideologia dominante orienta a administração; já nas verdadeiras democracias, ela se faz pelo convívio harmônico de correntes de pensamento diversificadas, ou mesmo antagônicas. Confiemos em que os eleitores façam a escolha correta nas urnas.

Gil Cordeiro Dias Ferreira é Administrador.

Nenhum comentário: