segunda-feira, 15 de julho de 2013

A Hora é essa

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

Após sua expulsão do Mercosul, fortemente influenciada pelos governos de Brasil, Argentina, Equador, Bolívia e Venezuela, por ter seu Parlamento tomado uma medida legítima, ao destituir da Presidência o ex-bispo trapalhão, polêmico e incompetente, Fernando Lugo, o Paraguai ressurge das cinzas, altaneiro, e recusa sua reintegração ao bloco, sugerida na última reunião de cúpula da aliança em Montevideo. 

O seu Presidente eleito, Horácio Cartes agradeceu aos governantes lá reunidos o reconhecimento da votação que democraticamente o consagrou, estranhando, no entanto, que, por decisão unânime, a readmissão se efetive somente a partir de 15 de agosto, quando assumirá o cargo, vendo nessa postergação uma fonte de mal-estar desnecessária que, provavelmente,  contribuiu para a atitude de recusa de reinserção. 

A outra componente da decisão do  governo paraguaio  reside na posição, formalizada pelo seu Parlamento, antes mesmo da patética expulsão, contrária à admissão da Venezuela como membro pleno do Mercosul, a partir de julho de 2012, tendo em vista que a iniciativa, segundo sua ótica, possuía características jurídicas em desrespeito às normas legais estabelecidas pelos sócios fundadores, entre o quais se incluía. 

É de todo conveniente que a lição de inteligente e coerente política externa que está sendo dada gratuitamente pelo Paraguai, aliada à observação das perspectivas que estão se desenhando sob forma de mega-alianças entre os Estados Unidos e a comunidade européia, convençam o governo brasileiro que este é um momento crítico para sua sobrevivência comercial. 

Já passou da hora de se despojar dos laços políticos retrógrados de um Mercosul decadente e dividido e pensar em se beneficiar de Tratados que aufiram reais dividendos que lhe favoreçam. 

Que o momento não seja desperdiçado.


Paulo Roberto Gotaç é Capitão-de-Mar-e-Guerra Reformado.

Um comentário:

Anônimo disse...

A América do Sul tem sofrido uma crise de governantes, um pior que o outro. Felizmente para o Paraguai, surge um nome de brio, Horácio Cartes que, com grande dignidade, não aceitou a reintegração de seu país à um tratado comercial de onde seu país havia sido expulso por um bando de ignorantes arrependidos(?).
Que apareçam outros sul-americanos dignos.