quinta-feira, 18 de julho de 2013

Dilma teme botar Meirelles na Fazenda para que ele não acabe candidato presidencial em seu lugar

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alerta – www.fiquealerta.net
Por Jorge Serrão
serrao@alertatotal.net

Um nome que não aparece nas pesquisas de intenção de voto pode surgir, dos bastidores políticos e econômicos, como o salvador da Pátria para a sucessão presidencial de 2014, preservando os interesses hegemônicos do PMDB. O “plano B” para 2014 se chama Henrique de Campos Meirelles.

A conjuntura que exige um Presidente com perfil de gestor e renome internacional, mesmo que não seja um candidato (ainda) tão popular, pode fabricar Meirelles como o cavalo mais capaz para vencer o páreo contra uma candidatura Marina Silva – que oferece claro risco de quebrar o atual esquema político interno, embora a ex-petista agrade ao sistema globalitário.

Preocupada com a queda de popularidade nas pesquisas, o que pode levar o PT a querer tirá-la do páreo da reeleição, Dilma Rousseff reluta em aceitar a indicação de Henrique Meirelles (ex-Presidente do Banco Central na gestão Lula) para o Ministério da Fazenda. Dilma há muito tempo gostaria de afastar Guido Mantega – que há muito manda menos que pensa na pasta -, sofrendo ingestões da própria Dilma e do super-consultor Antonio Palocci. Mas ela reluta em emplacar Meirelles.

São dois os motivos para a relutância de Dilma. Primeiro, Meirelles exigiu “carta branca” para dirigir a Fazenda – o que Dilma, com estilo centralizador de gerenciar, não aceita. Segundo, Dilma teme que Meirelles – eventualmente bem sucedido na missão espinhosa de gerir uma política econômica confusa em uma conjuntura global mais tensa ainda – acabe se credenciando para o maior sonho dele: se tornar um candidato viável a disputar a Presidência da República.

A opção Meirelles tem o aval líquido e certo da Oligarquia Financeira Transnacional que controla o Brasil. Sua candidatura sempre foi aventada por grandes empresas parceiras de Luiz Inácio Lula da Silva. Os banqueiros fechariam facilmente com ele. O grupo J&F, que hoje emprega Meirelles e tem aliança forte com Lula, adoraria ter o ex-Presidente do BC do B no trono do Palácio do Planalto. Meirelles nunca escondeu de ninguém que seu sonho é ser Presidente da República. Por isso, ele pode ser o plano B, caso Dilma se veja forçada a sair do páreo.

Dilma não topa Meirelles. Tanto que ele também não aceitou continuar no BC do B na gestão dela. Meirelles quase foi vice de Dilma. Só teve de sair do páreo pela força interna de Michel Temer no PMDB. O nome de Meirelles é o único com total aval externo, antecipado, para 2014.



Em fevereiro de 2010, no relatório "Kicking Off 2010 Presidential Election in Brazil" ("Dando o pontapé inicial nas eleições presidenciais de 2010 no Brasil"), distribuído para clientes do Bank of America Merrill Lynch, foi escrito que "da perspectiva dos investidores financeiros, o vice-presidente ideal para Dilma Rousseff seria Henrique Meirelles (então presidente do Banco Central)”.

Aos 67 anos de idade, Meirelles está pronto para tudo. Desde assumir o Ministério da Fazenda, se for no regime de “carta branca para agir”, ou ficar onde está no poderoso grupo econômico que, estrategicamente, populariza, via publicidade, a sua marca Friboi. Na televisão, em horário nobre, o ator Tony Ramos recomenda: “Peça Friboi – porque carne confiável tem nome”.

Quem garante que, como preparação para a sucessão de 2014, algum marketeiro também indique: “Vote em Henrique Meirelles – porque candidato confiável tem nome”. Luiz Inácio Lula da Silva, que nos tempos de sindicalista de resultados na tal da dita-dura era conhecido entre os policiais próximos ao delegado Romeu Tuma pelo codinome “Boi”, daria facilmente o aval para uma candidatura Meirelles, caso pressinta que o PT corre o alto risco de ser apeado completamente do poder em 2014.

O pragmatismo de Lula pode isolar Dilma. O Presidente Virtual do Brasil já desembarcou, discretamente, do Titanic da Dilma Rousseff, liberando-a para a reforma ministerial, inclusive detonando o intocável afilhado Guido Mantega. Para Lula embarcar na candidatura Meirelles é um pulo só. E o Boi, totalmente respaldado pela Friboi, ajudaria Meirelles a se tornar o cavalo vencedor em outubro de 2014.

Nossos comerciais, por favor...

Confira o comercial produzido pela agência Lew/Lara/TBWA com o gente boa Tony Ramos – um dos melhores e mais queridos atores do Brasil:


Boi na urna

O PMDB já se prepara para digerir a candidatura do bilionário José Batista Júnior ao governo do Estado de Goiás.

Conhecido popularmente nos meios empresariais como “Júnior Friboi”, o acionista da holding J&F (que controla o frigorífico JBS-Friboi) já está filiado há dois meses ao PMDB e cumpre uma rotina de visitar municípios goianos para viabilizar sua candidatura.

Até o candidato natural do PMDB ao governo goiano, o octagenário Iris Resende, admite que o nome do Júnior é viável.

E se uma eventual candidatura presidencial de Henrique Meirelles virar realidade, o Júnior Friboi fica ainda mais forte como “candidato confiável que tem nome para o governo de Goiás”...

Saia do Armário, Dilma!

Em todas as oportunidades nas quais se vê acuada, Dilma usa dois termos milagrosos: transparência e combate à corrupção.

Foi assim por ocasião das passeatas de protesto que abalaram a Nação. Em Rede Nacional de Televisão, Dilma trombeteou que “a melhor forma de combater a corrupção é com transparência e rigor”.

Por outro lado, amparado em inquestionáveis fatos, o engenheiro João Vinhosa, desmoraliza o uso dessas duas bandeiras utilizadas pela marketagem presidencial em todas as oportunidades.

Conforme pode ser visto no vídeo “Saia do armário, Dilma!”, que o Alerta Total está divulgando em sua edição de hoje, Vinhosa apresenta provas de que a Presidenta nem pratica a transparência nem combate a corrupção em área diretamente sob seu comando.


Vale o que está escrito?

Gaiatos implicantes da internet comentam que o ex-Presidente Lula teria cometido um ato falho no artigo que escreveram para publicar no nome dele no prestigiado site do jornalão New York Times.

Trata-se da frase: “Democracia não faz acordo com o silencio”.

Os provocadores perguntam por que Lula escreve isto se, democraticamente, nada fala sobre o Rosegate – escândalo que gostaria de esquecer, mas tem sempre alguém na mídia oposicionista lembrando...

Ficção Científico-Policial



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 18 de Julho de 2013.

7 comentários:

Anônimo disse...

A única falha dessa teoria é que ela não leva em conta a natureza totalitária do PT, que quer perpetuar-se no poder. Esquerdistas e comunistas não largam o osso de jeito nenhum. Para que Henrique Meireles seja candidato, o PMDB precisaria primeiramente romper com o PT e depois, talvez, colocar Michel Temer para escanteio.

Anônimo disse...

Hilário, Lula
https://www.facebook.com/photo.php?v=605536746144905

Anônimo disse...

Que novela sem fim, o quê esperam as FA?

Curt disse...

0 que deveria ser de dominio público, não é divulgado para não desmascarar a figura do ébrio 51. Lula nunca governou no Brasil - foi
o ex pres. do BC Henrique Meirelles. Êle não participou do governo Dilma porque conhece a fera. Seria o candidato ideal para presidente - desde é claro - que se desvincule do Ébrio 51 - que é uma figura nefasta. Nesta altura, é o único candidato para presidente confiável e com mconhecimentos plenos - afinal êle administrou o Brasil durante o governo do ébrio 51.

João Emiliano Martins Neto disse...

Não sou especialista em ciências humanas como História, Ciências Sociais, Políticas ou Economia, mas penso que a vitória de um Meirelles para a presidência do Brasil será grande prova para o mundo que o Socialismo é apenas uma forma de encher fácil de grana esses meros cofres, armazéns de dinheiro que são os bancos.


JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

Anônimo disse...

Meirelles será mesmo o candidato da Oligarquia Financeira Transnacional e da Nova Ordem Mundial, mesmo sendo o "protegido" do lula? Isso não o vai prejudicar? Afinal para "eles", o que interessa mesmo, è ficarem cada vez mais ricos.

Afinal ele criou para o lula, para o PT e PC do B, um Estado assistencialista à boa maneira socialista e por outro lado lado na outra ponta da sociedade, fez os bancos e banqueiros ganharem colossais fortunas com nosso dinheiro.

No meio desse 8 e 80 da sociedade brasileira, ficamos nós, os que produzem riqueza, os que pagam impostos para que as extremidades se locupletassem com o nosso suor.

Ficaremos na mesma e a classe média tenderá cada vez mais a ficar mais igualitária com a pobreza sempre crescente.

È essa a mudança que nos espera?


Anônimo disse...

APOIO DO LULA?????????????????????TÔ FORA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!