terça-feira, 13 de agosto de 2013

A Ditadura disfarçada de Democracia

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Francisco Vianna

Os socialistas descobriram um filão político que vai se firmando como uma ferramenta a ser usada para se manterem no poder indefinidamente na América latina. O regime que inventaram, via Foro de São Paulo, e com base nas recomendações de Antônio Gramsci, não é, num exame mais superficial, a ditadura tão sonhada por eles, ou seja, soviética, ou maoísta, ou ainda o socialismo hitlerista ou o fascismo de Mussolini, mas também não é, tampouco, uma democracia plena.

É, na verdade, um modelo de autoritarismo competitivo, com base no populismo demagógico exercitado sistematicamente junto às camadas menos escolarizadas da população e mais fragilizadas pela pobreza acentuada e, mesmo, pela miséria.

Daí resulta um regime irracional, mas que serve para enriquecer a pequena burguesia que o comanda e que se permeia em instituições republicanas que se hipertrofiam como metástases de células cancerosas, que consomem as energias orgânicas e tende a levar o organismo do estado à morte. Trata-se, na prática, de uma ditadura disfarçada de legalidade pelo aspecto aparentemente democrático das “eleições”.  
Os professores universitários estadunidenses Steven Levitsky e Lucan Way publicaram em 2010 um livro que trata desse tema, e analisa o surgimento de novos regimes que concentram o poder na mão do executivo e cerceiam o poder legislativo e judiciário, de tal maneira que não existe o equilíbrio entre eles, mas esses dois últimos passam a ser subservientes ao primeiro.
O protótipo desse tipo de regime é o montado pelo falecido Hugo Chávez Frías na Venezuela. Outros países da região seguiram seus passos, como a Argentina, com seu indisfarçável glamour pelo socialismo nazifascista do peronismo, bem como a Bolívia do índio cocaleiro Evo Morales, com seu socialismo ‘rastafári’ que não dispensa os lucros com o narcotráfico, e de outras republiquetas da área.
Seus executivos violam sistematicamente os princípios democráticos mais básicos, com a cooperação subserviente dos “poderes” legislativo e judiciário, mas adquirem ‘legitimidade’ através da realização de eleições que, levadas a cabo em condições tão desiguais e eivadas de todo o tipo de fraude eleitoral promovida pela máquina estatal, que torna altamente improvável que a oposição possa vencer.
Isso ficou mais do que explícito na recente vitória de Maduro na Venezuela sobre o oposicionista Capriles, por uma margem ridiculamente mínima, mas que o executivo não apenas impediu que houvesse uma auditoria da eleição como ameaçou com prisão o derrotado oposicionista por levantar dúvidas quanto à legitimidade do resultado.
No Brasil, os caminhos são mais sutis, mas seguem a mesma receita, mais gramsciana do que cubano-chavezista. A intervenção do executivo para cooptar o legislativo é feita através de práticas como a do “mensalão” e similares, por uma intensa atividade corruptora do executivo sobre os legisladores que, por isso mesmo, vivem nababescamente como membros de uma espécie de casta que ganha mais que a maioria dos empresários e executivos de transnacionais. Podemos dizer que, no Brasil, temos hoje uma “ditadura meia-boca”, disfarçada em “democracia boca-e-meia”...
Outra frente, no Brasil, é o controle do judiciário, onde os ministros togados são escolhidos pelo executivo, com a finalidade de servir disciplinadamente a ele perante a Justiça, que continua “cega” para esses absurdos institucionais.
Finalmente, a derradeira frente é a que literalmente “compra” os votos dos mais pobres mediante a distribuição de dinheiro, verdadeiras merrecas, mas que são suficientes para que, longe do trabalho, seus ‘beneficiários’ consigam muitas vezes sair da miséria absoluta para uma pobreza irresponsável que o próprio governo estupidamente estimula a se endividar, criando assim uma “bomba-relógio” social que fatalmente em breve irá explodir.
São seus inimigos, a quem chama de “direita” – como ser direito fosse o errado – os que querem maior e melhor escolaridade para o eleitor, os que exigem uma pré-qualificação para os que postulam cargos eletivos e de confiança, os que clamam para que o governo se limite a cumprir seus deveres constitucionais e promovam serviços públicos de boa qualidade para o povo, combata efetivamente os cartéis, oligopólios e monopólios, mormente os estatais, iniba os conluios corruptos público-privados, principalmente os estabelecidos para lavagem de dinheiro, e trate de edificar uma Força Armada nacional equipada e profissional o suficiente para exibir um bom poder de dissuasão para eventuais inimigos externos e, principalmente, para os inimigos internos.
Agindo como agem, e ao arrepio da lei, os esquerdopatas constroem esse tipo de “ditadura democratóide”, eivada de casuísmos e autoritarismo, lançando mão do que pior existe na sociedade, afastando da política e das instituições republicanas a participação do cidadão de bem, competente, probo, e qualificado, como se fossem entraves para que possam fazer o que fazem do país. Execram o significado da palavra ‘elite’ como se ela ao invés de significar o que de melhor existe na sociedade nacional, significasse exatamente o que eles são, ou seja, a escória, o pior que existe em termos humanos para dirigir o país.   
Poucos países estão conseguindo se manter de fora desse esquema degenerativo social, dessa espécie de ditadura competitiva disfarçada, como acontece com o Chile, a Colômbia, e o Paraguai, apenas para citar sulamericanos. O Brasil, pelo tamanho da sua economia, já deveria estar fora dessa dança imoral e destrutiva há muito tempo, mas não é isso o que se vê. O que se vê é a cooptação financeira da grande mídia, a cooptação corruptora do legislativo, a coopção funcional e ideológica do judiciário e a cooptação do eleitorado pela distribuição indiscriminada de esmolas sem qualquer contrapartida.
O resultado é que os agravos começam a se avolumar e de tal forma, que as múltiplas bombas relógios criadas, consciente ou inconscientemente, pelos socialistas poderão começar a explodir em sequência nos seus traseiros.

Francisco Vianna é Articulista.

11 comentários:

Ferreira Felipe disse...

Demagogia é pouco para essa reflexão... Ditadura, Socialismo, Democracia, Imperialismo... São tudo a mesma coisa, diferenciando-se apenas por seus legisladores... verdadeiramente o problema do Brasil é o capitalismo desenfreado, implementado pela política das molhaduras 'democráticas' advindas da 'América'... que pinta o Socialismo de demônio como parte de seu plano maquiavélico de dominação global... quando na verdade o que o 'Povo' precisa mesmo é apenas ser assistido, e que, sobretudo, a máscara da 'democracia-fascista' do pluripartidarismo, os quais não representam nada, porque não possuem qualquer ideologia, já que o único objetivo é o poder, deteriora aquilo que seria a soberania popular. Mas, a consciência do povo brasileiro é corrupta, por natureza, diga-se de passagem, as pessoas clamam por justiça, mas continuam pagando/recebendo propina. Infelizmente uma sociedade justa está muito longe das terras tupiniquins...

Anônimo disse...

Perfeitas colocações do Ferreira Felipe. Antes o governo do PT do que toda essa roubalheira e cartel do PSDBOSTA e partidos semelhantes.

Anônimo disse...

Perfeitas colocações de Ferreira Felipe.
Antes um governo do PT do que esses do PSDBOSTA e partidos semelhantes onde há carteis e o povo é relegado a último plano.

Guitardo disse...

Perfeito comentário, Ferreira.
Antes um governo do PT voltado ao povo do que essa corrupção no metro e a privataria atucana que atulou o país na merda. É Dilma 2014!

Guitardo disse...

Perfeito comentário, Ferreira.
Antes um governo do PT voltado ao povo do que essa corrupção no metro e a privataria atucana que atulou o país na merda. É Dilma 2014!

Dragon Zen disse...

Que comentários ridículos. O mesmo cara (petista of course) precisa escrever 4 vezes a mesma coisa para tentar descredibilizar essa analisa pertinente.

Anônimo disse...

As vezes penso que estamos vivendo uma esquizofrenia generalizada. Ou pelo menos é o que poderíamos ponderar sobre esses socialistas que condenam o capitalismo mas lutam todos os dias pra donseguir uma casa ou uma casa melhor, um bom carro, um celular de última geração, um computador de ponta.... Querem tudo de bom que o capitalismo possa lhes oferecer mas continuam travestidos de socialistas ou socialóides....É justamente o que ocorre na ilha da fantasia chamada Cuba... onde os irmãos ditadores Castro e uma casta restrita que forma os privilegiados do regime ditatorial vivem num luxo de país capitalista de 1º mundo, enquanto o resto do povão vive a miséria do socialismo que não deu certo em canto nenhum do mundo. Vivem presos em seu próprio país, onde nem os pescadores podem possuir barcos, pois assim, naturalmente, figiriam daquele inferno que só empolga os pseudosocialistas brasileiros que amam Cuba, mas nem cogitam deixar as regalias do capitalismo pra ir morar naquela bos.. onde se ganha 15 dólares por mês e não se pode nem dizer que está achando ruim!!!

Anônimo disse...

Esses petistas cabeças de bagre

Anônimo disse...

Esse blog se diz "jornalismo independente", o editor chefe tem o sobrenome SERRAO, é lógico que não iria sair nenhum texto isento de posição política, com análises realmente úteis. Gostaria de ver mais sites preocupados em informar e menos imposições políticas. Cada vez me canso mais de procurar informações confiáveis, pois se fosse um site feito pelos Petistas tenho certeza que também não me informariam o que é uma ditadura disfarçada. Ou seja antes de ler esse texto (e vários outros) eu era "burro", agora sou mais "burro" ainda.

Nicolae Sofran disse...

E o povão bundão vota no PT ladrão do Mensalão, Lava Jato e Petrolão!

Gysele Marchiotti disse...

Independente!? Quanta isenção! Tem meu escarro.