sábado, 24 de agosto de 2013

O Duque filosofa na Semana do Soldado

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Ricardo da Rocha Paiva

”Como poderia meu Exército alcançar uma dissuasão extrarregional satisfatória? Devo chamar a atenção do cidadão civil. Uma coisa é certa, nosso poder militar convencional deveria ser capaz, pelo menos, de dissuadir predadores militares como França e Grã-Bretanha".

"Considerando que estas potencias dispõem de 10/12 brigadas de prontidão imediata, urge que o Brasil complete, adestre e transforme em operacionais pelo menos 13 (temos 26, todas capengas, incapazes de durar em operações de defesa externa) grandes unidades no mais curto prazo".

"Que não se duvide, alcançada esta meta o EB seria um dos mais fortes do mundo.” 

Caxias está indignado, o orçamento do Ministério da Defesa, para variar, foi garfado novamente, passando este ano de R$ 18,7 bilhões para 14,2 bilhões.

Por isso mesmo esbraveja: -“Assim fica difícil reequipar e adestrar 13 brigadas, isto sem falar na ressurreição da base industrial de defesa e na retomada do investimento em pesquisa e desenvolvimento científico-tecnológico. A governança e a politicalha estão pagando para ver com essa mentalidade utópico-pacifista, absolutamente na contramão do que pregava o meu amigo Barão do Rio Branco.”

E Caxias continua elocubrando: “Se a prioridade para a Força Terrestre é garantir a Amazônia, por que gastar tanto com os blindados Guarany? Olha que estão encomendadas 2024 destas viaturas! Tudo bem, a infantaria motorizada precisa se transformar em mecanizada mas, afinal de contas, o que nos falta mais, agora, neste momento? Se os “hermanos” não vão nos incomodar mais depois dos acertos/ajustes do trinômio MERCOSUL/UNASUL/CDS, por que a volúpia pelas grandes unidades que nos capacitam a integrar permanentemente o CS/ONU?”

Alerta! Até hoje as unidades de selva estão empregando ainda em suas operações ribeirinhas as antológicas “voadeiras”, uma espécie de piroga de lata, verdadeiro caixão flutuante se comparadas às modernas lanchas artilhadas dos ”marines” ingleses e americanos utilizadas com esta finalidade!

Paulo Ricardo da Rocha Paiva é Coronel de Infantaria e Estado-Maior.

Nenhum comentário: